8 de setembro de 2015

Touradas só na cama



Já sabem como é: terça-feira igual a "Doutor G explica como se faz". Não percamos mais tempo e passemos directamente para as dúvidas enviadas com a respectiva resposta, repleta de classe e javardeira, do Doutor G.



Caro Doutor G, a situação é a seguinte: depois de um relacionamento sério que terminou há 1 ano vejo agora uma rapariga 5 estrelas (quer por dentro quer por fora) interessada em mim. O problema está no facto de eu ser o típico xoninhas (por muito que me custe admitir é verdade) que vive ainda o bocado o "pós-trauma" do fim duma relação, mesmo depois de um ano após o seu fim. Tenho por isso medo de me envolver com esta rapariga e correr o risco de não sentir nada por ela e a magoar, porque ela é mesmo espetacular, ou de me ressentir ainda por causa da minha ex-namorada e não estar ainda com motivação para algo novo. Que faço então? Arrisco e envolvo-me com ela? Ou é melhor distanciar-me?
Zé Palito, 21, Luxemburgo

Doutor G: Caro Zé, deixa de ser xoninhas e toma o anti-depressivo indicado para stress pós traumático de fim de relação: sexo e novo amor. Preferes distanciar-te e ficar a pensar no bom que teria sido sentir o quentinho entre as virilhas, ou preferes alambazar-te todo, mesmo que depois não corra bem? O mais provável é que a tua próxima relação não vá ser com alguém que vais ficar até ao fim da vida, por isso, a meu ver, é arriscar. Ainda por cima se dizes que ela é espectacular, só a vais magoar se não usarem lubrificante. Outros estariam a queixar-se de terem terminado uma relação e que não sabiam como voltar ao jogo e ter quem com eles quisesse jogar ao esconde a morcela com miminhos e tu, que tens essa rapariga de estrelas Michelin embeiçada por ti, estás armado em esquisitinho. Cá para mim estás é a arranjar desculpas porque tens medo de já não saber dominar o sabre depois de um ano sozinho a meter o menino Jesus a arrotar. Deixa-te dessas inseguranças que isto é pergunta para 50€ do Quem Quer Ser Milionário! Quem não arrisca não petisca nem tem direito aos três pratos completos que uma boa refeição deve ter.


Caro Dr G, sou assídua leitora do seu estaminé e por isso tenho a ousadia de interromper o seu real trabalho para colocar uma questão um pouco inquietante. No seu grande glossário de expressões de vários níveis e graus explique-me por favor o que significa: 'Partilhar panados'. Desde já agradeço toda a sua consideração pelo assunto. 
Filipa Marisa Isabel Faria, 18, Barcelos

Doutor G: Cara Filipa Marisa Isabel, realmente é expressão que nunca tinha ouvido. Após pesquisa no Google fiquei na mesma, já que ele não me elucidou, mesmo recorrendo às minhas skills de utilizador avançado de motores de busca que aprendi no Instituto Superior Técnico. Como a verdadeira inteligência não está em saber ou encontrar, mas sim em deduzir e inferir através do conhecimento adquirido, posso teorizar que essa expressão se refira a um dos seguintes casos:

  1. Uma expressão literal e signifique a partilha de panados de frango ou de porco. Muitas vezes, ao levar marmita para a escola preparatória na Damaia, dividia com alguns colegas meus a sandes de panado que a minha mãe tinha preparado no dia anterior com amor e carinho. De notar que era uma partilha forçada, já que me persuadiam através de ameaças à minha integridade física. Normalmente eu ficava com aquele panado mais queimado e com a carne cheia de nervos;
  2. Uma expressão javarda alusiva à prática do sexo entre duas mulheres. Passo a explicar: um pipi, dias após a depilação, fica com alguns pelos duros e que arranham e que, juntamente com o bife do lombo genital, podem assemelhar-se a um panado. Já experimentaste lamber um panado bem feito e com pão ralado estaladiço? É semelhante a lamber um pipi com barba de três dias. Calculo, por isso, que seja uma expressão de engate em bares lésbicos: «Queres vir lá a casa partilhar panados e uma garrafa de vinho?». Não deve falhar.
Já agora, uma dica para os panados ficarem no ponto e estaladiços: misturar corn flakes com o pão ralado antes de panar a carne. Não aconselho no entanto se estivermos a falar do tipo de panados referidos no ponto 2. Ficam moles e fazem chiqueiro.


Ora bem, o que me traz aqui é que deprimo muito frequentemente. Não, não sofro de bullying nem o caralho a quatro. Não, o que se passa são as miudas... elas é que fodem a cabeça (não literalmente, infelizmente). Já há colhões de anos que anseio e espero por uma namorada. Consegui à uns meses atras uma mas acabámos logo 4 dias depois pois ela "não estava preparada para ter um namorado", mas mesmo assim consegui ter algumas curtes com ela depois. Mas não é isso que está em questão. O problema é que não sou um gajo super bonito, mas tambem nao sou super feio, e tenho algumas amigas porreiras, mas nenhuma fica interessada em mim ao ponto de namorar, o que me entristece um pouco (quer dizer, muito, pra caralho). Então, tenho duas perguntas para fazer aqui no consultório:

  1. Como conhecer raparigas novas? (e que estejam dentro de padrões de beleza giros e que sejam simpáticas e essa merda toda).
  2. Como me devo comportar ao pé de uma rapariga e de que coisas devo falar? É que eu sou uma merda a meter conversa (ou a manter conversa) e 2 minutos depois de começar a falar com alguém já não há nada pra falar.
João, 15, Sul

Doutor G: Caro João, quando elas dizem que não estão preparadas para ter um namorado, o que elas querem realmente dizer é que não te querem como namorado. Só isso. De resto, vamos por pontos:

  1. Tens 15 anos, conhecer gente nova não devia ser um problema. Escola, festas, saídas à noite e Tinder, são um mar de mulheres atrás do mesmo que tu: alguém para se perderem de amores e de safadeza sem roupa. Aconselho outro bom local para conhecer possíveis candidatas que são as salas de espera das clínicas de depilação a laser. Primeiro, porque sabes que as que saem de lá estão prontas para ir a jogo em campo pelado e depois porque estão mortinhas para mostrar o resultado de várias sessões e centenas de euros gastos na jardinagem das vergonhas. Basta chegares ao pé delas e dizeres «Isto da depilação a laser é mito. Não acredito que fique bem feita.». Elas vão levar aquilo a peito e vão dizer para meteres a mão no manjerico a comprovar a sua suavidade.
  2. Podes começar por dizer menos asneiras, caralho. Ainda por cima és do Sul, ainda se fosses do Norte era gajo para perceber esse linguajar de taberneiro com Tourette às duas da manhã. Meter conversa é dizer «Olá», manter conversa é fácil se houver química. Se ela não puxar assunto é porque não está interessada e mais vale fazeres swipe left. Se houver, ela vai fazer-te perguntas e a coisa vai andar. Se achas que não és interessante para conseguir manter uma conversa de cinco minutos, então talvez mais valha deixares o engate de parte durante uns meses e leres uns livros.

Caro Sr. Dr. G, 
estou com o meu namorado há cerca de seis anos e apesar da luta greco-romana debaixo dos lençóis ser fantástica, tenho um problema: para iniciar o acto, nunca tenho vontade, tem de ser sempre o meu namorado a "puxar por mim", porque tudo me serve de desculpa, ora são os exames, ora estou cansada... E vejo que esta situação, como o Sr. Dr. pode prever, não é do agrado do rapaz...  O que é estranho é que, quando estou sozinha, tenho sempre imensa vontade! Enfim, Sr. Dr. aguardo pela sua sabedoria em relação ao que fazer.
Rita, 23, Lisboa

Doutor G: Cara Rita, para responder a essa pergunta em conformidade, precisaria de mais detalhes, tais como: quando estás sozinha em que pensas quando estás a tocar à campainha do Satã? Quando estás à bulha toda pelada com o teu namorado preferes a luz apagada e fechas os olhos para pensar no Rodrigo Santoro? Se for um destes casos, então está explicado. Se não for, padeces do Síndrome do Renault 19 do Guilherme. Um bólide que tinha muitos problemas a pegar, especialmente em noites frias de Inverno. Era preciso jeito e insistência, mas depois de carburar era coisa para dar 200km/h a descer uma ravina. Se tens noção dessa tua característica, nem tudo está perdido. Tens de te esforçar, caso contrário, vai aparecer uma que mostre desejo e tome a iniciativa e ele vai cair na tentação. Namoram há seis anos mas isso não devia ser problema. Tens que o surpreender. Quando ele estiver menos à espera, cais-lhe de boca no colo. Aconselho as rectas das auto-estradas à noite. Não há nada pior para um homem do que ter de estar a convencer a namorada para fazerem sexo. Toma nota: isso continua e ele vai deixar-te ou vai viver conformado e amargurado para o resto da vida. Vão a uma sex-shop, vejam uns filmes marotos, bebam uns copos e desliguem os telemóveis. Mexe-te caraças. Corre Rita, corre! Corre que ainda o apanhas teso.


Caro Dr. G. ando a sair com uma trintotona, já avançadota. Tem tudo para ser a mulher da minha vida. Mas assusta-me o facto de ser divorciada e ter três filhos menores a cargo dela. Apesar de ser muito bem-sucedida na vida (é diretora num banco; recebe bem; tem telemóvel, seguro de saúde e carro da empresa), acho que deve ser bastante forreta. Veja lá que no outro dia combinámos um fim de semana em Madrid. Marcámos hotel e tudo para podermos fazer o nosso óózinho descansados, porém, ontem à noite, saiu-se com esta: ‘Levas o teu carro, está bem?”. Levar o meu carro? O meu twingo? Ela que tem um Volvo novinho em folha e ainda por cima cedido pela empresa e gasolina paga? Fiz má cara e ela não deu parte fraca. Vamos mesmo de Twingo em vez de Volvo. Por este andar ainda me vai pôr a pagar as contas do colégio dos miúdos!! Sim, porque até a reserva do hotel foi à minha conta. Não sei o que pensar. Ela não é nada de especial na cama, mas pronto, andar com uma tipa mais velha dá cenário, os meus amigos deliram… e até me perguntam ‘ como é f*****  uma rata de uma tipa que já pariu três vezes?’ Sinto-me garanhão, percebe?? O Dr. que conhece de psicologia e entende de perfis diversos, diga-me o que se pode esperar de uma mulher que prefere ir de Twingo do que de Volvo a Madrid?  
Joel, 20, Algés

Doutor G: Caro Joel, cada um tem o que merece. Se andas com ela para dar cenário, é bem feito que ela não esteja disposta a ser a tua sugar mama e pagar tudo o que o menino quer. Talvez ela goste de adrenalina e nada melhor do que ir até Madrid de Twingo com um gajo que usa expressões "tipa mais velha dá cenário". Aposto que conduzes de boné e tens um aileron com luzinhas a bater bué e que te picas com scooters e mata-velhos. Quanto ao facto de ela já ter parido três vezes e tu te sentires um garanhão, lembra-te que podem ter sido cesariana e que mesmo com parto normal, muitas vezes são dados uns pontinhos e aquilo acaba por ficar mais apertado do que era inicialmente. Sou um poço de conhecimento.


Dr. G, preciso dos seus sábios conselhos para perceber como funciona a cabeça masculina (de cima, claro)! À coisa de um ano e meio o irmão da minha melhor amiga, 9 anos mais velho que eu, começou a andar de volta de mim, tanto rondou que é perdi-me nos seus encantos e zás tráz! Por essa altura ele namorava e pediu que ficasse só entre nós, mas passados uns meses descobri que tinha contado a umas 5/6 pessoas e à irmã! Não voltamos a estar juntos até à coisa de um mês, e eu não percebo se ele está ou não interessado em mim verdadeiramente! Já é a segunda vez que deita tudo a perder da sua vida amorosa para estar comigo, é sempre ele que vem atrás, mas depois ignora e só se lembra esporadicamente. É só sexo ou há mais qualquer coisinha?
Anónima, 20, Lisboa

Doutor G: Cara Anónima, ele só quer sexo. O rapaz esteve à espera que atingisses a maioridade e zás tráz, toma lá que é fresquinho e agora vou dar para trás. Está a usar-te como se usam os sorvetes de limão para limpar o palato entre os pratos de peixe e de carne nos casamentos. É isto.


Caro Dr.G, conheci um rapaz numa destas festinhas de verão da aldeia. Foi na minha terra, estava lá um grupo de rapazes e eu por acaso comentei com uma amiga minha que o achava giro, e ela como já tinha bebido uns copos, foi dizer ao amigo dele que eu o queria conhecer, mas entretanto fomos embora. Como eu e ele temos amigos/conhecidos comuns foi fácil encontrá-lo no facebook. Ele mandou-me mensagem e a partir daí começamos a falar. Dois dias depois, ele voltou à festa e chamou-me para dançar, e senti que tínhamos química, fomos dar uma volta e ele beijou-me, gostei bastante. Mas como estávamos no final da noite, ele teve de ir embora, até aí tudo bem. No dia a seguir não me disse nada, tive de ser eu a mandar mensagem e ele não respondeu com muito interesse. Não quero parecer demasiado chata, mas gostava de continuar a falar com ele. Das duas uma, ou ele não gostou nada do beijo (o que acho estranho porque ele disse indiretamente que gostou numa mensagem nessa noite) ou acha que sou muito novinha para ele, afinal temos 13 anos de diferença. Gostaria muito que me ajudasse neste meu dilema, até acho que poderíamos vir a ter algo muito interessante.
I, 20, Aveiro

Doutor G: Cara I, várias coisas podem ter acontecido:

  1. Ele acha que és muito nova e não quer ficar conhecido na aldeia como o 1,2,3. No entanto, dado que és maior e já não tens dentes de leite, calculo que talvez não seja a mais provável;
  2. Ele tem namorada e/ou mulher;
  3. Ele não está interessado, o que é de estranhar porque normalmente os homens só dizem "agora não me toca" depois de terem dado a kizombada total.
  4. Ele tem vergonha de assumir algo sério com alguém que conheceu numa festa da aldeia. Não quer que lhe perguntem «Então e foi amor à primeira vista?» e ele tenha de responder «Sim, ela olhou para mim e eu para ela, num olhar profundo e arrebatador. Senti uma conexão quase imediata e soube que era a mulher da minha vida. Ainda me lembro da música que estava a tocar: Eu levo no pacote, ai levo sim senhor. Letra e música da Rosinha.». É uma história que não fica bonita no casamento.
Sugestão: se ele não mostra interesse, aproveita o teu corpinho de vinte anos e vai dançar o bailarico com outro.


Caro doutor G, vou ser o mais breve possível pois o doutor deve ter uma vida deveras ocupada! Ora eu namorei com uma rapariga durante 2 anos e meio. No início era tudo perfeito e tal mas, no que toca à luta debaixo dos lençóis ela sempre foi muito apreensiva (éramos ambos virgens). Aqui é que a coisa se complica, pois esta apreensão nunca lhe passou! Passávamos por todos os preliminares e por todas as fases, mas quando chegava à parte de eu a penetrar, ela nunca deixava pois tinha medo da dor e de ficar grávida (mesmo ela tomando a pílula e eu com preservativo como é óbvio). Eu sempre tentei confortá-la, dizendo que só ia doer a primeira vez e que a achava tão especial que queria passar a derradeira fase da adolescência com ela. Ora com o tempo a minha frustração ia aumentado porque gostava mesmo da rapariga e sentia que ela era mesmo especial. Mas com o tempo comecei a afastar-me dela emocionalmente (enquanto que ela mostrava gostar ainda mais de mim) e , há cerca de mês e meio, acabei com ela pois além de a relação já ser algo tóxica, ela continuava com um cinto de castidade mental quanto ao sexo. A grande questão aqui é: tenho 19 anos, sou virgem, e só tive uma namorada, por isso, como posso eu safar-me nesta selva em busca de presa para caçar sem qualquer tipo de experiência na arte da corte à mulher ? 
Anónimo, 19, Santarém 

Doutor G: Caro Anónimo, ter 19 anos e ser virgem não é um problema por aí além. Dizem as estatísticas do INEB, Instituto Nacional de Estatísticas da Buraca, que metade dos teus amigos que afirma não ser virgem, ainda o é. Tiveste uma namorada o que já é mais do que muitos podem dizer, ainda por cima estiveram juntos durante dois anos e ainda praticaram vários preliminares, o que te dá já algum traquejo para perceberes a mente das mulheres e algumas armas para saberes sambar todo nu com a próxima conquista. Sendo que és de Santarém, aconselho-te ir directo ao assunto e apostares nas pegas de caras e só depois passares à fase de rabejador. Utiliza a tua bandarilha ou ferro curto a trote para que com o tempo e a experiência te possas lançar a galope, numa lide de fazer as empregadas de hotel deitarem álcool e pegarem fogo aos lençóis. Nunca caias no erro de lhes perguntar de que ganadaria é que são, que é coisa para elas levarem a mal. Sabes bem como as mulheres são picuinhas. Diz-lhes que és da família Câmara Pereira e que achas que o D. Duarte é que metia isto no sítio. Elas vão ficar doidas por ti. Agora a sério, é confiares nas tuas capacidades, já que as inseguranças que podes trazer da última relação são infundadas pois claramente o problema era dela. Ter medo de engravidar com pílula e preservativo é o mesmo que achar que o touro não sofre quando leva com ferro no lombo. Quer dizer, engravidar nessas situações ainda há uma certa possibilidade. Olé.


Para a semana há mais, as dúvidas que vou publicando estão com um atraso de quase um mês, por isso, se enviaram a vossa a meio de Agosto e ainda não obteve resposta, fiquem atentos. Obrigado a todos e, como sempre, continuem a enviar as vossas dúvidas para porfalarnoutracoisa@gmail.com. 


Partilhem e façam muito amor à bruta, que de guerras o mundo já está cheio.






Gostaste? Odiaste? Deixa o teu comentário: