4 de setembro de 2018

Madalena Menezes, a nova sensação da Internet



Para quem não conhece, a dona Madalena ficou recentemente "viral", curiosamente em ambiente hospitalar, com um vídeo que publicou no seu Facebook quando, supostamente, foi acompanhar o seu irmão doente, que afinal tinha tido um acidente na mão, que afinal não estava com ela, mas já lá vamos. O vídeo foi visto e partilhado por milhares de pessoas, bem como alguns dos seus vídeos anteriores, onde se percebe, claramente, que a dona Madalena é uma pessoa especial. Uma pessoa que canta e que dança, muito expressiva e que parece, à falta de melhor palavra e num tom não pejorativo, uma tolinha. A Madalena Menezes é a filha da mítica dona Helena que estava de roda de uma fogueira tão linda, glaças a Deuze. Tenho a certeza, ora vejam.

Ao contrário do que se pensa, a linha entre a piada e o bullying não é ténue já que pode existir bullying com muita piada.

Não tenho qualquer problema em fazer piadas com a dona Madalena, mas é um bocado fácil, tal como o é com a Maria Leal, com a diferença que esta expôs o seu trabalho e "talento" na televisão nacional e, por isso, tem de aguentar. No caso da Madalena, parece-me que nem tinha bem noção de como funcionam as redes sociais. A maluquice da senhora não incomoda ninguém, pelo contrário até nos faz rir, embora não seja COM ela, mas com o riso e a viralidade, veio o comburente da redes sociais: o ódio. As ofensas a constatar o facto óbvio de ela parecer meio tolinha foram o lugar comum dos comentários às partilhas do vídeo.

Uma rápida pesquisa pelo seu perfil de Facebook e percebemos que é daquelas senhoras que tem a mesma foto de perfil com cinquenta versões diferentes com molduras e filtros foleiros para todas as ocasiões festivas ou só porque é segunda-feira. Comenta com verborreia de emoji e animações de gatinhos com corações. No fundo, a dona Madalena é um bocado todas as nossas mães. Sabemos que a senhora é tolinha porque se isto fosse uma personagem ao estilo Borat, feita por uma humorista, seria do mais genial que já havia sido feito até hoje e uma, como dizem os YouTubers, mega trollagem ao público português. Infelizmente, não me parece o caso e acho que estamos só na presença de alguém que, para seu bem, não devia ter acesso a um smartphone.

Toda esta viralidade e ofensas em catadupa a uma senhora que não fez mal a ninguém é um fenómeno novo sobre o qual ainda não temos medidas para evitar, seja em jovens sem idade para perceber as consequências, seja em pessoas mais infoexcluídas que nem sabem bem o que estão a fazer com o telemóvel. Acho, sinceramente, que deveria existir um workshop de utilização de redes sociais para pessoas burras tecnologicamente. Se eu mandasse, até haveria licença para usar a Internet, na verdade, mas podíamos começar por um workshop gratuito e disponível para quem quisesse, no qual lhes seria ensinado, em poucas horas, o básico das redes sociais. Esta gente não sabe que se partilhar um vídeo ele não fica restrito ao seu círculo de amigos e facilmente pode extravasar da rede com a funcionalidade de partilha; esta gente não sabe que o vídeo pode ser retirado e colocado noutras redes, como no YouTube e que ficará lá para todo o sempre; esta gente não sabe, muitas vezes, que um comentário pode ser público para todos; esta gente não sabe que o anonimato da Internet é apenas aparente.

Como sociedade, temos uma atracção pela desgraça, uma curiosidade mórbida que partilhamos enquanto espécie: abrandamos para ver se vislumbramos feridos graves no acidente da outra faixa da autoestrada, por exemplo, e acredito ser o mesmo mecanismo psicológico que levou à viralidade da Maria Leal e desta senhora. Dar Internet a esta gente é como dar uma dar uma pistola a um bebé: podem aleijar-se sem terem culpa. Uma coisa são os putos estúpidos que se expõem para ter engagement, esses merecem um bocadinho o bullying, outra coisa é a Madalena que me parece que nem sabe o que isso é. Por muito maluca que ela seja, por muito desequilibro mental que possa ou não ter, mais malucos são os que lhe inundaram as caixas de comentários e lhe pediram amizade para lhe enviar mensagens com ofensas e dizer que devia ser internada e que envergonhava Lousada. Quem se deu a esse trabalho é que envergonha toda a espécie humana.


Este ódio todo pela maluquinha acontece porque as pessoas percebem que ela é mais feliz do que todos nós.

Na sua ingenuidade, ignorância ou distúrbio mental, está sempre a sorrir e não se importa com o ridículo e com o que os outros pensam. Esta liberdade faz dela um alvo a abater por toda a gente frustrada por esse mundo real e digital. Não estou a falar de quem se riu ou fez vídeos a imitar, como os do Herman e outros, ou de piadas ou do que quer que seja no ramo da paródia inofensiva, mas que pode ofender sem intenção, estou a falar dos tais que a foram achincalhar directamente a senhora para o seu Facebook só para se sentirem melhor consigo mesmos.

O irmão da dona Madalena já veio meter-se ao barulho, também em vídeo, dizendo que ela estava a mentir quando disse que tinha ido ao hospital com ele. O senhor tem falta de dentes e de uma mão e, pelos vistos, de parafusos pois já esteve internado por problemas psicológicos. A doença mental não tem piada, mas algumas pessoas com doença mental têm um bocadinho de piada, não vamos estar aqui a mentir. Nem que seja pelo alívio em forma de gargalhada de não sermos nós a passar pela vergonha de termos um vídeo nosso viral na Internet que nos faça parecer malucos. Eu ri-me por imaginar a animação que devem ser os natais daquela família de malucos. Percebe-se pelo último vídeo que a Madalena publicou que o caso a transtornou e nele nem se vislumbra um sorriso tolinho que víamos nos restantes. Parece, até, ter envelhecido dez anos em poucos dias; ameaça processar toda a gente que partilhou o vídeo e ajustar contas com Herman José que fez umas quantas paródias no Instagram. Isto de dizer que vai processar toda a gente prova ainda mais que ela não sabe muito bem como funciona a Internet e, em especial, as redes sociais.

Ela ainda lucrará com isto? É provável. Já foi à televisão, o que para ela deve ser como ganhar o euromilhões, e sou gajo para apostar dinheiro em como algum agente chulo falará com ela para lançar umas músicas. 

Sim, porque pelo que vi de alguns vídeos da dona Madalena a cantar, em termos vocais está muito perto da nossa preguiça desengonçada que dança como se estivesse a ter um ataque epiléptico. Ainda vamos ter notícias da Madalena, garanto-vos, e essas notícias vão chegar em forma de cancro auditivo - podem dizer que leram aqui primeiro esta previsão - e nós vamos ouvir, ver e partilhar, porque adoramos acidentes e desgraça alheia para nos sentirmos melhor com a nossa vida.



PODES SEGUIR-ME NO INSTAGRAM

Gostaste? Odiaste? Deixa o teu comentário: