22 de janeiro de 2018

Amor depois dos cinquenta, Tinder e Danceterias



Antes de começar, deixo apenas um conselho: usem preservativo para não acabarem no programa da Super Nanny. Vamos a mais uma consulta "Doutor G explica como se faz".


Esta anónima quase cinquentona precisa de si! Não é que acabo de sair de um (segundo) relacionamento longo, ando a brincar no Tinder e de repente me vejo com um outro cinquentão (divorciado) completamente apaixonado? Mas quando digo completamente, quero dizer que nos conhecemos há 2 meses e quer apresentar-me os filhos. Algo que nunca fez antes com nenhuma das minha predecessoras. A coisa não tem corrido mal, nem bem. O rapaz é esforçado mas falta-lhe alguma cultura geral no que toca a orgasmos femininos e ainda por cima, eu acho que estou com um bloqueio qualquer e não os consigo atingir, nem com o meu próprio esforço manual. Confesso que gosto da atenção e da companhia, até me sinto orgulhosa por ter sido eleita para ser apresentada à família. Mas não se brinca com crianças e eu começo a estar um pouco impaciente com tanta atenção e pegojosice. A questão é como aliviar a pressão de tudo isto, recuperar algum tempo para mim com jeitinho porque não gosto de magoar pessoas. 
Anónima, 55, Benfica

Doutor G: Cara Anónima, é com muito gosto que vejo uma cinquentona a usar o Tinder. Nem consigo ensinar a minha mãe a fazer tabelas no Word e é bom ver que as gerações mais antigas estão a fazer pela vida e a dominar as novas tecnologias. A falta de aconchego nas virilhas é um bom incentivo para aprender, está visto. Vamos por partes:

  1. Quando se diz que alguém é "esforçado" no sexo, é como dizer que é uma merda. Nunca digas a ninguém que é "esforçado".
  2. Se também não os consegues atingir sozinha, talvez o problema não seja dele.
  3. Se não queres nada sério, só tens de ser directa e dizer-lhe, especialmente antes dos filhos dele te tratarem por mãe ou madrasta safada.
É isto. Já tendes idade suficiente para não precisarem de joguinhos. Diz-lhe que queres ir com calma e que tens visto a Super Nanny e que não tens interesse em conhecer os filhos dele, para já. Depois, logo se vê. Resolve é o teu problema orgásmico que isso é que é importante, vê lá se não é a menopausa ou assim e precisas de tratamento hormonal. Com os orgasmos não se brinca.


Conheci uma miúda à uns bons anos atrás, porém só mais recentemente é que temos falado. Problema, ela tem namorado (que não lhe liga nenhuma). Tenho andado a sair com ela, mas a manter a distância e numa só de amigo. Ela tem dado sinais de que está "in" e eu muitas vezes divago esses sinais e brinco com eles, claro que há frases chave que ela vai dando (seja escritas ou orais) que ficam, como por exemplo: "vou levar-te para a cama "; "todos têm direito a uma aventura ". Até que ela agora fez... bom, disse que se ia afastar e que tinha passado uma linha, depois a treta do costume de "não és tu, sou eu"... Com esta treta toda eu que realmente estava habituado a falar todos os dias com ela e o que eu pensava que "ok, na boa e percebo perfeitamente", dou por mim a sentir realmente a falta dela e a pensar nela de outras maneiras que não só a de amizade. Embora lhe tenha dito que compreendia e querer respeitar a distância que ela quer dar, também estou em conflicto próprio por querer ir atrás dela e não a deixar afastar-se assim...
Anónimo, 27, Leiria

Doutor G: Caro Anónimo, já HÁ muito tempo que não havia uma dúvida com essa calinada. Eu a pensar que já tinha conseguido ensinar toda a gente, mas parece que não. Ora bem, vamos aqui ver as várias hipóteses:

  1. Ela é uma porca;
  2. Ela é uma cock teaser;
  3. Ela só precisava da tua atenção;
  4. Ela sente-se atraída por ti, mas não quer trair nem deixar o namorado.
Partindo do princípio que as três primeiras hipóteses são as mais prováveis, o meu conselho é que te afastes já que só te irás magoar. A primeira hipótese não seria má, já que era sinal que podias molhar o bico ou ter um bico molhado. A segunda e terceira, são sinal que ela só quer é flirt e que lhe subam o ego e que se está a borrifar para os teus sentimentos. A quarta opção, será a única na qual os teus avanços podem funcionar: água mole em pedra dura, tantas vezes vai à fonte que stick para a barbucha e esses ditados populares com um fundo de verdade. Outra questão importante é: o namorado dela é muito grande? Convém ter isso em conta antes de avançar para uma rapariga comprometida, mesmo que ela diga que ele não lhe liga nenhuma, até porque isso, provavelmente, é treta que ela diz só para não parecer uma porquitxona. Agora, faz o que quiseres com esta informação.


Olá Dr. G, para mim é difícil relacionar-me com alguém, pelo que digo ao meus parceiros que não me quero envolver a nível emocional e o que temos é apenas uma curte. Acontece que comecei a ter sentimentos por um em especial. Foi com receio que lhe disse que gostava e tinha interesse por ele. E ele disse gostar de mim e que não iria desistir. Encontrámo-nos (sem que nada se passasse entre nós) e ele afirmava sempre ter interesse. Depois disso, rolaram alguns beijos e amassos. Disse-me para irmos com calma, eu perguntei-lhe quando poderíamos repetir e respondeu-me que estaríamos juntos na semana seguinte. Durante aquele fim de semana afastou-se e quando o confrontei ele disse ter perdido o interesse. A única explicação para a perda de interesse ser instantânea é o sentimento nunca ter sido verdadeiro, certo? Ele manipulou-me para que eu pensasse que gostava de mim e porque ele gostava da atenção que lhe dava? Confessar o que se sente, sem jogos de sedução, é errado?    
PJ, 24, Amarante

Doutor G: Cara PJ, para quem tem essas iniciais, devias ser melhor a investigar e observar as provas. Não me parece que ele nunca tenha estado interessado, pois se estivesse apenas a simular para te manipular, só iria desistir e dizer que perdeu o interesse quando te levasse para a cama e consumasse o estica a enguia zarolha. Por isso, parece-me que houve qualquer coisa nos beijos e nos amassos que o fizeram perder a pica. Talvez tivesses o telemóvel no bolso e ele tenha pensado que era uma pila, não sei. Talvez tenhas beijado mal ou comido alho nesse dia, nunca saberemos.


Saudações, caro Doutor G, nos últimos anos da minha vida tenho lidado com uma depressão, o que acaba por afectar bastante a minha vida amorosa. Até aos dias de hoje não tive sucesso nesse ramo e muito por minha culpa, reconheço. Apesar de já terem aparecido algumas oportunidades, acabei por rejeitá-las devido a reconhecer a minha condição, visto que acredito naquela filosofia de que antes de estarmos bem com alguém temos de estar bem com nós próprios. Para além disso, sei que não sou uma pessoa fácil de lidar. Tenho uma tendência para o pessimismo e para muitas queixas e pouca acção. Onde é que se estabelece a linha entre o ter o direito de procurar felicidade com outra pessoa e o esperar para estar numa situação mais saudável antes de ir nessa busca?  
Pedro, 22, Lisboa

Doutor G: Caro Pedro, primeiro que tudo, espero que já tenhas procurado ajuda profissional e não estou a falar das meninas do Portal Privado. Não há vergonha nenhuma em recorrer a um psicólogo, até porque estás a ajudar uma classe profissional que está com pouco emprego. Depois, acho que podes e deves procurar a felicidade, mesmo ainda estando mal, desde que percebas que não pode ser a outra pessoa a tirar-te da depressão, mas sim tu mesmo. E tens de perceber que, talvez, um desgosto amoroso nesta altura só te vá fazer mal. Por isso, acho que podes e deves conviver e aproximar-te de outras pessoas, mas vai com calma até porque na tua situação é normal que te apaixones pelo primeiro pipi alheio pois vais confundir os sentimentos e agarrar-te ao que te fez sentir bem, mesmo que só da cintura para baixo. Acima de tudo, rodeia-te dos teus amigos e familiares e arranja hobbies. Se um desses hobbies for funaná pelado, tudo bem. A depressão demora tempo a curar e muitas nunca se curam e apenas se aprendem a lidar com elas. No fundo, é como se estivesses casado: é para sempre e, na maioria dos casos, deprimente.


Olá Dr. G, conheci uma pessoa interessante na passagem de ano e depois das 12 badaladas coiso e nos dois dias seguintes mais coiso e foi tudo muito escaldante e maravilhoso. Mas ele depois teve que ir uma semana de viagem em trabalho, acontece que ele já voltou há uma semana e ainda não me disse nada. Neste caso o que acha que faça Dr.? Espero que ele me diga algo ou tomo eu a iniciativa? É que foi um sexo maravilhoso.
Sara, 35, Lisboa

Doutor G: Cara Sara, espero que tenha dado tempo para mastigar e engolir as passas antes de coiso. Ora bem, tendo em conta que foi ele que voltou de viagem, deveria ser ele a dizer alguma coisa e o facto de não o fazer poderá ser indício de que já não quer coiso contigo ou que andou a coisar com outra durante a semana de trabalho. No entanto, não falaram durante a semana de ausência? Acho estranho. Se sabias quando ele voltava, ele também poderá estar a pensar que não lhe disseste nada e que podes não ter interesse em voltar a vê-lo. Por isso, podes, só por descargo de consciência, tomar tu a iniciativa e ver o que ele diz. Se ele der uma  das seguintes desculpas, é porque não quer mais coiso contigo:

  • Ando com pouco tempo agora porque estou cheio de trabalho;
  • Estou muito cansado;
  • Hoje não dá, mas depois digo-te alguma coisa quando conseguir;
Se ele disser uma destas coisas, é porque o sexo só foi escaldante e maravilhoso para um de vocês. Acontece.


Antes de fecharmos a loja, vou só deixar aqui as minhas próximas datas de stand-up comedy antes de me afastar dos palcos durante uns bons tempos.

26 Janeiro - Castelo Branco - Stand up Sessions comigo, Hugo Sousa, Eduardo Madeira, Jel e João Seabra. Bilhetes nos locais habituais e neste link.
27 Janeiro - Guimarães - Stand up Sessions comigo, Hugo Sousa, Eduardo Madeira, Jel e João Seabra. Bilhetes nos locais habituais e neste link.
3 Fevereiro - Cascais - Evento solidário que reverte a favor da ANIMAL, comigo, Cátia Domingues, Guilherme Fonseca, Dário Guerreiro, Hugo Rosa e apresentado por Nuno Markl. Informações e reservas neste link.
16 Fevereiro - Damaia - A última data do meu primeiro espectáculo a solo e a última oportunidade de ver o Doutor G ao vivo. Bilhetes nos locais habituais e neste link.

E agora, sim, vamos à nossa vida e, como sempre, até para a semana e continuem a enviar as vossas dúvidas para porfalarnoutracoisa@gmail.com. 


Partilhem e façam amor muito à bruta porque de guerras o mundo já está cheio.






Gostaste? Odiaste? Deixa o teu comentário: