2 de maio de 2016

Como escolher um curso superior?



Falta pouco para que milhares de jovens comecem o que para muitos é uma espécie de marcha lenta em direcção ao abismo, ou à emigração: os exames nacionais com vista a ingressarem no ensino superior. Muitos vão para os cursos que sempre sonharam, seja porque sempre foram alunos aplicados ou porque querem ir para um curso que só precisa média de 11; outros vão para as segundas e terceiras opções e arrependem-se, agora, de não ter levado o secundário a sério; há outros, ainda, que vão para um curso qualquer só porque os pais e a sociedade lhes meteram na cabeça que ter canudo é automaticamente sinónimo de ser alguém na vida. Como gosto de ajudar, decidi fazer este texto que não é mais do que serviço público baseado em dados reais referentes a 2010-2014, com os quais decidi fazer uma lista dos melhores e piores cursos com base nas taxas de empregabilidade.

Cursos com maior empregabilidade
***

Medicina
Continua a ser aquele curso com grande taxa de empregabilidade até porque a ordem dos médicos não quer abrir mais vagas porque são uns coninhas que querem tudo para eles. Diz-se que é mais difícil lá entrar do que sair, e só entram os muito inteligentes ou muito marrões, mas burros que nem calhaus. Continuamos a só deixar ser médico quem tem uma média alta e, assim, continuará a ser um curso para o qual muita gente vai mais por estatuto do que por vocação. Continua a ser um bom curso para engatar gajas e fazer com que as sogras gostem muito de nós.

Engenharia Informática
Também com grande taxa de empregabilidade, ao contrário de medicina, é relativamente fácil entrar, mas sair de lá é que só com alguns cabelos brancos e alterações nefastas do sistema nervoso. Já escrevi sobre este tema aqui e aqui, por isso não vou alongar-me mais do que este resumo: vão ganhar mal à hora e ser explorados em muitas consultoras, e nunca vão saber o que é o convívio com mais do que duas ou três mulheres no curso e no local de trabalho. Vão também ser chateados por todas as tias para que lhes arranjem o computador que está lento.

Engenharia Electrotécnica
Igual ao de cima só que vão saber arranjar máquinas de lavar e desencravar o papel da impressora. Se vão com o sonho de construir gadgets, fiquem a saber que vão, também, acabar por ir trabalhar numa consultora a bater tecla o dia todo.

Gestão
Gestão é fixe porque é aquele curso que não tem uma média alta e é fácil de tirar. É o curso preferido de quem sabe que vai ter uma boa cunha para ir administrar uma empresa depois de um estágio lá fora só para parecer que não tem o CV vazio e ninguém desconfiar que ele só entrou para um cargo de chefia porque é da família do patrão. É um bom curso para quem quer criar uma empresa, sendo que de pouco lhes vai servir todas as bases que aprenderam quando a escolha de negócio irá recair, invariavelmente, sobre uma hamburgueria gourmet ou uma cachorraria do bairro.

Enfermagem
O curso para onde vão as pessoas que não tiveram média para entrar em medicina. Nem na dentária. É bom para depois casar com um médico rico, mas está mau em termos de ordenados, embora continue a ter uma taxa de empregabilidade elevada. Só não há mais trabalho porque os enfermeiros gostam de acumular empregos e roubar trabalho aos colegas, mesmo depois de reformados. É um bom curso para quem não gosta muito de sol e sempre quis viver numa monarquia e, por isso, cada vez mais enfermeiros emigram para Inglaterra.

Turismo
Somos o país do Turismo porque somos muito melhores a receber dinheiro que vem de fora do que a criar e gerar o nosso. Por isso, o turismo continua em crescimento e com cada vez mais necessidades de mão-de-obra qualificada. Porém, quem tira cursos de turismo vai, normalmente, distribuir flyiers que dão direito a um shot de sumo com a primeira bebida.

Cursos com menor empregabilidade
***

Ciências da Comunicação
Quem vai para estes cursos anseia ser jornalista ou pivot de informação, mas desde logo percebe que só tendo boas mamas ou boas cunhas é que chegará a um jornal ou televisão de renome. Acabam a gerir uma página de Facebook.

Filosofia
A sério? Estás a ponderar escolher filosofia? Porquê? Leste a Alegoria da Caverna do Platão e gostaste? Queres ir para professor de filosofia para poderes ser passado da cabeça e toda a gente achar normal? Toma juízo e vai antes tirar um curso técnico de electricista.

Hotelaria e cozinha
O curso para quem gosta de ver o Master Chef e acha que faz uma massa com atum soberba. Ser chef virou moda, há uns anos, com o Gordon Ramsay e todos anseiam ser os próximos cozinheiros que se intitulam chefs só porque fazem comida presunçosa e cobram muito mais do que o que ela vale. Na verdade, vão ter uma vida de cão, com horários horríveis e uma pressão constante, tudo isto sem ganharem nada de especial. A vantagem é que não vão precisar de muito dinheiro porque comem no restaurante e não terão tempo para ter vida social onde gastar o ordenado.

Sociologia
O desemprego é tanto que o mais perto que os licenciados de sociologia estarão de trabalhar na área é num call center. Sim, vão ter muitos assuntos de conversa para tornar as madrugadas interessantes, mas só terão os bêbedos da tasca a aturar-vos porque os vossos amigos foram para casa cedo porque ao contrário de vós, têm trabalho no dia seguinte.

Economia
O país bem precisa de bons economistas, mas o emprego nesta área também está em crise. No entanto, vai ser bom ter noções de economia para saber gerir melhor o subsídio de desemprego e começar a guardar bolachinhas de água e sal para a reforma.

Psicologia
O curso escolhido por pessoas com pancada na cabeça e que pensam que vão finalmente perceber o que lhes vai dentro da alma. Vão achar que conhecem bem a mente humana e que são muito bons a jogar Poker. Acabam por ter sempre várias desilusões amorosas porque interpretaram mal os sinais e a única sequência que vão ter é a de candidaturas espontâneas rejeitadas.

Marketing
Há quem diga que será um dos cursos com mais saída nos próximos cinco anos, mas se calhar é tudo marketing de quem está interessado em receber o dinheiro das propinas. Devem pensar que eu não os topei.

Professor
Está mau para os professores. Ordenados baixos e toda a gente os odeia porque acha que eles protestam demais por melhores condições de trabalho. Quem quer mesmo ser professor que vá para a Finlândia em vez de querer educar putos ranhosos cá em Portugal.

Arquitectura
Longe vai o tempo em que os pais tinham orgulho que os filhos fossem arquitectos. Hoje, a taxa de desemprego é altíssima e já só lhes valem as piadas com o Tomás Taveira. Muitos dos arquitectos licenciados em Portugal, a única coisa que vêem nascer da sua criatividade são os móveis do IKEA que empilham no armazém.

Direito
Direito é aquele curso que continua a receber centenas e centenas de caloiros todos os anos que sonham ter aquela profissão que vêem nos filmes onde os advogados são sempre pessoal com pinta e que fazem umas alegações em cheias de estilo. Enganaram-vos. Primeiro, apenas metade vai ter trabalho na área; segundo, vão andar a lamber artigos e códigos enquanto o dono do escritório de advogados ganha balúrdios porque vos está a pagar zero euros durante os anos que vão estar como estagiários não remunerados. Aos outros, o direito só vai dar jeito para saberem as leis do Centro de Emprego e saberem os direitos do consumidor quando eles vos exigirem o livro de reclamações porque o Big Mac não tinha pickles.

Línguas
O único uso que vão dar às línguas que aprendem será nas festas de Erasmus e depois para emigrar quando perceberem que foram totós em ir tirar um curso destes. Excepções feitas para o Mandarim e o Árabe, que não só têm procura para intérpretes e tradutores, como será útil quando o mundo for dominado por eles.

Artes
LOL

Cinema
Usas óculos redondos de massa, tens uma camisa aos quadrados e barba hipster e achas que o Tarantino e o Woody Allen são medíocres? Tens um iPhone e achas que os vídeos que fazes nas festas de aniversário são dignos de Kubrick? Então este é o curso para ti. Vais para o desemprego, mas podes queixar-te que é só porque há falta de apoios em Portugal.

Design
Fizeste umas montagens em Paint para o Salão neurótico e achas que era muito fixe fazer do design a tua vida? Está quieto, já toda a gente sabe mexer no Photoshop e no Illustrator. Depois admiras-te que os únicos bonecos que vais montar são na reposição de stock do Toys R Us, com as crianças a olharem escandalizadas para ti enquanto violas uma powerpuff girl de peluche, e as mães dizem aos filhos que é por tua causa que eles têm de estudar para ser alguém na vida.

Engenharia Civil
É aquele curso para onde quem vai quem quer ser engenheiro sem ter de estudar muito e, por isso, no fim, ficam no desemprego. No IST, Engenharia Civil era apelidado de Turismo porque havia o preconceito de que só lá andavam a passear. Talvez fosse inveja por ser o pavilhão que tinha mais gajas. Se queres passar o dia nas obras, vai antes para trolha que tem mais saída.

Ecologia e Paisagismo
Este curso no Politécnico de Viseu tem dois licenciados e dois inscritos no Centro de Emprego. É o único curso com 100% de taxa de desemprego e queria apenas dar os parabéns a esses dois jovens que acharam que ia ser uma boa escolha. Metessem mais tabaco.

Espero que isto tenha ajudado muitos de vós e que partilhem com quem conhecem que está prestes a escolher o seu futuro. Lembrem-se que um curso superior não quer dizer nada e que há electricistas e canalizadores a ganharem mais à hora do que qualquer médico ou engenheiro. Se não sabem o que querem ser e só vão para a faculdade porque é o que vos ditaram como sendo o próximo passo, mais vale tirarem um ano e irem viajar. Sempre é uma forma mais honesta e mais produtiva de chular dinheiro aos vossos pais enquanto passam o dia a beber copos.





Gostaste? Odiaste? Deixa o teu comentário: