28 de outubro de 2014

Luana Piovani diz que Portugal explorou o Brasil



Por falar noutra coisa, parece que houve uma actriz brasileira que veio dizer que Portugal andou anos a explorar o Brasil e que agora continua a ser explorado por um partido cujas siglas são PT, como podem ver aqui no tweet em baixo.

Pronto, gerou-se o pandemónio, como não podia deixar de ser, em tempos em que a maioria das pessoas não tem mais nada que fazer a não ser espingardar nas redes sociais e comentar em sites de notícias. Eu acho que uma das maneiras de Portugal andar para a frente é se vierem mais comentários destes a lume. Nós somos meio bipolares e só gostamos de ser portugueses quando alguém vem falar mal de nós. Foi assim com quando o Blatter disse mal do Ronaldo, foi assim quando a Maitê Proença bolsou num monumento nosso e é agora com esta senhora. Por isso, venham mais destas, que aquelas celebridades que vêm a Portugal e dizem que somos um povo muito afável e que a nossa comida e praias são óptimas, não nos ajudam em nada. 

Nós queremos é o Brad Pitt a dizer que a nossa comida tem sal a mais e a Angelina Jolie a dizer que os nossos pretinhos do bairro 6 de Maio não dão vontade de ser adoptados. Só assim é que nos unimos e isto anda para a frente.

Primeiro que tudo, a observação da Luana foi engraçada, pela associação da sigla do partido à abreviatura do nosso belo Portugal. Segundo é verdade, ou já se esqueceram? Sim, Portugal explorou o Brasil durante muitos anos. Escravizou, matou e saqueou bens. Houve muitos sites de notícias que fizeram artigos com título que dizia "Actriz brasileira ofende Portugal". Há uma diferença muito grande entre ofender e dizer a verdade. A verdade nunca pode ofender, agora que dá aquela comichão muito pouco gostosa, isso dá. Com este comentário ela mostra que tem sangue português a correr-lhe naquelas veias, já que demonstra sentido de humor e acima de tudo, mostra aquela característica bem portuguesa que é a culpa do que está mal ser sempre dos outros. O Brasil tem dinheiro e recursos mais que suficientes para dar a volta à genética portuguesa. Que comecem a fazer mais anedotas com o facto dos políticos serem corruptos do que com os portugueses serem preguiçosos e as portuguesas terem bigode. Esse tempo já lá vai, as nossas mulheres agora já não têm buço e nem pelos lá em baixo, graças à depilação brasileira. Ironias do destino. A grande diferença entre a nossa exploração e a que agora sofrem, é que a nossa foi imposta e não havia volta a dar. A de agora, só a aceitam porque dá trabalho fazer revoluções e é mais fácil queixarem-se do passado. Ter sangue português dá nisto.

Como disse, a nossa exploração foi imposta, foi ditada por nós que tínhamos mais poderio bélico. Esse tempo de exploração eram tempos em que matar, violar e saquear era o que definia ser-se um grande povo. Eram tempos em que se cagavam em penicos e ninguém sabia ler nem escrever. Aliar essa falta de educação aos instintos animais dos seres humanos só podia ter dado nisso. Ainda assim, fomos dos menos maus entre os países colonizadores. Vão lá perguntar aos Incas e aos Aztecas o que eles acham sobre a exploração que os espanhóis fizerem. Perguntem aos índios se acham que os britânicos foram meiguinhos quando lhes roubaram a terra, para fundar um país novo com bases na igualdade e para fugirem à repressão do império inglês e poderem continuar a ter escravos. Perguntem-lhes lá a ver se eles, caso não estivessem quase todos extintos, não diziam que tiveram azar em não termos sido nós a lá chegar primeiro. Nós sempre fomos um povo diplomata e nesses tempos já era assim. Enquanto uns matavam tudo o que se mexia, nós transformámos os homens em mão de obra gratuita e as mulheres em fontes de prazer. 

Deus fez o preto e o branco e os portugueses criaram o mulato. Óbvio que esta expressão é parva porque Deus não existe

Não estou a dizer que concordo, é óbvio que não, mas eram os tempos em que se vivia. Éramos os melhores do mundo a chegar a sítios habitados e dizer que eram nossos, que os tínhamos descoberto e que agora, tudo o que tivesse valor ia para o nosso lado ou levava tudo no lombo. O nosso mal foi isso ter deixado de ser aceitável, caso contrário ainda éramos uma potência mundial. Temos orgulho na nossa história sem pensar nas atrocidades que se fizeram para a escrever. Ficaram os monumentos construídos com o suor e sangue dos escravos e com os dinheiros roubados para uma qualquer família em África ou no Brasil, ter que vender a filha de 5 anos para ter o que comer. É a vida. Os Jerónimos são bonitos ou não são? Eu só pelas fotografias panorâmicas que já lá tirei acho que valeu tudo a pena. É óbvio que nos orgulhamos da nossa história e esquecemos isso tudo. Agora querem-nos fazer ter vergonha disso? Vergonha? Porquê? Se eu não tenho vergonha do que o meu avô possa ter andado ou não a fazer numa casa de alterne no Fundão, para que é que vou ter vergonha do que os meus antepassados longínquos fizeram? Temos é que aprender que não se faz e que, como espécie. somos a mais cruel e manhosa que a evolução natural já deu origem. Agora ter vergonha e pedir desculpa? Tomem juízo! O Brasil estaria melhor se tivesse sido colonizado por outro povo que não o português? Talvez. Mas garanto-vos que não tinha samba, nem Carnaval nem caipirinha. E quem se queixa que fomos brutos não estaria cá para se queixar. Foi o curso da história, fez dói dói mas já passou.

Moral da história, o Brasil está como está porque tem uma classe política corrupta e porque o povo não tem educação nenhuma, não luta pelo que é seu e prefere ir para a esplanada beber um chopinho, do que fazer com que as coisas mudem. 
Bem vistas as coisas somos mesmo povos irmãos.

PS: Dizem agora que a conta de twitter da actriz é falsa. Não muda em nada o texto é só mesmo para não vir gente a comentar a dizer isso. Assim têm que pensar mais um bocado no comentário de cocó que vão fazer. Sim, estou de mau humor. Bom dia!





Gostaste? Odiaste? Deixa o teu comentário: