24 de novembro de 2015

Bebidas de homem e bebidas de mulher



Sejam bem vindos a mais uma consulta javarda deste vosso consultório das terças-feiras, "Doutor G explica como se faz". Temos boas dúvidas hoje e eu estou de mau humor. Metam o cinto que vem badalhoquice.



Caro Dr. G. entrei na universidade há 2 anos e meses antes acabei com o meu namorado. Acontece que ao ir estudar para outra cidade conheci muitas pessoas interessantes, nomeadamente rapazes. Envolvi-me com alguns e a maior parte (sem me querer gabar) ficaram caidinhos por mim. Poderia até ter começado algo mais sério com um deles mas quando eles se punham com essas ideias, eu inventava uma desculpa e fugia deles. Porque será que fujo dos compromissos sérios doutor? Será algum trauma do passado que não me deixa avançar? Ou será apenas medo de me magoar como aconteceu anteriormente?   
Miriam, 19, Elvas

Doutor G: Cara Miriam, eu sei lá se são os chineses ou o vernáculo do pénis, menina. Pode ser por isso tudo mas é, principalmente, porque nenhum deles tinha interesse suficiente para te fazer ficar de beicinho. No dia em que um te der uma saraivada como gente grande, vais ver que perdes o medo de ser magoada e já só pedes é com mais força e à bruta. Se nenhum te levou a querer mais do que sambodromo dos lençois, então é porque nenhum merece. Ou então és uma doida javardolas que só quer andar no buffet de carnes vermelhas. Cuidado que diz que faz cancro. E sífilis.


Olá Doutor, sou um rapaz muito tímido e por isso destaco-me muito pouco em ambientes de convívio. Tenho assim muita dificuldade em fazer amigas, daquelas mais intimas. Por mais esforço que faça para tentar conhecer raparigas novas, as coisas nunca vão para o lado que eu quero, mesmo perdendo a vergonha e sendo brutalmente honesto (até me deixarem de falar e perder assim algumas delas). Tive apenas uma namorada, com quem namorei dois anos e tivemos sexo espectacular, mas no entanto não toco em nada há mais de um ano e meio, o que está a dar comigo em doido. E eu e a minha ex até concordamos que a minha performance é muito boa. O Dr. tem algum conselho para alguém como eu?
José, 21, Almada

Doutor G: Caro José, vamos chamar as coisas pelos nomes: és um xoninhas. Orgulha-te disso que o mundo, parecendo que não, cada vez é mais dos xoninhas. Os conselhos que se dá aos xoninhas parecem sempre muito frases feitas do Gustavo Santos: «Não tenhas medo da rejeição.»; «Tens de ter confiança e tentar, falhar, e voltar a tentar.» e, claro, «Ama-te a ti mesmo», algo que já deves estar farto de fazer neste ano e meio em que estás restrito a tocar solos de oboé. Mas acaba por ser verdade, se não és o gajo que se destaca nas festas, nunca vais ser e não há mal nenhum nisso. Mas não podes ser um coninhas de todo o tamanho, também. Tens 21 anos, o teu target está todo no Tinder e nessas plataformas de engate para xoninhas que não têm coragem de abordar as pessoas na vida real. Eu sei que deves estar sempre com a mão direita ocupada, mas usa a esquerda para ir fazendo swipes. De resto, é ter calma e ir vivendo. Arranja hobbies que, para além de te distraírem do facto de não teres um pipi com que brincar, são uma óptima forma de ficares uma pessoa mais interessante e de conheceres novas potenciais parceiras. A não ser que tenhas hobbies tipo coleccionar selos... dessa forma vais criar teias de aranha nas virilhas. Quanto à tua ex dizer que a tua performance é muito boa, de pouco te serve, é o mesmo que dizer «Sou excelente a escolher destinos de férias paradisíacos, a questão é que nunca tenho dinheiro para ir a nenhum.». Podes sempre pedir-lhe para fazer essa recomendação no Linkedin a ver se te ajuda no recrutamento.


Sou uma moça com alguma experiência em cambalhotas javardas no divã, a bem dizer sou uma gaija que gosta à brava de comer bem e consequentemente ser bem banqueteada com a bela da fruta rija a estalar de boa! Como já percebeu sou aficcionada convicta de uma bela tourada na cama. Bom, adiante. O que me traz aqui é um grande assunto ou um assunto grande, por assim dizer, que recentemente ainda só me chegou ás mãos, mas que brevemente me chegará a outras partes do corpo. Ou seja, o assunto é o seguinte: Mangalho tamanho XXL. E a minha questão é esta: há algum cuidado extra que uma gaija deva ter antes da bela cambalhota quando se depara com uma mortadela inteira estando ela habituada a chouriço corrente?!
Ana, 38, Lisboa

Doutor G: Cara Ana, folgo muito em saber que a safadeza no teu corpo está viva e de boa saúde. Se te calhou na rifa um barrote do Entroncamento, só tens de seguir estes passos para conseguires disfrutar em pleno:

  • Fazer dez minutos de alongamentos;
  • Tequila para anestesiar. Oralmente e não na patareca.
  • Lubrificante com fartura. Pode ser mesmo dos carros que é melhor.
  • Evitar posições como as pernas nos ombros dele e o piledriver. Opta por aquelas em que ficas em cima a fazer de porteiro, ou seja, a controlar a entrada.
  • Ter gelo à mão.
  • Halibut.
  • Canadianas.
Força nisso. Devagar nisso, aliás. De qualquer forma, deixo uma resposta mais detalhada para alguma leitora que tenha passado pelas mesmas dores.


Caro Dr. G, primeiro, começo por dizer que sou bissexual. Tenho a certeza desta condição pois já tive relação com os 2 sexos e gosto dos 2. Sou casado com uma mulher de quem gosto muito e tenho completa tesão por ela e nunca falhei. Gosto de mulheres e sinto extremo prazer com elas. Mas existe o outro lado, em que tenho uma vontade de estar com homens e como disse já estive e também sinto grande prazer. Como é óbvio (pelo menos para mim), só assumo o meu lado hétero (Sou daqueles que não gosta de ver gays na rua, mas aceita pois cada um faz o que quer e ninguém tem nada a ver com isso). Nem sequer penso em outra coisa. Também como é óbvio, a não ser a pessoa (homem) com quem estive e vou estando, ninguém sabe nem ninguém vai saber pois a situação dele é igual à minha e nem por sombras queremos assumir o que quer que seja, pois de homossexual só temos mesmo o prazer do sexo. Como isto é um “consultório”, peço-te que dês uma opinião, para realmente verificar o que outras pessoas pensam…

Joaquim, 32, Aveiro

Doutor G: Caro Joaqum, então tu és daqueles gajos que diz «Maricas de mão dada na rua? Que nojo!». Sempre me pareceu que quem diz isso tem uma espécie de homossexualidade recalcada. «De homossexual só temos mesmo o prazer do sexo?», até soltei uma gargalhada. «Eu, gay? Nem por isso, a única coisa que gosto é de sorver umas pilocas de vez em quando. Não é homossexualidade, é um hobbie.» O único problema no meio da tua história toda, é que estás a trair a tua mulher e ela não sabe e isso não tem nada a ver com a tua bissexualidade. Qualquer homem ou mulher casado tem vontade, mais cedo ou mais tarde, de efectuar o funaná pelado com outra pessoa, algures durante a vida. No teu caso é com outros homens, mas isso não é desculpa. É o mesmo que um heterossexual trair e dizer «É que eu tenho esta necessidade de comer uma chinesa de mamas grandes de vez em quando...». Mas bem, podes sempre falar com a tua mulher e pode ser que ela aceite. Antigamente, a mulheres diziam «O meu marido traiu-me porque ela se foi pôr debaixo dele.», pode ser que a tua diga «O meu marido traiu-me porque ele se for pôr por trás dele.». Até pode ser que ela goste, dizem aqueles estudos que a maioria das pessoas são bissexuais. Eu sei que não sou porque uma vez beijei uma gaja com buço e nada. Nem senti uma comichãozita na enguia trapalhona.


​Caro Dr G., há cerca de 2-3 meses comecei a falar com um rapaz. Eram conversas parvas, no geral, mas que volta meia volta tinham umas insinuações dúbias de parte a parte. Isto de falarmos quase diariamente durou umas 3 semanas, durante as quais fomos tomar café 2 vezes. De repente deixa de meter conversa comigo (e eu acabei por não meter tb pq não queria dar o ar de mt interessada, coisa típica de gaja) durante umas 2 semanas e eis senão quando o moço assume um relacionamento no facebook. Perante isto a minha dúvida é o que me escapou aqui??
  1. Ele só me via como amiga, nunca teve outras intenções, eu é que vi coisas onde não havia nada para ver;
  2. Ele ainda não tinha a outra segura, e por isso quis manter-me ali no banco de suplentes, não fosse dar-se o caso da outra não querer entrar em jogo;
  3. Fazia-lhe bem ao ego ter outra pessoa interessada nele, andar no jogo do flirt, mesmo não tendo qualquer interesse;
  4. Outra qualquer que me está a escapar mas que o Dr. G me vai elucidar.
Entretanto, 1 ou 2 semanas depois de assumir a tal relação, voltou a meter conversa comigo, como se nada fosse, e eu agora vejo-me na posição de querer mandá-lo à merda mas não poder para não dar numa de dama ofendida (porque bem vistas as coisas não tivemos nada, por isso não tenho o direito de estar chateada), e ao mesmo tempo não querer mostrar que isto me afectou (mas também não quero q ele ache q me pode manter ali no banco de suplentes à vontade, que eu vou ficar ali eternamente, porque isso não vai acontecer). Elucide-me Dr. G., que é dos poucos homens que ainda me faz acreditar que os seres do sexo masculino não são todos uns cafagestes.  
Maria, 25, Lisboa

Doutor G: Cara Maria, isto vai para aqui um testamento que sim senhor. Por hoje passa, mas dúvidas com este tamanho vão começar a ficar na caixa de entrada que ninguém me paga para isto e a boa vontade tem limites. Ora bem, vamos atalhar e passar já às respostas e não se fala mais nisso:

  1. Errado. Ele queria-te saltar para a cueca.
  2. Errado. Ele andava a ver qual queria e a primeira que se chegou à frente, ou atrás, fidelizou o cliente.
  3. Sim, fazia-lhe bem ao ego e isso tudo mas ele tinha interesse.
  4. Não há outra.
Conclusão: armaste-te em esquisitinha e difícil e outra mais badalhoca ficou com o prémio. Para a próxima já sabes, é caires-lhes de boca no colo como quem não quer a coisa. Ou quer a coisa. Se ele voltou a meter conversa contigo é porque continua interessado e quer pular a cerca, tropeçar e cair-te de pélvis na cara. Caga nesse gajo, é o conselho deste espécime masculino nada cafegeste.


Olá Dr. G., sou uma jovem rapariga, quase a terminar o curso superior, razoavelmente bonita e sempre fui muito bem comportada. Tive apenas um namorado e fui dando uns beijinhos a um ou dois rapazes, mas nada sério. Desde que terminei com o meu ex- namorado (há cerca de 5 anos) ele nunca me "largou", isto é, mandava mensagens, ligava-me, fazia cenas de ciúmes e eu nunca conseguia desligar-me por completo dele... a verdade é que também demorei a esquecê-lo. Acontece que, no verão passado, conheci um rapaz que me fez querer apagar o meu ex de vez. Começámos a conversar e a estar juntos. Porém, já nos afastámos algumas vezes porque ele diz que não quer assumir nada com ninguém. No meio disto tudo, fico baralhada. Há vezes em que parece que ele apenas quer estar comigo pelo sexo. Porém, faz coisas que me levam a pensar que não é bem assim, como uma vez que fez 150 km para me oferecer o jantar e irmos passear só porque eu estava em baixo nesse dia. A minha dúvida é: devo dar-lhe tempo e espaço para perceber o que quer ou sigo em frente, porque ele quer apenas aplicar-me uns mata-leões entre os lençóis? 
Anónima, 22 anos

Doutor G: Cara Anónima, nunca digas que és razoavelmente bonita que as pessoas imaginam logo um papa-formigas a provar limão pela primeira vez. Já respondi a dúvidas parecidas à tua e até me passo com este tipo de questões. Vou escrever agora como fazem os velhos e as velhas, nos comentários do CM, que só agora tiveram acesso à Internet: MAS SE ELE TE DIZ QUE NÃO QUER ASSUMIR NADA COM NINGUÉM QUAL É A PUTA DA DÚVIDA, CARALHO?!?!?! Se ele não quer, não quer, temos pena. Tens duas opções: ou continuas com ele só numa de te divertires, ou segues a tua vida se não estiveres para isso. Se ele diz isso e algum dia assumir alguma coisa contigo, não é porque mudou de ideias e começou a gostar de ti, é só porque ficou sem opções. A cena de ele fazer esses km todos para te consolar é porque se calhar até é um bom rapaz e gosta de ti como amiga colorida. Ou então foi porque estava com o depósito cheio e não estou a falar do carro.


Boa noite caro Dr.G, sou um jovem de 19 anos, que raramente vou a discotecas ou bares nocturnos. A minha dúvida é a seguinte: existe um tipo de bebidas certas para o homem e outro para as mulheres? Sempre que saio à noite não sei se devo beber esta ou aquela bebida, se vou pagar o mico porque estou a beber uma bebida que as "mulheres é que bebem", etc. Existe um tipo de bebidas para beber quando se está entre amigos e outro tipo quando se está na companhia de uma mulher?
Anónimo, 19, Algures 

Doutor G: Caro Anónimo, pagar o mico? A tua sorte é que eu via a Malhação e sei o que é que isso quer dizer. Mas, indo à tua pergunta, tudo depende da tua confiança. Eu, devido à minha barba e masculinidade exuberante, posso beber um daiquiri de morango com uma sombrinha lilás e ainda assim parecer um heterossexual. De resto, bebe mas é o que gostares e marimba-te para o que os outros pensam. Pede uma bebida de gaja se te apetecer e se a, ou as, mulheres que estiverem contigo se rirem, só tens de dizer «Só falta a sombrinha espetada. Por falar em espetar...». 



Espero que tenham gostado, caso contrário peçam a devolução do dinheiro na secretaria. Obrigado a todos e, como sempre, até para a semana e continuem a enviar as vossas dúvidas para porfalarnoutracoisa@gmail.com. 


Partilhem e façam muito amor à bruta, que de guerras o mundo já está cheio.






Gostaste? Odiaste? Deixa o teu comentário: