8 de março de 2016

Vamos, finalmente, compreender as mulheres (ou não)


Ilustrações: Livesketching

Sabiam que os tópicos mais falados nas redes sociais hoje foram "Dia da Mulher" e "Chris Brown"? Faz todo o sentido. Para quem não sabe o Chris foi ex-namorado da Rhianna e mando-a para o hospital com a cara toda negra, mais do que o normal, e parecida com uma pizza de pepperoni queimada. Por isso, um feliz dia a todas as mulheres e um «deixem de ser otários!» a todos os que continuam a dar dinheiro a agressores cobardes. Sim, também é para quem vai aos concertos do Paco Bandeira.

Para celebrar este belo dia, fiz um estudo para o SAPO. Deixo aqui um pequeno resumo e depois podem fazer download do estudo completo. É um estudo com estatísticas reais e que deu uma trabalheira a fazer. Espero que gostem. Quem vier dizer que é um estudo machista é porque provavelmente é um coninhas.

Segundo a bíblia, a mulher foi criada de uma costela de Adão, mas como isto é um artigo baseado em factos reais, não vamos abordar essa temática.

Este estudo assinala o Dia Internacional da Mulher, 8 de Março, data que surgiu nos primeiros anos do século XX, nos Estados Unidos e na Europa, no contexto das lutas femininas por melhores condições de vida e trabalho, bem como pelo direito de voto. Há quem diga que este dia é machista, já que é uma espécie de condescendência como que a pedir desculpa pelas desigualdades de género que ainda existem um pouco por todo o mundo. Haverá outros que dizem ser um dia que discrimina os homens, pois estes não têm direito a nenhum dia só seu, pelo menos que seja tão amplamente celebrado. Os donos de ourivesarias e floristas dizem para se calarem e deixarem de ser parvos que está muito bem assim como está e não se fala mais nisso.

Comecemos pelos dados demográficos que contabilizam e caracterizam as fêmeas da espécie humana. Os dados que se seguem são relativos às mulheres portuguesas, porque o produto nacional é o que mais interessa, embora seja importante deixar uma menção honrosa a todas as estrangeiras que dinamizam o turismo, o Tinder e as noites de Erasmus nas discotecas das grandes metrópoles. Essas, até mesmo o PNR as deixa entrar. Elas é que não os deixam a eles, daí tanto recalcamento. Em Portugal, a percentagem de mulheres é de 52,2%, num valor absoluto que ronda os 5,5 milhões e que se distribuem geograficamente da forma ilustrada no gráfico seguinte:
52% das mulheres estão a contribuir para o mal do planeta terra, propagando a espécie humana sob a forma de filhos. Quer isto dizer que existem cerca de 2,8 milhões de mães em Portugal, sendo que a sua idade média aquando do nascimento do primeiro filho é de 28,9. Sabendo, também, que a idade média das mulheres ao primeiro casamento é de 29,2 anos, podemos concluir que há muito boa gente a cometer o pecado do sexo antes do casamento. Graças a Deus!

As mulheres estão cada vez mais independentes e a prova disso é o facto de representarem 63,8% da população que vive só, proporção que sobe para 77,1% na faixa etária acima dos 65 anos. Se com este último dado tivermos em consideração a distribuição etária acima referida, chegamos a uma informação dramática:

Pessoas com mais de 65 anos (a)×% Pessoas que vivem sozinhas (b)=X
X ×% Mulheres acima dos 65 anos que vivem sozinhas (c)=Y

Resolvendo o sistema de equações, sabendo que a = 202300, b = 20% e c = 77,%, apuramos que Y = 311946! Sabemos, então, que existem mais de trezentas mil velhas que vivem sozinhas e que, por isso, decidem ficar a cuscar as conversas dos vizinhos e a queixar-se do barulho à noite nas zonas de diversão noturna.
As mulheres têm uma média de cinco parceiros sexuais durante a sua vida. O número vai aumentando à medida que vamos descendo as faixas etárias e, por exemplo, 21% das mulheres entre os 35 e 44 anos diz já ter efetuado o amor com mais de dez homens. Na fatia entre os 18 - 35, os valores médios estão bastante inflacionados devido às meninas que participam em Reality Shows de televisão. Apesar de toda esta emancipação sexual das mulheres, e muito bem, apenas 29% afirmam que atingem sempre o orgasmo durante o sexo!

Existem ainda 10% de mulheres, maiores de idade, que nunca tiveram um único orgasmo! Unzinho!

Nem dos atingidos através da estimulação do clitóris que é o mais fácil de atingir em cerca de 80% das mulheres. Daqui se vê que os homens só têm jeito com as mãos se for para trocar lâmpadas e que são uns egoístas e desleixados no que concerne a dar prazer às suas parceiras. Bem, na verdade, a culpa também é um pouco das mulheres, já que cerca de 80% afirma já ter simulado um ou mais orgasmos.
Talvez dessa insatisfação sexual relativa aos homens, um estudo recente afirme que não existem mulheres completamente heterossexuais, sendo que 82% das que foram submetidas à experiência mostraram um aumento significativo de estímulo sexual, vulgo humidade na zona das vergonhas, quando confrontadas com nus de mulheres voluptuosas e safadonas. Tenho para mim que este estudo foi aldrabado e feito por homens que querem convencer as suas parceiras a alinhar numa tourada a três mas só com uma bandarilha. Já agora, cerca de 10% das mulheres já participaram numa menage-à-trois, e 78% afirma ser uma das suas fantasias mais recorrentes.

NOTAIS FINAIS PARA PENSAR
  • Uma em cada três mulheres sofre violência doméstica durante a sua vida.
  • Em 2015, em Portugal, morreu uma mulher por semana às mãos do companheiro ou ex-companheiro.
  • Apenas 2% das mulheres se considera "linda".
O problema talvez esteja escondido neste último número. Se as valorizarmos e elogiarmos mais (sem piropos que isso agora dá multa), mais elas vão ganhar coragem para deixar de viver em medo, e mais depressa vão sentir que merecem melhor do que um homem cobarde ao seu lado.

PS: Para verem o estudo completo, podem descarregar o PDF no final deste link.





Gostaste? Odiaste? Deixa o teu comentário: