29 de maio de 2017

Última consulta: traições e namorados ciumentos



Antes desta consulta, deixem-me dizer-vos que estarei na Feira do Livro, em Lisboa, no próximo domingo, dia 4, pelas 15h. Apareçam se quiserem comprar o livro, ou os dois, ou que vos escreva uma dedicatória num, ou nos dois, seios.
Vamos lá então à última consulta do "Doutor G explica como se faz". 

Caro Doutor G, depois de algum tempo solteira decidi instalar o Tinder. Comecei a falar com o "Zé", as nossas conversas sempre foram sobre sexo. Mas o problema é que ja falamos há quase 6 meses e nunca estivemos juntos, talvez por culpa dos dois (o Zé é daqueles betos certinhos do IST que não faz nada sem a autorização dos pais), durante esse periodo fomos falando e deixando de falar, ele "deu me com os pés" diversas vezes. Tanto eu como ele voltamos sempre um ao outro, no meu caso é simples, so quero prova-lo, mas não sei o que ele quer (6 meses nisto é demais!). Será que ele tem algum problema com o seu "zezito" ou tem receio em estar comigo (afinal, ele ja está às secas há muito tempo e não deve ter muita experiência sexual). Para mim é muito estranho que um gaiato seja assim, afinal de contas nenhum de nós quer algo sério.    
Mariana, 20, Lisboa

Doutor G: Cara Mariana, mas a oferta está assim tão má para quereres provar um gajo que não anda nem desanda durante 6 meses e que já te deu com os pés? Epá, isso só faz sentido se tu fores um camafeu e ele for o único gajo minimamente interessado em ti porque, sendo do IST, tem miopia e astigmatismo avançado! E, mesmo assim, ele vai ser fraquito na cama, prevejo. Homem sem iniciativa na vida, não sabe o que faz na cama. De qualquer forma, aqui vai um fluxograma que pode ajudar-te a decidir:

Boa tarde Dr G. estou solteira à 3 anos, tenho um amigo colorido há uns 2 anos. mas a mais de 1 que não praticamos o "amor", sá vamos ao cinema, jantar. conversar e damos uns beijos. e tenho outros rapazes interessados, sou bastante gira pelo que me dizem, ou então é sá para ver se tem alguma sorte, eu gosto que me massagem o ego... mas não estou muito disponível para um novo relacionamento. Mas tudo mudou a 3 semanas, conheci o homem da minha vida. O meu novo dentista, fiquei apaixonada. ia arranjar 1 dente que me andava a chatear. agora marco consulta 1 vez por semana só para o ver. não sei como vou fazer quando ja não tiver motivos para la ir... adoro estar ali sentada com ele ali tão perto encostado ao meu braço por vezes, e a me limpar a cara com o papel, é tão lindo e carinhoso. Na ultima consulta como fui a ultima, eu fiquei  ao telemóvel com uma amiga dentro do carro e vi qual era o carro dele. ja pensei em lhe deixar um bilhete, mas isso seria muito infantil. preciso de ajuda urgente, antes que nao tenha motivos para ir ao dentista  
Filipa, 25, Alentejo

Doutor G: Cara Filipa, às vezes sabes conjugar o verbo haver, outras nem por isso. Não sei o que pense de ti, assim. Estou sá a tentar ajudar-te. Bem, quanto à tua dúvida, um amigo colorido com o qual não se faz sexo há um ano, é um amigo cuja cor já desbotou. Sorte a tua que te apaixonaste pelo dentista, teria sido muito pior se for pelo proctologista e teres de o seduzir com um copinho com cocó e um coração desenhado. Confessa que quando estás ali de boca aberta com ele a enfiar-te os instrumentos na boca e a limpar-te a cara com um paninho, começas a precisar daquele aspirador de saliva noutras partes que começam a salivar, certo? Sou um romântico, bem sei. Deixo-te aqui algumas formas de o tentares seduzir:
  1. Estar com ele mais vezes. Tens 32 dentes, partindo do princípio que tens os do siso e que não és fã do Tony Carreira. Por isso, podes ir partindo um a um e tens 32 consultas o que dá mais de meio ano, caso marques uma semanal. Se bem que isto é só mesmo se gostares muito dele, porque sai mais barato contratar um prostituto do que pagar a um dentista.
  2. Convida-o para uma consulta privada em tua casa onde lhe irás mostrar a tua outra boca do corpo que embora seja desdentada, precisa de assistência. Às vezes consigo ser bem nojento.
  3. Pede-lhe o número e diz que gostavas de o conhecer num contexto não profissional. É um homem! Os homens não precisam de rodeios e joguinhos. Se ele estiver interessado dá-te o número, caso contrário não dá.
As mulheres complicam tanto ao ponto de acharem que os homens são complicados.


Caro Dr. G, há pouco tempo fiz uma viagem de intercidades e, como em todas as viagens, não vale a pena estar de fones nem óculos de sol que o parceiro do lado vai sempre meter conversa comigo. Então um homem para aí com 30 anos a mais do que eu meteu conversa e esteve 3h a falar da sua história de vida. O pica apareceu, disse o meu nome no acto de confirmação do bilhete e ele ficou a saber o meu primeiro e último nome (tão bom para o facebook). E depois quando saí na minha estação o gajo foi cordial e educado e pediu-me o número de telemóvel para me mandar o nome de uns documentários. E eu feita estúpida, encaralhada e com medo de ser mal educada, olhe dei. E pronto, agora liga-me imensas vezes e envia mensagens românticas. Já respondi do género "Ah e tal foi uma boa conversa, fica bem até um dia!", já ignorei, já disse até que era fufa, mas o problema persiste. Pronto, era para saber se valia a pena dizer que tenho uma pila ou assim... Obrigada!
Anónima, 28, Lisboa

Doutor G: Cara Anónima, tal como deste o número cordialmente, também lhe vais dando trela cordialmente como quem não quer a coisa porque a massagem ao ego até te sabe bem. Tanto o Facebook como os telemóveis têm a opção de bloquear. Estes milagres da tecnologia, hein? Só tens de lhe dizer que não estás interessada e que agora tens namorado e que se o teu namorado vê as mensagens dele pode ficar ciumento porque anda stressado por causa dos treinos da equipa de rugby da Cova da Moura onde ele anda. Se depois disso ele continuar a incomodar, só tens de o bloquear. Realmente, quando perguntam ao Doutor G como é que ele tem tantos conhecimentos e está habilitado para aconselhar pessoas, só me apraz responder: acho que é só ter bom senso.


Boas Dr. G, a situação é a seguinte: tenho 21 anos, namoro uma rapariga à 2 anos, tem 22 anos.. Entretanto desde à 2 meses para cá comecei a relacionar-me com a irmã dela, um ano mais nova que eu, e quando falo de relacionar-me, falo de sexo. Esta irmã da minha atual namorada é bem mais gira, bem melhor na cama e bem mais interessante, e não se importa de ser a nº2, diz que não quer nada sério comigo, apesar de eu começar a ter interesse nela, só quer javardar. Portanto gostava que me ajudasses a resolver a situação, possíveis cenários:
  1. Continuar com a situação assim.
  2. Afastar-me da irmã da minha namorada, ela pode contar à irmã... E acabo provavelmente sem nenhuma;
  3. Terminar com a minha namorada e continuar a javardar na irmã...No entanto isso não é vida para ninguém.
Existe alguma possibilidade de manter o relacionamento com alguma delas? Consegues arranjar outros cenários? Não quero trair a minha namorada eternamente, até porque sou um gajo com alguns princípios, mas também não queria ficar só com a mão direita.  
Filipe, 21, Braga

Doutor G: Caro Filipe, das duas uma: ou a maioria das pessoas que recorre ao Doutor G não é seguidor, ou então aprende mais lento do que um burro geriátrico. Foda-se, quantas vezes falei do verbo haver? Não aprendem o básico e ainda querem aprender a fazer sexo e a fazer malabarismo entre duas irmãs. Enfim. Quando dizes que és um gajo com alguns princípios, estás a dizer mesmo só alguns, diminutos, princípios, certo? Vou responder às tuas perguntas com mais perguntas que te podem ajudar a decidir:
  1. Queres mesmo namorar com uma gaja que anda enrolada com o namorado da própria irmã? Bem sei que assim já têm em comum o facto de serem ambos uns cabrões, mas ainda assim parece-me uma relação condenada ao fracasso.
  2. Queres continuar a namorar com essa rapariga ao ponto de passares férias ou o Natal com a família dela e ficares desconfortável ao ouvires a irmã dela dizer uma destas frases?
    «Está-me a apetecer tronco de Natal.»
    «Precisas de ajuda a pendurar as bolas?»
    «Logo à noite vamos ver o madeiro a arder?»
    «Depois tens de me ajudar a limpar a chaminé.»
    «Hoje é para a desgraça, até rabanada vai.
    »
  3. O que se chama a um homem que só não acaba com a namorada que anda a trair porque tem medo de ficar só com a mão direita? Uma pista: rima com cabrão. Sim, porque cabrão rima com cabrão.
Agora decides o que e quem queres ser.


Caro doutor, o meu namorado é muito ciumento, ao ponto de não suportar que eu esteja ao pé de um amigo sequer. Mas se fosse só ciúme, era o menos, o pior é que se zanga comigo por tudo e por nada, e eu, uma rapariga muito calma e que gosta pouco deste tipo de coisas, fico mal com a situação. O bónus são as minhas amigas que dizem que não posso permitir este tipo de situação e que estou a permitir que ele mande em mim. E que a continuar assim daqui a pouco não tenho vida própria senão ele. Eu tento ver o lado dele e sei que gosta de mim, mas está situação é realmente dolorosa para mim. Portanto o que acha desta situação? Há algum sentido nisto, diga me como homem, este tipo de comportamento de protecção e insegurança em relação a mim é normal (nunca tive ninguém a não ser ele) ou tenho que me impôr para o bem da minha sanidade mental? 
Leonor, 18, Coimbra 

Doutor G: Cara Leonor, caga no gajo. É isto, mas já devias saber isso visto que as tuas amigas te dizem o mesmo e elas saberão mais do que eu e preocupam-se mais contigo do que eu, certamente. As pessoas, por norma, não mudam, mas podes tentar impor-te e ver o que acontece, mas, provavelmente, se queres manter a tua sanidade vais ter de o deixar. E não, nem todos os homens são assim, isso é comportamento de macho inseguro o que em parte pode ser explicado pela idade, mas um anormal aos 18, provavelmente será um anormal aos 80. A não ser que sejas daquelas que já enviaram dúvidas ao Doutor G que dizem o seguinte «O meu namorado é muito ciumento! Bem, mas o problema é que ando enrolada com outro!». Bem sei que não se deve dizer, mas às vezes as mulheres também têm culpa das coisas.


Caro Dr. G, há umas semanas (sei que está impressionado por eu saber conjugar o verbo haver) envolvi-me com um rapaz numa festa. No entanto, dado o meu medo de ser esventrada, não o deixei acompanhar-me até aos meus aposentos. Porém, no dia seguinte, o indivíduo estabeleceu contacto comigo e eu correspondi aos seus avanços, de modo que duas semanas depois já estávamos os dois nos meus lençóis. Antes de continuar, é importante referir que nunca pratiquei a luta greco-romana, isto porque gosto de conhecer as pessoas e não só as suas pilas. Continuando, nessa noite em que nos encontrávamos na minha cama, o Benfica jogava em casa e, por esse motivo, toquei-lhe uma gaitada (que ele elogiou bastante) e ficámos por aí. Duas noites após o sucedido, voltámos ao ponto de encontro. Nessa noite o Benfica já tinha acabado a sua partida. Vou fazer um resumo das revelações dessa noite: ele gosta de uma amiga que não quer nada com ele; só tem sexo se for uma relação séria; acha que entre nós não vai haver nada sério – posto isto, eu não me importo que não seja nada sério, mas importo-me bastante de andar a aquecer o motor para não ser usado, até porque para além de não querer sexo, também não quis retribuir a mãozinha que lhe dei. No final estabelecemos que ele me ia dizer alguma coisa e passados 4 dias ainda não me disse nada. A minha questão é: Que merda foi esta? 
Anónima, 22, Lisboa

Doutor G: Cara Anónima, realmente fiquei surpreendido. Depois de tanto assassinarem o verbo nesta consulta, haja alguém, ou aja alguém, como diriam muitos. Bem, o que se passa é que esse gajo padece de uma patologia muito comum nos homens: egoísmo sexual. A maioria das mulheres insatisfeitas sexualmente não se deve ao facto de os homens serem todos maus na cama, mas sim serem egoístas e estarem a marimbar-se para o prazer da parceira só querendo meter o menino a bolçar e dormir. Posto isto, se ele é mau na cama e gosta de outra, só tens de o mandar passear. Se ainda não passaram 15 dias podes, inclusivamente, pedir o reembolso das punhetas para usar com outro. Por fim, como é que vocês, mulheres, ainda ficam surpreendidas com este tipo de comportamento dos homens? Dizem que são todos iguais e todos uns porcos, mas depois quando vos dão razão, vocês desconfiam.


Como disse a semana passada, esta será a última consulta do Doutor G. De sempre? Não sei. Pelo menos durante uns meses a coisa vai estar parada. Vou estar com muitos projectos, como as gravações da 2ª temporada do Falta de Chá e a preparar o meu espectáculo a solo de stand up comedy que irá estrear lá para o final do ano. Se quiserem ser notificados por email quando for à vossa cidade, deixem os contactos neste link. Por tudo isso, alguma coisa teve de ser sacrificada e o Doutor G já dura há muito tempo e está a tornar-se demasiado repetitivo para mim porque as perguntas começam a ser parecidas e é complicado inovar nas respostas e continuar a ter piada. Depois, não são os textos que têm mais visualizações e muito menos partilhas já que toda a gente tem uma tia ou a mãe no Facebook. Por isso, para além de não gerar visibilidade nem me dar o mesmo gozo de antes, também não dá dinheiro nenhum. Por isso, impõe-se uma pausa para descansar e perceber se tanto eu como vocês sentem a falta do Doutor G. Pode voltar mais tarde, seja aqui ou noutros formatos, vamos ver. Se não conseguirem viver sem o Doutor G, podem sempre comprar o livro que tem 50% de conteúdo que nunca foi publicado na net, seja na FNAC, Bertrand ou neste link. Os consultórios têm me média 30 a 40 mil pessoas a ler, o livro só vendeu mil e tal. Fica a dica e obrigado a todos os que já compraram.

Foi um prazer ter-vos neste consultório javardo, mas com classe, durante todo este tempo. Já sabem, não é por não haver Doutor G que não devem continuar a fazer amor à bruta porque de guerras o mundo já está cheio.





Gostaste? Odiaste? Deixa o teu comentário: