12 de julho de 2017

Diário do Bernardo - Parte 3 - Época de exames



Tive acesso a mais um capítulo do diário do Bernardo, menino que foi transferido do colégio privado para a escola pública onde se teve de misturar, pela primeira vez, com gente pobre e que só toma banho uma vez por semana com sabão azul. Depois do relato chocante sobre os primeiros dias de aulas no primeiro e no segundo período, eis que chega o final do ano e a época de exames.

11 de Junho
Este ano foi o pior da minha vida! Até a viagem de finalistas, evento pelo qual ansiava há anos, foi um fiasco. Sugeri aos meus colegas irmos todos para uma estância de ski, mas disseram que não. Sugeri Ibiza em resort de regime tudo incluído, mas também não quiseram. Acabámos por ir para Torremolinos... em Espanha! Toda a gente sabe que ir a Espanha não é bem viajar, pelo que isto foi apenas um Passeio de Finalistas. Ainda por cima, acabou demasiado cedo porque houve desacatos no Hotel onde partiram tudo. Foi uma turma da Damaia que devem ser de famílias com posses em que os papás lhes pagam tudo o que eles estragam.
Note to self: Pedir ao papá para aumentar a semanada para o dobro, 2000€, para me poder divertir sem restrições.

19 de Junho
Desta vez tive de estudar para o exame de português porque só tive 10 na nota final do período. No meu colégio antigo os professores eram muito mais justos e bastava os meus pais darem um envelope ao professor para se ter um 20. Os professores desta escola não valorizam o facto de os meus pais terem trabalhado imenso a vida toda para ter dinheiro e pagar a educação dos filhos. Enfim, é o ensino público que temos.

22 de Junho
Parece que o exame de português pode vir a ser repetido porque alguns alunos tiveram acesso a informação confidencial que uma explicadora deu a uma aluna. Acho inadmissível que este tipo de informação se espalhe desta forma sem qualquer tipo de controlo! As minhas explicadoras sempre me deram informações confidenciais e eu nunca contei a ninguém! Para quê contar e colocar o bom nome da explicadora em causa e, pior, colocar todos os alunos em pé de igualdade? É aqui que começa um dos grandes males da sociedade.

25 de Junho
Ontem foi o meu aniversário. Convidei todos os meus colegas para ir jantar ao Belcanto e ninguém apareceu. O Wilson disse que ia se pudesse levar um tupperware com o jantar dele, mas sabendo que ele tem solário em casa - relembro que está muito bronzeado o ano inteiro - e pertence ao clube restrito do SASE, tive medo que me envergonhasse e levasse comida do restaurante Loco que foi eleito o melhor de Portugal este ano.
Note to self: Exigir ao papá que para o ano me marque o aniversário no Loco que é para ver se os meus colegas vão.

30 de Junho
Vou ter de fazer alguns exames em 2ª fase. Os meus pais não confiam, e bem, no ensino público e, por isso, pagaram explicações a todas as disciplinas para que eu tivesse boas notas no terceiro período. Incrível a diferença de qualidade de ensino já que eu no colégio conseguia ter média de 19 sem quaisquer explicações. Aqui, uma pessoa desaprende e desmotiva com notas tão baixas no período e chega aos exames e ainda tem pior nota. Os meus pais sempre me disseram que o que é barato sai caro e é por isso que me ofereceram um Mercedes SLK novo nos anos.

7 de Julho
Hoje fui ao festival Alive. Perguntei aos meus colegas se também iam, mas nenhum deles vai. Disseram que era porque o bilhete era muito caro, mas seu senti ali uma pontada de ironia como que a dizerem-me que festivais de verão em Portugal são coisa de pobre que gasta o dinheiro onde não deve. Aposto que vão todos para o Coachella e para outros festivais melhores no estrangeiro. Acabei por não ver nenhuma banda, mas o ambiente foi bom.

9 de Julho
Falei com os meus colegas sobre as férias. O Rafael vai passar duas semanas para a Fonte da Telha, a Verónica vai uma semana para Portimão, e o Xavier diz que não vai ter férias e fica a trabalhar no café dos pais. Enfim, cunhas. Disse-lhes que ia passar 3 semanas às Caraíbas e eles olharam com um desdém de quem já lá foi e não gostou.
Note to self: Pedir ao papá para alterar as férias para o resort de luxo da Fonte da Telha.

10 de Julho
O baile de finalistas até foi engraçado. Teve o tema de músicas do mundo, mas só passaram kizomba. Convidei a Jéssica para ser o meu par, mas ela disse que estava grávida e que tinha de ir com o pai da criança. Falei com a Andreia e ela disse-me que estava grávida e que ia com a Jéssica e o pai das crianças. Ao que parece o pai era o Wilson! Enfim, quando se tem posses é fácil ter muitos filhos porque há sempre uma ou duas amas que cuidam deles.

12 de Julho
Agora começa o grande dilema que é escolher a universidade. Pública está fora de questão pois só me interessava medicina, mas por me terem mudado para esta escola piorei a minha média e por apenas 8 valores (8!!!) que não vou conseguir ser médico. Ser médico era o meu sonho de criança desde que me lembro de o meu pai dizer que era o que eu tinha de ser quando fosse grande. Por isso, a minha mãe diz que o melhor é tirar um curso de gestão numa faculdade privada e depois enviar currículo para a empresa onde ela trabalha como CEO. O papá diz que o melhor é fazer o que um amigo dele fez que é tirar o primeiro ano numa faculdade menos exigente e depois ir para a Lusófona e pedir equivalências e assim poupo uns anos.
Note to self: se for para a Lusófona é melhor ter aulas de natação primeiro.

Um relato arrepiante. Deixo, novamente, o apelo a todos para que partilhem o terceiro e último episódio da epopeia do Bernardo na escola pública. Alertem para este flagelo. #PrayForBernardos





Gostaste? Odiaste? Deixa o teu comentário: