30 de janeiro de 2018

Celibato, ejaculação precoce e animais de estimação



Como é, meus caros? Estamos rijos e com vontade de ajavardar com classe? Vamos, então, a mais uma consulta "Doutor G explica como se faz".


Olá Dr. G, acontece que sou comprometida e feliz há 2 anos e ele pediu-me em casamento e vamos casar daqui a dois anos. Mas o problema é que eu tenho um gato há 3 anos e fui eu que sempre cuidei dele e o meu namorado diz que não quer esses bichos nem nenhum a viver na casa dele. Não sei o que faça, eu sempre adorei bichos. Ajude-me.    
Olga, 27, Lisboa

Doutor G: Cara Olga, é uma situação comum, infelizmente. Como só vão casar daqui a dois anos, é esperar e ver se o gato morre, entretanto, ou se a vossa relação não dura até lá. No entanto, o meu conselho é que metas já o animal para adopção a ver se alguém lhe pega. Quando digo animal, refiro-me ao teu namorado, claro. Por falar em animais, vou estar numa noite de stand-up comedy solidário, juntamente com outros humoristas, promovido pela ONG ANIMAL, que será já dia 3 de Fevereiro, em Cascais. Reservas e informações neste link.


Boas Dr. G. estou a estudar Teologia neste momento, não num seminário (apesar de ter feito o seminário até ao 10º ano). A ocorrência é que estou a caminho de um impasse na minha vida. Tenho namorada, no entanto a minha vocação não me parece completamente definida e desde que ingressei no curso de Teologia que me fascina outra vez esta opção do presbitério (grande parte dos professores são padres e vê-los com modelos de vida é extraordinário), e não deixo de pensar que a minha vocação possa ser, desde já, a ordenação e a pregação a tempo inteiro da Boa Nova. A inquietação está em como perceber a minha vocação - marido ou presbítero? Existe algo que possa fazer para testar? Não consigo deixar de pensar no amor que tenho pela minha namorada e no amor que tenho por Jesus Cristo. Desde já um muito obrigado, Que a paz de Jesus Cristo esteja contigo. 
Anónimo, 23, Porto

Doutor G: Caro Anónimo, há uma forma fácil de testar: quando rezas ficas de pau feito e Jesus faz-te um bico? Se não for esse o caso, escolhe antes a namorada que me parece que ela faz mais por ti do que Jesus que, aliás, nunca pediu a ninguém que deixasse de pinar por causa dele. Se Deus nos deu o orgasmo (e às mulheres os múltiplos) não foi para ficarmos com as miudezas a ganhar bolor.


Caro doutor, no meu último envolvimento andamos a ali a enrolar no vai não vai e não passava dos amassos, mas eu sempre quis experimentar praticar o amor com ele, pois ele era de raça negra e sempre tive curiosidade. Um dia lá avança-mos. Eu tinha grandes expectativas, mas no fim, acabei extremamente desiludida, "not even a minut?". Agora não sei se devo dar uma segunda oportunidade e achar que a primeira correu mal e que a segunda vai ser melhor ou desistir simplesmente.
A, 20, Guimarães

Doutor G: Cara A, primeiro, parece-me que é um pouco racista quereres experimentar o rapaz só porque ele é de raça negra, mas pronto, é uma espécie de discriminação positiva e preenchimento de quotas, por isso deixo passar. O que não posso deixar passar é a palavra "avança-mos". Fiquei com urticária e se por acaso isto fosse o chat do Tinder e me escrevesses isso, a minha enguia trapalhona escondia-se mais depressa do que uma tartaruga a ouvir o grasnar de uma gaivota. Fiquei tão baralhado que até li "not even a minete", pensando que o rapaz tinha descurado os preliminares. Depois, percebi que estamos a falar de um caso de ejaculação precoce que nem espaço para preliminares teve. Tudo depende: ele achou que o tempo foi normal e ficou satisfeito ou pediu desculpa pelo sucedido? Se foi o primeiro caso, acho que não deves dar uma segunda hipótese já que estamos na presença de um homem egoísta - que são a maioria. Se foi o segundo, é encarares como um elogio e dares uma segunda oportunidade onde ele, provavelmente, se irá esforçar. Não te esqueças que sendo ele negro, não pode ter erecções durante muito tempo senão falta-lhe sangue no cérebro e desmaia.


Boas caro Doutor! Estive namorado 3 anos, entretanto tudo acabou. Passados uns tempos, comecei a falar com umas miudas e tal, a coisa correu bem com uma, ja existia quimica, porque ja nos conheciamos antes e existia conversas quentes mas devio a ela estar namorada nunca foi nada para frente. Mas deixamos de nos falar durante uns tempos, que acontece foi que eu terminei o meu ela terminou o seu, e as conversas voltaram ao que eram, até que chegou a altura de acontecer beijos e conhecer o sistema de cada um! Sempre com ela a dizer que nao cria passar nada disso, visto que tinhamos uma boa amizade, o que acontece certo dia sem mais nem menos deixa-me de me falar, tentei saber que se passou mas sempre sem resposta.   
Anonimo, 22, Lisboa

Doutor G: Caro Anónimo, ela arranjou outro. Fácil. Limpinho, limpinho. Nem vale a pena pensares mais. Deixo um fluxograma para te ajudar a perceber:
Ou isso, ou deixou-te porque não sabes escrever e ela «cria» um homem com pelo menos a quarta classe feita. Passem as dúvidas no corrector, é o mínimo que podem fazer em consideração com o Doutor G, que presta serviços de forma gratuita. Esta dúvida até me deu refluxo gástrico e cancro nos olhos.


Doutor G, escrevo-lhe aquilo que todos os dias está nos meus pensamentos: Será que ler o 'Doutor G explica como se faz' me está a tornar viciada em sexo e assuntos do género? Isto é: o facto de acompanhar, assiduamente, o seu blogue está a tornar-me "obcecada" em matéria de sexo? Ou significa que gosto de me intrometer e conhecer a vida sexual de outras pessoas? 
Ana, 24, Lisboa

Doutor G: Cara Ana, embora gostasse de acreditar que o Doutor G tem o poder de viciar as pessoas em sexo, especialmente as do género feminino, e apenas através da escrita e não da sua prática, temo que o mérito não seja meu. Devia ser apenas um lado teu que estava adormecido e que acordou ao ler tanta javardeira com classe. Deixa-me dizer-te que sinto que esta dúvida pode ser considerada como assédio à minha pessoa e que há aí um convite implícito para uma consulta privada. No entanto, vou esperar que um dia sejas famosa e recebas um Globo de Ouro para me ir queixar às revistas.


Caro Dr. G, conheci uma rapariga há 2 ou 3 meses, ela tem 20 eu tenho 29 e gosto dela e ela sabe isso. Já falei com ela e disse-lhe abertamente que queria ter algo com ela, não para ajavardar ou apenas aproveitar-me de uma fraqueza que, quiçá, ela tenha, mas sim começar um namoro minimamente decente. Continuamos a falar e a ser amigos, mas ela ate agora ainda não se decidiu e tem dias que fala bem, manda msgs, telefona, trata-me com carinho etc... há outros que nem bom dia me diz. Ajude-me Dr. 
Anónimo, 29, Setúbal 

Doutor G: Caro Anónimo, se ela ainda está a decidir é porque já decidiu que não quer nada sério contigo. Continua a falar contigo de vez em quando porque gosta da atenção que tu lhe dás e gosta de ter um banco de suplentes recheado, que é para conseguir lutar em todas as frentes e fazer boa figura na Europa. Deixa que seja ela a tomar a iniciativa e deixa de lhe dar tanta atenção. Já fizeste a tua parte e abriste o teu coração, agora é esperar e ver o que acontece. Talvez o teu erro tenha sido dizeres-lhe que não a querias para ajavardar. As mulheres, embora digam que não, gostam que um homem olhe para elas como o Lobo Mau olhava para a avozinha do Capuchinho Vermelho. Capuchinho Vermelho pode ser uma metáfora para o capuz do clitóris, sendo que, se estiver vermelho, é melhor ela ir ao médico.


Está feito. Não esquecer que o Doutor G vai estar presente no último espectáculo desta minha primeira tour, dia 16 de Fevereiro, na Damaia. É coisa para esgotar, por isso agarrem os vossos bilhetes na FNAC ou neste linkObrigado a todos e, como sempre, até para a semana e continuem a enviar as vossas dúvidas para porfalarnoutracoisa@gmail.com. 


Façam muito amor à bruta porque de guerras o mundo já está cheio.




PODES SEGUIR-ME NO INSTAGRAM

Gostaste? Odiaste? Deixa o teu comentário: