10 de abril de 2018

Um namoro sobrevive sem atracção física?



Cá estamos em mais uma consulta onde pessoas, na sua maioria, choninhas, enviam dúvidas a um gajo da Internet porque não devem ter amigos, ou assim. Sim, estou de mau humor. Vamos a mais um "Doutor G explica como se faz".


Caro doutor G. Andei com uma rapariga durante 3 meses e não namoramos porque ela disse-me abertamente que era assexual. Eu não me importei porque ainda sou romântico e demos passeios espetaculares. No outro dia fiquei um pouco desesperado e isso refletiu-se numas mensagens que lhe mandei. Mandei mais umas mensagens a pedir desculpa pelo exagero e agora ignora-me como se nada se tivesse passado entre nós. Eu disse-lhe que já não estou tão interessado como dantes (não foi só para lhe agradar, mas sim porque é verdade) e que queria voltar a passear com ela. Eu tenho uma ideia de onde ela vive, achas que devo... Outra coisa especial nela é que eu sou esquisito a escolher raparigas, não pela beleza mas pela inteligência. Ela tinha um balanço interessante entre beleza e inteligência e estou com dificuldades a encontrar uma substituta. 
Anónimo, 17, Póvoa de Varzim

Doutor G: Caro Anónimo, existe um tipo de pessoa com as quais damos passeios espectaculares, vivemos momentos incríveis e com as quais não fazemos sexo: amigos. Para que é que estás interessado em alguém que é assexual? Não tens outros amigos ou não gostas de ver séries sozinho? Respeito o LGBTXPTO e o resto do abecedário todo, mas ser assexuado é sinal de trauma psicológico ou deficiência ao nível das hormonas. Isso ou nunca levou uma trancada como deve ser, também pode ser esse o caso. De qualquer das formas, é respeitar a posição dela e se ela não te quer nem para amigo, é esqueceres e arranjares outros amigos. Não, não acho que devas aparecer à porta dela para a agarrares por um braço e irem dar um passeio à praia. Seria a violação mais lame de sempre. Já a estou a ver de voz distorcida "Ele agarrou-me à força e... até me custa relembrar... levou-me a passear pela praia, ainda por cima com este frio". Se ela não quer, não quer, ao menos sabes que não é por não te achar atraente sexualmente, já não sente comichão na virilha por ninguém. Como namorada, mais vale uma feia e burra que faça sexo do que uma bonita e inteligente cujo pipi já meteu os papeis de insolvência e fechou para sempre.


Caro Dr. G, namoro com um rapaz há quase 6 meses. Gosto muito dele. Mesmo. Acho que nunca gostei tanto de uma pessoa e é algo que cresce todos os dias. Mas em termos de funaná pelado as coisas não andam bem. Da última vez que estivemos juntos, ele reparou que, enquanto lhe dizia para avançar, o afastava com as pernas (como se estivesse a fechá-las). A maioria das vezes que ele chega a penetrar-me, doi-me muito e temos de parar a meio. Como é a primeira pessoa com quem tenho relações sexuais, não percebo bem o que se está a passar mas palpita-me que não seja muito normal... podia ajudar-me a perceber o que se passa? Tem algum conselho?
Daniela, 21, Porto

Doutor G: Cara Daniela, vamos por partes:

  • A dor da penetração pode ser normal e fruto da falta de uso ou pode dar-se o caso de teres vaginismo que é um problema muito comum. Apertadinho é bom até certo ponto, depois dói a toda a gente. Digo eu que não sou pedófilo. Vai à ginecologista e ela que faça lá os exames com a colher de pau e a varinha mágica ou lá o que é que se faz nessas consultas;
  • Pode dar-se o caso de ser ele a ter um pénis barracuda e aleijar-te. Grande é bom até certo ponto, depois dói a toda a gente.
  • O problema de dizeres para ele avançar e fechares as pernas é resolvido facilmente adoptando outra posição sexual que não a de missionário. Por trás, podes fechar as pernas à vontade desde que não dês coices.
Para além de cuspo e de muitos preliminares, usem lubrificante a sério e fica tu por cima para controlares a penetração. Já agora, só para ter a certeza, não estão a usar o buraco errado, não?


Caríssimo Doutor G, tenho 23 anos e vivo um dilema constante. Sempre que começo a conhecer alguém, geralmente ao fim de uma semana ou depois de já termos travado uma luta pelada debaixo dos lençóis, perco subitamente o interesse. Passo a só conseguir ver defeitos nesses rapazes (principal defeito que a minha pessoa identifica: incapacidade para mandar uma boa foda) e não consigo focar-me no que há de positivo. Contudo, mesmo quando o sexo satisfaz, acabo por encontrar outros pontos negativos que me aborrecem. Será que não fui feito para estar numa relação? Será que sou um player sem sentimentos ou simplesmente ainda não encontrei a pessoa certa?

Alfredo Maria, 23, Coimbra

Doutor G: Caro Alfredo, como deves imaginar, a minha cultura sobre relacionamentos homossexuais é apenas baseada na literatura e não empírica. No entanto, se o sexo não é bom está explicada a súbita perda de interessa no rabo e/ou pila dos rapazes. És novo, não tens com o que te preocupar, calculo que no mundo dos homens gays seja mais complicado manter uma relação duradoura porque a oferta é muita já que são sempre dois homens a querer e os homens não têm muitos critérios e só pensam numa coisa, seja qual for a sua orientação. Por isso, aproveita porque quando aparecer a pessoa certa, vais deixar de ser picuinhas e provavelmente até te vais apaixonar tu por um player sem sentimentos que te vai fazer sofrer a ti. É a vida. É o universo a equilibrar-se.


Caro Doutor G, esta sua fã conheceu um rapaz há uns tempos. Quando começamos a conviver achei-o interessante, mas sempre o vi como um amigo. Acontece que ele se apaixonou perdidamente. Apesar de já ter sido bem clara e desenhado o círculo da “friendzone” mas aquilo não descola! Mensagens despropositadas só para tentar manter conversa e situações idênticas acontecem… Tanta pressão já me anda a deixar desorientada, sei que algo sério não ia resultar e uma coisa mais casual não é opção! O que fazer para resolver a situação, sem perder um amigo?
Anónima, 20, Lisboa

Doutor G: Cara  Anónima, mas sem perder um amigo porquê? Queres que o gajo se mantenha por perto para te subir o ego? Se dizes que ele te manda mensagens só para manter conversa e que isso te irrita então é porque não és assim tão amiga dele, não me venhas com tretas. Corta o mal pela raiz, se ele não quer ficar na friendzone não vão poder ficar amigos. Para ilustrar melhor, deixo um fluxograma:

Olá Dr. G, à cerca de 4 meses que namoro com uma rapariga por quem me sinto muito apaixonado, damo-nos bem e as coisas estão a avançar e a evoluir. Acontece que em relação ao sexo as coisas não correm tão bem como gostaria, ela tem muito apetite sexual e eu, ao contrario do que era normal com as minhas anteriores companheiras sexuais, não sinto grande vontade. Aliás, embora esteja feliz com ela, sinto muita vontade de estar sexualmente com algum dos meus affairs pré-namoro. No inicio da relação esta discrepância de vontades era mais notória e levava a algumas situações constrangedoras, agora as coisas melhoraram um pouco mas continuo a sentir-me sexualmente insatisfeito. Será que afinal não estou tão apaixonado como penso estar ou simplesmente o facto de ela fisicamente não ser o que eu gostaria faz com que eu perca interesse? É justo continuar com uma pessoa com estas dúvidas?
Anónimo, 29, Porto

Doutor G: Caro Anónimo, parece-me que a resposta é mais do que óbvia: se dizes que ela fisicamente não é o que tu gostas, talvez, só talvez, seja por isso que não sentes atracção física por ela. Somos todos uns fúteis e macacos com smartphones e por muito que nos achemos evoluídos, o aspecto físico conta e no que toca ao sexo conta muito, especialmente para a atracção inicial. No entanto, ela pode não ser bonita mais efectuar-te um felácio de pontapé de bicicleta que tu ficas maravilhado e esqueces que ela tem pelos nas costas. Por isso, se gostas mesmo dela, tens de lhe dar oportunidades para te mostrar o que vale e descobrirem ambos como darem prazer um ao outro. Se não estás assim tão apaixonado, se calhar é melhor acabares o namoro para não fazer a rapariga sofrer mais tarde. Por fim, isso de sentires vontade de ter sexo com outras pessoas tem um termo técnico: ser Homem. Homem com H grande porque as mulheres são iguais, só que mais discretas e não andam a dizer a toda a gente. Moral da história: somos todos uns porcos, mas os homens são mais burros.


Obrigado e até à próxima. Quem tiver dúvidas sexuais, sentimentais ou existenciais, é enviar para porfalarnoutracoisa@gmail.com. 


Façam amor à bruta porque de guerras o mundo já está cheio.






Gostaste? Odiaste? Deixa o teu comentário: