9 de maio de 2017

Orgasmos, virgindade e muita areia para a camioneta



Em semana de vinda do Papa, parece-me adequado que muitas das dúvidas de hoje versem sobre virgindade e orgasmos, especialmente os femininos que toda a gente sabe que muitas vezes são como as "Aparições" de Fátima: inventados. Vamso a mais uma consulta "Doutor G explica como se faz".


Olá Dr. G, namoro há quase 2 anos, e andamos a explorar os genitais um do outro há mais ou menos ano e meio. O problema é que durante 3/4 meses a parceira atingia o orgasmo vaginal muito facilmente, mas de um dia para o outro morreu, foi do nada. Raramente consegue ter um orgasmo vaginal, e quando tem quase que me saltam os pulmões... e ás vezes nem assim! Quando não assim é, la tenho que pedir ajuda aos meus dedos ou aos dela.. mas o mau é que ela queixa-se de já não ter os outros orgasmos de que tanto gosta. O que acha Dr.? Onde está o problema? Mais uma pergunta... de vez em quando tenho vontade de explorar novos caminhos. Acha que é de estar farto do mesmo sexo ou só ter querer dar uns passeios por fora?
Manuel, 20, algures por aí

Doutor G: Caro Manuel, sempre achei parvo separar-se os tipos de orgasmos femininos em vaginal e clitoriano.  É que da última vez que vi o clítoris era na vagina, mas as mulheres adoram mudar os móveis de sítio que um gajo nunca sabe. Portanto, vou esclarecer as pessoas e dizer que o vaginal é o por penetração, não vá o pessoal pensar que ela só consegue ter orgasmos apenas com sexo anal, o que também é possível se a coisa for bem feita. Bem, parece-me que só há as seguintes hipóteses que respondam à tua pergunta.
  1. O pipi estragou-se
  2. Tu estás a fazer qualquer coisa diferente
  3. Ela já não fica tão excitada contigo
Se fazes tudo igual e não estás a descurar nos preliminares nem em fazê-la sentir-se desejada, então ou ela já não tem tanta tesão por ti ou partiu-se a caixa das mudanças do mini de chicha. A metáfora do mini com vagina foi só porque me lembrei do programa do Júlio Isidro onde ele tinha uma rubrica que se chamava «Quantos cabem num mini?» e achei giro. Nojento, mas giro. Quanto à vontade de explorar novos caminhos, pensei que fosses falar de sexo anal. Tens 20 anos, toda a gente tem vontade de dar passeios por fora com essa idade, mas também toda a gente tem vontade de dar um tiro no Ricardo Salgado e não é por aí que se deva fazer.


Caro Dr.G, estou numa idade confusa da vida. Estou em um 'relacionamento' com um homem casado tem 1 ano e 2 meses. Simplesmente não consigo acabar. Já passamos por tantas coisas juntos e gosto muito dele. Eu sei que estou errada e que ele nunca vai deixar a mulher. Ajuda-me, por favor.    
Anônima, 21, Brasil

Doutor G: Cara Anónima brasileira, ora bem, sua dúvida tem uma resposta muito simples. Se você sabe que ele não vai deixar a sua mulher nunquinha, e se você admite ser incapaz de acabar esse relacionamento, então só resta uma saída, né? Ficar amante para sempre. Isso ou até ele se fartar. Outra hipótese é você mandar uns cara dar um sumiço na mulher dele para a costa ficar livre. Outra chance que você tem é aparecer um cara bacana na sua vida que faça você ver que está numa relação sem futuro com um cafajeste que não valoriza você. Deleta ele do Orkut e vai à sua vida. Já agora, você pode adquirir meu livro neste link da web com 10% de desconto e que faz entregas para todo o mundo!


Caro Dr. G, tenho 21 anos e ainda sou virgem. Sinto que isto afecta de alguma forma a minha vida social, na Universidade é um tópico recorrente, tentando eu evitar conversas que descaem nisto. No entanto, eu e uma rapariga 2 anos mais velha já dormimos juntos duas ou tres vezes mas nunca se desenvolveu (talvez pelo facto de eu estar algo receoso), até porque ela não sabe e já a ouvi em conversas paralelas a fazer pouco de indivíduos que ainda não tinham feito sexo, diminuindo isto bastante todo o meu à vontade de dialogar sobre isto, nós não namoramos nem nada parecido, a mim quer-me parecer que ela está/estava à procura de um sex buddy, no entanto, até agora, não fui capaz de corresponder às expectativas. Estou agora todo um pouco perdido no que toca ao que fazer a seguir, deixo só acontecer? Tento aborda-la de alguma maneira?   
Um indivíduo, 21, Olissipo

Doutor G: Caro indivíduo, não tens trinta ou quarenta, calma lá. Há muita gente na mesma situação do que tu com 21 e não tens de ter problema com isso. Não podes é andar a dormir com a mesma rapariga e não fazer nada porque a partir desse momento ficas tão fundo na friendzone que até um amigo gay tem mais hipótese de mergulhar o submarino de chicha. Se tu queres e achas que ela quer... qual é a merda da dúvida, caraças!? Vais dar-lhe o maior prazer do mundo? Epá, provavelmente não. Vai ser rápido e atabalhoado, mas depois repetes e melhoras. Não me chateiem mais com estas dúvidas do «Sou virgem e gostava de deixar de ser, o que faço?»... epá, penetra uma vagina e deixas de ser. Com consentimento, claro. Se for sem consentimento também deixas de ser virgem, mas depois vais deixar de ser virgem no rabinho quando fores parar à prisão. Basicamente é o que está aqui ilustrado e que já tinha utilizado para outro paciente:


Caro Dr. G, preciso da sua ajuda para resolver o meu problema. Tenho quase 20 anos e nunca tive qualquer contacto com um rapaz - e com contacto, é mesmo contacto, nada de beijos e muito menos sexo. Sou uma galinha assustada que não consegue meter conversa com rapazes, e não só, porque eles também não metem comigo. Até poderia pensar que era feia, mas o mesmo não se verifica. Não sou a Scarlett Johansson, mas definitivamente que não sou a Maria Leal. De qualquer das maneiras, gostava de praticar a luta greco-romana debaixo dos lençóis, mas não com qualquer um. Como é que consigo que um rapaz de jeito se interesse por mim?
Rita, 19, Braga

Doutor G: Cara Rita, olha outra... Fala com o indivíduo aí de cima na mesma situação que visto que nenhum de vocês vai ter jeito para a coisa à primeira, só se estragava uma cama ou banco de trás de um automóvel. Ora bem, se nenhum homem de jeito se interessa por ti, tens de começar a baixar os padrões e contentar-te com um homem mais ou menos de jeito. És mulher, tu não precisas de meter conversa com os rapazes, só tens de sorrir e mostrar-te disponível para conhecer pessoas. Se até a Marial Leal consegue, tu que és melhor do que ela e não cantas tão mal também serás capaz. O que acontece é que sendo passiva, vais ter escolha entre os que se vierem fazer a ti. Se fores tu a tomar a iniciativa, podes almejar algo melhor. No entanto a regra de ouro para que alguém interessante repare em nós é sempre a mesma: temos de ser interessantes.


Caro Dr. G, recentemente iniciei uma relação com uma modelo internacional 7 anos mais velha do que eu e que ainda por cima também é bastante inteligente. Eu sei que não sou nada de especial e não sei o que a levou a interessar por mim (não sou rico. Aliás ela tem mais dinheiro do que eu). Tenho medo que ela perca o interesse visto ser "demasiada areia" para o meu camião. O que posso fazer para que isso não aconteça? E o que posso fazer para que não se note tanto a diferença etária? 
Anónimo, 18, Abrantes

Doutor G: Caro Anónimo, esta história parece-me falsa. Primeiro, não estou a ver o que é que uma modelo internacional iria fazer a Abrantes. Segundo, toda a gente sabe que não há modelos que também sejam inteligentes. Bem, adiante. Sabes como é que ela perde o interesse em ti? Ao seres um coninhas inseguro. Se ela se interessou por ti é porque tens algo especial que ela gosta, ou porque ela quer um gajo seguro que se sinta inferior e lhe faça todas as vontades, ou simplesmente porque tem mau gosto. Seja como for, não interessa. Andas a comê-la! Festeja! Com essa diferença de idade, sendo ela uma modelo internacional e tendo tu 18 anos o mais provável é isso não ser para casar, por isso aproveita enquanto dá. Ninguém é areia a mais para o nosso camião a não ser que essa pessoa seja fútil ou que nós sejamos desinteressantes. Ou mesmo, mesmo muito feios e pobres.


Caro Doutor G, um rapaz que conheço (mal) há cerca de um ano, que por sinal apesar de ser muito simpático não tem um físico que eu ache minimamente atraente, convidou-me para ir ver uma exposição de um tema que eu aprecio bastante (é a segunda tentativa, já me tinha convidado para um café aqui há uns meses atrás). Eu recusei, mas só porque não podia nesse dia, mas ainda nunca lhe disse que tenho um "namorado" que conheci pela internet com quem faço sexo javardo 1 vez por semana e que me satisfaz por completo. A dúvida prende-se única e exclusivamente sobre como lhe dar esta notícia. Ou sequer se lhe falo do assunto. Hipótese A: trato-o sempre como amigo e espero que ele perceba que não estou interessada. Hipótese B: menciono assim na conversa casualmente a existência do "namorado" na minha vida. Hipótese C: no caso de ele explicitar que está interessado em mim digo-lhe suavemente que já estou comprometida.
Bruna, 37, Lisboa

Doutor G: Cara Bruna, não me venhas com tretas. Tu gostas da atenção que ele te dá e que ande atrás de ti e por isso é que estás a inventar desculpas para não lhe contares que tens namorado. Não precisas de ser indelicada e directa até porque corres o risco de ele dizer «Tens namorado e então? Só te convidei para um café, deves pensar. Se fosses boa convidava-te para jantar. Convencida.». Por isso, vai pela via mais subtil e quando ele te convidar novamente para qualquer coisa só tens de dizer «Não vai dar, já combinei a essa hora com meu namorado.». Fácil. Não ocupes o consultório com histórias da carochinha a ver se alivias a consciência por o quereres manter no banco de suplentes, vulgo friendzone, só para te subir o ego.


Está feito. Vão lá à vossa vida e não se fala mais nisso. Continuem a enviar as vossas dúvidas para porfalarnoutracoisa@gmail.com e já sabem:


Partilhem e façam amor à bruta porque de guerras o mundo já está cheio.






Gostaste? Odiaste? Deixa o teu comentário: