26 de junho de 2014

Qual o melhor super-poder?



Hoje trago-vos um tema um pouco nerd. Em conversas de café, quando os homens não estão a falar de gajas, futebol e carros, estão a teorizar sobre assuntos parvos. A pergunta "Que super-poder é que escolhias?" é das mais frequentes e por isso aqui vai uma lista dos super-poderes mais usados nos filmes e bandas desenhadas, com a análise muito profissional a que vos tenho habituado:

Viajar no tempo
Já dizia o Louis C.K. que se for para viajar ao passado só os brancos é que podiam experimentar. Ser preto e usar uma máquina do tempo e voltar a tudo o que seja 100 anos atrás não deve ser uma boa experiência. Era um poder brutal de se ter mais algo me diz que íamos ficar viciados em voltar atrás e tentar remendar erros num ciclo infinito que nos ia impedir de aproveitar a vida. Além de que um gajo com jet lag já fica meio abananado, quando mais com esta brincadeira.

Prever o futuro
Este é daqueles que se podia contar a toda a gente porque ninguém acreditava. Quer dizer, há malucos que acreditam em tudo. A utilização óbvia era prever os números do euromilhões e tinha a vida feita. Além de que podia seguir os passos da Maya e ser uma das celebridades mais acarinhadas de Portugal. Prevejo que há gente que não vai detectar a ironia nesta última frase.

Ler pensamentos
Altamente poderoso no que diz respeito a sacar gajas e a ser dos melhores em qualquer profissão que se tenha. Fora isso dava para pouco e provavelmente não se ia ter amigos porque há sempre aquela altura que se pensa "este gajo é mesmo otário" e estava o caldo entornado. Já para não falar de namoradas... Já basta ouvir-vos falar!


Super inteligência
Este eu já tenho mas achei que devia estar na lista. Agora a sério, era do caraças ver vídeos e aprender tudo estilo Matrix. Provavelmente ia era depois achar todas as outras pessoas desinteressantes e burras. Bem, mas já acontece isso muitas vezes no dia a dia... Não por eu ser super inteligente mas por haver muita gente super burra.

Invisibilidade
Mais uma vez excelente, não para sacar gajas, mas para fazer de detective ninja em balneários femininos. Dava para levar uma vida do crime do caraças. No entanto tenho quase a certeza que ia ser atropelado mais cedo ou mais tarde.

Poder de enfiar uma chapada através do computador ao pessoal que faz comentários anormais na internet
Este é talvez o que me dava mais gozo. Era andar pelas páginas dos jornais online e passar o dia nisso. E aqui no blogue também iria haver pessoas com os meus nós dos dedos marcados na face. Este poder talvez pudesse também ser utilizado para acariciar em vez de agredir, o que podia ser giro.


Voar
É daqueles que ia ser difícil fazer em segredo. Mais cedo ou mais tarde tínhamos caças F-16 a mandar-nos uns mísseis no nalguedo. Este era ideal com o da invencibilidade porque acho que inevitavelmente me ia espetar de fronha algures ao olhar para uma rapariga mais voluptuosa. Depois depende da velocidade também, imaginem que voavam, sim senhor, mas à velocidade daqueles carritos meios quadrados conduzidos por um senhor de 80 anos. Era uma seca do caraças, era mais rápido ir de metro a qualquer lado. E a chuva e o frio... É preciso pensar bem nas coisas antes de começar para aí a bater as asas.

Teletransporte
Este sim, muitas vantagens e poucas desvantagens. Poder aproveitar a vida ao máximo e conhecer o mundo todo. Tinha era que me ser garantido que podia controlar ao milímetro onde me ia materializar. Não quero cá erros no GPS, nem que sejam apenas de 19cm, que era o suficiente para me materializar com a ponta do trombinhas dentro de uma parede e era capaz de doer. Com essas garantias talvez fosse o meu favorito.

Super força
Este é daqueles que queremos ter quando somos putos mas depois quando crescemos vemos que há melhores. E depois há a questão de perceber se dá para controlar a força ou é sempre à bruta até deslocar a bacia? Há que ver os termos e condições muito bem antes de escolher.

Imortalidade
Para lá caminhamos por isso ia ser um super-poder obsoleto daqui a uns 100 anos. Tendo isso em conta era um mau investimento. E viver para sempre e veres todas as pessoas queridas a morrer deve ser chato. Mas também ias ter o prazer de ver as pessoas que não gostas a ir desta para melhor e tu ali todo pimpão, cheio de saúde, a dançar sapateado em cima do caixão deles.

Arranjar aparelhos electrónicos
Esta era do caraças. Há coisa pior que se avariar o telemóvel, máquina fotográfica, computador ou os electrodomésticos em casa? Além de que montava uma loja de arranjos que aquilo ia ser um rio de dinheiro. E não há gaja que resista a um bom técnico de máquinas de lavar.

Controlar a mente
Se eu tivesse este poder ia ser uma besta (já sou um bocadinho eu sei). Aliás, acho que qualquer pessoa com este (e com a maioria dos outros) se iria tornar num pequeno Salazar. Era difícil aceitar um não como resposta e lá iriam haver muitas violações mascaradas de livre e espontânea vontade.

Curar
Era o mais altruísta de todos, mas tem um gajo um super-poder para ter um consultório? Depois era pedidos de toda a parte do mundo e nós, qual Cristiano Ronaldo, tínhamos que andar por aí a curar putos ranhosos para não ficarmos com peso na consciência. Eu neste era egoísta, não contava a ninguém e só me curava a mim e às pessoas que me são próximas. E a dois ou três milionários para me pagarem e ter a vida feita. Eventualmente curava também uma gaja boa caso ela tivesse SIDA e me estivesse mesmo a apetecer...

Por isso assim em jeito de resumo o que se concluí é que com todos eles um gajo tinha a vida feita e diversão garantida. Eu acho que escolhia o tele-transporte ou o de curar. E vocês? Mandem bitaites aí nos comentários mas cuidado com as chapadas através do monitor!





Gostaste? Odiaste? Deixa o teu comentário: