22 de maio de 2017

Globos de Ouro e pessoas com pouca noção de estilo



Como tem vindo a ser hábito, esta é aquela noite do ano em que solto a blogger de moda que há dentro de mim e comento a cerimónia dos Globos de Ouro, onde para além de pessoa famosas e com bom gosto, há, sobretudo, bimbalhões que foram convidados porque conheciam alguém que arranjava bilhetes e desfilam na passadeira vermelha enquanto acenam ao povo desdentado. A gala deste ano foi apresentada por aquele sem-abrigo surfista que mora numa cabana feita de folhas de rúcula. Bárbara Guimarães, pela primeira vez, não apresentou a gala, mostrando que uma mulher depois de sofrer violência doméstica ainda fica sem o emprego. É a sociedade que temos. Bem, vamos lá então arranjar mais inimigos, mas quero deixar patente que a maioria das pessoas eu nem sei o nome, por isso, isto nunca é um ataque pessoal, são só piadas de bom gosto sobre gente com mau gosto.

Todas as fotografias foram cedidas pela fotógrafa Inês Costa Monteiro. Podem seguir o trabalho dela no Instagram. Obrigado também à NiT.

Não há dúvida de que as transparências estão na moda, excepto nas personalidades.

Já percebi porque é que a Loja das Meias vai fechar. Algures no tempo as meias deixaram de ser usadas. Isso e calças apertadas nos genitais. Mas bom, os DAMA tinham uma música nomeada para um Globo de Ouro por isso já nada me surpreende. Aliás, foram acompanhados por uma orquestra! Quando andas a estudar violino no conservatório e depois tens de tocar com os DAMA sabes o que sente um doutorado em sociologia num call center.

O Wuant devia saber que óculos escuros numa gala só é aceitável se fores o Anselmo Ralph ou se tiveres fumado uma ganza gigante e não queres que a tua mãe te veja na televisão com os olhos mais vermelhos do que quem foi à natação e se esqueceu dos óculos. O outro do cabelo azul com os ténis a condizer, não se poderia esperar mais de putos que fazem milhares de euros. Sim, é inveja, mas ao menos tenho bom gosto.

Lembram-se do filme Zoolander e daquele olhar "Blue Steel" que os modelos faziam para a câmara? É isto. Ou é miopia e astigmatismo. 

Não sei quem são, mas aposto que começam as frases sempre com «Nós, os artistas....».

Achei ousado. Nunca pensei que o Luís Represas usasse dourados. 

Não gozem com esta barba de mendigo porque o que vocês não sabem é que por baixo daquela barba há agrafos a manter aquele sorriso sempre igual durante horas e horas em todas as vezes que ele tem câmaras à frente.

Se esta foto tivesse banda sonora, essa banda sonora seria «KAKAKAKAKAKA» tal é o ar de peruas emproadas que estas senhoras têm. Aquela clutch está cheia de croquetes, aposto.

Quando queres ser badboy, mas a tua mãe só te deixa fazer tatuagens do Bolicao. A cara faz-me lembrar um hamster que que eu tinha que guardava as sementes nas bochecas ou o meu irmão que teve uma fase que não engolia saliva e a acumulava e depois ia cuspir à casa de banho.

Eu não sei quem são, mas se tivesse de arriscar diria que ele é cirurgião plástico e que ela é o case study e tese de doutoramento dele. Experimenta à vontade.

Bem sei que só Deus nos pode julgar, mas ela bem podia ter dito à mãe para perguntar a Jesus o que é que o pai dele achava deste vestido que Ele dir-lhe-ia, certamente, para pegar fogo àquelas algas mortas que tem na cintura. 

Quem te vestiu? Foi a minha mãe. Trouxe o vestido dela de quando ela estava gorda e tinha um metro e noventa. É por isso que estou com esta cara de quem vendeu a alma e ainda não recebeu o pagamento.

Alguém chame o Hernani Carvalho que ocorreu aqui um crime grave. No Alta Definição ele falou que tinha sofrido muito bullying na escola e começo a perceber porquê. Quem te vestiu, Darko? Foi o Stevie Wonder? Parece uma personagem do Ninja da Caldas ou um vilão do Balas e Bolinhos. Havias de ir nadar para o Meco  com isso. 

Só para o caso de não termos ainda percebido bem que ela também gosta de mulheres.

Quando queres brincar aos ricos, mas tens de comprar os vestidos na promoção leve 2, pague 1.

A violência doméstica é um assunto sério e o Rodrigo Guedes de Carvalho bem que falou disso. Ninguém usa maquilhagem daquela nos olhos a não ser para esconder marcas. Isso ou é tanto mau gosto que até merecia umas lambadas.

Se o Alvim e os Esquilos tivessem uma bruxa má, era a dona Eunice. Não se deixem enganar pelo ar simpático porque a senhora dá daqueles beijos que as avós dão e deixam-nos cheios de baba e picam.

Quando a tua cabeleireira te crava bilhetes e depois os dá à esteticista que faz unhas de gel lá do salão.

Se fosse ao contrário estava toda a gente a dizer que o rapaz só está com ela por dinheiro. Assim ninguém comenta. Sociedade injusta! Chamem a Rita Ferro Rodrigues! 

Esta está vestida de espanta espíritos. Vem uma corrente de ar e ela abana-se toda. Aliás, ela recebeu um Globo de Ouro que pesava mais do que ela.

Mamas! Mamas! Ah, esquece. Era muito chato ela ter feito uma mastectomia e eu não saber disso. A piada ficava melhor, mas era chato.

Esta cena dos modelos serem sempre os mais mal vestidos é um fenómeno que devia ser estudado. Coleira, decote até ao umbigo, calça de apanhar lamejinhas, sem meias. Agora a sério, se os modelos desaparecessem todos do mundo o que mudava para além da minha autoestima?

Daniel Oliveira a trazer, mais uma vez, roupa emprestada do Messi. Aposto que lhe pediram várias vezes para ir estacionar o carro ou pendurar o casaco no bengaleiro.

Fujam que vem aí o pica da Carris! Os sapatos podem não condizer com o fato, mas o nome dele, Albano Jerónimo, condiz com o outfit.

Lembram-se de eu ter dito que era a favor da adopção por parte de casais do mesmo sexo? Esqueçam. Mudei de ideias. Esta merda não se faz, bem sei que o preto dá bem com tudo, mas vestir a filha de algodão doce é abuso infantil. Isso e aquelas sandálias com as unhas cheias de fungos.


E pronto, depois da passadeira vermelha seguiu-se a gala em que, como no ano passado, aproveitou-se Luís Franco Bastos e Rodrigo Guedes de Carvalho. Espero que tenham gostado e espero que partilhem. Mais uma vez, obrigado à Inês Costa Monteiro por ter cedido as fotografias. Relembro que podem seguir o trabalho dela nesta conta de Instagram. Obrigado também à NiT.
Ler mais...

20 de maio de 2017

O Correio da Manhã é um acidente de viação



Para quem não sabe, o Correio da Manhã é aquele molho de folhas e amontoado de caracteres online que dizem formar e conter peças e artigos jornalísticos. Em parte, é verdade. O Correio de Manhã também faz jornalismo e investigação de qualidade, mas um jornal não pode fazer isso, também, mas sim, só isso.

O Correio da Manhã é um acidente de viação na via contrária da autoestrada.

Vemos o acidente e a nossa alma de bate-chapas e de médico legista impele-nos a abrandar, embora refilemos com os da frente por irem devagar. Ficamos desiludidos se o acidente for leve e quantas mais ambulâncias melhor, «Ui, cheira-me que alguém morreu.» dizemos numa curiosidade e contentamento mórbido de não ter sido connosco. Não nos iludamos, fazemos todos parte do problema. Ao falar do Correio da Manhã ou de alguma coisa que eles fizeram estamos a dar-lhe poder e a fazê-lo crescer. Ele alimenta-se disso. É uma espécie de demónio que se enche a barriga com a raiva e os medos das pessoas. Neste caso recente do vídeo dos alegados abusos, por exemplo, das duas uma: ou não vimos o vídeo e é parvo termos uma opinião sobre ele, ou vimos o vídeo e fizemos exactamente o que o Correio da Manhã nos pediu ao dizer «VEJA O VÍDEO AGORA», ou, se fossem totalmente transparentes, «VEJA O VÍDEO PORQUE NÓS TEMOS UM ANÚNCIO ANTES E ISSO VAI DAR-NOS DINHEIRO E NÓS POR DINHEIRO SÓ NÃO DAMOS O CU A NÃO SER QUE SEJA UMA QUANTIA ACEITÁVEL PARA LEVAR NO CU.»

É uma notícia relevante? Não. Relevante ao ponto de se publicar o vídeo e passar na CM TV em loop onde quase dá a entender que aquilo foi masturbação que durou horas? Muito menos. O problema começa quando, desde logo, o CM decide chamar aquilo de violação, fazendo assim uma julgamento sumário. Bem sei que quem se diz jornalista e publica estas coisas bem que pode dizer que é polícia, advogado e juiz, porque vive num mundo da fantasia a brincar às profissões. Não sei se é violação ou não, não consigo perceber e não tenho problemas em dizer algo que as pessoas hoje em dia parecem ter desaprendido: dizer «Não sei.». Nos dias de hoje parece que é mais mal visto dizer que não se sabe do que ter uma opinião baseada em nada em que se estiver correcta foi apenas porque havia 50% probabilidades de isso acontecer. Se ficar provado que houve violação, desejo uma morte lenta ao violador, mas, até lá, não sei o que foi aquilo. Sei que há desde logo uma violação que é o facto de terem filmado e publicado aquele vídeo a não ser que eles soubessem disso e não se tenham importado. Pouco provável, mas não seriam os primeiros. No entanto, qual é a diferença entre aquelas abéculas que filmaram e aplaudiram, quais cheerleaders do pinanço alheio porque eles não sabem jogar, e o CM que amplifica até à exaustão o vídeo? Parece-me que nenhuma.

Se o CM não tem publicado, quase ninguém tinha visto o vídeo e o processo seguia naturalmente. Seria ou não crime público ou a rapariga faria ou não queixa, a polícia investigava, e os juízes sentenciavam. Aquele processo natural de uma sociedade civilizada. Assim, não só toda a gente foi julgada na praça pública, incluindo a rapariga, como a foto dos alegados violadores foi propagada nas redes sociais com o carimbo "VIOLADOR" sem que tivesse havido sentença. Não sei muito de legislação, mas se nunca houver condenação por violação calculo que as pessoas que partilharam a foto dos rapazes com esses títulos incorrem em algum crime de calúnia e difamação. Para a próxima não filmem, dirão alguns, e são capazes de ter razão. A rapariga, consentido ou não, com a amplificação deste vídeo por parte do CM terá ganho uma alcunha na faculdade porque sabemos bem a sociedade onde vivemos e basta ir ver os comentários da dita tasca jornaleira. Sabem aquelas coisas que se faz ou diz quando se está bêbedo que no dia de ressaca ficamos a remoer naquilo com uma vergonha no baixo ventre e a contrair os músculos do pescoço enquanto dizemos para nós mesmos «Para que é que eu fiz aquilo? Sou mesmo otário. Será que as pessoas se lembram?». Imaginem que havia um vídeo de todas essas coisas vistas por Portugal inteiro. Epá, era capaz de ser uma existência chata de se ter, apesar de reduzir o consumo do álcool, provavelmente.

O Correio da Manhã sempre foi uma boa muleta para muitos humoristas, mas nos dias de hoje deixou de o ser porque uma grande ferramenta do humor é o exagero. Lembro-me de quando saíam notícias estapafúrdias e se faziam piadas com o CM a dizer «O CM já foi tão baixo que só falta vermos uma notícia a dizer "Violação filmada e publicada nas redes sociais! VEJA JÁ O VÍDEO!"». Essas piadas morreram, porque o CM é o pináculo da hipérbole da caricatura do ridículo. Não vale a pena boicotarem o CM. A maioria das pessoas já boicotou a inteligência há muito e temos de perceber que em todas as sociedades civilizadas há deste tipo de jornais que fazem as delícias das massas emburrecidas. Também são precisas essas pessoas, caso contrário como é que nos iríamos regozijar com a nossa elevada inteligência? É como sair à noite com amigos feios, dá sempre jeito existirem.

O Correio da Manhã não é o jornalismo que precisamos, mas é o jornalismo que merecemos.

Quanto a mim, se um dia me pagarem bem para escrever crónicas para lá, não vou recusar e se me acusarem de me estar a vender e a colocar um preço nos meus valores, eu vou responder que não podia perder a oportunidade de adicionar qualidade ao Correio da Manhã, fazendo assim parte da solução e não do problema. Sim, somos todos hipócritas.
Ler mais...

16 de maio de 2017

Festival, Futebol e Fátima - Podcast #6



Não deu para fugir aos temas do momento e neste episódio do Sem Barbas Na Língua, de autoria da minha pessoa e do Hugo Gonçalves, falamos da vitória do Salvador Sobral no Festival da Eurovisão, da euforia e autoestima portuguesa, do tetra do Benfica e da vinda do Papa a Fátima. Ora cliquem lá no play e, se gostarem, partilhem.



Podem ouvir e subscrever o podcast nas seguintes plataformas:
Partilhem com o próximo, como diria o Santo Padre.
Ler mais...

Homens e mulheres são farinha do mesmo saco


Bem sei que a maioria de vós ainda está em êxtase com o fim de semana transacto, mas o Doutor G tem mais uma consulta para dar em mais um rubrica "Doutor G explica como se faz". 


Ola, dr. G. entrei na universidade este ano letivo, e conheci imensa gente com os mesmos interesses que eu. Fiquei longe de casa e o meu namorado ficou na minha terra, ficando longe um do outro (o que já se sabia que ia dar merda) no meio das lendárias bebedeiras universitárias e das previsíveis discussões conjugais, numa noite, eu e um colega, saímos bebados como tudo, e ele beijou-me e obviamente nao dei muita luta, mas afastei-o disse que se devia deitar e fui me embora. Agora simplesmente nao sei se deva dizer a alguém. Que me diz doutor?

Enviado do meu telefone Huawei. 
Anônima, 20, Algarve

Doutor G: Cara Anónima, esse Huawei a copiar o iPhone como se fosse algum orgulho ter-se um telemóvel chinês. Normalmente, quando se aposta numa relação à distância vai-se com a ilusão de que tudo vai dar certo e que o amor é uma espécie de teletransporte que nos permite estar longe sem estar. Credo, que Chagas Freitice que isto foi. No entanto, tu, logo à partida, já foste com o pensamento de que iria dar merda e já a planear inconscientemente que numa noite de bebedeira e discussão conjugal terias atenuante para embarcar numa luta de escalopes extra-conjugal. Por isso, claro que a coisa não ia correr bem. Contar a alguém? Não sei, depende do que quiseres fazer a seguir. Não contes é a Deus, que o gajo conta à mãe e ela vem logo cá contar os segredos a uns putos ranhosos quaisquer que depois vão contar ao mundo inteiro.
  • Achas que nunca mais vai acontecer e queres ficar com o teu namorado? Não lhe contes.
  • Já não queres estar com o teu namorado? Acaba a relação, mas não precisas de lhe contar que sorveste língua de outro porque só o vai fazer sofrer e o resultado é o mesmo.
  • Queres continuar com o teu namorado, mas também queres continuar a ter aventuras na universidade? És uma porca.
Simples.


Caro Dr. G, acabei recentemente um relacionamento com uma rapariga com a qual estive durante mais de 3 anos. O desgaste levou a melhor e foi ela a tomar a decisão de acabar, apesar de isso não nos ter impedido de continuarmos amigos. Continuamos a falar e a passar tempo juntos, sem quaisquer ressentimentos, e, nem uma semana depois, contou-me que teve relações sexuais com um ex-colega de trabalho. Como é óbvio, mesmo tendo ela a vida dela, fiquei magoado, porque a separação era muito recente. Porém, qual não é o meu espanto quando no dia seguinte ela me conta que o rapaz lhe deu com os pés depois do "funaná no automóvel" e voltou para a ex-namorada. Ela ficou destroçada, porque me disse que gostava dele, mas agora tem feito avanços no sentido de voltar para mim. A questão é que eu ainda gosto dela, só que já não a amo - aquilo que a tornava especial aos meus olhos desapareceu pois o facto de termos sido os primeiros um do outro era especial. Qual o seu conselho quanto ao rumo da minha vida pessoal? Volto para ela, "chafurdo numa qualquer" para me vingar e depois volto ou não para ela, ou sigo em frente?  
Miguel, 22, Lisboa

Doutor G: Caro Miguel, mas porque é que vocês ficam amigos das ex-namoradas? Tanta gente aí no mundo a precisar de amigos e vocês ficam agarrados ao cotão do umbigo. Vou explicar-te o que aconteceu:
  1. Ela acabou o namoro porque já andava enrolada com o outro ou porque se queria enrolar e gostava dele.
  2. Enrolou-se com o outro passado uma semana e se diz que gostava dele mais uma prova de que a coisa já durava enquanto vocês namoravam.
  3. Ele deu-lhe com os pés e ela ficou carente e decidiu tentar voltar para ti.
Ora bem, o meu conselho é que lhe dês com os pés, tanto como namorada como como amiga. Porquê? Primeiro, porque como namorada é má, visto que já andava enrolada ou a gostar de outro e só quer voltar para ti porque és a segunda opção. Segundo, que tipo de ex-namorada amiga te vai dizer, passado uma semana de terem acabado, que andou a chafurdar com outro? É preciso respeito pelo luto. Ela pode dizer que foi para te mostrar que devias partir para outra, mas se fosse esse o caso ela afastava-se e não tentava fazer de ti o amigo gay. Como só tinham tido ambos um parceiro sexual (menos ela que já devia ter andado com outros entretanto) ao menos que ela quisesse voltar para ti depois de ter feito sexo com o outro que era sinal que tu és melhor na cama. Agora, se ela queria ficar com ele, nem isso tens a teu favor. Eu sei que dói no ego, mas estou a fazer de ti um homem.


Caro Dr G. fiquei solteira recentemente da única pessoa que amei na vida e como qualquer pessoa com o coração partido decidi que me iria apenas servir de homens apenas por questões puramente físicas sem sentimentos à mistura, até que se me aparecesse alguém que realmente valesse a pena. Entretanto chegou ao meu trabalho um novo colega e a atracão foi mutua. A questão reside no facto do individuo ser mais novo que eu (6 anos) e ter namorada (que saiu agora das fraldas). Acabamos, obviamente, por nos enrolar, porque a carne é fraca. Mas ainda não avançamos para o funáná pelado porque eu, que não gosto muito de "partilhar", disse-lhe que só o iríamos fazer se ele acabasse com a namorada. Ele diz que não tem coragem de acabar com ela, que está confuso etc... e eu não sei o que fazer, apesar de ele não fazer o meu género a nível intelectual tenho receio de me acabar por apaixonar e não saber dizer que não a esta situação e permanecer "amante" dele. O que posso fazer? Mantenho esta situação até me aparecer alguém que me tire dela? Pressiono para ele acabar com a namorada?
Vanessa, 27, Aveiro

Doutor G: Cara Vanessa, é histórias de homens e mulheres que pulam a cerca hoje. Parece um terreno de ovelhas em andas com uma cerca da Playmobil: tudo salta para o outro lado facilmente. Não me venhas com tretas que não fizeste sexo com ele porque não gostas de partilhar, achaste foi que o teu pipi é o ás de trunfo e que o podes usar para o pressionar a acabar com a namorada. Se ele não te atrai intelectualmente, porquê o medo de te apaixonares por ele? Costumas apaixonar-te muitas vezes por pessoas das quais não gostas da personalidade? Isso pode explicar o teu coração partido. Bem, no meio disto tudo tu és a que não tem culpa de nada por isso faz o que te apetecer. Se quiseres ficar com ele, faz o test drive primeiro e se o motor de arranque estiver estragado devolves ao stand. Ah e ele não está confuso, ele só quer é comer-te e está a dar-te a cantiga do bandido e tu a cair. 


Caro Doutor G, estou numa relação estável e nutro imenso carinho pela minha cara-metade. Regressei de Erasmus e desde então dou por mim a fantasiar com mil e uma raparigas da minha universidade/círculo de amigos, incluindo no ato de esgaçamento de pessegueiro e afins. Não quero trair a minha namorada, mas sinto que se qualquer uma delas me levasse para casa e abrisse as pernas eu fornicava-a violentamente sem pensar duas vezes. Existe cura ou antídoto para este comportamento de cachorro no cio?
Pedro, 23, Porto

Doutor G: Caro Pedro, depois de vir de Erasmus? Porque não durante o Erasmus? Foste para um país com mulheres ainda mais feias do que as portuguesas? BADRABUM!!! A espalhar o ódio pelos mais de 60% de pessoas que lê o Doutor G. Calma, não são vocês que estão a ler isto que são feias, são as outras, aquelas vossas colegas de escola ou do trabalho que nem sabem tirar o buço com cera. Sim, essas nojentas feiosas. Bem, Pedro, sofres de um problema causado pela evolução darwiniana em que os homens foram sendo seleccionados pela sua testosterona e vontade de procriar com várias fêmeas para maximizar as hipóteses de sobrevivência da sua descendência. No entanto, os homens nunca podem usar a desculpa das hormonas para nada. Essa cartada é das mulheres e nós, apesar de a testosterona ser a mais poderosa das hormonas, temos sempre de nos conseguir controlar e ser ponderados e sensatos. Posto isto, se gostas mesmo da tua namorada, só tens de te controlar porque os homens não se medem aos palmos, mas medem-se pela quantidade de gajas que rejeitam quando têm namorada. Também conheço quem diga que por cada gaja que se rejeita na terra se leva no cu no céu e é nesse sentido que escrevo coisas neste blogue que me façam ir directo ao inferno.


Boa tarde Doutor, há aproximadamente 6 meses conheci um rapaz na noite, fomos falando e passadas duas semanas deu-se o real comilanço. Depois disso ele apresentou-me aos amigos e acabei por ficar também amiga deles. Andamos nisto durante dois meses mas sem nunca chegar a praticar o funaná pelado, isto apesar de eu o ter sugerido diretamente. Apesar disso continuávamos bem. Íamos então em três meses de amizade quando ele decide deixar de me falar. Tentei durante algum tempo reatar a "relação" mas nada. Parti para outra e caguei, literalmente, para o assunto. Até que recentemente ele me abordou numa noite e pediu para que eu na noite seguinte me encontra-se com ele. Na noite seguinte estava com uns amigos num bar quando ele aparece, disto olha para mim sorri e vai embora e apesar de ficamos no mesmo local o resto da noite o nosso encontro não passou disso. O que tem o Dtr a dizer desta atitude e que conselhos me oferece?
Maria, 19, Braga

Doutor G: Cara Maria, esse sujeito é uma destas três coisas:
  1. Um xoninhas
  2. Gay
  3. Tem/gosta de outra
Só isto explica essas suas atitudes. Eu vou mais pela primeira o que são boas notícias pois a xonice tem cura, já o espírito maligno do homossexualismo, como diz o pessoal da IURD, não tem, apesar de eles acharem que sim e que com umas rezas e enfiar mirtilos no cu a coisa passa. Por isso, se estás mesmo interessada nele, tens de ser tu a saltar-lhe para cima e montar o pónei anão que nem uma princesa guerreira. No entanto, tens de ver se a atitude dele não poderá ser algum constrangimento por tu teres cagado, literalmente, no assunto. Nem toda a gente tem esses fetiches escatológicos.

PS: «Para que eu (...) me encontra-se com ele»? Ó Maria, Maria. O que é que eu faço contigo, Maria? Achincalho-te ou deixo passar?



Caro Doutor G, até aos meus 20 anos nunca me tinha apaixonado apesar de ter tido 2 namoradas, Há 5 anos apaixonei-me pela primeira vez por uma colega, uma daquelas paixões à primeira vista, mas descobri que ela era lésbica, para que não deixá-se-mos de ser amigos deixei passar um tempo e comecei a vê-la apenas como uma amiga muito importante. Passado cerca de 8 meses conheci uma rapariga muito simpática pela qual me interessei mas vim a descobrir que essa rapariga é a namorada da minha colega, mais uma vez por respeito não fiz nada. Há 5 meses voltei a conhecer uma rapariga cuja aparência física e a personalidade têm uma força de atracção maior que um buraco negro, o problema é que ela também é lésbica, agora dou por mim a ter fantasias com lésbicas regularmente, quando vejo raparigas da minha idade na rua começo a imaginá-las às duas a brincarem uma com a outra na cama e isso dá-me prazer. Eu adoro esta rapariga, ela está interessada noutra rapariga mas quando se sente em baixo diz-me que é bi e que talvez a sua próxima relação deva ser com um homem como eu. Doutor G sou programador, percebo mais de máquinas do que de mulheres, por favor ajude-me. 
Anónimo, 25, Caparica 

Doutor G: Caro Anónimo, fiquei com cancro nos olhos ao ler «deixá-se-mos». Estou a ver tudo enevoado e o caraças. Ora bem, se só gostas lésbicas a única solução é trocares de sexo. Quanto a teres fantasias com lésbicas, parabéns, fazes parte dos 99,9% dos homens hetero que têm essa fantasia, devias sentir-te especial. Embora muita gente pense de outra forma, ser lésbica não é uma moda ou um capricho, por isso, uma lésbica não deixa de gostar de pipi para gostar de enchido do nada só porque tu és muito lindo e engatatão. Uma lésbica não sente atração por homens, ponto final. Agora, se ela diz ser bissexual, a coisa é diferente, talvez tenhas algumas hipóteses. É tentares a tua sorte, mas depois, se começarem a namorar, não te queixes caso chegues a casa e a vejas na cama com outra rapariga. LOLOLOL. Como se algum homem se fosse queixar disso... só se nem te deixarem ficar a ver, aí sim, aí já conta como traição.


Está feito. Parabéns ao Salvador. Parabéns aos benfiquistas. E parabéns ao Papa por fingir tão bem que Deus existe. Como sempre, até para a semana e continuem a enviar as vossas dúvidas para porfalarnoutracoisa@gmail.com. 


Partilhem e façam amor à bruta porque de guerras o mundo já está cheio.

Ler mais...

14 de maio de 2017

10 razões porque o Benfica não mereceu ser campeão



Calma! Foi só uma rasteira para vos enervar e ver quem só lê os títulos e decide comentar ódio. O campeonato foi merecido. Foram a melhor equipa e a mais consistente. Parabéns. Agora podem partilhar para fazer uma triagem dos vossos amigos fanáticos.


Ler mais...

13 de maio de 2017

Salvador Sobral, aqui só para ti



A vida dá voltas... se eu alguma vez pensei ver o festival da Eurovisão inteiro em idade adulta. Já agora, só para ter a certeza: o pessoal que disse mal do Salvador Sobral e torceu para que ele não ganhasse é o mesmo que fica triste quando o Ronaldo ganha uma bola de ouro, não é?

«Agora sou obrigado a gostar?», perguntam alguns. Claro que não, mas só podemos apoiar o que adoramos? Não gostar é normal, agora torcer para que ele não ganhe é só ressabiamento de quem nunca viu o seu trabalho reconhecido nem alguém a dizer «Epá, aquele gajo serve mesmo bem cafés.» ou «Sim senhora, serviu-me as melhores batatas fritas de sempre aqui no McDonald's.». Isto tudo não quer dizer que não se possa fazer piadas com ele, claro que sim. Ele canta com uma cara de cão a implorar por biscoitos e depois faz aqueles movimentos a fugir como quando dou limão à minha cadela só para ela aprender a não vir pedir comida enquanto eu estou a comer. Tem aquele casaco de quem vai a uma festa de anos e quer trazer sandes mistas, mini pasteis de nata e pacotes de Bongo escondidos. Agora dizer que ele parece que se drogou? Ridículo!

Ele não precisa de se drogar quando claramente caiu no caldeirão de LSD quando era pequeno e ficou uma espécie de Obélix da drogaria.

Uma coisa é certa, foi a minha música preferida da Eurovisão. A da Bélgica também não era má, apesar de ela cantar de como se estivesse a explicar aos pais porque é que bateu com o carro. A grega e a francesa também eram, menos a parte da música. Todas as outras "músicas" eram merda embora saiba que em inglês soa melhor, mas se formos a traduzir são líricas menos capazes do que muitos poemas de porta de WC público. Depois, o Salvador tem outra coisa que me agrada bastante: está-se a cagar. Se calhar é a doença de que tanto se fala que lhe dá essa atitude do «Vou é aproveitar porque esta merda acaba rápido.». Nem que seja só isso, devíamos aprender com ele. Merece todo o respeito especialmente dos sportinguistas e portistas por nos distrair neste dia triste. Até da França ele recebeu 12 pontos.

Vivemos num país onde se celebra a mediocridade. Onde gente sem talento é famosa. Onde gente que não trabalha ganha milhões. Não é só em Portugal, é um pouco por todo o mundo, embora me pareça que na Etiópia haja menos modelos de Instagram e menos cantores famosos que não acertam uma nota. Por cá, são mais os que conhecem Maria Leal do que o Manel Cruz. São mais os que se lembram do «Deixei tudo por ela» do Zé Cabra, do que do «FMI» do José Mário Branco. São mais os que partilham textos lamechas e básicos do que os que já leram alguma coisa do Fernando Pessoa fora das aulas de português. Sempre foi assim e por algum motivo se acha que ser comercial ou mainstream é mau: é porque, por norma, a qualidade não agrada às massas pois apenas num mundo onde a mediocridade não é celebrada, e onde a maioria das pessoas tem bom gosto, ninguém seria malvisto por agradar às massas.

Portugal sempre teve um problema de autoestima. A coisa está a mudar e aquele golo do Éder teve muito a ver com isso. Não sou fanático por futebol, mas percebo a importância que tem e sem dúvida que ganhar aquele Europeu teve o condão de nos fazer crer que podemos ganhar mais coisas. Claro que só acreditámos na vitória do Salvador porque os estrangeiros gostavam da música e disseram que Portugal era um dos favoritos. O que não deixa de ser triste que só nos unamos quando há hipótese de ganharmos. Estivesse o Salvador em 15º lugar nas casas de apostas e a história seria diferente. Mesmo com isto tudo, o Salvador é uma lufada de ar fresco para Portugal. É um aumento peniano do ego lusitano. Mostra que música feita em português pode conquistar o mundo. A música é genial? Não. O arranjo musical é muito bom, a letra também é boa, mas tem apenas três estrofes. Escrever três estrofes boas é relativamente fácil, fazer o que faz o Sam The Kid que é contar histórias com várias estrofes, métricas maradas e versos silábicos é muito mais difícil. No entanto, para que é que uma música escrita em português que concorre a um festival internacional iria ter mais estrofes se ninguém percebe nada? O essencial era passar a emoção e tal como o fado emociona pessoas pelo mundo fora que não percebem uma palavra de português, também o Salvador conseguiu. Marcou pela diferença, mas também pela qualidade. Ser diferente e único nem sempre é bom. Também tinha um colega na primária que era diferente e único e não era por aí que era especial ou alguém queria brincar com ele.

Bem sei que se o Salvador tivesse subido ao palco da Eurovisão com dez bailarinas seminuas, um coro de dez pessoas a disfarçar os desafinanços e uma batida de carrinhos de choque a coisa teria sido mais divertida. Isso e se ele tivesse abdominais definidos e fizesse questão de os mostrar. O Salvador é a prova de que não é preciso um gajo vestir-se de mulher barbuda nem ter uma trança de fazer inveja a qualquer cigana, para se ter atenção e se ganhar um concurso que durante alguns anos chegou a ser mesmo de música.

Levar a música do Salvador a um festival da eurovisão foi o mesmo que levar chouriço assado a uma reunião de vegans.

Não faz sentido e é desperdiçar enchido, mas o aroma estranho a entranhas de cadáver fumado vai-se entranhando e acabam por cair na tentação de o comer. Calma, vegans, a metáfora podia ser ao contrário e dizer que seria o mesmo que levar soja e seitan para um churrasco, com a diferença que ninguém ia querer comer da vossa comida que nunca sofreu para morrer. Não estou a dizer quem está certo, só estou a dizer a verdade.

Por isso, parabéns ao Salvador e à irmã do nariz entupido. Ah, parabéns ao Benfica que é tetracampeão. Para o ano é do Sporting. Estou a gozar, provavelmente não é.
Ler mais...