22 de março de 2016

Namorados ciumentos e compatibilidade sexual



Vamos lá despachar isto que eu não tenho a vossa vida. Vamos a mais uma consulta "Doutor G explica como se faz". 


Caro Dr G, não tenho propriamente a idade das duvidas, pois por aqui jà se festejaram as 40 primaveras. Sou casada pela segunda vez, hà cerca de 5 anos e em termos sexuais as coisas nao funcionam. Sei que ele ve pornografia quase diariamente, no entanto, a vontade de ter sexo comigo é quase nula. Por mim faria sexo praticamente todos os dias, pois tal acto faz-me sentir muito mais descontraida e bem disposta. Diz-me constantemente que me ama mas que o sexo já nao é importante. Que essa fase jà passou. Existe amor sem desejo sexual? Pessoas incompativeis sexualmente terão futuro juntas?    
Anónima, 40, Aveiro

Doutor G: Cara Anónima, só existe amor sem desejo se for de pai para filha, e, mesmo assim, temos o caso do Woody Allen e do Trump. Também existe amor sem desejo quando se tem noventa anos e se olha para o corpo da outra pessoa e se sente um certo nojinho ao pensar em fazer amor com um shar-pei. Posto isto, se o teu marido vê pornografia é porque tem desejo sexual porque todos sabemos que ninguém vê porno para apreciar os cenários e o enredo, mas sim para tocar um solo de oboé e dedilhar a campainha de satã. Ele já não tem é desejo por ti e são várias as opções:
  • Ele tem uma amante que lhe anda a deixar a sacola dos girinos mais seca do que o rabo de uma velha com psoríase;
  • Ele já não gosta assim tanto de ti;
  • Acomodaste-te e desleixaste-te mais do que a Bernardina.
Seja como for, pessoas incompatíveis sexualmente só ficam juntas para sempre se alguma delas se resignar e suprimir os seus desejos. É como aqueles gajos que para engatar uma vegana dizem que também já estavam a pensar em deixar de comer carne e peixe: casam e só há soja e tofu lá em casa mas toda a gente sabe que, mais cedo ou mais tarde, eles vão comer um bife do lombo num jantar de aniversário de um amigo.


Caro Doutor G, há cerca de um mês fui sair à noite e um amigo meu apresentou o nosso grupo a um grupo de amigas. Falei com duas delas (rapariga A e B) e uma chegou a dar-me o número (rapariga A). Passadas duas semanas, os dois grupos saíram juntos outra vez, mas a rapariga A não pareceu tão interessada como no início. Numa última investida convidei-a para um café uns dias depois, ao que ela recusou. Sem ressentimentos, percebi que com ela nada haveria. Agora, passadas duas semanas desde o convite, pensei em falar com a outra rapariga (B). O problema aqui é que elas são amigas e as raparigas falam umas com as outras. A minha pergunta é a seguinte: Será que vou passar má imagem à rapariga B por falar com ela depois de há uns tempos ter falado com a amiga? Ou não há problema, já que a A recusou? Espero mais uns tempos para não parecer tão mal? Ou esqueço estas duas amigas?  
Anónimo, 22, Lisboa

Doutor G: Caro Anónimo, elas são mulheres e tu és homem, logo elas já partem do princípio que tu és um porco que quer comer tudo o que não rasteja e tem pipi. É aproveitar essa fama que os homens têm para investires com força já que na pior das hipóteses ficas como estás. Aqui fica um fluxograma para ilustrar o que pode acontecer:
Tem em atenção que o mais provável é mesmo não engatares nenhuma, mas não custa tentar.


Caro Doutor G, eu e o meu marido mudámos de casa recentemente e como somos casados fazemos sexo várias vezes, porque não é pecado. Acontece que sempre que fazemos sexo, os nossos vizinhos fazem logo de seguida também. Eu não sei se é coincidência, ou se somos nós que despertamos a vontade deles, eu acho que nem somos assim tão barulhentos. Isto acontece sempre que fazemos no quarto e à noite, se fizermos noutras divisões da casa e noutro horário não temos esse problema. Já ponderei em mudar de casa outra vez, mas o contrato é de um ano e ainda falta até acabar. Não fazer sexo à noite e na cama limita-nos muito a vida, só íamos conseguir fazer aos fins de semana e nenhum de nós se contenta só com isso. Há duas semanas, o meu marido esteve fora em trabalho. Escusado será dizer que nessa semana não ouvi os vizinhos a praticarem o coito. Cruzei-me com o meu vizinho no elevador no final dessa semana que o meu marido esteve fora e ele perguntou-me pelo meu marido e se estava tudo bem connosco com um sorriso maroto. O que é que eu faço, Doutor? Por um lado está-se a tornar uma rotina muito constrangedora, por outro também não queria ser responsável pela infelicidade sexual dos meus vizinhos.
Catarina, 26, Porto

Doutor G: Cara Catarina, mas há problema em eles fazerem depois? Façam com a alma e se eles vos seguirem o rasto metam uns tampões nos ouvidos e vão dormir. Simples. Nos dias em que não fizerem, sejam vizinhos prestáveis e metam um filme porno, em alto e bom som, só para ver se é qualquer tipo de gemidos que os excita ou se são só os vossos. Se lhes querem tirar a vontade, sugiro fazerem sexo e irem gritando algumas destas frases:
  • «A passarinha da vizinha não é melhor do que a minha!»
  • «Quem quer mal ao vizinho, o seu vem-se pelo caminho!»
  • «A cabra da minha vizinha dá mais leite do que a minha!»
  • «Por acaso não tem um raminho de salsa que me dispense? Só me lembrei agora e já estou a bater os ovos!»
  • «Dia 27 há reunião de condomínio e eu ouvi dizer que vocês estão a dever 500€ desde aquela vez da infiltração!»
Se isto não resultar, da próxima vez que te cruzares com o vizinho no elevador só tens de perguntar «Então ontem de manhã é que foi pinar a bem pinar, hein? Nunca tinha ouvido a sua mulher a ganir daquela forma! Parecia uma porca a pisar pioneses!». Tens é de acertar numa altura em que ele não estava em casa que é para haver discussão e eles separarem-se e vocês voltarem a ter descanso. Génio. Sou um génio.


Caro Doutor G, vim para a faculdade este ano e conheci um rapaz . Fomos cultivando a nossa amizade até que rolou algo mais. Primeiro um beijinho e depois, quando tivemos oportunidade dormimos juntos, mas ele adormeceu enquanto eu lhe acariciava o dito cujo... Fomos de férias depois disso e ele arranjou uma namorada. Gostava de conseguir estar com ele outra vez para compensar o que aconteceu, mas assim não sei o que fazer .  
Anónima, 19, Lisboa

Doutor G: Cara Anónima, mas para que é que queres compensar seja o que for com um gajo que adormece enquanto lhe estás a escamar a enguia trapalhona? É para teres a certeza que a culpa não foi da tua falta de jeito e mostrares a ti mesma que consegues manter um homem acordado por via da massagem caralhítica? Deixa-te disso, a culpa não foi tua e se ele agora tem namorada para quê meteres-te em filmes? Só há dois tipos de carícias no pénis para os homens: as que estão a doer e as que estão saber bem. Qualquer uma delas impede que adormeçamos, por isso, se ele começou a roncar foi porque estava bêbedo ou tem narcolepsia. Ou tem um narso tão grande que para para o erigir tem uma síncope devido à falta de sangue no cérebro. É efectuar a fornicação a fazer o pino e está resolvido. Seja como for, lembra-te do ditado de um grande sábio que dizia «Se o dono da serpente adormecer, a culpa não é da encantadora que estava a bater.»


Estimado Dr. G, namorei 2 anos com um rapaz e ele pediu-me em casamento. Eu aceitei. A relação tinha tudo para dar certo até que ele me começou a ver como uma propriedade e ficou cada vez mais possessivo. Provavelmente os sinais já estavam lá, mas eu confundi-os com ciúme. As agressões psicológicas começaram a ser uma constante. Ir ao café com as amigas era motivo de discussão, demorar 10 minutos a responder a uma SMS também. Começou a ir ter comigo ao meu local de trabalho e a obrigar-me a sair da empresa só para ele ver que eu tinha mesmo ido trabalhar. Se eu não cedesse ele fazia um escândalo à porta da empresa. Tive 2 conversas sérias com ele até que decidi que à terceira era de vez. Terminei tudo ao fim de algumas semanas. Entretanto já se passou 1 ano e ele continua a perseguir-me e a dizer que não consegue viver sem mim. Já apresentei várias queixas na polícia mas acaba sempre tudo arquivado. Como fazer com que ele me deixe em paz sem ter que pedir ajuda aos amigos do Dr. G que vivem na Buraca? 
Carolina, 28, Coimbra 

Doutor G: Cara Carolina, o caso que relatas é bastante sério já que só no ano passado morreram mais de 50 mulheres às mãos dos companheiros ou ex-companheiros. Primeiro que tudo tens de arranjar um namorado da Cova da Moura, se for preto ainda melhor. Ninguém se vai meter com a namorada de um preto da Cova da Moura. Como vejo que és de Coimbra e talvez não te dê muito jeito vir à Amadora, sugiro que te especializes em Photoshop para começares a colocar fotografias no Facebook e Instagram sempre acompanhada de um negão musculado. À partida, isso fará com que ele se acalme. Outra hipótese é contratares uma prostituta de luxo, daquelas mesmo de luxo em que o preço até parece que compensa, e dizeres para ela se fazer ao teu ex. Se ela fizer bem o trabalho, ele vai deixar de pensar em ti. Se ainda assim ele não te largar, embora tenhas perdido umas centenas de euros, tens um grande ego boost já que ele mesmo com uma gaja capa de revista a fazer-se a ele não te consegue esquecer. De resto, se a polícia não faz nada, não há muito a fazer a não ser esperar que ele se suicide e não te queira levar com ele. É andar atenta e se a coisa começar a escalar, é falar com pessoas que se prontifiquem a acertar o passo a homens covardes. Sim, na Buraca há quem faça esses serviços, mas irias ter de pagar o transporte e isto é meninos que só viajam em alfa, 1ª classe.


Olá Dr. eu e a minha parceira conhecemo-nos em Outubro pelo tinder. Conversa puxa conversa, skype e afins e acabámos por nos encontrar num hotel em Lisboa para consumar o acto como manda a Lei. Foi incrível, como se tivéssemos sido concebidos para aquele momento. Ela vive no Reino Unido e eu na Madeira, pelo que nos voltámos a encontrar numa ida dela à Ilha para mais umas cambalhotas malucas à moda do Rocco Siffredi. Estou no Uk mas temos um problema: rapidinhas não é connosco e temos uma vida sexual bastante preenchida um com o outro. É que sempre que passamos por casa antes de algum compromisso, acabamos por nos atrasar como o diabo porque em vez de uma rapidinha é uma autêntica maratona sexual. Não me interpretes mal, claro que consigo me vir mais rápido mas não há motivo para querer fazê-lo. Alguma dica?
Anónimo, 24, Madeira

Doutor G: Caro Anónimo, assim é que é: primeiro encontro num hotel! Toca a impulsionar a economia! É por estas que Portugal não avança, o pessoal vai gastar dinheiro para o UK. Vais desculpar-me, mas a tua dúvida é estúpida. Porquê? Porque queres dicas para não chegar atrasado a compromissos, mas depois dizes que te consegues vir mais rápido só que não há motivo para isso. Percebes a contradição da tua questão e que me leva a ficar arreliado por me que estares aqui a fazer perder tempo quando há tanta gente a precisar de ajuda neste consultório? Isto a juntar ao facto de admitires à boca cheia que não és um gajo pontual. Se há pessoas que me irritam são as que não conseguem chegar a horas a lado nenhum. «Antes uma rapidinha ou orgasmo para amanhã adiado, do que deixar pessoas à espera no local combinado.» - provérbio chinês do século X, em que X é uma variável de 1 a 21.


Caro DR. G, tenho 20 anos e ainda não iniciei a minha vida sexual. Acho que tudo se deve ao facto de ainda não ter encontrado a pessoa certa... Mas nunca pensei muito nisso. Sou uma pessoa sem tabus, com a mente aberta, e até trabalho numa Sex Shop. Só ultimamente é que tenho pensado mais sobre isso. Ao ponto de pensar em ir para a cama com o primeiro que me aparecer. Achas que faço mal?  
Anónima, 20, Porto 

Doutor G: Cara Anónima, a discriminação da nossa sociedade ainda se faz sentir em dúvidas como a tua, que têm sido recorrentes ao longo de vários consultórios e sempre vindas de mulheres. Nunca nenhum homem enviou uma mensagem a perguntar se achava bem que ele perdesse a virgindade com a primeira que aparecesse. As mulheres ainda são "ensinadas" a que a virgindade é uma coisa sagrada e que deve ser apenas perdida com alguém que se ame verdadeiramente. Faz com quem quiseres mas só se tiveres mesmo a certeza que é isso que queres e, para me estares a enviar mensagem, é porque não estás assim tão certa. Mas, já agora, não faças com o primeiro que te aparecer porque dado que trabalhas numa sex-shop, será um destes tipos:
  • Um gajo que tem namorada/mulher e foi comprar um brinquedo para apimentar a vida sexual;
  • Um gajo solteiro que foi comprar um pipi de plástico.
E, digo eu que não sou gaja, que não queres perder a virgindade com um gajo comprometido e muito menos com um que compra pipi enlatado porque não tem quem lhe pegue.


Está feito. Aproveitem bem a Páscoa para se redimirem dos vossos pecados e, nem é preciso dizer-vos, que a melhor posição para a absolvição é de joelhos. Até para a semana e podem continuar a enviar as vossas dúvidas para porfalarnoutracoisa@gmail.com. 


Partilhem e façam muito amor à bruta, que de guerras o mundo já está cheio.






Gostaste? Odiaste? Deixa o teu comentário: