23 de maio de 2018

Formas de baixar o preço dos combustíveis



Fui informado que a população se está a unir para um boicote às gasolineiras, no dia 28 de Maio. Acho muito bem que as pessoas se unam para lutarem pelos seus direitos.

Os preços estão obscenos e ainda este fim-de-semana gastei 50€ para vir do Porto a Lisboa a 170 km/h.

Quero, por isso, juntar-me à causa e garantir-vos que na próxima segunda-feira não vou abastecer o meu carro. Só para fazer dói dói nos gigantes do combustível, vou atestar o carro no dia anterior, ou, para lhes fazer ainda mais mossa, no dia seguinte para eles ficarem ali aflitos à espera do meu dinheiro e na dúvida se voltarei a ser cliente. Desta forma, nem usufruo do desconto de fim de semana e até deixo em casa os cupões e nem peço um cartão de sócio do SLB a um amigo, só para eles verem como elas doem. Eles passam-se com estes tipo de protestos, já quando estico a reserva e faço 50 km só porque não me apetece ir abastecer naquele dia, eles ficam logo em sentido. Até vão ficar malucos quando me virem a ir de carro para o trabalho na segunda-feira sem ter abastecido; vão pensar que o meu carro anda a água ou assim. Podia ir de transportes? Podia, mas sou mais revolucionário quando estou confortável e assim consigo entrar e sair da bomba várias vezes, sem abastecer, só para eles ficarem naquele suspense a roer as unhas.

Embora isto deva ser suficiente para eles verem o meu descontentamento e convocarem uma reunião de emergência para baixarem os preços, vou mais longe no meu protesto. Vou à bomba, sem abastecer, e vou trazer o stock inteiro de pastilhas em promoção para dar despesa à casa. Depois, vou ler todas as revistas sem comprar nenhuma, só para fazer pirraça. Vão ficar tolos e baixar a gasolina pelo menos um cêntimo, garanto-vos.

O Governo não escapa a esta minha ira de revolucionário e irei, também, fazer-lhes pressão para que baixem os impostos dos combustíveis. Como? Boa pergunta: na altura das eleições, vou lá desenhar uma pila no boletim de voto. Já estou a ver os deputados todos pasmados com a minha capacidade de desenho e a terem em conta os meus falos artísticos na altura do Orçamento de Estado.

Vou aproveitar a onda de revolução para tratar já de outros assuntos que tenho pendentes. Aqui na minha rua há um passeio todo esburacado e, por isso, vou boicotar esse passeio e ir sempre pela estrada. Até sou gajo para tirar uma foto e meter no Instagram com a hashtag #tenhamvergonha - para ser mais eficaz - mas tiro a foto da estrada para o passeio porque, como já disse, boicotarei o passeio.

Tabaco é outra: os preços estão muito altos. Segunda feira não vou comprar maço e fumarei do volume que comprar no Domingo. 

E as nozes e os cajus? Estão mais caros do que ouro e, por isso, vou abastecer um carrinho de compras no domingo que é para segunda-feira os boicotar ali mesmo à bruta. E as rendas? Ah pois, dia 28 vou dormir na rua.

Voltando aos combustíveis, aposto que haverá quem faça pouco deste boicote, sejam pessoas que não têm carro ou pessoas que andam sempre de transportes, que vão dizer que fizeram boicote só para ficarem bem na fotografia. É como não irem a uma manifestação e usarem Photoshop para dizer que estiveram lá. Haverá sempre essas pessoas que se aproveitam da proactividade e cidadania dos outros, mas não podemos desmotivar. Temos de lutar pelos nossos direitos e dos que vierem a seguir. Já me estou a ver a contar aos meus filhos "Vocês vêm de uma família de revolucionários! O vosso avô esteve no 25 de Abril, a vossa avó na grande manifestação dos professores em 2008 e aqui o vosso pai... houve um dia em que não meteu gota".



PODES SEGUIR-ME NO INSTAGRAM

Gostaste? Odiaste? Deixa o teu comentário: