18 de junho de 2017

Formas de evitar tragédias como a de Pedrogão Grande



É incompreensível uma tragédia como o incêndio em Pedrogão Grande quando basta ver as redes sociais para perceber que Portugal está inundado de especialistas em incêndios. Toda a gente sabe de quem foi a culpa e como é que os bombeiros devem apontar a mangueira para extinguir as chamas. Vendo tamanho conhecimento espalhado nas redes, não quis ficar atrás e decidi dar algumas ideias que podem ajudar a prevenir que tragédias como esta se voltem a repetir. Sinto que o área do combate aos incêndios está muito ultrapassada: vivemos num mundo em que se leva homens à Lua, se aterra robôs em Marte, se faz fissão nuclear de átomos para obter energia limpa, se fazem vídeos HD com telemóveis, mas ainda se apagam fogos com mangueiras. Por isso, deixo aqui algumas ideias inovadoras que podem ajudar a combater este flagelo:

1- Um primo de um ministro cria uma empresa de limpeza de matas que é contratada por adjudicação directa. Vão ver que aí já há orçamento.

2- Todos os familiares dos deputados compram um helicóptero que depois podem alugar a preço inflacionado para ajudar a combater os incêndios. Por vezes a corrupção pode ajudar a mobilizar os dinheiros públicos para onde fazem falta.

3- Fazer como as mulheres que retiram os seios preventivamente para evitar futuros cancros: desbastar a floresta toda bem rente ou queimar com napalm para nunca mais crescer lá nada. Estamos num brainstorming, não há ideias estúpidas.

4- Criar uma app para apagar incêndios! É uma app que não serve para nada como quase todas as apps, mas por ser uma app vai atrair investimento, especialmente se for à Web Summit.

5- Em vez de os bombeiros pedirem donativos de bens alimentares via Facebook, que tal o Continente e o Pingo Doce chegarem-se à frente? Como contrapartida, os bombeiros, enquanto combatem as chamas, viram-se para a câmara e dizem «Uau, este sumo marca Continente vem mesmo a calhar neste momento de calor infernal!» enquanto bebem o pacote com o logo virado para a câmara. Quem não quiser esperar pelas grandes superfícies e quiser ajudar, pode ver aqui como e onde fazer. Também há uma campanha de crowdfunding a decorrer aqui.

6- Os governantes trocam os seus Mercedes e BMWs topos de gama por Renaults Clio em segunda mão e usam o dinheiro que pouparam para comprar viaturas de combate aos incêndios. O meu Clio de 2002 tem ar condicionado, por isso era na boa.

7- Na mesma linha, deviam trocar a viatura oficial do Marcelo Rebelo de Sousa por um carro dos bombeiros já que ele é sempre o primeiro a chegar a todo o lado. O camião dos bombeiros teria dois canhões: um de água e outro de afecto.

8- Trocar as armas dos militares por bisnagas e mobilizar o exército para combater as chamas. Incêndios são todos os anos, guerras não tenho visto nenhumas por cá. De qualquer da forma, as bisnagas podem ser realistas e servem na mesma para patrulhar e essas cenas que os militares fazem num país sem guerra.

Bem sei que algumas medidas são populistas, mas ao menos tentei dar algumas ideias criativas e fazer parte da solução e não do problema. Agora vou ali à praia que estou a morrer de calor. Sem ofensa.





Gostaste? Odiaste? Deixa o teu comentário: