20 de janeiro de 2015

10 tipos de mulheres nos Saldos



Chegou aquela altura em que batalhões de mulheres se juntam à porta de lojas nos centros comerciais, prontas para a guerra, quais soldados largados nas praias da Normandia. Dentes cerrados, com um terço da Parfois ao pescoço, rezam à Pipoca Mais Doce para que consigam alcançar aquele par de sapatos e mala da Zara a 50% de desconto. Vão com um brilho nos olhos que só elas e os bombistas suicidas têm, por saber que apesar do sofrimento, o paraíso com 72 vestidos virgens as esperam. Eu, como bom observador do mundo feminino que sou, identifiquei 10 tipos de mulheres que andam às compras. Haverá mais certamente, já que o mundo das mulheres é, como todos sabemos, extremamente complexo, mas ficam aqui os que a meu ver são os principais.

A que vai emagrecer
Este tipo de mulheres é aquele que compra roupa XS mesmo que a etiquetas das calças que leva vestidas para ir às compras digam XL. Como é início de ano ela diz que vai emagrecer e que comprar roupa com números abaixo é um incentivo. No entanto, quando chega a casa e experimenta as calças da Salsa slim fit, e verifica ao espelho os 2kg de xixa ao pendurão na cintura das calças, quais orelhas do dumbo, acaba por ficar deprimida e ir ao McDonalds para se alegrar.

A Kamikaze
As Kamikazes vão aos Saldos no primeiro dia. Provam que as mulheres não são o sexo fraco, mostram-se com mais resistência que um atleta olímpico do heptatlo, capazes de andar, algumas com saltos altos, durante 8 horas, despir e vestir roupa, carregar sacos, sem comer nem se hidratarem, mas mesmo assim capazes de despenderem energia a empurrar outras que estejam a tentar alcançar a mesma roupa que elas. A Primark, especialmente a do Colombo, torna-se na trincheira mais importante a conquistar, no último reduto que precisa de ser desbravado, custe o que custar. Não interessa se são precisas 5 horas na fila, discussões e olhares azedos para 150 outras mulheres em busca daquele último par de meias de vidro a 2€ com desconto de 80%. 

A veterana
Este tipo de mulheres conhece bem o campo de batalha dos Saldos. Vão preparadas, de calças de fato de treino e ténis, cabelo apanhado e unhas cortadas sem verniz. Sabem que vai ser preciso lutar e esgravatar por aquele top que lhes faz falta, que podem ter que correr, saltar obstáculos e, quem sabe, lutar até à morte com as infiéis, nesta Jihad dos preços baixos.

A incauta
Este tipo contrasta com a precavida e não consegue abdicar de toda a sua armadura de beleza para ir às compras. Têm que ir de saltos, vestidos justos e unhas de gel acabadas de fazer, incautas ao perigo que se avizinha. Chegam a casa com 5 dessas unhas partidas, 3 extensões ao pendurão, os dois tornozelos torcidos, o que acaba por até ajudar a não coxear, mas ainda assim com um sorriso desdentado de orelha a orelha por terem conseguido gastar só 300€ em 30 peças de roupa, que vão guardar ainda não sabem onde.

A Merkl
A Merkl é aquele tipo de mulher que vai aos saldos, mas que olha para toda aquela azáfama e pessoas com diversos sacos nas mãos e desabafa "Ainda dizem que há crise...". Tudo isto enquanto ajeita as suas pulseiras da Pandora para segurar nos sacos da Guess e Lion of Porsches.

A do contra
Este tipo de mulheres é aquele que vai sempre aos saldos mas acaba por comprar roupa da nova estação que não está em promoção. Não vai com esse intuito mas enamora-se sempre por aquele casado de 150€ e, apesar de experimentar os outros todos em promoção, aquele não lhe sai da cabeça. Todos os anos é assim mas ela fica sempre surpreendida por não conseguir comprar nada de jeito em saldos.

A Dux
A Dux é aquela que manda outras para o perigo comprar roupa por ela. "Vais ao Colombo hoje? Por acaso não vais à Mango? Ficava-te a dever um favor se lá me fosses comprar este top", diz ela enquanto entrega a referência que já viu no site. A Dux procura pelos kamikazes nas atualizações de estado no Facebook, mal vê um interessante agarra no telemóvel e diz "Olá miga!!! Tudo bem? Que estás a fazer? Na Primark? Grande coincidência... Compra-me aí um fato de treino cor-de-rosa, tamanho S, pode ser? Fico-te a dever um grande favor miga!". A Dux é assim, manda os outros levar com as ondas de multidões enquanto fica em casa no bem bom.

As BFFs
Este tipo são as mulheres que vão fazer compras aos pares. Sim não é só para ir ao WC que isso acontece. Tipicamente são amigas que usam um tamanho diferente de roupa, que é para não haver tanta discussão. Ainda assim, quando ficam as duas de olho no mesmo casaco de pelo da Bershka, os seus olhares soltam faíscas e tentam dissuadir-se mutuamente de o comprar. "Acho que a Cristiana, a vaca da namorada do João, tem um igual... se calhar é melhor não...", diz uma delas, que invariavelmente volta lá sozinha no dia seguinte para o comprar.

O casal
A maioria dos homens não consegue evitar ser arrastado para esta barbárie. São coagidos a acompanhar a sua namorada, qual enfermeira na 2ª Guerra Mundial na frente de combate para dar apoio, na maioria das vezes apenas emocional, visto que já não há nada a fazer que salve e lhes renda o corpo da perdição. Há os que só acompanham, mas há casos bem mais trágicos, de namorados que passam a ser denominados por "O cabides". Andam ali, com cabides presos nas orelhas a dizer que tudo lhe fica bem e que nada a faz ficar gorda. Às vezes perdem-se no meio de uma loja e ficam ali, qual espantalho de roupa a olhar em redor, pensando que conseguem reconhecer a namorada ao longe por entre todo o batalhão de mulheres bélicas. Quando a encontra pede desculpa, mas ela refilam com ele na mesma e dá-lhe mais 37 peças de roupa para ele segurar.

A ninfomaníaca
A ninfomaníaca é um tipo de mulher que não consegue recusar uma peça de roupa. Não consegue dizer que não a um desconto e a uma promoção. Sempre que está a experimentar uma peça e vem uma empregada que diz "Também temos nesta cor, se preferir", a ninfomaníaca acaba por comprar as duas. Normalmente estão em negação, e saem de casa a dizer que só vão comprar um top, umas botas e uma mala, mas acabam por chegar a casa com 30 sacos, mas sempre a dizer "Oh, não havia nada de jeito".


E pronto, é isto. Estes tipos têm no entanto uma linha pensamento que os une, uma dislexia que se apodera das mulheres nesta altura e que as faz confundir os significados dos verbos "precisar" e "querer".





Gostaste? Odiaste? Deixa o teu comentário: