7 de maio de 2017

Não gosto de franceses mas nem eles mereciam Le Pen



Parece que o Macron ganhou as eleições em França e afastou por momentos o monstro da extrema-direita na Europa fazendo-nos parecer mais inteligentes do que os nossos vizinhos do outro lado do Atlântico que elegeram o Trump. Não que Trump seja de extrema-direita porque Trump não é nada.

Não gosto muito de franceses mas nem eles mereciam uma Le Pen. Porque é que não gosto de franceses? Simples, sou um gajo que guarda rancor e gosta de generalizar:
  1. Quando fiz um interrail e ia a passar por França de comboio, um francês fininho mandou-me calar enquanto eu ia a falar com um amigo. «Shhhhhh», disse ele, apesar de eu estar a falar num tom de voz normal para um português e de serem onze da manhã. Disse-lhe «Shhhh o quê, ó franciú da merda?» e fiz questão de continuar a minha conversa num tom de voz normal para um espanhol.
  2. Estive de férias em Biarritz com a minha namorada, não me perguntem porquê, e num restaurante, depois de já termos comido e estando a acabar a garrafa de vinho, veio a empregada mandar-nos sair porque havia gente à espera. Não veio trazer a conta subtilmente como costumam fazer, veio mesmo dizer-nos, num tom arrogante, para irmos embora. Refilei e ela fez-se de desentendida o que até é compreensível porque refilei em português. Levantei-me e fui pagar mas o multibanco não estava a funcionar e disseram-me que que teríamos de levantar dinheiro a dois quilómetros. Ir até fomos, mas acham que voltámos? Jantarinho à borla, franceses pategos.
  3. Outra razão para não gostar dos franceses: fui a Toulon enganado e aquilo é pior do que o Cacém. 
  4. Por fim, não gostei do mau perder deles no Europeu.
Mesmo com isto tudo, fico contente por Le Pen não ter ganho. O mais engraçado é que está toda a gente contente por Macron ser o novo presidente apesar de ninguém saber bem quem ele é nem as ideias que ele tem para a França. Eu próprio estou contente e a única coisa que sei sobre Macron é que ele não é Le Pen. Esse facto chega-me e isso quer dizer uma de duas coisas: ou que eu sou pouco exigente, ou que Le Pen era realmente uma escolha de merda.


Le Pen faz-me sempre lembrar um professor francês a tentar ensinar como se diz caneta em inglês.

Le Pen podia ter concorrido sozinha e os boletins de voto terem dois caixinhas para assinalar cruzinha, uma em "Marine Le Pen" e outra em "Outro/a qualquer" que a segunda opção teria obrigação de ganhar. É como um amigo ligar-nos e dizer:

- Meu puto, vamos ao cinema?
- Siga, que filme?
- Tenho duas opções para ti. A primeira é o "Sei Lá"...
- Vamos ver o segundo.
- Espera, mas ainda...
- É o segundo, acredita. Vamos ver o segundo.

Isto para além de ser muito estranho termos um amigo que nos liga e nos pergunta se queremos ir ver o "Sei Lá". Não que não possa haver homens que gostem do filme, mas porque se é nosso amigo já devia saber os nossos gostos. Outro exemplo do quão má Le Pen é? É como a nossa namorada dizer-nos:

- Amor... tenho dois programas para este domingo! Preciso que escolhas um.
- Sim? Diz lá quais são.
- O primeiro é irmos ao IKEA escolher móveis...
- A segunda.
- Mas ainda não disse...
- É a segunda, seja o que for.
- A segunda é eu ser comida pelo teu melhor amigo e tu ficares a ver.
- Pronto, foi uma boa escolha. A que horas?

Macron tem 39 anos. Um presidente com menos de 40 anos é coisa que normalmente só acontece quando se herda tronos ou se é filho de um ditador. O mundo precisa de sangue novo porque já vimos que as pessoas experientes só fazem merda. O meu avô tem 94 anos de experiência e neste momento baba-se todo a tenta beber um copo de água. Claro que Macron também deve estar conspurcado até à medula já que acredito que nos sistemas de políticos de hoje é impossível chegar-se onde ele chegou sem dever muitos favores a muita gente.

Foi banqueiro e isso nos dias de hoje é pior cadastro do que ser gay na Tchetchénia.

Ainda assim, à partida, Le Pen teria sido pior especialmente no sentido em que o seu fascismo e xenofobia mascarado de nacionalismo só serviria como plataforma de recrutamento para mais organizações terroristas. No entanto, Le Pen mostrou que até tinha razão e que havia muitos imigrantes que faziam mal ao país já que foram vários os luso-descendentes que votaram nela. És um senhor de uma área rural sem acesso à informação e que é simpatizante de Adolf Hitler? Compreendo que votes Le Pen, és só ignorante alimentado pelo medo. És filho de pais imigrantes em França e votas Le Pen? És burro que nem uma porta e merecias ser deportado para o Iraque. Com tanta gente meio iludida, para não dizer burra, é natural que a Frente Nacional tenha conseguido um resultado histórico, o dobro do que alguma vez havia alcançado, e algo me diz que com o estado do mundo pode muito bem vir a ganhar num futuro próximo. Basta continuarem a haver mais atentados, desemprego e um sistema de educação manhoso. Por isso, se Le Pen ganhar na próxima, a culpa é de Macron que não mudou nada.





Gostaste? Odiaste? Deixa o teu comentário: