19 de abril de 2016

Deve fazer-se sexo quando o Benfica joga em casa?



Acordaram hoje ansiosos pela nova sessão do "Doutor G explica como se faz", não foi seus malandrecos adeptos da javardeira com classe? Pois bem, então se calhar não vamos perder mais tempo e vamos lá aconselhar pessoas com problemas do foro amoroso, sexual, e, às vezes, psicológico.


Boa tarde Dr.G, tenho 33 e tenho um relacionamento de 2 anos com uma mulher da mesma idade e não passa um dia em que ela não convoque o meu soldado para longos combates dentro e até fora da nossa trincheira. Então qual o problema pergunta o Dr.? O problema é que no próximo mês ela vai dar formação pela empresa de quase 1 ano na Argentina... e agora que ela não aguenta um dia sem bater continência ao meu general, irá ela resistir a 1 ano sozinha a limpar a latrina á mão? Nunca tive nem tenho nenhum motivo para desconfiar dela, mas 1 ano sozinha a 8000 km não irá mudar  isso? O que o Dr. pensaria na minha situação?
Anónimo, 33, Lousada

Doutor G: Caro Anónimo, não te vou mentir, pessoa (homem ou mulher) habituada a ter sexo diariamente vai precisar de muita força de vontade para não pular a cerca durante um ano. Nem te quero assustar ao dizer que ela vai estar no país do tango, com calor e homens latinos a cobiçarem el culo da tua senhora. Nem vou estar a dizer isso que é para não ficares ainda mais preocupado. Mas o mesmo se aplica a ti, que toda a gente sabe que Lousada, a par de Ermesinde, é a terra onde há mais gajas boas! Bem, mas se há pessoas que conseguem deixar de fumar, haverá certamente força de vontade para passar um ano a tocar à campainha de satã sem precisar que lá vá o Quasimodo dar as badaladas por ela. Utilizem as novas tecnologias para atenuar a distância:

  • Fotografias badalhocas sem nunca mostrar a cara porque nunca se sabe o dia de amanhã;
  • Um vibrador comandado remotamente;
  • SMSs javardas como «Tirava-te as cuecas com os dentes», «Fazia-te uma limpeza à carpete mas dificilmente seria a seco», e «Estou a deixar o pó das prateleiras acumular para seres tu a limpar quando chegares.» Esta última não é uma metáfora, é mesmo para lhe fazeres crer que não a vês apenas como um objecto sexual mas também como dona de casa. Ela vai adorar.
Seja como for, se ela tem mesmo de ir, nunca vais saber se ela vai ser fiel ou não, por isso, estares preocupado com isso é a mesma coisa que limpar o rabo ao contrário: só prejudica.


Olá Dr. G. Namorei 5 anos com um rapaz e a relação teve sempre altos e baixos, porém continuo a gostar dele, apesar de saber que ele está numa relação e que já não gosta de mim (isto se alguma vez gostou). Entretanto mudei de ares e envolvi-me com um fulano que acho que joga no outro campo, mas tudo bem ficamos amigos. De seguida conheci um homem mais velho que eu 7 anos mas também não me suscitou interesse. E por fim conheci um búlgaro mais novo que eu quase 10 anos, esse sim suscita-me interesse mas tenho medo de dar o passo seguinte, pois não quero apaixonar-me e voltar a sofrer. O que faço?    
Anónima, 27, Braga

Doutor G: Cara Anónima, a tua alcunha devia ser Planeta deAgostini ou Panini, tal são os cromos e fascículos que andas a coleccionar! Tens o ex-namorado, que é aquele cromo de antiga glória, chamemos-lhe Chalana; tens o gay, chamemos-lhe Calado; tens o Búlgaro, Balakov; e agora andas a tentar um jogador da formação menor de idade qual olheiro de Pina Manique, campo onde joga o Casa Pia. Só te falta o cromo brilhante que sou eu, mas infelizmente já não vai dar. Quanto à tua pergunta, acho que deves ir em frente e dar o passo seguinte, mas espera que ele faça 18, a não ser que ele seja preto porque assim podes alegar em tribunal que pensavas que ele era como o Renato Sanches e tinha ido de bicicleta sem rodinhas fazer o registo na Loja do Cidadão. Perdão, na Loja dos Seres Humanos que Convivem em Sociedade. Ufa, que me livrei de ser acusado de machista! Assim só me acusam de racismo.


Caro Dr. G, tenho uma amiga, de quem sou muito próximo há vários anos, entretanto ambos tivemos outras relações mas sempre houve uma química. No entanto há 2 anos acabei com a minha namorada da altura e ela com o seu namorado também, e fomos estando juntos, "curtindo", mas isto muito espaçado normalmente quando saiamos á noite ou assim, mas uma das vezes com muito álcool á mistura a coisa aqueceu e ela acabou por perder a virgindade comigo. Depois disso estivemos mais algumas vezes juntos mas nunca mais houve "brincadeira". Há 5 meses atrás começamos a namorar, e TAMBÉM NÃO HOUVE, o que não foi por falta de tentativas minhas, mas havia sempre uma desculpa, como não ser o momento adequado. Há 1 mês atrás ela acabou comigo e disse que o motivo para acabar era não ser “amor”, sinceramente também não sentia que fosse, mas estou doido para lhe saltar para cima outra vez! Ainda por cima neste ultimo mês depois de termos acabado ela tem parecido bastante interessada, mas como acabou comigo tenho medo de arriscar alguma coisa agora, o que devo fazer?? Sim sou um coninhas, ando há 4 anos para lhe dar uma bem dada e ainda não dei.  
João, 21, Porto

Doutor G: Caro João, tu és o verdadeiro amigo do peito que até tira a virgindade às amigas e confessa que está doido para lhes saltar para cima sem uma única vez referir que está com receio de estragar a amizade de longa data que vos une. Sim senhor, um macho à antiga! Tiraste-lhe a virgindade e depois nunca mais houve sexo; namoraram 5 meses e não houve sexo; ela acabou contigo. Não achas que esta sequência de acontecimentos quer dizer que se calhar não lhe deste uma boa primeira experiência e ela não quis repetir? Deixa-te disso e resigna-te à condição de amigo cinzentão que me parece que para colorir tens menos jeito do que um daltónico.


Olá Dr. G. Acho que já disseste num dos consultórios que namorada com período ainda vale o bem-bom. Abençoado. O meu namorado não faz sexo comigo quando estou com o período (sim, estou sempre depilada e não, não tenho muito fluxo). Ora isto só de si chateia-me, nunca foi problema com os outros. Chateia-me mais quando ele se esquece e avança no foreplay, eu acho que lhe passou a mariquice e alinho e depois acontece que estou nua e de repente uma de-boner! Ora, quando isto acontece eu não consigo evitar sentir-me rejeitada. Imagina: estás completamente nu e pronto para dançar o vira, ela olha para ti e de repente passa a vontade! Pior quando é ao contrário, porque com as mulheres é ver um majestoso pénis paralelo ao chão a passar a apontar flacidamente para baixo. Mexe na auto-estima! Há maneira de contornar isto? De o fazer ser menos nojentinho com isto? Não vou forçar ninguém a sexo mas também não quero mazelas no ego! Tão pouco alinho em negar sexo, isso era meter-me a mim de castigo.
C, Lisboa, 26

Doutor G: Cara C, não avises que estás com o período! Deixas que ele avance sem nunca lhe dizeres que estás a jorrar sangue pela escotilha dos bebés, e quando ele retirar o seu majestoso pénis e vir que está cheio de sangue só tens de dizer «Não estou com o período. Deves ter rebentado alguma veia, ou assim.» só para ver a cara de pânico dele. Outra técnica, embora mais rocambolesca, é acondicionares meio quilo de arroz na patareca que, para além de servir como tampão orgânico (podes usar integral se tiveres daquelas mariquices do glúten), servirá para quando ele iniciar o cunilingus ser servido com uma bela cabidela. Se ele refilar só tens de gritar «Comes o sangue da galinha e o meu tens nojo? És nojento! Faço-te o jantar e é isto?». Bem, agora mais a sério, há homens e mulheres que não gostam de fazer sexo com o período e embora sejam palermas, há que respeitar. Façam no banho e no fim tira umas fotografias e envia para uns amigos a dizer «Socorro!». No banho limpa-se bem e a água diminui o fluxo e não há razão para ele ter tanto nojinho. De qualquer das formas, podem sempre fazer amor no rabo e na boca, e utilizar as mãos e os dedos, não? Se me vais dizer que ele não gosta disso, então o problema se calhar é outro. Homem ter nojo de fazer sexo com a mulher nos dias de menstruação, é o mesmo que ter medo de seringas e querer ser cirurgião. Podes mandar estampar esta frase numa tshirt para usares por casa naquelas alturas do mês.


Boa noite Doutor G, em Março do ano passado conheci uma rapariga pela namorada de um amigo meu, e em Junho namoramos cerca de 1 semana. Nesta semana fomos do 8 ao 80. Ao início ela dizia que queria uma relação séria e que gostava muito de mim e blá blá blá. Acontece que tivemos a nossa primeira noite de amor, e passado dois dias ela acabou comigo.. Até pensei que não tivesse gostado da minha performance sexual, mas ela teve dois orgasmos durante o acto e eu vi-a nela que estava a gostar mesmo muito, e por consequência (ou não) não me ejaculei.. Agora namoro com outra pessoa (6 meses), e o sexo é mesmo bom, de ambas as partes.. Contudo esta situação ainda hoje não me sai da cabeça, o que acha que pode ter sido? Até porque eu não fiz nada de mal daí para a frente, ela ficou diferente desde esse dia.  
Anónimo, 20, Viana do Castelo

Doutor G: Caro Anónimo, quando alguém me diz que namorou durante uma semana dá-me logo vontade de dar duas excelsas bofetadas à João Soares. Isso é o mesmo que eu dizer que fui médico durante trinta segundos quando descobri no Google que o caroço que tinha nos testículos afinal não era cancro e era só um pelo encravado. Depois, deixa-me dizer-te que a expressão «não me ejaculei» é dúbia: não ejaculaste ou estavas a tentar apontar para o teu umbigo e falhaste o alvo? Quando à tua dúvida, respondo com outra pergunta: se estás feliz com a nova namorada, o que interessa as razões que a outra teve para te deixar? Sejam elas quais forem, parece que te fez um favor. Agora já te ejaculas todo seja lá qual for esse fetiche nojento que tens.


Olá Dr, estou numa relação há 5 anos, vivemos juntos há 3 anos e amo o meu namorado. Posso até dizer (sem correr o risco de exagerar) que somos almas-gémeas. Ele trata-me tão bem, faz-me rir, é o meu melhor amigo e a melhor pessoa que eu conheço. O único senão é debaixo dos lençóis, temos altos e baixos. O problema é que me apaixonei pelo primo dele há quase 2 anos, quando ele foi passar uns dias lá a casa. No ano seguinte, ele voltou e mal o vi comecei a tremer e o coração batia tão depressa. Não conseguia ignorar o que sentia, mas podia ignorá-lo e foi o que tentei fazer. Quando o meu namorado não estava perto de nós era quando ele era mais meigo e gostava de me provocar com brincadeiras, o que me fazia pensar que talvez sentisse algo por mim. Por exemplo, quando eu lhe fiz um favor lá em casa ele disse-me que eu era "o anjinho dele" e tocou-me nas costas; houve outra situação em que lhe fiz um elogio e ele abraçou-me pela cintura, em jeito de agradecimento; e outra situação foi na despedida dele em que estávamos sozinhos e ao darmos um abraço de despedida ele disse "Gosto muito de ti". Entre outras coisas... Quando ele foi embora fiquei de rastos e chorei imenso pela falta que ia sentir dele e por querer o impossível. Sei que posso estar a ver coisas onde elas não existem, mas acha que ele sente algo por mim? Eu sei que é errado o que sinto, mas não consigo esquecê-lo e ao mesmo tempo sinto-me mal pelo meu namorado que não merece isto. Não contei a ninguém com medo que o meu namorado descubra e guardar isto está a dar cabo de mim . O que me aconselha?  
Anónima, 24, Lisboa

Doutor G: Cara Anónima, sempre que me enviam dúvidas que começam com «somos mesmo felizes e amo-o muito» já sei que vem merda a seguir. Meu dito meu feito «amo o meu namorado... o problema é que me apaixonei pelo primo dele há quase dois anos.». Arre foda-se, ó Anónima! Mas que amor vem a ser esse? Isto do quanto mais prima mais se lhe arrima não é válido para os primos dos namorados. Uma pergunta: quando dizes que lhe fizeste um favor lá em casa, esse favor não foi aspirar-lhe o colo com a boca, pois não? É que normalmente os homens tendem a gostar de mulheres que aspiram e a chamar-lhes "meu anjinho". Já agora, «meu anjinho»? Mas que merda é esta? Qual é o gajo que vai passar uns dias a casa do primo e depois vai abraçar a namorada dele pela cintura e chamar-lhe "meu anjinho"? Que foleirada. Para te apaixonares por um gajo desses também não deves ser muito boa da cabeça, deixa-me que te diga. Bem, acho que deves deixar o teu namorado, obviamente, e parece-me também óbvio que o primo quer saltar-te para cima. Se vai querer mais do que isso? Não sei, só Deus saberá e Ele é um gajo que não me responde às mensagens como faz à Alexandra Solnado. Enfim, Deus sempre teve filhos e enteados, basta olhar para África. Agora, pondera o seguinte:

  1. Deixas o namorado;
  2. Começas a namorar com o primo;
  3. Juntam-se todos na consoada de Natal;
  4. O teu namorado diz para o primo «Fiz filhoses mas não é para fazeres como fizeste com a Anónima e ir lá comer sem pedir autorização.»
  5. O primo responde «Ela diz que gosta mais do meu tronco de Natal do que do teu.»
E gera-se toda uma discussão com metáforas culinárias de Natal. É capaz de ficar um ambiente estranho, mas faz o que quiseres, sua anjinha safadona.


Olá Dr. G, este ano entrei para a faculdade numa zona longe de casa e conheci logo um rapaz que desde o início me chamou a atenção. A tensão entre nós aumentou mas nunca aconteceu nada, nem uns beijinhos, porque ele tem namorada! Escusado será dizer que fiquei super embeiçada por ele, mas o fato de ele ser comprometido impede-me de avançar. Ele por vezes mostra-se interessado, por outras não. Não sei o que é que ele quer. Será que me achou piada por ser eu novidade? Tenho receio de avançar porque sendo do mesmo curso tenho receio que as coisas fiquem tremidas (sou muito choninhas, não sou?), mas ao mesmo tempo tenho uma vontade louca que as coisas resultem. Que devo fazer? 
Anónima, 19, no meio de nenhures

Doutor G: Caro anónima, tens mesmo a certeza que encontraste um homem que não se enrolou contigo porque tem namorada? Um homem fiel? Isso é mais raro do que uma foto focada do Big Foot, um vídeo HD de um OVNI, ou um político competente! Já ligaste para as Tardes da Júlia para contar a tua história na rúbrica «Parece que é mentira mas a sério que não é!»? Bem, o meu conselho é o seguinte: se ele por vezes mostra interesse e noutras não, então deixa que ele tome o primeiro passo se quiser. Porquê? Por um lado não ficas com fama de piriguete que rouba o homem das outras; por outro ficas com a certeza que ele te quer mesmo e não foi só porque o encostaste contra a parede e ele cedeu porque é um homem e os homens são todos uns porcos. Seja como for, se ele tomar a iniciativa e se enrolarem vais ficar sempre a pensar se ele vai fazer o mesmo contigo. Ah, esquece! Nós somos sempre diferentes e especiais.


Gostaram? Não? Pfff, coninhas. Como sempre, continuem a enviar as vossas dúvidas para porfalarnoutracoisa@gmail.com. Menos de 1000 caracteres, se faz favor, e não há cá dúvidas respondidas só por email que o Doutor G, como qualquer javardo, não tem qualquer código de sigilo profissional.


Partilhem e façam muito amor à bruta, que de guerras o mundo já está cheio.






Gostaste? Odiaste? Deixa o teu comentário: