20 de abril de 2015

Panhonhas, xoninhas, pelos púbicos e virgindade



Bom dia pessoas razoavelmente fofinhas. É segunda-feira, aquele dia que todos detestamos, mas para piorar ainda mais é dia do consultório sentimental, sexual vá, "Doutor G explica como se faz". Vamos a isto que já chega de preliminares.


 
Caro Doutor G, um amigo da terrinha namora com uma rapariga que conheceu há pouco mais de 1 ano e já pensam em casar em 2016. Este individuo para estar com a namorada anterior, faziam (ele ou ela) cerca de 30 km e era só beijinhos. O que me parece que está a acontecer é que ele neste momento apanhou uma que lhe deixa molhar o pincel, e sente que é o homem mais feliz do mundo. Até aqui, tudo +/- bem. O problema é que sempre que eles estão juntos ele muda de personalidade e transforma-se num autêntico cocó, abrindo a boca apenas para respirar e a carteira para manter a menina. Será que eu e mais dois ou três amigos o devemos embebedar bem embebedado e levá-lo até Vigo a ver se ele se apercebe que as de lá pelo menos não o obrigam a ser outra pessoa para lhe esvaziarem a carteira?
Vitorino, 25, Minho

Doutor G: Caro Vitorino, há efectivamente muitos homens e mulheres também, que abdicam da sua própria personalidade quando estão numa relação amorosa. Existem até termos técnicos para denominar esse tipo de pessoas, desde panhonhas, xoninhas ou como mais vulgarmente são conhecidos, os bananas. Os bananas não têm cura, de nada serve levá-lo a Vigo, a Praga ou à recta das meninas da Reboleira. Ele abrirá os olhos mais tarde ou ficará para sempre nesse modo vegetal. Podem dar-lhe dois pares de estalos, que embora não resolvam nada, é giro de se fazer.


Doutor G, comecei a desenvolver sentimentos por um amigo e descobri, ao desabafar sobre a minha paixoneta com outros amigos, que ele gostava de mim já há algum tempo. Beijamo-nos passadas umas semanas, mas depois disse-me que estava "confuso", "atraído por mim, mas confuso", algo que interpretei como "é pá afinal não estou interessado em ti". Tudo ok, tive o meu desgosto, mas tentei ignorar os meus sentimentos em nome da nossa amizade. O único problema é que ele me está constantemente a provocar e a dar-me sinais que gosta de mim. O nosso círculo de amigos já todo reparou nisto e na nossa tão óbvia tensão sexual e sinto que estou na friend zone porque isto já se prolonga há meses. Não consigo passar para outra, mas, simultaneamente, acho que isto nunca há-de desenvolver... 
Anónima, 20, Lisboa

Doutor G: Cara Anónima, pode ter-se dado o caso de seres um destes 10 tipos de pessoas que não sabem beijar, o que o terá levado a mudar de ideias. Tens duas opções: apanharem uma bebedeira e andarem à bulha todos pelados ou esqueceres e partires (para) outro. Tens que o encostar à parede e dizer "Provocaste, agora vais ter que provar". As mulheres saem facilmente da friendzone mostrando os seios. Este conselho foi de borla.


Caro Doutor G, é o Pedro xoninhas da edição Doutor G de 16 de Março. Como me disse, falei um bocado com a rapariga no face, ela deu-me o número dela, e começamos a falar. O problema é que ela é tão ou mais tímida do que eu. Falei-lhe em levá-la à escola de mota, nada, de carro também não, perguntei-lhe se queria ir ao cinema, também não queria ir comigo porque não se ia sentir confortável, mesmo se não fôssemos só nós os dois, e, já que ela gosta disso, perguntei-lhe se não queria ir jogar snooker um dia comigo. Também não quer. Mas também lhe disse que se calhar ainda a ensinava a andar de mota e ela disse que ainda podia gostar disso. Mas ao fim de falar com ela durante mais um bocado de tempo, numa conversa mais "séria" em que tentei perceber o porquê de ela não querer fazer nada comigo, ela disse-me que não estava interessada em encontros nem nada dessas coisas. Será que com isso ela quis dizer que não está interessada em mim como namorado, não está interessada em arranjar namorado, ou quis dizer outra coisa? Acha que vale a pena continuar a tentar?
Pedro, 18, Entroncamento 

Doutor G: Caro Pedro, lamento informar-te mas uma mulher que recusa um convite, seja para o que for, é porque não está interessada. Então rejeitar tantos ainda pior. Pode dar-se o caso de ela ao dizer que não está interessada em encontros querer realmente dizer que só quer festa rija no leito. Convida-a para ir dar uma volta no banco de trás da tua mota e no fim mete um emoticon a piscar o olho. Se ela recusar, arranja uma outra com mamas maiores, só para lhe meteres inveja.


Caro Dr. G, tenho um amigo já de longa data com quem comecei a ter uma relação mais intima, uma espécie de amigos coloridos. Isto já dura à quase um ano e não passamos disto, amigos. Ele diz que gosta muito de mim mas tem medo de assumir uma relação pois acha que não esta preparado, sendo que nunca teve nenhuma namorada nem nada parecido. Temos muitos amigos em comum e inclusive conheço quase toda a família dele, será que é por isso que ele não quer assumir uma relação? Qual é a sua opinião? 
S, 19 anos, Porto

Doutor G: Cara S, já reparaste que ao verbalizar S, parece Ass? Coisas da vida. Adiante, a minha opinião é que homem, ou mulher que diga que não está preparado para assumir uma relação séria, quer apenas e só dizer, que quer ter todos os privilégios de um namoro, com as vantagens de estar solteiro e poder fazer o que bem lhe apetecer. Há também casos onde isso pode acontecer porque a outra pessoa mete medo ao susto e ele tem vergonha de assumir algo sério. Nunca te vi, por isso não posso opinar. Seja como for, se ele não quiser realmente assumir nada contigo parte para outro. Pode ser que depois dele ver que sem namoro não vê pipi, mude de ideias. Os homens são uns porcos.


Caro Doutor G, devo começar por dizer que me considero um rapaz relativamente bem parecido e com boas qualidades mas sou muito tímido e com pouca confiança. Ao longo destes anos, só tive uma namorada e comi uma gaja na queima (ela claramente queria mais que eu). Sinto que estou a desperdiçar os potenciais melhores anos para viver e quero mudar isso. Gostava de experimentar mais do que o mercado tem para oferecer, mas não creio ter os recursos necessários para o fazer. O Doutor tem algum tutorial de como comer gajas em discotecas ou de como ultrapassar a falta de confiança sabendo aceitar uma ou outra nega?
João, 21, Coimbra

Doutor G: Caro João, o Doutor G nunca foi gajo de engate em discotecas. Sempre fui mais pescador que caçador, elas se quisessem muito que viessem morder a minhoca, que andar nas discotecas a meter conversa não é para mim. De qualquer forma o tutorial simples é apenas estatística. Quantas mais tentativas, maior a probabilidade de haver uma que queira forrobodó. O facto de tentares traz também a vantagem de te ires habituando às negas e com esse hábito vem a confiança e a facilidade de entrares no modo "estou-me a cagar". Normalmente as mulheres apreciam esse modo, desde que não literal. Experimenta diferentes abordagens e para maximizares a taxa de sucesso vai à mais feia do grupo, que é o que os predadores fazem quando caçam gazelas. Encontra a tua gazela coxa e ataca-lhe a jugular, com sorte foi ela que levou o carro e nem gastas dinheiro no táxi.


Caro Dr. G, sou virgem e não por opção. Pensei que isso ia mudar quando entrasse para a faculdade, mas já estou a meio do segundo ano e nunca tive um namorado. Ando a ficar cada vez mais excitada. Já não posso ver um pepino na loja da Ti’Maria que não fique logo com a pussy a miar e afagá-la já não me chega. O que hei-de fazer?
Carla, 20, Coimbra

Doutor G: Cara Carla, uma mulher só é virgem se quiser. Se me dizes que não queres e não consegues resolver o assunto tenho que partir do princípio que te assemelhas a um mastodonte mal conservado em gelo glaciar. Se estou enganado então o que te está a faltar é atitude e mostrar que estás disponível nos rituais de acasalamento que se praticam nas discotecas. De qualquer forma, como Doutor tenho que te aconselhar a pensares em perder a virgindade com alguém especial e não com um qualquer gajo que encontres na noite. Até lá, compra uns brinquedos para melhor afagares a gatinha.


Caro Doutor G, Tenho 45 anos, nasci em Inglaterra e sou uma espécie de Zezé Camarinha de Birmingham. Contudo, mudei-me para Portugal há 5 anos com o sonho de praticar o coito com fêmeas que possuam bigode... Infelizmente não tenho tido muito sucesso junto do sexo oposto, uma vez que sinto tal atracção por mulheres com pelos faciais que se torna impossível de evitar as ejaculações prematuras, ejaculações essas que aniquilam qualquer hipótese que eu tenha de seduzir a fêmea em questão. O que recomenda para que eu consiga voltar a entrar em contacto com o macho alfa que há dentro de mim e possa restaurar a confiança e virilidade perdidas de modo a, não só concretizar as minhas fantasias, mas também satisfazer as minhas parceiras?
Emanuel Bacano, 45, Braga

Doutor G: Caro Emanuel, a ejaculação precoce é um problema apenas se o interpretares como tal. Quando isso acontecer, diz-lhes para considerarem um elogio e em seguida limpa-lhes o bigode. Sou nojento, bem sei, mas já devias saber com o que contavas ao enviar-me a tua dúvida. 


Boa tarde Doutor G. A minha questão é a seguinte, eu gostava muito de raspadinhas, sempre gostei, e ainda gosto muito, alias, acho até que estou viciado em raspadinhas, mas ultimamente tem-me apetecido muito deixar as raspadinhas e tentar arranjar uma pentelhuda, mas hoje em dia não é fácil, porque já se vê pouco, já pensei em frequentar dançeterias, e tentar arranjar uma cota, para ver se tenho sorte, o que me aconselha Doutor G.
José Manuel, 32, Évora 

Doutor G: Caro José, o que mais me preocupa no teu caso é teres escrito "dançeteria" com ç. Iço é um herro gravíçimo! Felizmente, graças a Deus todo poderoso, que cada vez há menos mulheres que acham que podem salvar a floresta amazónica, conservando o seu belo matagal intacto. Haverá no entanto, zona do interior de Portugal onde usar-se tal pilosidades ainda seja habitual. Aconselho-te por isso a investir no Portugal profundo, que até há bons subsídios europeus para isso. As cotas, é preciso ter cuidado, porque a partir de uma certa idade os pelos do corpo caem todos.


No passado fim de semana foi a ALTA festa no Porto organizada pela Rádio Festival! Como homem solteiro, costumo vir sempre a estas festas porque descobri que é fácil ter conversa "ao nível da cintura" com raparigas que ainda não estão embriagadas e que muito possivelmente não vejo mais! Então, nesta última festa, encontrei uma rapariga espetacular, tipo "the girl next door", e fiz de tudo para ter "uma jam session" a dois. E estava tudo a correr como planeado, tocou-me ao oboé e tudo! Além de ter soprado um bocado... Só que quando eu quero mais música ela diz-me que é virgem e tem medo que o piercing que eu tenho na ponta do meu "instrumento" fique agarrado ao "íman" dela. Isso é verdade? Acontece mesmo?
Zefas, 27, Ermesinde

Doutor G: Caro Zefas, não sei que tipo de girl next door conheces, mas eu nunca tive nenhuma vizinha que me tocasse uma sinfonia de oboé no dia em que me conheceu. É para casar certamente. Sim, ela está bem informada, é realmente muito comum, aliás a forma de ver se uma mulher é virgem é atirá-la contra o frigorífico e caso lá fique agarrada é porque tem íman. São também as melhores a abrir garrafas de cerveja.


Caro Dr. G, gostaria de lhe pedir a sua opinião num assunto muito particular. Noutro dia, foi a uma festa no Porto com umas amigas com o intuito de me arranjarem alguém. Estava a divertir-me muito a dançar, só que só me apareciam senhores demasiado velhos para mim para dançar. Quando eu já estava prestes a desistir, veio ter comigo um rapaz que me tirou o fôlego! Como eu não tenho muita experiência nestas situações, as minhas amigas deram-me umas dicas como lembrar-me como era quando eu tocava flauta no colégio e coisas assim. Lá tentei pôr estas coisas em prática mas vi que o tal rapaz tinha um brinquinho na ponta da flautinha dele. Eu disse que não podíamos continuar com aquilo porque tinha medo que ficasse colado ao meu "íman". Ele disse-me que isso não podia ser, mas eu estudei isto na escola e sei muito bem que os ímans atraem o metal! Será que devia ter continuado e arriscar ficar ligada ao rapaz?
Damiana, 19, Lordelo

Doutor G: Cara Damiana, que feliz coincidência! Como podes ler na resposta anterior fizeste muito bem. Não sei se o Zefas vai ficar contente que te refiras ao seu membro como flautinha mas pronto, dizem que o tamanho não importa. Podes sempre usar um brinquedo maior, andar a cavalo ou fazer a espargata à bruta para romper o íman. Assim já podes juntar os trapinhos com o Zefas e viver feliz para sempre bem juntos, ficando assim ligados mas sem ser fisicamente pela genitália.



Isto quase que está a ficar uma casa de respeito, não se compreende. Peço-vos que tentem abreviar as vossas questões, ninguém está interessado em saber qual era o nome da festa e quem a organizou por exemplo. Parecem as velhas a dar detalhes desnecessários. Já agora, acham que o tamanho da rubrica está bom? Ou está muito grande? Já me fizeram queixas do tamanho anteriormente, por isso gostava de saber a vossa opinião. Outra coisa, mudei a versão do blogue para telemóveis, se virem que alguma coisa não está bem ou acharem que a anterior era melhor digam-me, se faz favor. Obrigado, sois uns fofos.

Se querem mais para semana já sabem, partilhem e enviem as vossas dúvidas para porfalarnoutracoisa@gmail.com.


Até lá, façam muito amor à bruta, que de guerras o mundo já está cheio.






Gostaste? Odiaste? Deixa o teu comentário: