20 de fevereiro de 2018

Estou grávida de outro homem? Distraída ou porquitxona?



Como é, pequenada? Vamos ajavardar com classe? Vamos, pois. Então, sem preliminares, comecemos mais um "Doutor G explica como se faz". 


Olá Dr. G, eu fiquei há uns dias atrás noiva mas acontece que o meu ex-namorado ficou a saber e insistiu encontrar-se comigo. Eu concordei encontrar-me com ele e não sei como mas eu fui para cama com ele como forma de despedida. Acontece que já foi há 20 dias atrás e agora descobro que estou grávida dele. Não sei se deva acabar a relação ou fingir que o pai do meu filho é o meu noivo, que acha deva fazer?    
Soraia, 23, Lisboa

Doutor G: Cara Soraia, realmente, quantas vezes me acontece ir para a cama com pessoas sem saber como. Um gajo está ali a falar de política internacional e de repente, vem um brisa que nos tira a roupa e nos atira para a cama. Ainda no outro dia, estava nas Finanças, conversa puxa conversa, sobre o artigo 9º e dei por mim estava na cama, sem saber como, com a senhora Arminda que de questões sobre a minha actividade não me soube esclarecer, mas que de funaná pelado sabia muito. Dizes ter sido uma forma de despedida, mas se era ex é porque a despedida já não faz sentido. Sexo com ex só faz sentido se for feito imediatamente a seguir ao término do namoro como uma espécie de indemnização pelo fim do contrato. Mas bem, está feito, está feito, a carne é fraca, especialmente a de porco que tem muita gordura e pouco músculo. Ao ler a tua dúvida, fiquei eu com algumas dúvidas:

  1. Como sabes que é do teu ex? O teu noivo dispara tiros de pólvora seca ou já estão naquela fase que só fazem sexo uma vez por mês? Se assim for, mais vale não casares e está o caso encerrado.
  2. Como é que não é opção fazer um aborto? É que católica não deves ser de certeza porque todos sabemos que os católicos só fazem sexo depois do casamento e nunca traem nem pecam.
Dito isto, já foste um bocado uma pessoa de merda ao trair o teu noivo com o teu ex e ainda por cima com sexo não protegido, sujeito a dares-lhe de prenda de casamento, para além de um bonito par de peças em marfim, um HIV ou uma gonorreia fofinha. Agora, tens a hipótese de te redimires e lhe contares tudo e não lhe dares também um filho que não é dele e privares o teu ex do filho que é dele. Tu é que sabes, podes sempre dizer que é filho do Espírito Santo que com a Maria funcionou. No entanto, temo que em alguém chamado Soraia, o pessoal vá desconfiar. *drops mic*


Caro Doutor G, sou um rapaz idiota de 21 anos que se apaixonou pela "amiga" da faculdade. Depois de algumas mensagens, cometi o erro de contar a um amigo que gostava dela, daqueles que não sabe ficar calado. A verdade é que eu soube por outro amigo que ela já sabia, porque ela nunca teve a iniciativa de vir falar comigo sobre isso. Isso explicou a sensação que tinha de que ela estava estranha comigo, algo distante. Porém antes de ela ter essa certeza, ficou chateada comigo por eu não lhe contar quem era a rapariga em que estava interessado. Entretanto as minhas tentativas de conversa foram ficando cada vez mais monólogos e eu comecei a afastar-me para a tentar esquecer. Mas depois tivemos um jantar de praxe e ela veio ter comigo e diz para eu voltar a ser como era antes e não a ignorar, para falar com ela numa boa e que não havia problema em gostar dela. E pronto, eu idiota lá tentei reaproximar-me novamente mas só fiz figura de urso. As conversas passaram a ser como se fossemos dois desconhecidos e só havia iniciativa da minha parte. Portanto eu tinha uma "amiga" que não era bem minha amiga e que resolve afastar-se e sou um idiota por isso, não é, Doutor?
G, 21, Lisboa

Doutor G: Caro G sem doutoramento, ela só queria a tua atenção para lhe subires o ego. Ocupaste 1259 caracteres do consultório para uma resposta tão simples, já viste? Normalmente, quando um gajo detalha demasiado a história e anda com rodeios é porque a resposta é simples e, no fundo, já a sabemos. Não és um idiota, és só um gajo apaixonado e, como tal, idiota. Calha a todos. Para a próxima que ela vier falar contigo a dizer que estás distante, dá-lhe uma destas respostas:

  • «Sim, antes estava apaixonado por ti, mas depois comecei a usar óculos e meh...»
  • «Nunca estive apaixonado por ti, só te queria comer, mas depois engordaste.»
  • «Sim, antes estava interessado em ti, mas depois conheci-te melhor e não sei se foi por cheirares mal da boca ou foi coincidência.»
De nada.


Olá doutor! Já sei que não é possível amar alguém que não ouve a mesma canção, mas será possível amar alguém sem atração sexual? Estou numa relação há um par de anos, mas há uns meses deixei de me sentir atraída sexualmente por ele. Continuo a amá-lo (gosto de estar com ele, divirto-me imenso, não me imagino a passar a vida com mais ninguém, etc.), mas quando chega à altura de funaná é como se eu não sentisse nada. Não tenho vontade de muito mais que abracinhos e beijinhos. E sim, este poderia ser um problema meu, algo físico que tivesse deixado de funcionar comigo. Mas... sinto-me atraída (fisicamente e sexualmente) por outro rapaz, sendo que com ele apetece-me forrobodó a toda a hora. O que acha que pode ser isto senhor doutor?    
Ana Clara, 26, Lisboa

Doutor G: Cara Ana Clara, claro que é possível amar alguém que não ouve a mesma canção. Gostos musicais variados são importantes para uma relação saudável, exceptuando os casos em que a outra pessoa gosta de Kizomba ou Funk Faveleiro. Nesse caso, não só a relação não irá funcionar como deveria haver leis que impedissem que essas pessoas procriassem. Dito isto, sem atração sexual a coisa não tem pernas para andar. Sabes o que chamo às pessoas com quem gosto de estar, de me divertir, que não imagino a minha vida sem elas e pelas quais não tenho atração sexual? Amigos.


Caro Dr. G, como convencer a minha namorada a fazer anal?
Anónimo, 25, Lisboa

Doutor G: Caro Anónimo, assim é que é, curto e grosso, embora quando é curto e grosso dê menos jeito para o sexo anal. Deixo um pequeno fluxograma para ajudar:


Caro DoutorG, acha que quando nos interessamos muito por uma pessoa mas se começa a ter "festa" cedo demais, as coisas acabam por se cingir só a isso, ou não vai afetar a evolução da relação psicológica? Obrigadissima.    
Laura, 19, Porto

Doutor G: Cara Laura, o que é cedo demais?

  1. Antes de saberem o nome um do outro?
  2. No primeiro encontro, ainda antes do jantar?
  3. Às sete da manhã antes da missa?
  4. Antes de fazerem análises de DST?
  5. Antes de terminarem o namoro com outra pessoa?
O tempo é relativo, já dizia Einstein. Por isso, diria que desde que ambas as pessoas queiram, não haverá problema nenhum e é uma excelente forma de despistar possíveis incompatibilidades sexuais. No entanto, é facto de que quando as pessoas se atiram para a chave de virilha pelada logo ao início, pode dar origem a equívocos onde o parceiro apenas queria sexo e não um namoro. Tudo o que sabe bem, vem com algum tipo de risco. Antigamente, as mulheres eram ensinadas a esperar para não parecerem badalhocas, mas, felizmente, hoje as coisas estão a mudar e um homem seguro prefere uma mulher sexualmente liberta do que uma falsa púdica que só o faz esperar para parecer bem. O pior para uma relação é começar com uma mentira, por isso, se te apetece, come e não finjas que estás de dieta.


É isto. Partilhem que as partilhas são o salário do Doutor G e, como sempre, sem a vossa participação isto não faz sentido, por isso, enviem as vossas dúvidas para porfalarnoutracoisa@gmail.com. 


Façam amor à bruta porque de guerras o mundo já está cheio.




PODES SEGUIR-ME NO INSTAGRAM

Gostaste? Odiaste? Deixa o teu comentário: