15 de dezembro de 2015

De badboy a xoninhas e lambimento de carpete



Como vai a vida? Vai andando? Nunca pior? Isso é que interessa. Isto hoje vai ser curto e grosso e, por isso, não percamos muito tempo e vamos a mais uma consulta javarda, mas com classe, na rubrica "Doutor G explica como se faz". 


Caro Dr G., desde muito nova que namoro com o mesmo rapaz. Ele é muito querido, damo-nos muito bem, mas sinto que quando chega a hora H ele não me satisfaz por completo. No entanto, confesso que não sei ao certo se ele me satisfaz ou não. Visto a nossa relação ter começado de tenra idade, foi ele o único com quem ajavardei forte e feio, mas não sei se aquilo que senti foi um orgasmo, ou foi só uma impressãozita. Ele é muito entusiasmado e por isso tenho medo que o problema seja meu. O que hei-de fazer para descobrir Dr.?    
Madalena, 21, Seixal

Doutor G: Cara Madalena, se não tens a certeza se tiveste um orgasmo, então é porque não tiveste um orgasmo. No entanto, para teres essa dúvida, é porque nunca tiveste um orgasmo sozinha a tocar à campainha de Satã. Por isso, embora ele possa não ter muito jeito para o funaná pelado, a culpa principal da tua insatisfação é tua, porque não conheces o teu corpo nem as formas que te dão mais prazer. Portanto, o primeiro passo para o teu problema, é experimentares sozinha, com ou sem brinquedos e/ou utensílios de pastelaria, e dares-te um bom orgasmo como prenda de Natal. Se não chegares lá, vai ao médico ou psicólogo ver o que se passa. Se chegares lá, diz ao teu homem como se faz. Se ele não aprender, ou pior, não estiver interessado em aprender, manda-o dar uma volta ao bilhar pequeno de bolso em 2016.


Boas Dr G! Namorava há 2 anos e a minha namorada (agora ex) acabou comigo,  porque eu reclamava com muita coisa, saídas à noite da universidade, merdas assim, que me faziam ter ciúmes só que antes era um bad boy um cabrão mesmo e ela fartou-se que fosse assim e acabou e agora atira-me tudo à cara do que eu dizia e fazia, agora pareço um xoninhas atrás do osso e já lhe disse que mudei e que ainda mudo mais e que faço tudo, um conas mesmo... Gosto mesmo da rapariga e não sei o que fazer, ela diz "podemos ser amigos para já" "agora não quero ninguém, no futuro não se sabe" , já chegou a dizer "se cresceres eu juro que te quero de novo" , dá esperanças mas depois diz "não quero nada", "tou melhor sozinha", "eu não sei nada do que quero". A minha pergunta basicamente é, o que devo fazer para a reconquistar? Tenho a certeza que se ela não voltar para mim nunca mais encontro alguém de quem eu goste realmente porque sou mesmo esquisito e com ela era realmente feliz e gostáva do que tínhamos... Ela faz anos para o próximo domingo e estou a pensar fazer uma surpresa, apesar de ela dizer que não me quer ver à frente eu vou deixar-lhe um presente que ela sempre quis e mais uns presentes em casa...   
Ex-Badboy, 18, Porto

Doutor G: Caro xoninhas, o karma é tramado. Os ventos que semeaste enquanto badboy, estás agora a colher as tempestades que fazem de ti um xoninhas de primeira. Se ela está com esse jogo e a dizer-te isso é porque provavelmente nunca a vais reconquistar. Quando se diz "No futuro nunca se sabe" é porque já se sabe bem que não se vai querer nada. No entanto, para não ficares a pensar se a podias ter reconquistado, sugiro que lhe ofereças uma excelente prenda de anos que a vai deixar derretida e novamente de beicinho por ti: ofereces-lhe o meu livro! Se isso não resultar, então podes dar o caso como perdido. Pumba! Marketing digital assim mesmo por trás e a à bruta!


Caro Dr. G, há dois anos conheci esta rapariga que era na altura namorada de um amigo. Ora depois de um flirt de parte a parte, envolvemo-nos meia-dúzia de vezes. Ela acabou por voltar para o namorado e eu, xoninhas, apaixonei-me por ela. Neste tempo ela esteve com ele e eu andei com os meus affairs de uma noite com alguns gajos. Entretanto eles acabaram, voltámos a falar e eu, estúpida, percebi que nunca a tinha esquecido e realmente é impossível quando ela é um 10 em tudo, até na arte de plantar arroz que é como quem diz, não consigo manter as cuecas secas. Não sou de desistir e não parei enquanto não me envolvi com ela e entretanto a coisa já dura há 5 meses. Entre muitos escarafunchar no mexilhão com sessões de mergulho no licor de satã , 2 ou 3 dedos de funaná pelado, e algumas variações que o sexo lésbico nos oferece de fazer inveja a qualquer contorcionista de circo, seja em quartos de hotel, praias desertas e o banco de atrás do meu carro, qualquer sitio serve para a prática de lutas greco-romanas. Mas já fora da temática do chavascal, almoçamos e jantamos fora várias vezes, vamos ao cinema, à praia, viajamos juntas... Basicamente como se fossemos um casal. O problema surge quando ela tem fobia em assumir uma relação depois do trauma que o ex lhe causou. Estou sempre a arranjar maneiras de surpreendê-la, não poupo em nada para agradá-la, digo-lhe várias vezes o quanto gosto dela e subtilmente dou a entender mais que isso, mas não consigo fazer com que ela me queira assumir. Alguma ideia para fazê-la render-se de vez aos meus encantos ou será melhor passar mais uns anos a tentar esquecê-la e abandonar a vida de sapata for good?
Margarida, 20, Lisboa

Doutor G: Cara Margarida, essa descrição deixou-me de meia casa. Estou a brincar, sou um gajo muito profissional e nunca deixo que o sangue me aflua do cérebro para outras zonas durante as horas de consulta. O problema é só ela não querer assumir? Não quer assumir uma relação ao mundo ou para ti e considerar-te namorada? Não percebi essa parte. Se vocês fazem tudo como casal e está tudo a correr às mil maravilhas, então deixa de ser gaja e ver problemas onde não há. Se ela gosta de ti e tu dela, o resto vem com o tempo. Andam há 5 meses, o que em relação lésbica é mais ou menos duas semanas. Porquê? Não sei, inventei agora. As mulheres são complicadas, uma relação só de mulheres imagino que seja uma montanha russa emocional diária. Ao menos que sincronizem os períodos para ficarem apenas com uma semana de drama existencial por mês. Diz-lhe que para ti é importante que assumam a relação e logo vês o que ela diz. Se ela não quiser, então é porque também não gosta assim tanto de ti e se calhar está com saudades de rolo de carne ao empurrão. E tu, para quereres abandonar a vida de sapata, se calhar também. Olhem, juntem o útero ao agradável e tragam um terceiro elemento masculino para a relação. Não, não posso ser eu, peço desculpa. 


Bom dia, a dúvida que me prende é a seguinte. Conheci um rapaz, ou melhor, reconheci porque já nos conhecíamos há anos, mais ou menos desde pequenos mas não nos lembrávamos. A sua atitude foi impecável, de tal forma que nem percebi se estava a tentar lançar se ao prémio ou se era só mesmo simpático. Tendo em conta que nos conhecemos na noite e parecia ligeiramente tocado, apostei na primeira. O que acontece Dr G, é que ele ficou de dizer qualquer coisa para nos encontrarmos durante "o dia" mas nada disse, sabendo eu que estávamos a frequentar os mesmos espaços, apenas não nos cruzamos. Uma semana depois voltamo-nos a ver na noite e ele já mais tocado, claramente, veio me pedir desculpa porque não teve tempo mas que na próxima semana é que ia ser. Isto, é de referir, enquanto pedia em namoro e se abraçava a tudo o que era do sexo feminino e, logo antes de dizer a um amigo meu que estava "um bocado interessado em mim". Acrescento que não tenho grandes esperanças, apenas queria saber o que lhe vai na cabeça com este comportamento. Tenho a dizer que o sexo masculino é bem mais complicado que o feminino, não há quem vos entenda.  

Anónima, 19, Algures

Doutor G: Cara Anónima, e porque é que não o convidaste tu em vez de ficares à espera que ele tome a iniciativa? Assim ficavas logo a perceber se ele está ou não interessado e quais as intenções dele em vez de me andar aqui a ocupar espaço no consultório! Pareces as velhas que vão encher as urgências porque estão com picadas que depois vai-se a ver e são gases. Bem, mas já que aqui estamos, só te faço uma pergunta: queres mesmo um gajo que está "um bocadinho" interessado em ti e que se faz a todas as gajas na noite? Se valoriza aí moça! Tem que dar uma valorizada e deixar de querer esses cafajeste! Não seja vagabunda, não.


Caro Doutor G, há 4 meses descobri que uma rapariga tinha uma crush (ter uma paixoneta) por mim. Falamos umas vezes, mas nada de mais se passou. No ultimo mês, descobri que, ela deseja-me para a prática de luta greco-romana debaixo dos lençóis. Não vou mentir, confesso que fiquei em êxtase. Nunca nenhuma rapariga, que eu saiba, demonstrou logo uma vontade de comandar o barco sem me conhecer pessoalmente. Como é óbvio estou entusiasmado para a conhecer pessoalmente. Até porque ela tem um corpo que é uma dádiva de Alá, uma bomba! Mas, o meu receio é não estar à altura das expectativas dela. Será que tenho razão para estes medos, ou deverei apelidar o meu pénis de GALP e partir em busca de petróleo nas profundezas do seu corpo? 
Teixeira, 21, Coimbra

Doutor G: Caro Teixeira, andas há 4 meses a engonhar e no fim ainda te vais queixar que ficas sozinho a tocar um solo de oboé sem direito a maestro nem nada. Só há uma forma de saberes se estás à altura das expectativas dela: é ir em frente. E por trás. E por todos os lados. Deixa de ser um coninhas e pensa que se não for bom para ela, certamente vai ser para ti e que só por isso já vale a pena. Se ela já anda com vontade de te saltar para cima então já tens o trabalho facilitado que o motor já vem aquecido e lubrificado. É só aguentares a cavalagem para não chegares dos 0 aos 100 em 5 segundos. Se por acaso isso acontecer, é continuar a dar voltas até falhar o combustível.


Caro Doutor G, ha cerca de um ano comecei a namorar com um rapaz. No inicia era mel por todo o lado, mas ultimamente sinto-o cada vez mais afastado. Apesar de estarmos a morar em cidades diferentes faço tudo para manter contacto diario. No entanto, nao sinto isso da outra parte. Cada vez vejo menos esforco da parte dele, trocando me quase sempre pelos amigos. Acha que deveria cagar para este gajo que anda afazer perder o meu tempo?
Anónima, 20, Braga

Doutor G: Cara Anónima, as relações à distância não funcionam. Ponto. A não ser que haja perspectivas de estarem juntos em muito breve, o que dada a oferta que existe quando se tem 20 anos, juntando o facto das hormonas estarem a dar mais saltos que o João Baião nos tempos do Big Show SIC, torna-se ainda mais complicado. Quando dizes que ele te troca pelos amigos, estás a dizer que em vez de ficar em casa agarrado ao computador e ou telemóvel a falar contigo, vai sair e divertir-se com os amigos? É um bocado normal. Arranja umas amigas e diverte-te e aproveita a vida também e depois logo se vê. Se ele não se esforça o quanto querias, diz-lhe. Se ele não mudar, manda-o ir à vida.


Caro Doutor G, há uns atrás (penso praí uns 9) numa festa da aldeia, apresentaram-me um pão do qual eu já andava de olho. Infelizmente isso (nem deu tempo para nos conhecer melhor) durou poucos minutos, pois o rapaz foi "ameaçado" que se me fizesse alguma coisa tava tramado. Provavelmente ficou com medo e nunca mais me falou. Ele lá arranjou outra gaja com quem namorou, mas também já não namoram há bué. A razão pela qual estou a escrever é que eu estou num dilema: Apesar de já ter passado uma porrada de anos, sempre achei o gajo um pão, e todos anos na mesma festa, independentemente de não falarmos, trocamos olhares, mas como eu sou tímida não digo nada sem ser olhar. Ora também se o gajo quisesse algo vinha-me falar não? Ou deve ainda estar traumatizado com a ameaça dos anos atrás? xD Sei qual é o facebook dele, aconselha-me a mandar-lhe um pedido de amizade e ver o que acontece? Pois, secalhar se tivesse interessado já me tinha feito um pedido :( o que me aconselha? 
Rapariga Triste, 23, Algures

Doutor G: Cara Tristonha, quando uma dúvida começa com a expressão «festa de aldeia» só pode vir coisa boa. Nove anos nessa merda? Nove anos? Arre foda-se, mas o que é que se passa com a nova geração?! É tudo uma cambada de xoninhas que só sabe interagir pelo Facebook e Tinder e não sabe dizer um «Olá» na vida real? Cum caralho, pah! E são vocês que vão governar este país daqui a uns anos? Vão fazer sessões do parlamento por Skype e conferências de imprensa pelo SnapChat? Se o ameaçaram, então toma tu o primeiro passo. Vai ter com ele e pergunta-lhe «Queres adrenalina esta noite? Então já sabes, vamos ali para a moita e depois fugir do meu tio.» ou seja lá quem foi que o ameaçou. Também deves dar-te com boas companhias, deves.



Para a semana será o último Doutor G. De 2015! Assustei-vos, não foi seus mariquinhas? Na semana da passagem de ano não vai haver Doutor G porque vou estar em estágio a preparar o fígado. Até lá,  partilhem e não se esqueçam de enviar as vossas dúvidas para porfalarnoutracoisa@gmail.com. 


Façam muito amor à bruta, que de guerras o mundo já está cheio.






Gostaste? Odiaste? Deixa o teu comentário: