21 de novembro de 2017

Fotos de pilas, Piropos, Igreja e a pedofilia



No episódio desta semana do podcast Sem Barbas Na Língua, conversamos sobre o caso das alegadas fotos da pila do Bruno Maçães, os piropos e assédio na rua no geral, da relação da Igreja com a pedofilia e homossexualidade, e muito, muito mais. É ouvir e, se gostarem, subscrevam e partilhem.



Podem ouvir e subscrever o podcast nas seguintes plataformas:
Deixem sugestões e perguntas em sembarbasnalingua@gmail.com.

PS: Bilhetes para o meu espectáculo à venda neste link e para Faro é neste link.
Ler mais...

Homens e mulheres: tudo cambada de xoninhas



É dia de mais uma consulta "Doutor G explica como se faz". Não percamos mais tempo e vamos a isso.


Olá Doutor G, tenho 21 anos e nunca tive namorados, e não, não sou uma encalhada. Enfim, nunca quis ter algum namorado, (mesmo tendo pessoas interessadas em mim) vivo demasiado ocupada com os estudos, o trabalho, os meus amigos e a vida no geral. Contudo, conheci um rapaz e comecei a falar com ele todos os dias por mensagem, ja nos encontramos 4 vezes e, sim, ha clima. Falamos ja faz 4 meses e ainda nao houve um beijo, nem nada mais intimo da parte dele... Deixei de responder às mensagens durante 2 semanas e estava disposta a esquecer a situaçao, quando de repente ele contacta-me e tudo volta ao mesmo. Está indeciso ou nao tem nada para fazer entao fala comigo o dia todo?    
I.D, 21, Lisboa

Doutor G: Cara ID, isso de não seres encalhada porque estás demasiado ocupada é exactamente o que uma encalhada diria. Por vezes, penso que a sociedade evoluiu e que as mulheres estão mais proactivas, mas depois apareces tu a mostrar que ainda há demasiadas à espera que seja o homem a tomar iniciativa. Spoiler alert: os homens estão cada vez mais xoninhas. Se não são as mulheres a tomar as rédeas da coisa, a humanidade irá extinguir-se por falta de funaná pelado ao natural. Deixaste de responder porque ele não tomava a iniciativa, mas depois foi ele que te contactou? Afinal quem é que não tem iniciativa? És uma princesa que vive que no tempo do D. Sancho I? Queres, vais atrás, caso contrário ficarás encalha... com tempo para os estudos e amigos e vida no geral. Se ele te manda mensagens há 4 meses é porque está interessado. Se ele não tentou nada é porque é um xoninhas, tal como tu. Já que tens a mania que és princesa, que sejas a Jasmine e mete-lhe a mão no pífaro a ver se sai génio. Para uma dica mais subtil, abre a mala e deixa, casualmente, cair estas algemas para o chão. Podes comprar neste link com 10% de desconto com o cupão DRG10. Se nem assim ele perceber a dica, então parte para outro que esse tem bicho.


Olá doutor, namorava com um rapaz há quase 6 anos quando descobri que ele me tinha traído. Decidi acabar tudo e não tenho qualquer contacto com ele. Já passaram mais de três meses desde que acabamos mas mesmo assim ainda me sentia um pouco mal e tem sido um pouco complicado. Por isso pensei em criar conta no Tinder, só por curiosidade, para me distrair um pouco. Conheci lá um rapaz e começamos a falar muito, nunca me tinha rido tanto a falar com alguém, ele é super divertido! Criámos logo uma ligação incrível e isso ajudou um pouco a ultrapassar o outro relacionamento e a pensar menos no ex. Já nos encontramos algumas vezes e acabamos por nos beijar mas foi aí que percebi que afinal não estava pronta para estar com alguém uma vez que comecei a pensar no outro, que foi o primeiro namorado e então ainda não consegui livrar-me completamente dele. Este rapaz que conheci também acabou a sua relação há cerca de dois meses e diz que também não se quer comprometer com alguém agora, e decidimos ficar só amigos. Mas a partir daí, a ligação que tínhamos quebrou-se um pouco e isso custou-me porque comecei a gostar dele mas sem ter fechado o ciclo anterior... E pelos vistos ele sente-se da mesma forma. É por isso que não queremos nada de sério e dizemos que vamos ser amigos com alguns benefícios. Até me parece uma ideia agradável, mas não sei se eu consigo isso, pois tenho medo de me envolver demasiado e ele depois não querer nada... Mas ao mesmo tempo eu sei que não posso querer mais nada porque ainda não estou pronta. Quero e não quero. Sinto que é uma pessoa certa numa hora errada. É uma grande confusão na minha cabeça, ajude-me por favor!     
Anónima, 22, Coimbra

Doutor G: Cara Anónima, também já namoravas com ele desde os 16, já estava na hora de trocar e ver o admirável mundo lá fora. Sei que é chato, mas é provável que daqui a uns anos estejas melhor do que tendo ficado para sempre com o teu primeiro amor. Normalmente, dá merda, mais tarde, na idade em que já está tudo gasto e não dá para arranjar ninguém a não ser pessoal com traumas, também. Posto isto, deixo um fluxograma para te ajudar a decidir:
O que é que isto tudo quer dizer? Quer dizer que rejeitar coisas boas com medo do sofrimento, normalmente, não serve de nada porque a vida é mesmo assim. Vais rejeitar um bolo de chocolate depois de um caril de frango com medo da diarreia? Não. Comes e depois logo se vê. O que interessa é ser feliz agora, porque o amanhã é um sonho molhado. Chupa Chagas Freitas.


Caro Doutor G, se estivesse na sua mão o que aconselharia (escolher uma apenas): 
  1. Ter duas horas de conversa com a Maria Vieira sobre temas da actualidade
  2. Ter meia hora de paixão ardente com a Maria Vieira onde nenhum mistério carnal ficaria por desvendar
  3. Ser filho da Maria Vieira e, dado isto, ter que explicar aos seus amigos. 
Siogo, 22, Lisboa 

Doutor G: Caro Siogo (deves ter-te enganado na tecla, visto que o S está ao lado do D), mas, agora, serás para sempre o Siogo. O som "Siogo" parece a minha avó da Guarda a chamar um cão. Bem, apesar de eu ser da Buraca não sou o Bruno Nogueira nem isto é a Nêspera no Cu. Às vezes falam-se de coisas no cu, mas nunca de fruta com caroço. No entanto, só porque estou bem disposto, vou responder à tua dúvida, partindo do princípio que andas de olho numa gaja do PNR que espero que tenha mais do que a cabeça rapada:
  1. Esta é, claramente, a opção vencedora. Nunca tentaste discutir política com um Orangotango? Ficas a sentir-te bué inteligente depois de veres que os argumentos dele se resumem a atirar as próprias fezes à tua cara. Sim, sais de lá sujo e a pensar porque fizeste aquilo, mas, no fundo, o teu ego sobe porque sabes que tens um QI muito superior. No caso da Maria Vieira, talvez a comparação com o Orangotango seja errada, já que os segundos, por norma, são boa gente.
  2. Nojo. Acabei de bolçar a canja do Pingo Doce na própria boca. Se me dissessem «Se não fizeres sexo com a Maria Vieira o mundo vai acabar.» eu respondia «Ainda dá tempo de lhe dar uma chapada à padrasto na nuca e a mandar para o caralho ou é para morrermos já?»
  3. Metia um anúncio no OLX a dizer que estou para adopção.
Olá Dr. G, acontece que eu voltei para o meu ex-namorado há cerca de 3 meses, nós percebemos que ainda gostávamos muito um do outro (afinal foram 3 anos de relação), apesar de termos ficado 1 ano separados. Bem o problema é que eu traí ele e ele não sabe. Mas eu sinto culpa por ter posto os cornos nele e sei que se lhe contar só ia fazer ele sofrer, por isso pensei numa compensação para ele e estava a pensar propor sexo a três, com mais uma gaja. Não sei se isso me ajudaria, ou se outra coisa me faria perdoar-me. O que aconselha que eu faça?
Daniela, 23, Faro

Doutor G: Cara Daniela, sexo com outra gaja ao barulho não desculpa uma traição, mas de entre todas as coisas que se podem oferecer depois de se enfeitar a testa a alguém, talvez seja a mais bonita. Antes isso que um jogo de Playstation, mas isto sou eu que apesar de gostar de jogar, prefiro pipi. Ora bem, se voltaram e se queres mesmo ficar só com ele, não vale a pena contares. Agora, meto as minhas mãos no fogo que lhe vais meter os cornos outra vez, por isso o melhor é marcares já com duas gajas. Dito isto, posso ser o vosso micro-ondas e aquecer-vos durante hora e meia no meu espectáculo em Faro, dia 23 de Novembro, cujos bilhetes se compram neste link.


Doutor G, o meu namorado de 7 meses traiu-me (beijou outra gaja) e eu perdoei-o e voltou tudo a estar bem, passado duas semanas de isso ter acontecido ele acabou comigo a dizer que precisava de estar sozinho. Eu fiquei parva com a situação porque ele disse-me que ainda gostava de mim e vice-versa. Apesar de termos acabado ainda nos continuamos a ver e a falar e quando estamos juntos ele trata-me como se ainda fosse namorada dele, a dar-me beijos e mimos etc.. O que é que vai na cabeça deste gajo? Será que ele ficou a bater mal por eu o ter perdoado e ele acha que eu mereço melhor que ele? Também me parece que começou a apanhar uns tiques de “fuck boy” porque muitas vezes quando tento falar com ele por mensagens ele ignora-me.
Anónima, 19, Funchal

Doutor G: Cara Anónima, ahahahahahahahahahahaahahahahaahahaha. Espera, deixa-me só recuperar o fôlego... ahahahahahahahahahahaha. Ficou a bater mal por o teres perdoado a achar que tu mereces melhor? Raios te parta, criança inocente. Ele anda é a comer a outra gaja que beijou e acabou contigo para não ter compromisso e porque sabe que tu vais estar à espera dele, tanto que quando estão juntos é como se namorassem. As mensagens que ele te ignora é para tu te afastares dele e não te magoares. Estou a brincar, é porque está ocupado a comer a outra. Depois de ser tão bruto, só me resta oferecer-te um bilhete para o meu espectáculo no Funchal, dia 25 de Novembro. Não é bem oferecer, é mais tipo: compras neste link por 12€ e tens direito a um bilhete. Um mimo.


Acho que foi uma consulta bem gostosa, não concordam? Um agradecimento final ao patrocinador oficial do Doutor G, Vibrolandia, onde podem comprar artigos para apimentar a vossa vida sexual ou para envergonhar alguém durante a partilha de prendas de Natal. Obrigado a todos e, como sempre, até para a semana e continuem a enviar as vossas dúvidas para porfalarnoutracoisa@gmail.com. 


Partilhem e façam amor à bruta porque de guerras o mundo já está cheio.

Ler mais...

14 de novembro de 2017

Assédio sexual de Louis CK e Kevin Spacey, e Jantares com mortos



No episódio desta semana do podcast Sem Barbas Na Língua, falamos sobre os escândalos de assédio de Louis CK e Kevin Spacey, indignações das redes sociais, jantares com mortos no Panteão Nacional e muito mais. É ouvir e, se gostarem, subscrevam e partilhem.



Podem ouvir e subscrever o podcast nas seguintes plataformas:
Deixem sugestões e perguntas em sembarbasnalingua@gmail.com.

PS: Bilhetes para o meu espectáculo à venda neste link e para Faro é neste link.
Ler mais...

13 de novembro de 2017

Traições, relações lésbicas, e limpar o palato



Deixem-me começar por agradecer ao patrocinador oficial do Doutor G, Vibrolandia, onde podem comprar artigos para apimentar a vossa vida sexual ou para envergonhar alguém durante a partilha de prendas de Natal. Usem o cupão DRG10 para terem desconto. Pronto, vamos a mais um "Doutor G explica como se faz". 


Olá Doutor G. Tenho 34 anos, sou casado e feliz com a minha mulher. No entanto fico louco com as amigas da minha esposa. Geralmente é normal trocar mensagens com algumas delas e a minha esposa não vê mal nenhum nisso. No entanto há uma amiga dela em especial que me deixa louco (a amiga que ela gosta menos). Não é a mais bonita do grupo apesar de eu a achar a mais linda e é comum trocarmos algumas mensagens. As mensagens em si não tem nada de especial, mas digamos que se a minha esposa visse não iria achar muita piada, pois metem muitos elogios a ela à mistura. Quando saímos todos, temos muita cumplicidade os dois, e há algumas trocas de olhar em piadas que só nós entendemos por já termos falado disso. A minha esposa por vezes trabalha fora e nesses períodos já saímos só os dois para jantar e já fomos passear em duas ou três ocasiões. No entanto nesses encontros nunca se passou nada. Ela tem namorado e não lhe conta que sai comigo e sabe que eu não conto a minha esposa. Será que ela está a espera que eu me atire a ela descaradamente nesses encontros ou só quer um amigo. Sou um bocado tímido e também me sinto mal por ser casado, mas por outro lado ela é tão linda que não lhe resisto.
P.G, 34, Portugal

Doutor G: Caro PG, mas que merda é esta? Parece-me que estás à procura de permissão para ornamentar a testa da tua mulher com uma bonita armação de marfim. O Doutor G não incentiva ao adultério a não ser que haja uma boa razão e apesar da desculpa «Ela é tão linda» ser boa, se assim fosse todos estávamos autorizados a trair porque mulheres bonitas é o que não faltam por aí. Interessadas em ti, isso talvez seja outra história. Quanto a ela estar à espera que te atires a ela ou não, vamos por partes: trocam mensagens sem que ninguém saiba; tu sais com ela às escondidas da tua mulher e ela sabe disso; ela sai contigo às escondidas do namorado e tu sabes disso. Utilizando uma regra de três simples chegamos à conclusão que és burro como uma porta com défice de aprendizagem. Claro que ela quer festa brava com direito a rabejador e tudo, mas agora tu é que sabes o que fazes da tua vida. Heads up: vai dar merda.


Olá Dr.G. Há alguns meses atrás, um rapaz da minha escola abordou-me. Entretanto fomos trocando mensagens e marcando uns encontros até que chegámos a ter algum contacto físico (umas apalpadelas aqui, uns bejios acolá). No meio disto tudo, venho a saber que ele tinha namorada mas que passado pouco tempo de me conhecer acabou com ela. Na altura tudo bem, continuámos a ver-nos sempre com alguma brincadeira à mistura. Certo dia ele diz-me que voltou para a namorada. Fiquei pior que estragada e deixei de falar com ele. Passado duas semanas o indivíduo vem falar comigo e diz-me que acabou tudo com a namorada e quer estar comigo. Apesar de saber que o indivíduo não é de confiança estou novamente na brincadeira com ele e a sentir alguma coisa mais. A minha dúvida é: será que o indivíduo anda apenas agarrado à minha febra para limpar o palato e quando tiver satisfeito vai embora ou será uma coisa para durar? 
Anónima, 18, Évora

Doutor G: Cara Anónima, começo a ficar cansado deste tipo de questões. Já disse e volto a dizer que há 99% de probabilidade de ele não ter acabado com a namorada na altura que vocês andavam enrolados. Andava a fazer-te um test drive para ver se valia a pena trocar de carro. Pelos vistos, preferiu manter o carro antigo por não saber se o novo já tinha batido de frente muita vez ou não. O que aconteceu a seguir pode ser devido a uma destas razões:
  • Ela deixou-o e ele foi para a segunda opção que és tu;
  • Ele ainda continua com ela, mas disse-te isso só para ver se te consegue finalmente bagunçar o pipi;
  • Ele percebeu que afinal gosta mais de ti do que da namorada e quer algo mais contigo.
40%, 50%, 10% é a distribuição das probabilidades para cada uma das opções, segundo um estudo da Internet que acabei de inventar. Tens de falar com ele e perceber por que razão acabou ele com a namorada. Se foi por tua causa, pode ser que a coisa seja para durar, se foi por outra razão e foi ter contigo só porque não tinha mais ninguém, à partida será só para limpar o céu da boca da enguia trapalhona.


Caro Doutor G, recentemente tive um acidente de trabalho onde me magoei no joelho. Tive de realizar fisioterapia. No dia que cheguei à clínica, descobri que a minha fisioterapeuta era uma rapariga capaz de meter inveja a uma Deusa Grega, o que me deu vontade de dizer que estava magoada na virilha e não na perna. O tratamento durou 3 meses e cada vez que ela se baixava e me massajava o joelho, eu sonhava que ela metesse a mão noutro sitio. Sempre fui mandado umas bocas tímidas e o máximo que consegui foi adiciona-la no facebook (sim eu sei, sou uma conas). Da parte dela nunca recebi um feedback concreto, apenas pequenas coisas que me deixaram a pensar se ela estava apenas a ser simpática ou se estava no flirt! No último dia de tratamento, ela desejou-me tudo de bom e para ir dizendo coisas e não perder o contacto. Caro Dr. o que faço? Envio-lhe mensagem e dou uma de stalker ou sigo com a minha vida?  
S. 27, Coimbra

Doutor G: Cara S, apesar da minha experiência em relações lésbicas ser bastante vasta do ponto de vista do observador, devo dizer que não tenho forma de saber se ela estava a querer massajar-te a campainha de Satã com a língua ou apenas tratar dos ligamentos do joelho. Por isso, vou deixar um pequeno fluxograma para te ajudar a decidir:

Querido Dr.G, aconteceu-me uma coisa inexplicável. Sempre me achei muito másculo, nunca tive dúvidas sobre a minha sexualidade. Há uns tempos comecei a assistir a House of Cards e não conseguia parar de ver. Toda a história me intrigava e agarrava (salvo seja), e gostava imenso da personagem principal interpretada pelo Kevin Spacey.. Se calhar gostava demasiado. Agora que que descobri q ele é gay começo a pôr em causa a minha sexualidade. A minha namorada já não me interessa. O que faço ?!!!  
Anónimo, 25, Lisboa

Doutor G: Caro Anónimo, há um provérbio chinês que diz o seguinte: se não sabes se és homossexual, então és homossexual. De qualquer das formas, aconselho-te a tentares seduzir outro homem já que, ao que parece, estás demasiado velho para o Kevin.


Dr G durante meses andei envolvida com um moço, no qual comecei a sentir algo e ficou a faltar mais que pilinha no pipi. Como para ele era só sexo e não queria nada sério, eu decidi ser sincera e pôr um travão antes que acabasse mal. O problema é que, ele sabe que não lhe vou mostrar a minha entrefolhos (a ultima vez foi há 6 meses) e semana sim semana não, manda msg para vir ter comigo ou mesmo só para saber como estou. Não consigo ter as ideias no lugar, pois cada vez que estamos juntos questiono-me se gosta de mim mas não admite ou então está à espera que eu ceda e o deixe voltar a mergulhar o ganso. O que acha que ele quer Dr G? O que faço?
Anónima, 23, Porto

Doutor G: Cara Anónima, vou, com um auxílio de um fluxograma, explicar-te como se tivesses cinco anos e andasses numa turma de ensino especial:

Bom dia, Doutor G. namorei 3 anos com um rapaz mas ele decidiu acabar comigo e partir-me o coração. Estivemos 6 meses separados mas, passado esse tempo, ele lá decidiu que, afinal, ainda gostava de mim e que queria voltar. Eu tive algumas dúvidas mas lá me apercebi que também ainda gostava dele e voltámos. Já estamos juntos há mais de um mês e eu voltei a gostar dele como gostava antes. Problema: nunca mais tive o desejo sexual que tinha por ele antes. Por favor, com a sua sabedoria e mestria, explique-me porque é que isto acontece. 
JJ, 23, Lisboa

Doutor G: Cara JJ, posso estar equivocado, mas parece-me que é porque no fundo sabes que ele acabou o namoro contigo para andar a comer outra(s). Isso talvez te esteja a fazer confusão, principalmente porque deve ter sido o teu primeiro e único namorado "a sério". No entanto, só há duas razões para um homem voltar para uma ex-namorada passados 6 meses: gosta mesmo dela e está arrependido; ou está a atravessar um período de seca de patareca. Não confundir com período de patareca seca que isso é outra coisa, mas também pode ser esse o caso. Assumindo que é a primeira, só porque estou bem disposto, acho que o teu coração ainda está dorido o que faz com que, inconscientemente, não queiras ficar com outras partes assadas e doridas. Vai ser ser preciso tempo e ele mostrar-te que é de ti que gosta realmente. Tens de o fazer esforçar-se, no entanto, se o aceitaste de volta, tens de também fazer um esforço para que a coisa resulte e não martirizá-lo já que, até ver, foi honesto contigo. Sugiro o seguinte jogo de massagens eróticas (à venda neste link), para casais, para apimentar a relação e ajudar a acender a chama que outrora brotava por vossas zonas genitais. Sou um poeta.


Obrigado a todos os que seguem o Doutor G e aproveito para dizer que o podem ver ao vivo e até participar numa consulta em palco nas próximas datas do meu espectáculo: Guimarães (17 Novembro), Faro (23 Novembro), Funchal (25 Novembro) e Portalegre (16 Dezembro). Coimbra já esgotou e Braga faltam vinte bilhetes. Obrigado e, como sempre, até para a semana e continuem a enviar as vossas dúvidas para porfalarnoutracoisa@gmail.com. 


Partilhem e façam amor à bruta, porque de guerras o mundo já está cheio.

Ler mais...

12 de novembro de 2017

Panteão Nacional: casamentos e baptizados



Parece que houve um jantar da Web Summit no Panteão Nacional. Como sempre, as redes sociais incendiaram-se devido ao seu inato problema de rastilho curto. As pessoas ficaram indignadas por acharem que, mais uma vez, Portugal estava a oferecer o nalguedo aos estrangeiros ricos, deixando-os jantar num local "sagrado" onde tal coisa seria impensável, até então. Como o que importa é ser o primeiro a mandar um bitaite, fizeram-no antes de saberem que, afinal, é relativamente frequente jantares naquele local, organizados por empresas ou por outras entidades. Como as redes sociais têm o braço muito rígido, obviamente que não o deram a torcer e ainda se revoltaram mais. Qual a razão invocada? É ofensivo devido às personalidades sepultadas. Os mortos não ficam ofendidos nem indignados com picuinhices, mas já os vivos, esses são uns coninhas.

Portanto, um monumento construído com o dinheiro saqueado a outros países durante os Descobrimentos, edificado com mão-de-obra escrava, para adorar - em tom de ostentação - um ser imaginário que instigou cruzadas sanguinárias, tudo bem, mas jantar lá dentro é que ofende a pequenada. Palermice. Por mim, façam jantares e eventos onde quiserem, desde que não incomodem os vizinhos nem partam nada e, no fim, deixem aquilo como estava inicialmente. É só essa a minha regra. De resto, façam uma lap dance no túmulo do Eusébio que garanto-vos que ele não levaria a mal. Recitem Ana Malhoa no cenotáfio do Camões que ele é gajo para gostar. Falta de respeito para com os mortos? Não os ouvi a queixar, mas posso ir buscar um tabuleiro ouija e depois já vos confirmo. Família dos mortos? Tens um familiar no Panteão Nacional e nem tiveste de pagar o funeral como os restantes mortais e vais ser ingrato ao ponto de ficar ofendido por alguém estar a comer asinhas de frango gourmet ao lado do túmulo da tua mãe? Tem juízo, Miguel Sousa Tavares. Vejo aquilo mais como uma homenagem do que como uma ofensa.

Se da minha marquise tiver vista para um cemitério, nunca posso comer uma sandes à janela, é isso? Aos mortos cheira-lhes a presunto e ficam todos irrequietos no caixão?

A maioria das pessoas que reclamaram nem fazem a ideia de quem foi João de Deus - um dos cadáveres inquilinos no Panteão - e isso para mim é que é uma falta de respeito para com o que o morto fez em vida. Sejamos sinceros: quem ficou ofendido foram os mesmos que passaram a semana toda a dizer mal do Web Summit sem nunca lá ter ido ou saber bem o que é. É uma feira meio parola e exagerada? Claro que sim, mas a maioria das pessoas não faz ideia da enorme importância que pode ter para o país a médio e longo prazo. É um aglomerado de nerds que em 90% dos casos têm uma startup de merda ou uma app que não serve para nada fundada com o dinheiro dos pais? Sim, mas não saber ver que Portugal ser a capital do maior evento de inovação da Europa é um enorme feito, é só parvo. Estamos todos fartos de turistas, bem sei, mas quando não os tínhamos dizíamos que Portugal deveria apostar mais nele. Enfim... pessoas.

Queremos ficar indignados por estarmos a tornar monumentos em espaços de festa para gente rica? Isso é outra coisa e até posso concordar, em parte. Seria chato ir visitar a Torre de Belém e estar fechada para uma festa privada da Cristina Ferreira ou para um workshop de coaching. Agora, trazer o argumento da ofensa à honra dos mortos é só parvo. Os mortos não têm honra. Só têm nada. Deixem-nos em paz. Percebo que seja de mau tom jantar ao pé dos corpos da Amália e do Eusébio e nem um copo de vinho lhes oferecer, mas é a vida, ou a morte, neste caso.

Já que as Igrejas não pagam imposto, que rentabilizem o espaço para não termos de ser nós a pagar as obras. Se fizessem um arraial pimba no cemitério onde estão enterrados os meus avós eu ficava ofendido? Nem por isso e talvez fosse a única forma de me levarem a um cemitério. Era ter lá boas festas e ter boa pontuação no Zomato. Sou um gajo que não lida bem com a morte e que nunca vai a funerais. Prefiro celebrar a vida. Sempre achei os cemitérios meio chochos e um pouco de animação só iria fazer-nos lidar melhor com certeza da morte. Quero, por fim, deixar registado que quando morrer podem jantar à vontade na minha campa e que instalarei uma máquina de tirar imperiais na minha lápide e que o meu epitáfio será «Sirvam-se e deixem de ser coninhas que a vida é só isto».


PS1: Esta semana vou atuar em Guimarães, dia 17, às 22h. Podem comprar os bilhetes neste link, na FNAC ou no local. Apareçam e partilhem com os vossos amigos, se fazem o favor. Obrigado.

PS2: Para a semana estarei em Faro, dia 23 (bilhetes neste link), e no Funchal, dia 25 (bilhetes neste link).
Ler mais...

7 de novembro de 2017

Argumentos para a independência da Amadora



Inspirado pelo movimento separatista da Catalunha, acho que a Amadora também deveria tornar-se num país independente. Até 1907 chamava-se Porcalhota, mas os seus habitantes uniram-se e conseguiram mudar-lhe o nome, sem saber que o termo "Amadora" seria, agora, dos mais pesquisados no PornHub. A Amadora foi utilizada, durante séculos, como estância de férias das famílias abastadas de Lisboa que, mais tarde, se esqueceram desta bela cidade e a começaram a negligenciar, tal como hoje em que as pessoas apenas se lembram do Algarve quando está calor. Portanto, chegou a hora da independência da Amadora! Deixo alguns argumentos que provam que esta bela terra merece ser independente e proponho um referendo ilegal que é como as coisas na Amadora funcionam.

Língua
Se Portugal tem como segunda língua oficial o mirandês e se no Algarve quem não fala inglês tem dificuldades de comunicação, também a Amadora tem uma língua oficial: o crioulo. Nas escolas onde andei, as aulas eram dadas em português, mas no recreio falava-se crioulo. Qualquer aluno de 7º ano teria melhores notas a crioulo cabo-verdiano do que a Francês e, a bem dizer, o francês não serve para nada a não ser para ver filmes pretensiosos sem legendas.

Comércio
Sinto que a Amadora poderia ser uma zona com uma maior riqueza se não tivesse de tapar os buracos dos restantes concelhos portugueses. A Amadora é o epicentro da indústria e comércio de droga e muito do dinheiro angariado é utilizado depois para coisas que não dizem respeito aos amadorenses. Com uma Amadora independente, facilmente se legalizariam as drogas, o que traria mais receitas ao Estado do que descobrir um poço de petróleo em pleno Amateur Central Park. Rapidamente, a Amadora tornar-se-ia na Amesterdão do Sul da Europa onde rumariam milhões de peregrinos em busca de experiências espirituais. Esses turistas deixariam na Amadora muito dinheiro por vontade própria e outro tanto através de assaltos.

Identidade na diferença
A Amadora, apesar de ter a sua identidade própria, é também o melting pot português. É possível na mesma rua escolher entre jantar cachupa, maminha com alho e kebab. Os restaurantes da Amadora não têm estrelas Michelin, têm estrelas Nelito Racing - Pneus e Ailerons.

Música
A Amadora recusa o hino "A Portuguesa" como mote oficial da sua zona. O refrão "Às armas" corre risco de, na Amadora, ser interpretado literalmente e dar origem a uma guerra civil entre os bairros pobres e os bairros de classe média baixa. A riqueza musical da Amadora exige outro hino: "Wegue wegue", dos Buraka Som Sistema, banda sem qualquer ligação à Buraca, mas sim à Amadora. Aliás, se os Buraka Som Sistema fossem da Buraca, chamavam-se apenas Buraka, já que o sistema de som já teria sido roubado.

Tecnologia
A Amadora está no epicentro da revolução tecnológica portuguesa. Enquanto os centristas apenas dão atenção à Web Summit, o verdadeiro estado da arte da tecnologia está no Centro Comercial Babilónia. Dezenas de lojas de telemóveis de indianos tornam a Amadora numa espécie de silicon valley.

Futebol
Ao contrário do que acontece no movimento separatista da Catalunha, o futebol não será problema já que o maior clube da Amadora - o Estrela da Amadora - já está extinto desde 2011, depois das suas camadas jovens terem formado grandes futebolistas como Dimas, Paulo Bento, Jorge Andrade, Paulo Ferreira e também excelentes comedores de rodízio de dançarinos de discoteca como Miguel e Bebé.

Território
A Amadora tem espaços verdes de fazer inveja ao resto do país e com a sua independência, o oxigénio produzido seria apenas para uso dos amadorenses. Se Monsanto é o pulmão de Lisboa, o Jardim dos Aromas na Buraca é o pulmão da Amadora, até porque é lá que se fuma droga como gente grande.

Penso ter focado os pontos fulcrais que provam por A+B que a Amadora pode e deve ser um país independente. Nunca me envolvo em política, mas estou disponível para ser o Rei do território amadorense se assim o povo o quiser. Estou disponível para um regime semi-democrático onde teria como secretários de Estado e ministros as seguintes personalidades nascidas na Amadora:
  • Ana Bacalhau - Ministra da Música e dos Nomes com Conotação Sexual
  • Bruno Nogueira - Ministro do Humor e da Cultura
  • Fernando Ribeiro -  Ministro da Maquilhagem Preta nos Olhos
  • Jorge Jesus - Ministro da Educação 
  • Jorge Gabriel - Secretário de Estado dos anúncios de Facebook para a Queda de Cabelo
  • Rui Costa - Ministro do Desporto e do SG Ventil
  • Valete - Ministro da Justiça da Street
  • João Baião - Ministro da Saúde e das Danças Latinas
  • Quimbé - Secretário de Estado da Voz Irritante
  • José Figueiras - Seria ministro suplente que taparia o buraco quando um dos outros fosse de férias.
Acho que seria uma equipa vencedora para levar a Amadora à independência sustentável que a tornaria num verdadeiro paraíso e na maior potência do mundo e da Linha de Sintra. Partilhem e ajudem a espalhar a palavra!
Ler mais...

Os homens têm nojo da menstruação?



É dia de mais uma consulta "Doutor G explica como se faz". Antes de irmos às dúvidas, um pequeno momento de autopromoção: ainda há bilhetes para o meu espectáculo de stand-up comedy para Tomar, Guimarães, Funchal, Braga e Portalegre neste link. Se forem de Faro, usem este link para comprar bilhetes.
Olá Doutor! Tudo aconteceu na receção ao caloiro da minha universidade, envolvi-me com um caloiro e acabei por ir parar à casa dele nessa noite... Aconteceu que tivemos um encontro entre os lençois, divertimo-nos e adormecemos. No dia a seguir tive que me levantar cedo para ir a uma aula e quando sai ele ainda estava meio a dormir mas notei que me tinha vindo o periodo e que tinha deixado uma nódoa nos lencois brancos dele. Despedi-me dele sem dizer nada sobre isso porque fiquei envergonhada. A questão é que ele nunca mais me disse nada, o que é que faço?
Carla, 20, Évora

Doutor G: Cara Carla, antes teres percebido pela nódoa nos lençóis do que olhares para a cara dele e achado que andou a comer tarte de framboesa com o nariz. Ora bem, o período é a coisa mais natural do mundo e não tinhas de ter vergonha. Por norma, os homens a sério não ficam incomodados com um bocado de óvulo à cabidela. Ele não te ter ligado deveu-se a uma destas hipóteses:
  1. O sexo não foi assim tão bom.
  2. Ele tem namorada e não quer repetir.
  3. Pensou que já sabias antes que estavas com o período e levou a mal não lhe teres dito, especialmente se andou a dedilhar com a língua na tua campainha de Satã.
Por isso, o problema nunca terá sido a nódoa em si, a não ser que fossem lençóis muito caros e, mesmo assim, os homens heterossexuais não se preocupam muito com isso. Na lista de prioridades, pipi vem sempre em primeiro do que decoração de interiores. Se tu disseste alguma coisa e ele não respondeu, caga nisso e parte para outro. Se também não lhe disseste nada, talvez ele esteja a pensar o mesmo que tu e devas tomar a iniciativa. Pacto de sangue é para a vida.


Envolvi-me com uma mulher que tem namorado há vários anos (em tempos já tinha pescado esta truta) mas agora, ela está mais apetecível que nunca. Ela nunca tinha traído o namorado até então, senti-me um privilegiado, confesso. O problema é que ela foi dando sinais de estar apaixonada, e o meu desinteresse foi aumentando (não gosto cá de sentimentalismos mas sou bom rapaz). Para meu espanto depois de muitos chega-pra-la à rapariga eis que ela se chegou para os lençóis de um grande amigo meu. Senti-me traído e cortei relações com ela. Apesar disso ela continua a enviar-me mensagens a pedir desculpa e a dizer que tem saudades (e que não se envolveu nos lençóis do meu amigo) mensagens que ignoro com mestria. O que devo fazer? Terei direito de me sentir traído? Dou uma segunda oportunidade? Brinco ou deixo estar?
Anónimo, 28, Braga

Doutor G: Caro Anónimo, realmente, os homens são bem ingénuos. Quando ela diz que nunca tinha traído o namorado, o que ela está mesmo a dizer é «Sim, já ornamentei a testa do meu homem várias vezes, mas para não ficares com má impressão minha e te sentires especial, vou dizer-te que és o único que soltou a porquitxona que há em mim.». Ora bem, tens razões para estar ofendido? Sim, porque foi com um amigo teu e isso é chato. Quando encomendas pizza, não queres que vão entregar a casa do teu amigo, mesmo que ele só coma uma fatia. De resto, sexo é sexo, e se é só isso e queres repetir, força. Se decidires namorar com ela, és só burro e serás, muito rapidamente, transformado num unicórnio. Quem diz unicórnio diz multicórnio.


Tenho 29 anos e quase tantos de experiências amorosas que envolveram funana pelado... Acontece que mais recentemente o meu namorado propôs-me apimentar as coisas com um terceiro elemento feminino... Deixou ao meu critério escolher a respectiva. Acontece que eu não fui completamente sincera quando lhe disse que era “virgem” nesse campo... Correu bem quando eu era o terceiro elemento mas acabei por perder uma amiga e ganhar uma inimiga... Como estou na situação de namorada, como raio lhe digo que a situação tem potencial para correr mal sem lhe dizer que o meu conhecimento é pratico e não teórico?!    
Anónima, 29, Lisboa

Doutor G: Cara Anónima, fazes o que toda a gente faz e dizes «Tenho uma amiga que fez isso e não correu bem.». Está feito. De resto, só tens de te mostrar surpreendida durante o acto, tipo quando se vai ver o episódio de uma série que já se viu às escondidas: «Ah... não estava nada à espera que esta posição fosse tão boa...», por exemplo. O mais curioso é saberes que vai dar merda, mas quereres fazer na mesma. Sorte a do teu namorado, há formas piores de acabar um namoro.


Olá Dr. G,  tenho um problema grave. É que eu estou grávida de 6 meses e estou com muita vontade de funaná pelado, o problema é que o pai do meu filho desapareceu e eu com esta barrigona não posso andar a engatar gajos no tinder com sucesso. Como sugere que resolva este problema? Estou mesmo desesperada.    
Super grávida, 35, Lisboa

Doutor G: Cara super grávida, só tens de fazer como fazem as gordas e os gordos: tirar fotos de cima sem aparecer a barriga. Com seis meses ainda deves conseguir disfarçar e dizer que são gases ou que abusaste no rodízio brasileiro. Se ainda assim não arranjares quem te apague o fogo, podes sempre recorrer a esta panóplia de brinquedos sexuais para mulheres. Bem sei que chicha é chicha, mas enquanto não há, usa-se plástico.


Boas doutor G. Mudei de pais para vir atrás de uma rapariga que pensava ser o ideal para mim, nos já estávamos juntos antes mas ela veio embora e desde então me alicia para que me junte a ela, acabei por ceder passado alguns meses, mas agora que vim e que realmente cá estou às coisas andam estranhas, nada a ver com o que tínhamos antes, não há quase contacto físico e antes era o que mais havia. Será por estarmos a viver temporariamente na casa dos pais dela e ela tem medo que o contato físico leve a cambalhotas na cama, ou será que ela me aliciava para vir só para parecer bem e agora demonstra que realmente não quer?  
J. 23 U.K.

Doutor G: Caro J, é um caso muito comum com os jovens emigrantes por todo o mundo. Vou tentar explicar em vários pontos:
  • Se alguém muda de país definitivamente sem ter a certeza se a outra pessoa também o fará é porque não gosta assim tanto dessa pessoa.
  • Quando alguém muda de vida por causa de outra pessoa, normalmente dá merda porque a outra pessoa sente a pressão de estar em "dívida".
  • Quando as pessoas começam a morar juntas apenas porque mudaram de país e não porque estavam preparadas para isso, pode dar merda.
Por fim, é de facto muito comum aliciar-se a outra pessoa só para parecer bem e para caso a coisa não corra bem e a outra pessoa não vá, se possa jogar a carta «Eu queria-te aqui comigo, tu é que não quiseste.» Podia ser bluff para ter razões para acabar contigo, só com o tempo saberás. Posto isto, o facto de estarem em casa dos pais dela pode ser uma atenuante para a falta de contacto físico. No entanto, nunca é desculpa. Quem tem vontade faz sexo na sala debaixo de uma manta enquanto a família vê a novela. Se o problema é o barulho, ela que use esta mordaça à venda neste link.

Caro doutor G, durante dois anos gostei de um rapaz, mas ele na altura tinha namorada e nunca aconteceu nada. Entretanto o relacionamento acabou e começamos a conversar e tal (ele sempre foi honesto e disse que ainda gostava da namorada). Durante umas noites calientes temperamos o corpo um no outro mas não chegamos aos finalmentes. Isto porque não senti qualquer tipo de prazer com ele quer seja nos beijos ou caricias (devido à forma que me tratou que não foi nada romântica ou fofinha). No entanto continuo a pensar nele e a ter pensamentos nefastos do que poderia fazer com ele. Doutor G o que devo fazer?
Anónima, 24, Lisboa

Doutor G: Cara Anónima, sofres da síndrome «Padrões baixos». Estás tão encalhada que o teu cérebro entra em mecanismo de sobrevivência e esquece que o gajo interessado em ti não sabe fazer as coisas como deve ser. Se não sentes prazer nem desejo com os beijos, é porque o resto vai ser sofrível. No entanto, com a falta de stick para a barbucha, passados uns dias pensas «Olha, aquele desengonçado que nem um beijo sabe dar se calhar não é assim tão mau...». Deixo um fluxograma que é válido para todos os sexos:


E pronto, já está. Obrigado ao patrocinador oficial do Doutor G, Vibrolandia, onde podem comprar artigos para apimentar a vossa vida sexual ou para envergonhar alguém durante a partilha de prendas de Natal. Usem o cupão DRG10 para terem desconto. Obrigado a todos e, como sempre, até para a semana e continuem a enviar as vossas dúvidas para porfalarnoutracoisa@gmail.com. 


Partilhem e façam amor à bruta, porque de guerras o mundo já está cheio.

Ler mais...

2 de novembro de 2017

Quem quer ser segurança do Urban?



Depois das agressões à porta da discoteca Urban e do despedimento dos seguranças, antecipo, desde já, o anúncio de oferta de trabalho.

OFERTA DE EMPREGO

Procura-se homem para vaga de porteiro para estabelecimento de diversão nocturna da Lisboa, Urban Beach.

Principais Tarefas a desenvolver:
  • Filtragem de pessoas à entrada do estabelecimento consoante um pantone de cores;
  • Dizer que é uma festa privada quando a pessoa é de tom de pele escuro ou está de camisola de alças.
  • Separar conflitos recorrendo a força sempre que se justificar (ou não)
  • Liberdade para definir o preço de entrada consoante o perfil do cliente e dar borlas a clientes do sexo feminino consoante os seus atributos físicos.
  • Liberdade para discriminar por raça e género.
Perfil técnico:
  • 9º ano (opcional).
  • QI inferior ao número de calçado em unidades americanas.
  • Ter crescido na Linha de Sintra (preferencial).
  • Ter em alguma fase de vida utilizado esteróides para aumentar a massa muscular.
  • Ter andado à porrada por questões de trânsito, pelo menos dez vezes.
  • Saber contar até 150 euros e fazer contas de subtração básicas.
  • Candidatos com cadastro limpo serão eliminados à partida.
Importa referir que os candidatos se devem apresentar de cabeça rapada e com botas biqueira de aço, ou seja, já fardados para o trabalho. A soqueira é opcional em dias de Casual Friday. Será integrado numa equipa dinâmica e multidisciplinar, onde terá oportunidade de aprender e crescer com ou sem esteróides. É um trabalho exigente e procuramos um candidato com o perfil adequado e que aguente a pressão e ouvir música de merda durante horas.

Ao ver este anúncio, o Sandro Nelson, enviou logo o seu CV.

Sobre mim

Sou o Sandro, tenho braço forte, sou racista q.b. e gosto de andar à porrada.

Experiência profissional
  • 2015 - 2017: Seguransa em discoteca com muitos pretos
  • 2013 - 2015: Estive no subsídio de dezemprego
  • 2010 - 2012: Cobrador de dívidas difísseis
  • 2005 - 2010: Dezempregado de longa durassão
  • 2002 - 2005: Trabalhei numa loja de suplementos para puchar ferro
  • 2001 - 2002: Seguransa no baile de finalistas da escola preparatória da minha zona
Educação e formação
  • Escola C+S do Cacém: 9º ano concluído com 5 a educação física, 3 a tudo o resto, exsseptuando apenas as três negativas a purtuguês, matemática e formação cívica.
  • Só xumbei quatro vezes
  • Ginásio de Massamá onde pucho ferro todos os dias desde 2001.
Competências de organização
  • Alto sentido de responsabilidade adekirido na organização de lutas na garajem do meu primo Rúben.
  • Boa capacidade de negociassão resultante de um negócio próprio de venda de plantas medissinais.
  • Capacidade de lideransa adekirida no refeitório da prisão.
  • Boa capacidade de multitasking adekiridas ao namorar com a Kátia e a Sheila ao mesmo tempo durante doix anux.
Competências digitais
  • Capaz de tirar um telemóvel da mão de terceiros e arremessálo a 900m.
  • Conhecimento das ferramentas Facebook e Tinder na óptica do utilizador.
Competências artísticas
  • Sei dar rotativos no ar.
Carta de condução
  • Não tenho, mas conduso desde os 11 anos.
Ainda assim, há coisas piores para apanhar no Urban do que uma tareia. Agora é esperar que o caso não caia no esquecimento e que sejam acusados não de agressão, mas de tentativa de homicídio. Aqueles pisões na cabeça nem no UFC são permitidos. Toda a gente sabe que aquilo é prática recorrente no estabelecimento, para além do racismo, agora é esperar que com o vídeo a coisa vá ao sítio e se dêem lugar a seguranças civilizados que também os há.
Ler mais...

31 de outubro de 2017

A beleza interior é suficiente? É errado andar com alguém comprometido?



Hoje, terça-feira, estreia o meu espectáculo a solo e mesmo assim há consulta do Doutor G. Já viram gajo que escreve na net mais profissional e dedicado aos seus leitores do que eu? Na verdade, agradeçam à Vibrolandia (onde podem usar o cupão DRG10 para ter 10% de desconto) porque se não fosse o compromisso com o patrocinador, provavelmente, hoje o Doutor G faria gazeta que já estou de fralda borrado para logo à noite. Se me quiserem agradecer a mim também, podem comprar o meu novo livro "Chapadas à Padrasto". Bem, vamos la ao "Doutor G explica como se faz". 


Caro Doctor G, a minha última relação durou 4 anos e terminamos muito mal. Para sarar as feridas, tirando 3 encontros casuais, nos últimos 2 anos não entreguei o meu amor a ninguém. No entanto, há uns meses que ando a falar e a encontrar-me (encontros que incluem apenas belas, interessantes e profundas conversas e muito riso e nada de cambalhotas) com um rapaz de 30 anos. Ele quer mais contacto comigo do que palavreado, mas como é um gentleman e é super respeitador diz que só o fará quando eu tiver esse desejo também. Eu, apesar de lhe gabar as capacidades intelectuais nada me aquece cá dentro. Pois se, intelectualmente é o ex-libris, fisicamente a coisa está fraca, nao me atrai, não tem presença, é pequenino, magrinho. Acho que nem comigo deve poder... Com esta sintonia toda que sinto pelo indivíduo o que eu mais queria neste momento era desejar enrolar-me toda eu com todo ele, à bruta e sem meiguices. Esta relação está destinada ao fracasso? Ou haverá hipótese da fogueira acender? 
Maria, 22, Viseu

Doutor G: Cara Maria, ainda bem que ele só vai fazer mais do que palavreado contigo quando também quiseres, caso contrário era violação. Ora bem, é sempre muito complicado uma relação funcionar quando não há aquela atracção inicial de despir a outra pessoa com o olhar. Ainda por cima, sendo que estás há 2 anos em seca genital, é normal que os teus padrões tenham baixado e o que significa que o rapaz é mesmo muito fraquinho. Por exemplo, passados 6 meses de entrar para informática no IST, até a Odete Santos já me parecia ter um certo sex appeal. A única coisa que pode fazer acender a fogueira é se ele for muito competente na área do funaná pelado. Às vezes há aquelas pessoas que uma pessoa faz sacrifício só por cortesia e porque estamos aborrecidos numa sexta-feira à noite que acabam por se revelar valentes arraiais de esfreganço e que nos faz olhar para elas de outra forma após o coito. É tipo raspadinha, às vezes calha prémio, mas normalmente perde-se dinheiro. Mete-lhe uns suplementos afrodisíacos - ver este link - na bebida a ver se a crista de galo se lhe levanta.


Estimado Dr. G, há cerca de ano e meio conheci uma formosa donzela. Mantivemos o contacto e em pouco tempo passámos dos jogos de sedução à ginástica acrobática dos lençóis, sendo sempre bastante claro PARA AMBOS que ali não havia qualquer tipo de sentimento amoroso. Entretanto, ela e o ex-namorado voltaram e eu afastei-me sem grande celeuma. Acontece que, para meu espanto, ela não quis que eu me afastasse e mantivemos este nosso caso às escondidas do namorado... Sendo certo que eu não me vou magoar porque, reitero, a minha ligação a ela é puramente carnal, serei eu um filho da puta da pior espécie por não sentir qualquer tipo de remorso e não me importar de continuar a rebentar a namorada de um congénere?  
Rodolfo, 24, Gaia

Doutor G: Caro Rodolfo, como um fluxograma vale mais do que mil palavras, deixo-te aqui um que te poderá ajudar a perceber a tua situação:

Caro Dr. G., com 24 anos de existência, ainda não iniciei a arte da luta grego-romana. O meu problema é que sou capaz de ficar a pensar num rapaz meses e meses, sem avançar (uma verdadeira coninhas, bem sei!) com medo da rejeição/ sem saber o que fazer ou dizer. E assim fico, à espera que a outra pessoa "adivinhe" o que eu sinto. Já tive alguns pretendentes, mas se não é aquele que tenho em mente, parece que mais nenhum me desperta interesse. Haverá cura? Receio ter que iniciar a minha jornada num Convento qualquer e mudar para "Freira" no registo da Segurança Social. Doutor... que Convento me aconselha? Vejo-o dia 31, no São Jorge!
Anónima, 24, Lisboa

Doutor G: Cara Anónima, a única cura para quem é coninhas é meia dúzia de chapadas à padrasto a ver se acordam para a vida. A janela de oportunidade (e não só) começa a fechar com a idade e é preciso ir atrás do que se quer. Se gostas de um gajo, diz-lhe ou insinua fortemente que desejas sugar-lhe as miudezas. Ao contrário da comum crença feminina, os homens não sabem ler os pensamentos e são muito burros a interpretar sinais subtis. Precisas de ser frontal, ou lateral, ou por trás, e dizer aos gajos pelos quais nutres sentimentos que gostavas de algo mais. Só assim e sem medo da rejeição deixarás de ser coninhas e evitarás uma vida de espera que o príncipe encantado te beije enquanto dormes - micro violação - ou uma vida de convento, como tão bem prevês. Não faço ideia de qual o melhor convento, mas sei que há uns que têm túneis que ligam a zona das freiras à zona dos padres. Quando digo zonas, estou a referir-me a zonas genitais, mesmo. Dia 31 vou dar uma consulta ao vivo e podes subir a palco e posso tentar fazer de cupido e arranjar-te um rapaz robusto para uma noite de Halloween de partir a abóbora em dois. Já agora, Lisboa, Porto, Aveiro e Coimbra já esgotaram o meu espectáculo, mas ainda há bilhetes para Tomar, Guimarães, Funchal, Braga e Portalegre neste link. Também há para Faro neste link.


Caro Dr. G, após utilização da maravilhosa aplicação "F*ck Marry Kill" - o Tinder à beira desta é para meninos - onde conheci uma pessoa muito interessante, passei a fase das conversas via chat ao fim de umas 3 semanas e avancei para os encontros a sério. Acontece que, numa altura em que o mercado estava bom para procurar casa, ela até foi quem procurou meter conversa mais vezes, algo que vi como incentivo para tentar algo mais sério. Após meia dúzia de encontros, e umas quantas tentativas falhadas de ter um beijo para lá da bochecha, ela ainda argumenta que receia aproximar-se de alguém. O que devo fazer, Dr.?
G, 27, V.N.Gaia

Doutor G: Caro G, obrigado desde já por seres utilizador dessa disruptiva aplicação que é o FMK, que teve dois dedos do Doutor G na sua criação e que, agora, apesar de já não trabalhar lá, ainda vai mandar bitaites em reuniões. Ora bem, meia dúzia de encontros já existe obrigatoriedade contratual de pelo menos um beijo com língua. Por isso, temos várias hipóteses:

  1. Ela só gosta de provocar e da atenção que lhe dás e nunca terá qualquer intenção de avançar para algo mais;
  2. Ela tem namorado e/ou outro gajo que prefere a quem anda a fazer a ronda;
  3. Ela está magoada por uma última relação e precisa de tempo para voltar a confiar num espécime com pila.
  4. Está a pensar ir para freira como a Anónima lá de cima.
Se gostas mesmo dela, pensa que pode ser a hipótese 3 e tem paciência. Se à décima vez que tentares um beijo ela voltar a recusar, saca disto do bolso e mama da boca do plástico. Podes comprar neste link.
Caro Dr. G, vivo com o meu namorado há 3 anos e temos um relacionamento feliz (ou assim pensava eu). Recentemente mudámos de cidade devido ao trabalho dele e não conhecíamos ninguém até que um colega de trabalho do meu namorado começou a convidar-nos para jantar e beber café em casal, com a sua esposa. São mais velhos que nós, estão perto dos 40 anos e sempre foram simpáticos. Qual não foi o meu espanto quando há duas semanas, após um café, nos convidaram para um swing! Tentei disfarçar a minha cara de choque e recusei educadamente mas o meu namorado mostrou-se muito receptivo ao convite. Convém dizer que o casal é mais velho que nós, a mulher dele não deve nada à beleza e tem bastante excesso de peso e o meu namorado mal dá conta de mim na maioria das vezes! Quando falei disto com o meu namorado, ele respondeu que seria uma experiência para apimentar a relação e que não era nada de mais. Ora para apimentar uma relação estaria à espera de um menage à trois com uma moça gira e não isto!!! 
Anónima, 29, Aveiro

Doutor G: Cara Anónima, as dúvidas de swing começam a ser recorrentes aqui no consultório. Sinais do tempo em que as pessoas se fartam rapidamente e querem uma oferta maior de pilas e pipis. Vou tentar responder em forma de fluxograma:

Caro Doutor G, conheço um rapaz já há três anos e ultimamente tornámo-nos grandes amigos, ele passa a vida lá em casa, quando vamos sair muitas vezes dorme lá porque a casa dele é longe, etc. As coisas com a namorada de longa duração andavam mal, e no dia em que acabou com a namorada comemo-nos. No entanto, voltaram uns dias depois. Mas apesar de ele namorar, ainda damos assim umas trinquitas. Mas agora eu estou confusa, não sei se ele sente algo mais do que amizade por mim, ou só me papa porque sou toda boazona e ele anda com falta. Além disso toda a gente acha que temos grande química, e eu começo a ter sentimentos por ele. Eu por um lado quero continuar, mas não me sinto bem a fazê-lo porque ele é comprometido, e se no futuro tivesse uma relação com ele, sentiria-me insegura a confiar nele porque ele já traiu... Doutor G, diga-me lá honestamente o que devo fazer?
Anónima, 19, Algarve

Doutor G: Cara Anónima, vamos por pontos:

  • Ele não tinha acabado com a namorada quando se comeram. Ele andava a dizer-te que as coisas andavam mal para te atiçar o pipi e disse que acabou a ver no que dava e para tu te sentires à vontade para o confortares caindo de boca no colo dele. É fácil de perceber isso por terem voltado logo a seguir e porque essa cantiga é mais usada pelos homens do que a pílula do dia seguinte pelos concorrentes de reality shows.
  • À partida, não deve sentir nada por ti, caso contrário não tinha voltado para a namorada e ficava com a boazona.
  • Não vais ter nenhum relacionamento com ele no futuro, só se a namorada dele o deixar e ele for ter contigo porque não tem mais ninguém.
  • O que deves fazer? É como quiseres, se te apraz o sexo pelo sexo, aproveita, caso contrário, se estiveres a começar a gostar dele e na esperança que ele um dia seja só teu, aconselho-te a saltares mais fora do que os tomates do meu avô saltam com boxers largos.

Obrigado a todos e, como sempre, até para a semana e continuem a enviar as vossas dúvidas para porfalarnoutracoisa@gmail.com. 


Partilhem e façam amor à bruta porque de guerras o mundo já está cheio.

Ler mais...