27 de dezembro de 2016

O que a tua profissão diz sobre o teu desempenho sexual



Esse Natal? Comeram quilos de doces para celebrar o nascimento do menino enquanto há crianças a morrer à fome? Ainda bem, é esse o espírito. Bem, em rescaldo natalício, em que espero que muitos de vós tenham recebido o livro do Doutor G no sapatinho, vamos à última consulta de 2016. 


Olá doutor, sou o Zé, tenho 18 anos e entrei este ano para a universidade do Porto. O que acontece, é que tinha uma colega de casa que me atraía! Tornámo-nos cada vez mais amigos e sem eu dar conta já dormia na cama dela (só mesmo dormir, mas em concha). Ela aquecia-me e eu adorava. Acontece que ela arranjou um namorado e me diz, sempre que ele lá vem a casa, "Se ele aí vier tens de ir para o teu quarto", o que me deixa um bocado furioso. O pior ainda é que à noite eu ouço-os a fazer o que eu gostava de fazer à moça. Quando ele não está eu durmo com ela na mesma mas no entanto não acontece nada... O que é que eu devo fazer?
Zé, 18, Porto

Doutor G: Caro Zé, essa rapariga é o que se chama, em termos técnicos, uma cock teaser. Ou seja, gosta de espicaçar a cascavel com um pau, mas depois refila se ela se levanta e lhe tenta ferrar a chicha e esguichar veneno. Isto não invalida o facto de tu seres um xoninhas, atenção. Se houvesse um prémio para o xoninhas do ano, tu estarias, pelo menos, nomeado. Dormir em conchinha com uma mulher pela qual se sente atracção e nem sequer lhe cutucar a zona lombar com a alavanca de Arquimedes, só numa de explorar, é de uma xonice digna de um óscar flácido feito de gel balístico sem osso por dentro. Há aqui várias opções que passo a ilustrar neste bonito fluxograma que podes afixar no frigorífico:


Olá Dr. G, sempre segui religiosamente o programa da TVI a Casa dos Segredos. E gostei muito quando participou Érica Silva e a verdade é que nessa altura eu andava a dar umas voltas com um mecânico e por graça comecei a fazer uma lista, mas para ser diferente eu apontei antes a profissão dele. E desde aí comecei a interessar-me por gajos que tivessem profissões diferentes dos da lista, o problema é que já ando nisto desde 2013 e quando conheço um rapaz interessante basta ele dizer que tem uma profissão que vem na lista para perder todo o interesse. Eu acho que a lista está a afectar a minha vida, já não sei o que fazer. Ajude-me Dr., preciso de conselhos.
Uma desesperada, 22, Lisboa

Doutor G: Cara Desesperada, para quem não está lembrado, deixa-me só dizer que a Érica era uma rapariga que guardava uma lista dos rapazes com quem já tinha ido para a cama, cujo número ascendia a mais de duas centenas. Não tenho problemas com isso, acho bem que as mulheres façam sexo com fartura, mas ir dizer isso à boca cheia para a televisão (atenta que a expressão boca cheia não foi escolhida ao acaso) não é ser-se revolucionária ou rebelde, é ser-se porca. Ela só seria revolucionária se os duzentos gajos fossem deputados da Assembleia e ela lhes tivesse pegado HIV e herpes genital. Aí, sim, ela era uma espécie de Che Guevara do Chavascal. Hasta la fornicación, siempre! Bem, relativamente à tua dúvida, é uma espécie de caderneta de cromos como outra qualquer. Os homens fazem muito isso com nacionalidades, sendo que não se importam de ter repetidos para a troca. Deixo uma lista de algumas profissões e o que elas dizem sobre o desempenho sexual da pessoa em questão:

  • Advogado - tem o sonho de chegar a juiz e, por isso, tem experiência com o martelo. Vai mentir-te para te levar para a cama e se for apanhado a trair vai sacar de estudos cientificos para dizer que a culpa é da testosterona.
  • Engenheiro informático - tem muita experiência na óptica do observador, mas pouca na do utilizador. Pode sofrer de ejaculação precoce, mas irá aplicar-se. Nunca precisará de Viagra desde que te vistas de Lara Croft ou de personagem dos desenhos animados.
  • Médico - é uma espécie de talhante do corpo humano. Para ele, a carne é carne e ver mamas é como ver unhas encravadas. Se for ginecologista, apesar de ter os conhecimentos técnicos, falta-lhe a motivação de trabalhar fora do horário de expediente.
  • Jornalista - vai anotar tudo para depois fazer um artigo de jornal a dizer "Namorado filma namorada a fazer sexo. Nem vai acreditar no final! VEJA O VÍDEO AQUI!"
  • Artista - vai chorar no fim enquanto fala sobre o sentido da vida e como dois tijolos, um em cima do outro, são uma metáfora para os tabus enraizados da sociedade. Vai querer tocar-se no Museu Berardo.
  • Mecânico - Vai estar sempre atento aos barulhos que fazes para perceber se está a correr bem ou não.
  • Canalizador - Só têm sucesso com as mulheres nos filmes porno com enredo que parece ser escrito por um... canalizador.
  • Entregador de pizas - dá-te boleia sentada em cima da caixa das pizas e faz tudo pela gorjeta. Pede sempre massa fina que é para quando ele aparecer com a piza com um buraco no meio, como acontece nos filmes, parecer maior.
  • Designer de interiores - é capaz de se arrepender no fim.
  • Arquitecto Paisagista - vai estar mais atento à forma como cortaste a relva lá em baixo do que em dar-te prazer.
  • Sociólogo - vai dizer-te que trabalha na área só para te engatar, mas no fundo está num Call Center.
  • Coveiro - uma série de piadas fáceis que podiam ser feitas recorrendo ao verbo "enterrar", mas que não será um caminho que irei percorrer.
  • Padre - adoram o role-play do professor e menina colegial. Vai querer tocar-se na PreNatal. Desta vez não resisti à piada fácil.
  • Político - esquece, ser político não conta como profissão.
Bem sei que não respondi à tua pergunta, por isso, foca-te nos desempregados que para além de terem mais tempo livre, não contam como cromos repetidos.


Boa noite Dr. G, estava eu no apogeu da jabardice com a minha badalhoca quando ela me diz que gostaria de se dedicar mais à química e me pede para lhe comer o real símbolo do cobre (cu2+). Esta situação à primeira vista inofensiva, normal e corrente, não necessitará da ajuda explícita do famosíssimo Dr.G, porém, todavia e contudo, fiquei estupefacto, quando a minha doce metade toma a iniciativa de começar a chupar a gasolina do depósito, até que o doce líquido lhe toca nos seus delicados lábios de "princesa". Tudo isto poderá parecer normal ao Dr.G (ao qual desde já desejo um Bom Natal e próspero Ano Novo), no entanto, eis que surge a grande barreira ao nosso puro amor; isto é, ela pede-me que a beije apaixonadamente. Ora, fico eu a pensar que após o grande percurso do meu pescoço mais fino, e visualizando partes brancas nos cantos da sua boca, e imaginando bocados de vilusidades intestinais a navegar no interior da sua porta oral, se deverei ou não conceder esse desejo carnal a tamanha flor de jasmim? Será que o Dr. G me pode ajudar nesta situação de "Namorado Inexperiente"?
Anónimo, 33, Cais do Sodré

Doutor G: Caro Anónimo, tanta coisa para dizer que a tua namorada faz Ass to Mouth? O famoso ATM que as pessoas pensam que só serve para levantar dinheiro. Sou sincero: não é coisa que o Doutor G aprove. O cu tem coco lá dentro e não há volta a dar. Lamber coco não é fixe. Nos filmes porno é tudo muito lindo porque elas tomam clisters antes e aquilo até podia vir o senhor do Sonasol que o algodão viria branquinho. Por isso, se o teu problema é beijá-la depois de ela ter feito o ATM, percebo. ATM é uma prática de gosto duvidoso. Se o problema não são os vestígios de fezes, mas o facto de ser depois de ela ter albergado o teu néctar na boca, isso já é de xoninhas. Homem que é homem não pode ter nojinho de resíduos do próprio sémen, tal como é de levar a mal uma mulher que não queira meter a boca onde ainda se encontram os seus fluídos. Se bem que uma coisa são restinhos, outra é se ela guardou tudo nas bochechas tipo hamster e depois te vai surpreender quando a beijares. Nesse caso é traquinice. Resumindo: não devias ter nojo só quando ela te pede para a beijar. Devias ter nojo mal ela mete a boca na tua enguia trapalhona que acabou de vir do esgoto sem lhe passar, pelo menos, um paninho molhado. Diz-lhe que não gostas e sempre que forem jantar fora e ela se queixar que a comida não está bem temperada faz aquela cara do «A sério? Lambes restinhos de cocó e agora estás-te a queixar que falta sal?»


Boa tarde Doutor G., tenho 24 anos, e conheci um homem mais velho do que eu 17 anos, gosto muito dele, ainda nos estamos a conhecer, mas já falamos em como gostávamos de ter uma relação seria. Acontece é que sexualmente ele já não me acompanha (sim eu sei que não podia estar a espera da mesma performance que uma pessoa da minha idade), não me chateio com isso pois gosto dele, mas há certas coisas que ele podia fazer que me dava mais prazer, mas tenho medo de magoar os sentimentos dele, falo com ele abertamente ou deixo as coisas como estão?
Anónima, 24, Lisboa

Doutor G: Cara Anónima, o problema não será a idade. A experiência conta mais do que a stamina, diz o Doutor G que já está nos 32, embora ainda com mais pujança do que quando tinha 20. Ele tem 41 e ainda está na idade de conseguir acompanhar o ritmo, especialmente quando dá de caras com um pipi 17 anos mais novo. Não há viagra maior para um quarentão do que pescar uma menina na flor da idade. O que se passa é que ele nunca deve ter tido muita pedalada nem jeito para a coisa, o que explica o facto de ser solteiro com essa idade. Só tens de pensar se é melhor arriscares ferir os sentimentos dele ou se é melhor ficares com comichão de insatisfação na escotilha dos bebés. O sexo é para ser feito a dois e falado. Diz-lhe como gostas e, acima de tudo, toma as rédeas do pónei anão. Se ele gostar de ti, vai tentar melhorar a sua performance, mesmo que fique com o ego um pouco ferido. Se ele amuar, troca-o por um mais novo.


Como a consulta de hoje é mais curta, aqui fica um miminho que só podem encontrar no livro do Doutor G e que são dicas de engate para diversas situações, com ilustrações a acompanhar. Deixo-vos com as dedicadas aos transportes públicos.

INICIADO
Levar um Nenuco ao colo, enrolado numa manta, e chegar ao pé de uma rapariga e dizer: «Toma, vamos criá-lo juntos», isto mesmo na altura em que o autocarro está a parar. Ela agarra no «bebé», sem saber o que fazer, e tu sais a correr enquanto gritas: «Não te esqueças de lhe dar de mamar!» No próximo dia em que a encontrares no autocarro, perguntas: «Então como está o nosso filho?» Se ela tiver sentido de humor, está feito. Se não tiver, não é rapariga que valha a pena.


MÉDIO
«Já há vários dias que reparo em ti. Todos os dias apanhamos o mesmo autocarro e entramos na mesma faculdade sem nos conhecermos. E repara que eu nem estudo lá. Wink. Wink.»


AVANÇADO
Quando tiveres interesse numa rapariga que apanhe sempre o mesmo transporte contigo, faz o seguinte: fita-a durante a viagem toda, todos os dias, durante uma semana. Na semana seguinte, ela já terá reparado e comentado com as amigas o facto de haver um gajo psicopata a olhar para ela todos os dias. Nessa semana, não olhes para ela uma única vez. Ela irá questionar-se sobre o porquê de teres perdido o interesse. Vais vê-la a aumentar o decote de dia para dia e, quando se sentar ao teu lado, gritas: «Sai daqui!!! Agora já tenho namorada!!!»


Espero que tenham gostado. Não se esqueçam que a melhor dica de engate, para homens e mulheres, é comprar (com portes grátis) o livro do Doutor G neste link e exibi-lo de forma orgulhosa em qualquer local. Também podem ir a uma FNAC, Bertrand e outras livrarias comprar pessoalmente e mostrar que não têm vergonha de gostar de sexo à bruta e de diminuir as guerras no mundo.

Obrigado a todos e, como sempre, até para a semana e continuem a enviar as vossas dúvidas para porfalarnoutracoisa@gmail.com. 


Partilhem e façam muito amor à bruta porque de guerras o mundo já está cheio.






Gostaste? Odiaste? Deixa o teu comentário: