7 de fevereiro de 2017

Apimentar a relação com swing e ménage: sim ou não?



Cá estamos, não é? Mais uma dia e tal. É a vida, cá vamos andando. Vamos a mais uma consulta "Doutor G explica como se faz".


Envolvi-me com uma rapariga, dos típicos cafés e passeatas iniciais passámos para os "gosto muito de ti", falamos praticamente o dia todo e já me tem dito que eu sou o homem da vida dela. O problema é este: obviamente, quando pensamos em ter uma relação mais séria com alguém gostamos de conhecer um pouco o seu passado e que tipo de relações já teve. Posto isto, como é possível ultrapassar e/ou esquecer que a nossa "futura" namorada ou mulher já caiu com a boca numa dúzia de salpicões? Quer dizer, a boca e possivelmente a xaroca. Isto é um grande constrangimento para mim, diga-me, doutor G, qual a maneira/s de nao me lembrar disto.
João, 26, Coimbra

Doutor G: Caro João, meia dúzia parece-me um número aceitável. Sabes que é sempre mais barato à dúzia e mesmo assim ela ficou-se por metade. Tens de pensar que quantos mais salpicões ela tiver experimentado, mas termos de comparação tem e, se quer o teu a todas as refeições, é porque tem a certeza que gosta mesmo. Ouvir uma virgem dizer que fomos o melhor que ela já teve vale tanto como dizer que somos CEO de uma empresa que nós criámos e que só tem um empregado que somos nós. Por isso, deixa de ser xoninhas. Se lavou os dentes e tomou banho checo, está como novo. Meia dúzia não é nada. Há quem rode isso num fim de semana de queima das fitas aí em Coimbra e já tenha mexido em mais alavancas de Arquimedes do que uma urologista reformada. O pipi não é um carro. Ser em segunda mão não desvaloriza nem estraga os estofos.


Olá Doutor G, tenho um problema muito simples na minha relação. Não nos entendemos a falar por mensagens, ele é muito rápido a responder e eu sou muito lenta. Cada vez se geram mais chatices por causa disso e eu até tentei mudar, mas sinto-me sufocada andar a falar com ele todo o dia por mensagens, desta maneira tão obsessiva. A magia da relação perde-se, o tema de conversa acaba rápido e sinto-me sem liberdade quando estou com a família ou com amigas, porque se não lhe responder rápido fica chateado. O que faço Dr. G?    
Beatriz, 19, Lisboa

Doutor G: Cara Beatriz, sempre soube que o problema dos homens serem demasiado rápidos podia causar problemas nas relações, mas nunca tinha pensado que seria ao nível das mensagens escritas. A juventude está perdida. Tem de ser tudo para agora, em tempo real e com opção de voltar atrás. Ele que deixe de ser xoninhas e perceba que estar sempre em contacto só prejudica a relação. Não tarda quer criar um perfil de Facebook em conjunto contigo. Tens de o treinar. Agora, tens de ter atenção e quando estiverem juntos não podes estar no telemóvel a enviar mensagens a amigas ou amigos, caso contrário ele terá razões para refilar que só a ele é que não lhe ligas. Experimenta enviar-lhe fotos marotas durante o dia para ele ter ocupar as mãos e ficar sem enviar mensagens durante uns minutos.


Caro doutor G, somos um casal que namora há 10 anos e não conseguimos encontrar novas formas de apimentar a relação. Decidimos abordar um casal vizinho para umas sessões de swing/luta greco-romana a 4. Eles mostraram-se receptivos à ideia. O único problema reside no facto do nosso vizinho ser tão feio que até dói. Em contrapartida, a vizinha tem umas grandes marufas. A nossa duvida é a seguinte: haverá alguma forma de darmos a volta ao assunto para o deixarmos de fora? Tendo em conta que ele faz gravações de vídeo em casamentos e baptizados, já ponderamos propôr-lhe que se limite a gravar  Claro que a ideia de irmos parar ao vídeo das bodas de prata de alguém por engano não nos agrada.
Anónimos, 35 e 36, Sintra

Doutor G: Caros Anónimos, para que é que vão propor uma sessão de sexo a quatro com um casal vizinho cujo homem é feio? Erro vosso. Primeiro, o facto de ser com vizinhos é parvo. Se achavam que as conversas de elevador eram constrangedoras antes, imaginem depois de se terem esgaçado todos. «Pois, diz que vai chover e tal. Vai ficar mais molhado que o pipi da sua esposa na outra noite.». A expressão «A galinha da vizinha é sempre melhor do que a minha.» vai ganhar todo um novo significado, para além que nunca mais vão poder ir lá pedir um raminho de salsa e dois ovos, correndo o risco do vizinho interpretar mal e baixar as calças. Bem, mas se querem mesmo ir com isso para a frente, deixo-vos algumas sugestões que têm feito maravilhas pelos homens feios ao longo dos tempos:

  1. Beber até ele começar a parecer bonito.
  2. Ver revistas de moda para baixar auto-estima e ficarem naquele ponto em que vai tudo.
  3. Esperar que ele ganhe o euromilhões.
Se nada disto resultar, sugiram-lhe então ficar a filmar, mas ponderem o seguinte: é melhor verem a cara dele no meio da salganhada, ou estarem entretidos e olharem para o lado e estar um gajo de câmara numa mão, com cara de tarado, a tocar uma zumbinha com a outra mão e a dizer «Isso, agora levanta a perna e roda 30 graus no sentido do ponteiro dos relógio!»?


Olá Dr. G, já faz 2 anos que tenho namorado e quando estamos no bem bom pelado, eu puxo-lhe sempre o cabelo (digamos que é uma marca minha), mas agora ele deixou crescer o cabelo e quando lhe vou para puxar o cabelo minha vontade decresce, penso logo que é uma gaja. E eu já lhe disse que não gosto dele de cabelo comprido, mas ele diz que não o corta e que estou a ser chata e picuinhas. O que acha Dr., estou a ser chata ou ele é que está a ser insensível?
Vânia, 22, Lisboa

Doutor G: Cara Vânia, estás a ser picuinhas. Deixa lá o homem ter o cabelo comprido que deve estar a pensar formar uma banda de metal. Ele que faça um puxinho ou um rabo de cavalo durante o acto e que deixe de usar o teu shampoo: use sabão azul e branco para ficar com o cabelo áspero como a crina de um cavalo e assim já não pensas que é uma gaja, pelo menos uma que não seja hippie. Podes sempre cortar-lhe o cabelo durante o sono, qual Dalila, sob pena de ele ficar chateado contigo. Outra opção é deixares crescer o cabelo lá em baixo e quando ele se queixar dizes-lhe que está a ser chato. Este último passo é arriscado, já que depois és tu que ficas a perder se ele achar por bem não andar à procura da campainha de Satã no meio do que parece um ralo da banheira depois de tomares banho. Existe, ainda, o perigo dos cabelos dele se emaranharem nos teus pelos e tecerem uma camisola de lã. A Primavera está quase aí.


Caro Dr. G, acabei agora um namoro de 3 anos. Basicamente, eu devido a alguns problemas pessoais graves não fui o melhor namorado. Ela diz que ainda sente qualquer coisa mas não sabe se vai ser o mesmo alguma vez, então prefere acabar. Estou destruído, completamente na merda! Mal como, demoro uma eternidade a adormecer, nem consigo bater uma punheta porque acabo deprimido a pensar nela! Devo desistir, esquecer a rapariga e tentar seguir a minha vida?

*** outro email ***

Bom, desculpe estar a chatear novamente, mas ouve avanços drásticos no caso referido no ultimo email. Lá voltei a tentar qualquer coisa, simplesmente falar. Depois trocámos algumas sms's até que ela me diz: Preciso de ser livre. Conhecer pessoas, crescer. bla bla bla sinto que não melhorei nada nestes últimos anos. Ora quando eu li isto até fiquei azul, deu cabo de mim, só me apetecia agarrar na puta do carro e ir contra uma parede. Engoli o orgulho mandei mais uma mensagem ou 2, ate que não aguentei mais as respostas e caguei. Eu como sou muita ceguinho, diga-me o que essa desculpa que ela deu quer dizer.
LVH, 22, Leiria

Doutor G: Caro LVH, acabou. Finito. Fim. Kaput. Não metes lá mais a língua em nada. Nicles. Vai à tua vida que isso passa. Sim, dói e custa e coiso e era a mulher da tua vida e nunca mais vais encontrar ninguém como ela, só que vais. Ou não. Mas mais vale sozinho do que com alguém que já não gosta de nós. Nunca nenhum namoro perfeito acabou. As coisas acabam porque não estão bem. Percebeste ou tenho de chamar o Gustavo Santos para explicar melhor? Já agora, deixo um fluxograma que pode ajudar-te e a muitos outros xoninhas na mesma situação e a ponderar o suicídio. Já agora, nunca te mates num acidente de carro. Podes ficar só todo entravado e é uma chatice para toda a gente. Isto para além de estares a prejudicar a camada do ozono só porque achas que a tua vida merece um fim por causa de uma gaja que já não te quer. Quando estiveres a tentar bater uma punheta, hás de meter a mão por baixo a ver se encontras os tomates ou se já recolheram. Fui bruto? É assim que tens de ser contigo e deixar de sentir pena de ti próprio.

Caro Dr.G, há algum tempo que gostava de ter um ménage à trois. Uma vez que até tenho namorado (que não se opôs, desde que fosse com uma rapariga) só faltava mais uma pessoa. O problema é que não conheço ninguém que ache que fosse alinhar, nem sei se queria que fosse com alguém que conheço e que fosse ficar awkward depois... Mas se for com uma desconhecida há a questão de poder ter doenças e tal. Que soluções lhe parecem ser as melhores? 
Anónima, 24, Coimbra 

Doutor G: Cara Anónima, o teu namorado não se opôs à ideia desde que fosse com uma rapariga? Olha que estranho! Realmente, os homens não são nada previsíveis! Ninguém estaria à espera de uma resposta dessas dele! Primeiro, não são só as desconhecidas que têm doenças. No nosso circulo de amigos há sempre muita bicheza porque por cada conhecido, há um grande numero de desconhecidos com quem essa pessoa andou. Por exemplo, a maioria das mulheres infectadas com HIV foram infectadas pelo marido que andou a ajavardar em pipi alheio com bolor. Posto isto, convém utilizarem preservativo ou fazer análises antes, sendo que mesmo assim, dependendo da doença e do tempo que demora a criar anti-corpos, pode não ser detectado nas análises e mesmo assim passar o bicho. O Doutor G faz mais pela saúde pública do que todas as aulas de educação sexual e todo o SNS. E de borla. Um gajo da Buraca não consegue tachos. Bem, força nisso e depois diz como correu. Dica: ela deve ser um bocado mais feia do que tu. De nada.


Gostaram? Então que tal ajudar o Doutor G comprando o seu belo livro? Podem comprar em qualquer FNAC, Bertrand, etc, ou através deste link com portes grátis e 10% de desconto.

Até para a semana e continuem a enviar as vossas dúvidas para porfalarnoutracoisa@gmail.com. 


Façam amor à bruta porque de guerras o mundo já está cheio.






Gostaste? Odiaste? Deixa o teu comentário: