10 de maio de 2015

Bullying da SIC? Ou da família?



Sei que já venho um pouco tarde para falar deste assunto e que já se disse quase tudo o que havia para dizer, mas ainda assim sinto-me obrigado a comentar sobre o facto do rapaz da foto ter sofrido bullying por parte da SIC no programa dos Ídolos. Já todos devem saber a história mas resumindo: ele não cantava um chavo, tem umas orelhas proeminentes e a SIC achou de bom tom meter-lhe umas ainda maiores. O miúdo diz que ficou traumatizado e humilhado, tendo-se isolado em casa durante 4 dias sem ir às aulas e que a vida dele se tornou um inferno. O ponto positivo é que mesmo no calor do inferno ele tem dois abanos para se refrescar.

A avó prepara-se agora para entrar com um processo judicial em busca da indemnização que fará com que tudo fique bem, porque toda a gente sabe que é muito mais fácil enxugar lágrimas de humilhação com notas de 500 euros. Afirmou numa entrevista que vai deixar de pagar a casa para ter dinheiro para contratar um advogado. Sim senhora, muito consciente, nada melhor que deixarem de gozar com o rapaz do que torná-lo um sem abrigo.

A avó não está preocupada em perder a casa porque sabe pode ir morar para debaixo das orelhas do neto.

Se ela ganha o processo e isto pega moda a SIC vai à falência, já que vai ter que pagar a todos os cromos que foram gozados pelo seu aspecto ou até pelos seus trejeitos efeminados... estou certo que estão todos lembrados do célebre "Tá forte, tá", de quem não me lembro de alguém ter ficado chocado com o gozo muito maior de que foi alvo. É engraçado que as pessoas ficam escandalizadas apenas quando se goza com algumas coisas e outras não. Gozar com alguém ser muito alto, magro ou ter vozinha de pífaro estragado tudo bem, agora gozar com quem é gordo, baixo ou ter orelhas grandes, isso já não se pode porque parece que é bullying. Se calhar até é.

Não acho que a SIC tenha estado bem, antes pelo contrário, acho que era escusado e se fosse eu a mandar, aquilo não teria ido para o ar. Mas também não me choca assim tanto, para mim o pior veio depois, em que todos os órgãos de comunicação social decidiram fazer disto notícia, usando a foto do rapaz com orelhas grandes sem sequer lhe desfocarem o rosto, piorando assim todo este caso e dando-lhe uma proporção que não merecia. Se ele já era gozado na escola, imagino o quão pior ficou depois de todos os jornais terem espremido ainda mais o sangue de que se alimentam. A SIC esteve mal, os media no geral também, mas ainda assim o verdadeiro bullying veio dos pais dele, da avó ou de quem quer que foi que o incentivou a participar num programa para o qual ele não tem talento e onde mais do que eleger talentos, existe para encontrar cromos. Sempre assim foi e por alguma razão é que as audições têm sempre mais audiência que as galas. Aqueles que lhe disseram "Cantas muito bem meu filho, pareces um rouxinol" é que são os verdadeiros responsáveis.

Esses e todos aqueles pais que se convencem e convencem os filhos que eles cantam bem, só para os ver na TV. Parece que ter 5 minutos de fama orgulha mais pais do que ter boas notas na escola.

Esses pais que não tem olhos nem, ironicamente, ouvidos na cabeça é que são os culpados de tantos que lá foram e saíram em lágrimas quando ouviram o júri a dizer que cantavam pior que um castor com hemorróidas. Esses pais que assinaram papéis a dizer que cediam os totais direitos de imagem dos seus mais que tudo, para que fizessem deles estrelas ou cromos, para que gozassem com eles, os tratassem mal e lhes destruíssem o sonho de ser aquilo que nunca seria possível serem. Esses pais, que querem ter filhos famosos para meter inveja aos vizinhos e aos outros progenitores nas reuniões de associações de pais. Esses é que são os verdadeiros bullies. Sim, é bonito ver pais a alimentar os sonhos das crianças, ensiná-los que é bom sonhar com o impossível, até mesmo deixar que eles caiam, se magoem e que aprendam a levantar-se, mas deixar e provavelmente incentivar um rapaz de 17 anos, que até o Beethoven em fim de vida percebia que ele não canta absolutamente nada, a ir a um programa de "música" como os Ídolos é só sádico e negligente. É giro para quem vê, sim porque quase toda a gente que ficou escandalizada soltou um risinho também ele sádico na altura. Sim, porque ao contrário do que muita gente pensa, rirmo-nos de algo não significa que não tenhamos empatia pelas dores dos outros.

Todo este alarido só faz com que o rapaz ainda sinta mais que tem realmente um defeito, ou dois neste caso. Ele precisa de pensar que o José Rodrigues dos Santos, o Messi e o Michael Phelps também têm as orelhas grandes e ar de xoninhas e não foi por aí que não chegaram longe na vida. A avó diz que já lhe falaram sobre uma operação para reduzir o tamanho das orelhas e que ele se mostrou receptivo. Mas esta gente come feijoadas pelas orelhas ou quê? O miúdo tem 17 anos, se é para cortar mais vale daqui a uns tempos, pois é bem possível que aquilo ainda cresça mais uns centímetros. Pelo menos a mim houve algumas coisas que ainda cresceram até aos 20. Dizer-lhe que precisa de ser operado é só criar-lhe ainda mais complexos com algo que não faz sentido. Infelizmente, aposto que o rapaz é mais gozado por ter uma vozinha de xoninhas e efeminada do que pelas orelhas. Não digo que esteja bem, mas aposto que depois de se operar a diferença vai ser passar de ter a alcunha de Dumbo Maricas para ser só o Maricas. Mais uma vez e porque há gente que não percebe à primeira, reafirmo que acho mal que assim seja mas todos sabemos que as crianças são cruéis, o que nem sempre é mau como eu já aqui escrevi há uns tempos, sem bullying éramos todos xoninhas.

Melhor que ser operado é dar as orelhas às balas e ser o primeiro a brincar com o facto de parecer o Dumbo. Nada melhor que ir à escola com umas orelhas postiças de 2 metros de envergadura e ostentá-las com orgulho. A quem se vier meter com ele na mesma, sugiro-lhe estas respostas:
  • "Tenho orelhas grandes que é para a tua mãe se agarrar enquanto lhe estou a chafurdar a pocilga!"
  • "Tenho orelhas grandes e a tua mãe diz que é tudo proporcional"
  • "Tenho orelhas grandes então podes chamar-me Dumbo que é o que a tua mãe me chama... mas é por causa da tromba".
Se estiveres a ler isto, meu pequeno Topo Gigio, não precisas de agradecer, experimenta e depois diz-me como correu.

Uns dizem que a culpa é do rapaz, que já sabia ao que ia e que agora não tem nada que se queixar. Sim, por um lado é verdade, mas por outro ele é apenas mais uma vítima das promessas de fama e da sociedade fútil em que vivemos. É mais um que compra os sonhos desta "Indústria do Nada", como diria o Valete. Uma indústria efémera e que valoriza mais a imagem do que o talento. Mais a forma do que o conteúdo. Mais o pacote do que o interior. Em muitas das vezes o pacote é mesmo o rabo.





Gostaste? Odiaste? Deixa o teu comentário: