13 de fevereiro de 2018

Relações poliamorosas e dicas de engate



O dia dos namorados está aí à porta e com ele muita gente encalhada fica em casa deprimida a chorar e a comer gelado enquanto vêem o Pretty Woman pela décima quinta vez. É a pensar neles que o Doutor G não tirou folga neste dia de Carnaval e vai dar uma bonita consulta "Doutor G explica como se faz". 


Caro Doutor, comecei a dar-me com uma rapariga e depois, por arrasto, a minha namorada também começou a simpatizar com ela e estão-se a tornar demasiado próximas. Após confrontar a minha namorada sobre o assunto, ela disse-me estar um bocadinho interessada na moça, que gostava de mim, mas que queria uma relação poliamorosa, mas eu não me sinto confortável com tal. Como lhe consigo dizer isso sem que ela me troque ou que fique chateada comigo?
Anónimo, 25, Lisboa

Doutor G: Caro Anónimo, o drama. A tragédia. O horror. Ter uma namorada que quer uma relação poliamorosa para andar às tesouradas de virilha com outras mulheres. É o pesadelo de qualquer homem. É isso e ter a Adriana Lima a mandar-nos nudes e a aparecer-nos de surpresa no chuveiro. Nojo. Diria que és um choninhas, mas pode dar-se o caso de isso ser uma porta aberta para depois ela se andar a engalfinhar com outros gajos e, nesse caso, talvez tenhas uma certa razão em não estar confortável com a situação. No entanto, se ela quer uma relação aberta e tu não queres, não haverá nada a fazer e mais vale aproveitares para o forrobodó pelado com ela e a amiga. Depois de comeres tudo, dizes que afinal não estava do teu agrado, tal como faz muito boa gente nos restaurantes para encher o bandulho e não pagar. Ela vai dizer que então é melhor acabarem ou vai dizer que não te quer perder e jurará ser-te fiel, mas, na verdade, vai andar a comer por fora sem te dizer. Estás entre a espada e a parede, por isso mais vale aproveitares e ficares entre o pipi e outro pipi.


Caro Doutor G, já há algum tempo que estou a namorar com um rapaz de quem gosto muito, mas quando chega a hora do funaná pelado algumas coisas não correm tão bem como deviam... Ele é bastante "sensível" e acaba por soltar os girinos albinos cedo de mais. Já tentei magoá-lo ligeiramente para ver se perdia a sensibilidade, mas acabou por querer parar e eu fiquei a ver navios. Sugestões?    
Maria, 27, Loures

Doutor G: Cara Maria, esta é das dúvidas mais recorrentes do sexo masculino: o problema da ejaculação precoce por parte dos seus parceiros. Esse problema pode dever-se a causas físicas ou psicológicas. As primeiras, convém ir ao médico ver se tem hipersensibilidade na cabeça do pimpolho e caso tenha, fazer uma circuncisão pode ajudar porque a cabeça do bicho ganha calo por estar sempre à fresca. Se for a segunda, sugiro que tentes algumas destas técnicas:

  • Tatua um retrato da mãe dele entre os seios e um do pai dele ao fundo das costas.
  • Quando ele se tiver quase a vir, chama-lhe o nome do teu ex.
  • Quando ele disser que já não aguenta mais, diz-lhe «Nem sabes, ontem risquei-te o carro!».
  • Quando o sentires que ele está prestes a atingir o clímax, diz-lhe que o clube de futebol dele é uma merda. Não só retardará o orgasmo, como ainda te vai dar umas palmadas. Se ele for do Benfica, convém estares de costas para ele porque é gajo para te agredir mesmo a sério na cara.
Há várias técnicas de solos de oboé que ele pode fazer para ir habituando o trombinhas a aguentar mais tempo e a salivar, mas não cuspir demasiado cedo. É ver no Google. Se nada resultar, é porque és demasiado gostosa e ele não se aguenta e que depois do menino bolçar seja homem e dê outra logo de seguida e te satisfaça. Se disser que não consegue, troca de namorado.


Boas dr, sou um gajo monogâmico, de relações duradouras e sem historial de traições. Contudo tenho uma fantasia que nunca consegui satisfazer: ménage com 2 mulheres. Fruto da minha postura na vida não aprecio uma mulher badalhoca portanto a ter que acontecer teria que ser com uma namorada e outra mulher (esta última badalhoca ou não - seria usada unicamente para o propósito). O que acontece é que a minha namorada não é virada para brincadeiras com o mesmo sexo. Questão: 1- como a convencer a entrar na brincadeira? 2- Qual o perfil de escolha para a segunda mulher: amiga desconhecida, amiga conhecida, serviços 'profissionais'?   
Anónimo, 27, Porto

Doutor G: Caro Anónimo, olha que estranho um homem com essa fantasia. Realmente, este consultório é só aves raras. Olha, troca de lugar com o gajo da primeira dúvida. Passa-lhe a tua namorada e tu ficas com a dele e recebes outra de oferta. Não dando jeito, até porque és do Porto e ele de Lisboa, é mandar o barro à parede com a tua namorada, mas se dizes que ela não é virada para aí, não haverá muito a fazer. Achas que se o Doutor G soubesse convencer a sua parceira a alinhar nessas aventuras tinha tempo para dar consultas? Podes tentar convencê-la com dinheiro, mas para isso mais vale ires a profissionais que deve ficar mais barato. Se a conseguires convencer, sugiro que seja com uma desconhecida. Com uma amiga vai ficar um ambiente estranho e com uma profissional vai ficar uma sensação estranha que normalmente é gonorreia.


Caro Dr. G, acho piada a uma miúda que trabalha numa loja de óculos. Ela é simpática e muito gira, mas não sei se a simpatia é apenas por trabalhar no atendimento ao público. Estava a pensar dizer-lhe que estou a ficar sem desculpas para ir à loja e convidá-la a sair, mas ali em frente as colegas todas torna-se difícil. Acha que tento na mesma, ou tento uma abordagem mais discreta tipo pelo facebook?  
A, 30, Norte do Mondego

Doutor G: Caro A, abordagem em pessoa é sempre melhor e as mulheres valorizam isso, especialmente num mundo de homens cada vez mais xoninhas que só sabem fazer swipe com os dedos e não os sabem usar para mais nada. Dito isto, proponho algumas destas frases de abertura:

  • «Eu nem preciso de óculos, por isso adivinha porque é que estou aqui.»
  • «Se isto fosse uma loja de roupa convidava-te para ires comigo ali para os provadores.»
  • «Vamos fazer um teste de optometria» e nisto baixas as calças perguntas se consegue ler as letras da última linha.
  • «Tenho aqui esta receita para aviar.» e nisto mostras-lhe uma receita de magret de pato com molho de frutos silvestres e dizes «Depois de aviarmos isto hoje ao jantar em minha casa, avio-te a ti.»
  • «És tão bonita que é um desperdício trabalhares num sítio onde a maioria dos clientes não vê bem ao perto.» - esta é genial.
Não tendo coragem, investe no Facebook, se bem que dá aquele aspecto de stalker desesperado, mas tu é que sabes. As mulheres que estejam a ler isto que digam se preferiam uma abordagem em pessoa ou virtual.


Tive uma namorada à 3 meses atrás e ela acabou comigo porque ainda sentia algo pelo ex dela. Nas primeiras semanas tivemos umas conversas para acalmar as coisas e ficarmos como amigos, mas eu não consegui e acabei por cortar relações contra a vontade dela. Mas ao fim de 3 meses ainda dou por mim a pensar nela e a ler as antigas mensagens dela. Devo falar com ela e ver se dá em alguma coisa? 
Anónimo, 23, Lisboa 

Doutor G: Caro Anónimo, ela acabou contigo porque não sabes conjugar o verbo haver. Temos pena. Foi merecido. Adeus e até à próxima. Vá, só porque é Carnaval, vou responder-te com um fluxograma:

Pronto, está feito e não se fala mais nisso. Bom Carnaval e bom dia de S. Valentim. Com sempre, se tiverem dúvidas, ou um amigo vosso tiver, podem enviá-las para porfalarnoutracoisa@gmail.com. 


Partilhem e façam amor à bruta porque de guerras o mundo já está cheio.






Gostaste? Odiaste? Deixa o teu comentário: