4 de agosto de 2015

Como esquecer um amor passado



Olá, entrem e fiquem confortáveis. Este consultório é como se fosse a vossa casa, por isso, se tiverem que ir ao WC é favor puxar o autoclismo. Vamos lá começar mais uma uma consulta "Doutor G explica como se faz". 



Caro Dr. G escrevo-te para tirar uma dúvida. Tenho interesse numa rapariga um ano mais nova que eu. Conheci-a na faculdade. E apesar de ter tido apenas algum contacto, demonstrou ser uma pessoa interessante dado à personalidade, gosto musical, etc. Uma vez ou outra aquando a queima das fitas, viu-me com amigos e chamou-me para ir lá falar com ela, numa a seguir passei por ela só que não a vi (ou então fingi que não a vi) e mais tarde ela questionou-me porque não a cumprimentei. Enfim, parece mostrar algum interesse em mim (penso eu). O problema é que essa rapariga está numa relação pouco séria (aos olhos do rapaz) dado que por vezes se referiu a ela como pseudo-namorada, e já lhe colocou as hastes pelo menos numa noite (vi por mim próprio). Outra informação relevante é que o rapaz provavelmente irá de Erasmus durante o próximo ano.
Questão 1: Será que a rapariga tem algum tipo de interesse em mim? 
Questão 2: Será que me devo intrometer nessa relação dado que eles são ambos meus "conhecidos"/amigos?
João, 20, Porto

Doutor G: Caro João, ia já começar a chamar-te xoninhas mas depois percebi que afinal ela estava numa relação com alguém teu conhecido/amigo. Sim, ela está interessada em ti ou é uma provocadora safadona que só quer meter ciúmes ao outro gajo a ver se ele assume algo mais sério. O meu conselho nestes casos é sempre o mesmo: imagina que um amigo te convida para ires lá jantar a casa e depois o jantar são pernas de frango ratadas do almoço do dia anterior? Queres comer os restos do teu amigo? Dizem que é falta de educação não aceitar a comida que nos oferecem, mas é igualmente falta de educação ir ao frigorífico abrir os tupperwares e lamber os lombos de salmão que estão a marinar. A não ser que aches que ela é a mulher da tua vida (provavelmente não é), sugiro que escolhas outra. Há por aí tantas mulheres livres, para quê dar em cima, ou por trás, de uma que namora com alguém que tu conheces? Ele colocar-lhe as hastes não muda nada, já que a está a trair a ela e não à vossa amizade. Não tens mais nenhuma que te queira ou ela é assim tão boa? Seja como for, deixa-o ir de Erasmus e depois logo vês se ela continua a querer que a leves a fazer Orgasmus.


Caríssimo Doutor G, para mim sexo sem a bela da palmada, não é nada. Palmadinha, que é para a coisa soar a romântica. No outro dia fui-me confessar ao senhor prior da minha freguesia. Quer dizer, não foi da minha freguesia. Foi da freguesia ao lado, que isto já se sabe bebem uns copitos antes do amén, e depois é um a ver que te avias a contar o que ouvem nas confissões, e pelo sim pelo não, fui ao da freguesia ao lado. O senhor prior não é de acordo com as palmadinhas. Adiante, há um bacano, quer dizer... há um gajo, porque se o gajo fosse bacano dava e deixava dar umas palmadinhas. Mas não deixa. Diz que faz lembrar uma tal de Merkl. Não faço puta de ideia quem é a Merkl. Já lhe disse que nem todas as gajas são iguais e que ah e tal uma palmadinha não é igual à outra. Mas o gajo quase que chora quando se lembra da tal Merkl. pah e se há coisas que fodem por completo uma foda, é o gajo chorar. Não estou para aturar estas merdas. Ainda para mais, à pala de uma gaja que se chama Merkl. O que é que o Dr. acha? Devo cagar no gajo? Ou levar as coisas a bem e procurar no facecoiso quem é essa tal de merkl e manda la para o caralho Aguardo resposta. E que seja rápida que não estou para aturar muito mais tempo este choramingas.    
Fátima, 34, Lisboa

Doutor G: Cara Fátima, claro que o senhor pior não aprova palmadinhas, eles acham sempre que nem nas crianças se deve bater. Dizem eles que devem ser as crianças a fazê-lo. Cenas da igreja, vá-se lá perceber. Em relação ao resto, concordo plenamente que sexo sem uma bela palmada não é bom sexo. Há que deixar sempre a nossa marca, nem que seja em forma de impressão digital em baixo relevo num belo glúteo. O que mais te devia preocupar no meio disto tudo é tu fazeres com que esse gajo se lembre da Merkl. Lembrar a Merkl a alguém não é algo que nos devamos orgulhar. É que ela é gorda e tem um buço em forma de quadradinho hitleriano que só não se nota porque ela é loira. Acho que deves acertar contas com essa Merkl, Facebook não sei se ela tem, mas podes pedir o contacto mais directo ao Passos Coelho. Ele também gosta de palmadas, desde que sejam dadas nas nalgas do povo. Aposto que até te vais dar bem com ele, já que ele, tal como tu, também detesta choramingas, especialmente os desempregados que não querem emigrar. É uma espécie de prior hipócrita da freguesia de todos nós. 


Boas Dr. G, namoro com uma rapariga há cerca de 13 meses e as coisas têm andado sempre tremidas, isto é, a iniciativa é quase sempre minha, sobretudo na parte do sexo. Começamos a namorar no início do Verão passado e durante essa mesma estação do Ano, as coisas estavam bem e o sexo havia com frequência sem quaisquer entraves (ou se haviam não eram muitos) e com à-vontade de parte a parte. A verdade é que entrei na faculdade e a distância obrigou a que apenas estivesse com ela de 6ª a Domingo, começando a azedar a relação um pouco e a haver muita menos interação que o normal, menos mensagens, menos diálogo, menos sexo, enfim, mesmo, por vezes, menos à-vontade.  O problema passa-se que ela engordou um pouco e não voltou ao que era (coisa que para mim pouco me interessa, embora não negue que gostava de a ver como a conheci), deixando de querer fazer sexo com abundância, dizendo que se sente mal com o corpo mas não tenta mudar, e a ter cada vez mais desculpas para mim, embora tentasse e tente diferentes abordagens para ela se deixar levar. A questão aqui é (sendo que eu reconheço que até posso ser chato por tentar demasiado, mas tenho muita "fome" e acabo por me levar por ela), será que apenas está por interesse, que eu não reconheço, e só faz quando lhe apetece (que agora é quase nunca)? A realidade é que noto que ela gosta do sexo, costumo ser criativo e raramente acaba por ser igual e existe a vantagem de não haver nojos entre nós (ter nojo é coisa parva!) e lhe dar bastante prazer mas fico chateado por ela demonstrar que nem quer saber disso e queixa-se e desculpa-se com imensas coisas.  
A, 19, Viana do Castelo

Doutor G: Caro A, dizeres que namoras há treze meses pareces aqueles pais a dizerem a idade dos seus filhos. Namoras há um ano, ponto. Assim até parece mais sério. É normal o sexo esmorecer com o passar do tempo mas esse tempo nunca deveria ser uns meses e muito menos quando se tem 19 anos. A distância poderia quebrar a vossa relação mas deveria até aumentar a vossa vontade em saltarem ao eixo pelados de cada vez que estão juntos. O problema talvez seja por ser sempre à 6ª e ao domingo. Sexta é do dia da semana em que o cansaço mais se nota e domingo é dia do Senhor e é pecado fazer homilia javarda. As pessoas têm necessidades diferentes e por isso é que há tanta incompatibilidade sexual nos casais. Há quem esteja bem a fazer sexo uma vez por mês, há quem sinta que uma vez por dia é pouco. É uma questão de encontrares uma parceira adequada a ti, já que esta não tem culpa de ter menos vontade, é assim e pronto. Se achas que é por causa da banha que ela acumulou, sempre que fizerem sexo escolham posições em que seja ela a exercitar o corpito. Uma solução que também poderá resultar é, sempre que fores ter com ela, levares uma caixa de donuts e um menu grande do McDonalds. Ela não vai resistir e vai enfardar aquilo tudo que nem uma ceifeira debulhadora badocha. Quando olhar para as migalhas e os dedos peganhentos, vai começar a sentir complexos de culpa e já se sabe que as mulheres carentes e com problemas de auto-estima são as mais fáceis de levar para a cama. Mete-lhe uma daquelas cenas que medem as calorias despendidas e faz com que ela salte em cima de ti até queimar tudo. É sexo garantido para a semana inteira.


Caro Dr. G, tenho um amigo, sim antes que diga "ahh e tal adoro questões que comecem com tenho um amigo" leia até ao fim e verá que neste caso é mesmo assim. Continuando, tenho um amigo que, há perto de 6 meses a sua namorada de 4 anos acabou com ele. Ele ficou um bocado, como quem diz muito, abalado com a situação e nós temos tentado fazer com que ele anime um bocado. Basicamente tentando que ele prove algo do bom e vasto cardápio nacional, mas sem saber o nome do prato para evitar gostar demais. O que acontece é que no fim de semana passado aquele caramelo tem a ideia de perguntar: "Pessoal, hoje é o aniversário da mãe da minha ex-namorada. Vou-lhe dar os parabéns!". Ora bem, eu sou da opinião que um soco nos tomates e uma cabeçada nos dentes que o ajudavam a ver que se calhar foi otário em ter posto esta hipótese em cima da mesa. Mas antes de partir para a violência decidi informar-me sobre este assunto e como o abordar. Dr. G qual a sua opinião em relação ao tema abordado por ele? E não se preocupe com paninhos quentes, queremos verdade dura e crua. Depois de ele ter mencionado isso da mãe da ex, disse que era incapaz de estar com alguma miúda, pois está de licença sabática, nome que ele deu ao "período de luto do final da relação"...   
Miguel, 25, Vila Nova de Gaia

Doutor G: Caro Miguel, a violência não resolve nada mas, por vezes, ajuda. Esse teu amigo merecia bem duas chapadas à padrasto na moleirinha. Claro que depende da relação que ele tinha com a sogra, se era uma relação realmente próxima, pode fazer sentido que ele não corte relação com ela, pois pode tratar-se de alguém realmente importante na vida dele. No entanto, até porque ele claramente é xoninhas, devia proteger-se e desligar de tudo o que o faça lembrar a ex-namorada, pelo menos durante uns tempos, até ultrapassar o trauma. O período de luto de que ele fala faz sentido, mas esse luto teria muito mais resultado se fosse feito todo nu e besuntado em óleo a esfregar-se numa qualquer que ele encontre por aí. A licença sabática é para o coração e nunca para o trombinhas, que ele até leva a mal e fica cabisbaixo e, depois, quando for a querer tirá-lo da toca, já não funciona como antigamente. Para terminar, apenas uma adenda em relação à sogra: se ela for uma senhora enxuta de 45 anos, com tudo no sítio e que gosta de se esfregar em moleques mais novos, talvez seja boa ideia dar-lhe os parabéns e, quiçá, ir lá dar-lhe uma prenda com lacinho na ponta.


Boa noite Dr.G, a minha questão é a seguinte: eu já há muito tempo que não estou numa relação visto que a ultima que tive foi muito longa e agora vejo me na fase de não ter deposição para a "caça", por isso coloco-lhe 2 questões:
  1. Como esquecer um ex de vez (é que aparecem rapazes mas que me fazem pensar "fogo nunca mais vou encontrar alguém como ele blá blá" de tão maus que são
  2. Quais os melhores locais e plataformas online para encontrar um rapaz sério para algo mais estável  
Ana, 23, Lisboa

Doutor G: Cara Ana, primeiro que tudo, parece-me que mais do que precisares já de te meter numa relação mais estável, precisas de te divertir e limpar o palato. Esquecer um ex é fácil, basta pensares que nunca nenhuma relação perfeita acabou em separação. Se acabou é porque alguma coisa estava errada e, por isso, ainda bem que terminou. A melhor forma de o esqueceres é arranjares hobbies e melhor ainda se um desses hobbies for dançar o funaná pelada com um rapaz que te leve ao infinito e mais além do que o outro te levava. Tens que encontrar um Buzz Lighyear que te faça estremecer. Neste caso até pode mesmo ser um brinquedo que faz buzz. Estou muita forte nos trocadilhos. Quanto a plataformas online para encontrar rapazes sérios... não há! As plataformas online são como o resto do mundo, muita merda, algumas coisas mais ou menos e, ocasionalmente, um achado. É procurar e escolher bem. Quando compras roupa experimentas primeiro antes de comprar, certo? É aplicar o mesmo princípio. 


Bom tarde, há alguns tempos atrás eu tenho andado a ver se pesco alguma coisa, mas acho que o defeito é mesmo do isco que não presta. O melhor disto tudo é que tinha um peixe já pronto a querer saltar para a minha rede e eu fui desperdiçar por causa do peixe que está descrito em baixo. No entanto tudo começou na semana académica, essa rapariga não era de falar muito comigo no chat do facebook. Como ela era amiga da minha madrinha eu resolvi ir ter com elas ao bar da escola e meter a  conversa em dia com elas, incluindo aquela tal que eu falava no facebook. Fomos falando no facebook, outras vezes na escola, até que um dia eu a convido para sair, e ela disse que só ia se levasse as amigas de casa, e eu tudo bem. Agora vem a parte pior, cheguei a sair com elas à noite, na primeira noite até pareceu que ela estava interessada, mas nas outras vezes parece que já não estava muito, muitas das vezes punha-se a falar de um tal amigo dela e blablabla, não sei se era só para picar ou não, mas pronto. Existe vezes em que parece que ela está interessada mas outras vezes parece que caga completamente para mim. Houve um dia qualquer em que ela ficou aziada sem motivo algum, então no dia a seguir passei por ela e não lhe disse nada, ela veio dizer que as amigas dela até lhe disseram que eu lhe tinha cagado na cara. A melhor parte é que ela nunca percebe indirectas... Como ela é uma menina de missas e eu sou uma pessoa que mora numa zona em que se bebe muita cerveja não devemos encaixar muito bem. Eu sinceramente  já nem sei o que fazer mais, acho que vou acabar por desistir e passar para um próximo peixe. 
Zé Maneta, 23, Nazaré

Doutor G: Caro Zé Maneta, espero que sejas só maneta de apelido ou da mão menos capaz, caso contrário estás tramado, porque me parece que vais passar mais uns tempos a meter o bode a ruminar sozinho. Se ela aceitou sair contigo é porque havia o mínimo de interesse, mas ainda não tinha a certeza se te queria dentro dela, literal e metaforicamente. Se ela só parecia interessada de vez em quando e depois não, ignorando-te para falar com outro, é porque não estava muito virada para se emaranhar na tua rede. A melhor forma de comprovares isso era teres agido da mesma forma e aproveitado uma das amigas para te sambarem no colo. Já que se as amigas usam a expressão "cagar na cara" é porque gostam de forrobodó de genitália a torto e a direito. Dizes que ela é menina de missas como se isso fosse um indicador de se ser pudico. É tudo aparente, meu caro, que eu bem sei o que se passava nos retiros do pessoal da Igreja da Damaia e nas visitas de estudo das aulas de religião e moral. Era um chavascal de fazer corar o menino Jesus e olha que ele é um gajo que já viu de tudo. Resumindo: há uma janela temporal curta para se passar da corte à emissão de factura com uma rapariga, já que elas têm sempre muita gente a rondar e, se um não se chega à frente, haverá outro que se lhe chegue por trás. Para a próxima tens que ser mais expedito e agarrar nos testículos e avançar. Isto era uma metáfora, não vás ter com ela a agarrar a sacola dos girinos, isso era nojento.



E já está. Tenho ouvido as vossas sugestões e decidi encurtar um pouco a rubrica até porque pode ser que haja outra ainda esta semana. Está dependente de cenas e coisas que são derivadas de assuntos e questões. Depois eu aviso. Mais uma vez, obrigado a todos e, como sempre, continuem a enviar as vossas dúvidas para porfalarnoutracoisa@gmail.com. 


Partilhem e façam muito amor à bruta, que de guerras o mundo já está cheio.






Gostaste? Odiaste? Deixa o teu comentário: