2 de janeiro de 2018

E o prémio Coninhas do Ano vai para...



Espero que já tenham curado a ressaca que vamos dar início à cerimónia de entrega dos prémios Por Falar Noutra Coisa 2017. Obrigado às mais de dez mil pessoas que votaram, fazendo desta gala a entrega de prémios mais importante do ano. Vamos lá revelar os melhores, ou piores, de 2017 e que este ano nos traga mais motivos para rir. E os vencedores são...

E o vencedor na categoria «Moda Parva do ano» é...

Com alguma vantagem, os Fidget Spinners arrecadam o prémio da moda parva do ano. Felizmente e ao contrário de outras, pareceu uma moda fugaz e que já tem os dias contados. Outras modas parvas de 2017 podem ser encontradas neste texto.


E o vencedor na categoria «Indignação Parva do ano» é...

O célebre episódio do PeidoGate a levar para casa o prémio da categoria mais renhida este ano. Talvez, tenha, de facto, sido a indignação mais parva do ano, embora o caso dos livros da Porto Editora e a piada do João Quadros, devam merecer mais a nossa atenção já que as consequências para a nossa sociedade podem ser maiores. Podem encontrar um texto sobre o Salvador e o Peido neste link.


E o vencedor na categoria «Batalha do ano» é...

Infelizmente, os seguranças do Urban não podem estar presentes para receber este prémio, já que se encontram em prisão preventiva. Se quiserem ser seguranças do Urban, podem dar uma olhadela neste texto e enviar CV.


E o vencedor na categoria «Tragédia do ano» é...

Vocês não sabem andar nisto. Então, mas agora é para votar em consciência e de forma sensata? Que palermice. Obviamente que quem devia ter ganho a tragédia do ano deviam ter sido os homens que usam calças rasgadas nos joelhos ou o novo vídeo da Ana Malhoa. Incêndios? Poupem-me. Ao pé das outras tragédias, esta é secundária. Mas enfim, o povo é soberano e decidiu. Textos sobre incêndios aqui e aqui.


E o vencedor na categoria «Atraso Mental do ano» é...

Muita gente leu "Atrasado Mental" do ano, mas é "Atraso Mental" do ano. No entanto, isso não influenciou negativamente a votação e o Juiz Neto de Moura ganhou, embora me pareça que não terá sido apenas um acidente pontual de paragem cerebral e o senhor é mesmo atrasado no dia a dia. Quem quiser ler ou reler o que escrevi na altura sobre este caso, aqui fica o link.


E o vencedor na categoria «Fail do ano» é...

Ver os nuestros hermanos a cair de fronha no lancil tem sempre piada, não é? O processo de independência da Catalunha a levar para casa o prémio de falhanço do ano. Não escrevi sobre este assunto, mas escrevi sobre a independência da Amadora neste texto.


E o vencedor na categoria «Coninhas do ano» é...

E o prémio mais importante do ano é entregue a Paula Brito e Costa, directora da Raríssimas. Fica assim eleito, ou eleita neste caso, a Coninhas 2017. A Paula tem de ponderar o que anda a fazer com a sua vida, pois ganhar o prémio de Coninhas à Maria Vieira é sinal que temos de repensar tudo o que andamos a fazer. O meu texto de homenagem a esta senhora pode ser encontrado neste link.


Obrigado a todos os que votaram. Sem vocês esta entrega de prémios não faria sentido. Como disse, vou sortear 5 exemplares do meu novo livro "Chapadas à Padrasto" e entre hoje e amanhã vão receber um email: ou a dizer que foram os vencedores, ou com um link para comprarem o livro. Toda a gente recebe email que eu não gosto daquelas empresas que depois da entrevista de emprego nunca dizem nada caso não sejam contratados. Sou um gajo fixe, eu sei. Bom 2018.



PODES SEGUIR-ME NO INSTAGRAM

Gostaste? Odiaste? Deixa o teu comentário: