11 de junho de 2014

O desmaio do Cavaco: drogas, sexo ou quebra de tensão?



Esse 10 de Junho foi gostoso? Primeiro que tudo quero afirmar aqui que acho indecente que, num país que se diz evoluído, idosos tenham que trabalhar num feriado até à exaustão para conseguir pagar as contas.

Não podia deixar passar a cena dramática protagonizada pelo nosso Presidente. Quem costuma vir aqui sabe que eu nutro um carinho especial pelo Aníbal, mas não lhe desejo mal em termos de saúde. No entanto, não posso deixar de me rir da situação e de achar que a cara dele meio azambuado é das coisas mais engraçadas que vi nos últimos tempos. O Cavaco fez inveja à maioria das mulheres, teve homens fardados a correr em seu auxílio e a carregarem-no ao colo. Provavelmente atrás das cortinas ainda lhe fizeram respiração boca à boca com língua. Nojo.

Eu acho que há 3 explicações, igualmente plausíveis, para o que aconteceu. Vamos então ver quais são? Claro que vamos que quem manda aqui sou eu.

A primeira foi o Sr. Presidente ter tomado alguma droga recreativa antes de ir discursar. Uns cogumelos mágicos, um brownie de erva, qualquer coisa. Comeu aquilo com aquela galga com que ele come bolo Rei e teve que ir palrar. Aquela merda a meio começou a bater como se não houvesse amanhã. Há partes em que se percebe claramente na cara dele que está a ver Salazar a dançar no fundo de um arco íris duplo. Se foi esse o caso quero saber onde é que ele comprou a cena, porque parece-me que é daquelas que até faz sangrar dos ouvidos, que já se sabe que são as melhores.

A segunda e para mim mais provável, foi o gajo ter-se começado a aliviar atrás do palanque, ou em termos de urina ou a tocar uma flautada a ver ali a parada militar. É um gajo patriótico e não conseguiu evitar o hastear da bandeira do dia de Portugal. São coisas que acontecem e na idade dele uma erecção não deve ser desperdiçada, esteja-se onde se estiver. Nisto o pessoal da guarda veio logo tentar abafar a situação, porque abafar outra coisa era capaz de ser mal visto. O de branco foi logo calçar a luvinha, mostrando que isto não é a primeira vez que acontece e da última vez sujou-se (sorte que a farda é branca). O pequenino que parece primo do Marinho Pinto, foi lá meter ordem na coisa, salvo seja e o Cavaco olhou para ele numa de "Olhe que isto é bala de salva, é pólvora seca, deixe-me em paz, não comento, é preciso esforço e é para celebrar". Na idade avançada do senhor deu-lhe a quebra depois do cavaquinho bolsar e foi em ombros lavar-se.

A terceira hipótese foi o Cavaco ter-se sentido mal, uma quebra de tensão ou falta de açúcar no sangue. Não vou muito por esta hipótese, acho que as duas primeiras são mais prováveis.





Gostaste? Odiaste? Deixa o teu comentário: