16 de junho de 2015

Quantos encontros até fazer sexo?



Os preliminares são bons mas não aqui, por isso vamos directos para mais uma rubrica "Doutor G explica como se faz".



Caro Dr G, como posso saber se um gajo só quer sexo ou mais que isso (cenas serias). Obrigada.
Leonor, 18,  Estoril

Doutor G: Cara Leonor, o mais provável é ele só querer sexo. Se ele gostar do sexo e do resto é normal que queira algo mais. Se não lhe despertares o interesse para algo mais sério, ele ficar-se-á pelo sexo. De resto é ver e tentar ler os sinais, depende do historial dele, de onde se conheceram, etc. É preciso ser-se uma espécie de mentalista, porque os homens mentem mais que o Sócrates quando se trata de querer levar uma mulher para a cama. Outra forma fácil de veres se ele quer algo mais sério é olhares-te ao espelho. Passo a explicar: se fores mais feia que o José Cid sem óculos escuros nem capachinho, todo nu a segurar a revista da Cristina Ferreira, então é porque ele quer algo mais sério. Ninguém está interessado em "só sexo" com alguém com esse perfil. 


Boas Doutor G, como leitor usual do seu blog vim procurar os conselhos orgásmicos de sua pessoa. Tal como o Bear Grylls, exceptuando-se a parte de beber urina, tento sobreviver nesta selva de mangueiras. Como engenheiro que aspiro ser procuro a forma mais eficiente e mais rápida de encontrar o caminho para a felicidade humana, ou seja jogar às escondidinhas todo pelado. Tal como todo o homem tenho tido dificuldades em descobrir o que o público feminino mais gosta. Assim, queria começar por perguntar-lhe: Acha que estar parado na pista de dança, por ser diferente do que toda a gente faz, é benéfico para cortejar as babes na night tuga? Esta abordagem tem tido sucesso com a mulher estrangeira, no entanto eu quero é conversar com a flor de Vénus portuguesa. Acha que dançar é uma melhor alternativa ou a mulher portuguesa está atrasada em relação a esta nova forma de galantear? 
Ricardo, 19, Leiria

Doutor G: Caro Ricardo, estar parado na pista de dança não é certamente a melhor técnica. Ir caçar gajas não é o mesmo que ir para o Rossio fazer de estátua com os braços esticados e alpista na mão à espera que as pombas venham bicar. Atenta que "bicar" não foi um verbo escolhido ao acaso. Já aqui escrevi sobre as várias formas de dançar em discoteca. O sucesso de utilizar a dança como forma de corte depende de vários factores: Primeiro da tua aparência física, segundo da tua confiança ao abordares a parceira e terceiro do nível de bebedeira dela e teu. Se as três variáveis estiverem alinhadas, tens tudo para conseguir ter sucesso, caso contrário passarás de "Olha este gajo giro a dançar comigo!" para "Olha este nojento de merda a roçar-se! Como é que ele pensa que tem hipóteses comigo? Será que eu estou feia? Gorda? Realmente não fui ao ginásio esta semana..." e por aí fora, naquela montanha russa de conclusões femininas que tão bem conhecemos. Em relação à mulher portuguesa vs estrangeira, sim a portuguesa é mais retraída e gosta de se fazer de difícil, reminiscências da ditatura Salazarista. É dar-lhes tempo, que mais cedo ou mais tarde ficam piores que as Inglesas.


Caro Dr. G, não sei se alguma questão deste género já foi colocada neste espaço, mas como cada caso é um caso vou expôr o meu: há quase um ano que ando a dançar sem calças com um tipo, mas é muito mais do que isso. Falamos todos os dias, temos muito em comum (o que é raro encontrar porque somos os dois esquisitos com gostos esquisitos), as nossas personalidades complementam-se perfeitamente. No fundo, somos tão amigos como coloridos. Já falámos uma vez ou outra sobre tornar as coisas mais sérias, e é aqui que começam os problemas. Em primeiro lugar, eu nunca consegui ter uma relação saudável, acho que nasci sem o gene da estabilidade. A única relação minimamente normal que tive durou uns singelos dois meses. Depois, também não confio nele. É mentiroso e promíscuo, o que em si não é um problema porque ele sabe esconder as suas voltinhas e o que os olhos não vêem o coração não sente, não é verdade? - o problema que tenho com isto está relacionado com o terceiro e mais imponente obstáculo (guardei o melhor para o fim): ele tem namorada. Já tinha antes de me conhecer e, tanto quanto sei (apesar de nunca termos falado sobre isso, mas acho que ele sabe que eu sei), ainda tem. O meu medo é que as coisas se tornem sérias e com isso a minha testa começar a ficar mais pesada e eu fique merecidamente colocada na infeliz posição da rapariga. Tendo em conta que o que eu quero é passar o resto da minha vida com este sociopata que é possivelmente a minha alma gémea, devo ser inteligente e racional e afastar-me deste circo ou deixar as coisas como estão indefinidamente porque claramente nos merecemos e assim só se estraga uma casa? Agradeço desde já.
Anónima, 24, Évora

Doutor G: Cara Anónima, temo que a decisão de tornar as coisas mais sérias não passe por ti. Se andam há quase um ano nesse bailarico pelados e ele continua com namorada, é porque ele nunca a vai deixar por ti. Se por acaso ele se vir solteiro, porque por exemplo a namorada descobriu, aí talvez ele queira algo mais sério contigo. Não estou a dar nenhuma ideia, atenção! Nada de lhe colocares um tampão usado no bolso do casaco ou de lhe deixares madeixas de cabelos teus presos nas virilhas. O meu conselho é: se queres algo sério, tenta com outro porque esse não vale a pena. Se tu és igual a ele, as coisas não vão funcionar. Porque esse tipo de pessoas só está bem e "estável" com outra pessoa que os deixe ter o controlo e fazer das suas pela calada. Em relação ao deixar andar a ver no que dá, é sempre uma hipótese, se vivem ambos bem com isso só posso dar a minha benção. É mais sexo que se faz e isso é sempre de louvar.


Caro Dr.G, Gosto bastante da forma humorística como encara as dúvidas que lhe são colocadas. Por isso mesmo venho-lhe pedir a sua opinião, e se não puder ajudar sei que me vou rir o que é sempre bom. É o seguinte, preocupo-me bastante com o prazer que a minha namorada sente na relação, apesar de ambos sermos virgens também andamos à luta debaixo dos lençóis (temos as nossas brincadeiras) e temos bastante intimidade e segurança um com o outro, falamos de tudo e tentamos sempre partilhar o que sentimos para melhorar a nossa relação. Contudo sei que nunca consegui levá-la ao pico do prazer, nem sei se lá perto....(e sei que isso é bastante possivel sem fazer sexo propriamente dito) apesar de achar que me esforço por lhe dar atenção e fazer o que é melhor para ela. Contudo ela acaba por se sentir desiludida e frustrada e eu sinto-me mal por não conseguir fazer com que ela se sinta no "céu". Isto vem atrapalhando a nossa relação e tenho receio que acabe por ser impossível melhorar porque depois de tanta desilusão ela vai acabar por se fartar e perder o desejo. Gostava de saber se o doutor tem algum conselho que me possa ajudar, visto que considero que sei a teórica mas a parte complicada é mesmo ser bom na prática e considero que é retrógrado a mulher não se sentir realizada na relação por isso quero mesmo conseguir com que se sinta realizada. Foi com ela que comecei nestas brincadeiras pelo que não tenho muita experiência o que acho que não ajuda nada O pior é que muitas vezes ela acha que é culpa deva porque acha que não consegue sentir o que devia, mas é obvio que sem a estimulação correta não se pode sentir o que é suposto. Não sei se o facto de ela ser uma pessoa muito exigente e meticulosa estará a atrapalhar por ter expetativas muito altas que depois não se concretizam. Obrigado Dr.G
PS: Ela tem a mente bastante aberta em relação a assuntos sexuais 
Anónimo, 17, Brandoa

Doutor G: Caro Anónimo, estares a enviar mensagem a pedir ajuda preocupado com o prazer da tua namorada já é um muito bom sinal. Embora obviamente que grande parte dessa tua preocupação seja egoísta pois queres dar-lhe prazer também para te sentires bem contigo próprio. Verdade? Claro que sim, somos homens, faz parte. Claro que é possível fazer badalar a campainha de satã sem o coito em si, aliás, há muitas mulheres que o atingem mais facilmente dessa forma. A minha única pergunta é: E ela sozinha, consegue? Se me disseres que ela nunca tentou, então algo está mal com ela e com a sua sexualidade. Se me disseres que tentou e não conseguiu, novamente algo está mal com ela, fisicamente ou psicologicamente. Se me disseres que ela sozinha consegue, então o problema é muito provavelmente teu. Conversem, ela que te diga como está a gostar mais, para parares, continuares ou virares à esquerda na rotunda. Mais que tu, ela é que tem que saber como tem prazer. Comprem brinquedos, vejam pornografia e besuntem-se com nutella. Se nada resultar ao menos ficam com a boca a saber a chocolate com avelãs.


Prezado, Dr. G. só de lhe estar a escrever, já estou molhada. É autêntico!!! Antes coçava o grelo a pensar no James Bond, agora fecho os olhos e só penso no seu pição (idealizo que seja assim... estarei certa!?) Desde miúda que pratico sexo com vários homens em simultâneo. E como gosto! O meu máximo foram três ao mesmo tempo. Mas preciso de novas experiências e sensações. Nunca tive experiências com mulheres, até aqui sempre achei muito ousado. Sei lá - como diz a outra! Queria saber a sua opinião excelso Dr. G(ostoso), sobre qual o número de gajos e gajas ideal para participar no bacanal e assim conseguir fugir a esta rotina monótona que se tornou a minha vida sexual, que apesar de activa precisa de mais (es)cavacanço... Sei que mora na Buraca - que belo nome de localidade - a minha buraca não é muito longe... Fica a dica :) 
Rute, 36, Amadora

Doutor G: Cara Rute, sim estás certa. Em relação a essa humidade é capaz de ser um cano roto, é melhor ires ao médico do pipi ver disso. Caso não seja nada patológico, agradeço o elogio. Portanto, vamos lá ver se entendi, sexo com outra mulher é muito ousado mas com três homens ao mesmo tempo é uma sexta-feira normal? Percebo, é como quem gosta de ir ao Chimarrão tomar o pequeno almoço mas jantar sushi é muita modernice. Em relação ao número ideal de participantes numa orgia, tudo depende. No meu caso, em relação a gajos o número ideal é 1, eu. Gajas, pode ser um intervalo fechado de 1 a +infinto. Mesmo que eu não dê conta de todas não há problema, ficam lá a ver, ou a arrumar-me a casa, nunca são demais. O ideal é ter sempre alguém que esteja apenas a ver e não participe activamente no chavascal, que faça de coordenadora de grupo e apontadora em algumas ocasiões. Género PT no ginásio "Vai, mais uma! Isso, é toda tua agora!". Isso e filmar, que essas coisas são para gravar e mais tarde mostrar aos netos. Por último, em relação à dica, obrigado mas terei que recusar. Códigos deontológicos e essas coisas chatas. Isso e porque os meus dentes ainda me permitem comer carne sem estar mastigada.


Caro Dr. G., sou caloira e conheci um rapaz numa noite da semana académica. Desde aí nunca mais nos largamos, andamos à mais de um mês a encontrar-nos. Dormimos juntos quase todas as noites, vamos ao café, ao cinema e ao fim de semana falamos quase todos os dias. Mas ele diz que não me beija à frente das pessoas porque quer ir com calma e quando saímos não andamos de mãos dadas nem dada. Inclusive ele já me disse que só teve uma relação séria e o resto tem sido só curtes. Contudo, quando estamos os dois sozinhos ele abraça-me e dá-me carinhos, dá a entender que gosta de mim percebe? E quando falamos por mensagens ele é sempre muito carinhoso comigo... Sinceramente Dr., acha que isto tem pés para andar ou será que para ele é só mais uma curte?   
Anónima, 19, Marrazes

Doutor G: Cara Anónima, isso à primeira vista parece-me que ele pode ter namorada e nunca te ter dito. Pode também dar-se o caso de ele ter dito aos pais que era gay e agora não querer ser visto em público todo hetero. Era uma desilusão para os pais. Vou mandar-me agora para fora de pé e dizer que pode ser por ter vergonha de ti, seja por uma verruga mais saliente que tenhas, uma buço proeminente ou até mesmo uma perna de pau que ostentas com mini saia. Caso não seja nenhum desses casos, ou ele é parvo ou só quer curtes. Podes sempre dizer-lhe que queres que te possua num local público mas que não precisa de te beijar nem dar a mão. Quando ele se estiver quase a vir tu páras e dizes "Desculpa, não me sinto confortável a dar-te orgasmos em público".


Olá Dr. G, começo por lhe fazer uma pequena pergunta: epá, mas onde é que anda aquele rei do javardanço que começou com esta rubrica? Parece-me que está mais sério e mais sentimental caríssimo... Por essa razão, gostaria que respondesse a este meu dilema, mas à sua boa maneira! Eu e a minha namorada somos uns praticantes curiosos - diria eu - na arte das lutas todos nus. Gostamos de inovar no que toca a técnicas de praticar o chavascal, de forma a chegar ao K.O. da forma mais gostosa possível. Não é preciso falar em pormenores, com a sua experiência e conhecimento, o Dr. percebe do que falo. Até aí, tudo bem. Contudo, como lutador afincado que sou, sinto sempre que podia dar mais "luta" do que aquela que realmente dou (leia-se aguentar mais tempo no "ringue"). Mesmo não sendo um daqueles que desiste 5 minutos depois de começar, queria lutar por mais tempo, se é que me entende... Sendo o Dr. um mago do nirvana (se é que me entende), fale-me das suas técnicas de resistência, para que as possa aplicar e tornar-me num - quase tão grande - tubarão como o é o Sr. Dr. Cumprimentos!
PS. sou do clube que gosta do bom português e conjuga o verbo HAVER como deve ser! 
Anónimo, 21, Porto

Doutor G: Caro Anónimo, é da idade e do tempo, faz-me ficar mais sentimentalão. Se reparares, duas dúvidas acima fui bastante javardo. Estou em Londres, lá está, é do tempo. Bom, em relação à tua dúvida, existem várias ténicas para se poder levar o combate ao 12º assalto, prolongando o KO até ao nascer do sol. Uma delas é beber uns copos mas sendo que beber todos os dias faz mal ao fígado, aconselho apenas em ocasiões especiais, quando é preciso fazer aquele brilharete. Segunda técnica é sempre que começares a sentir aquelas coceguinhas na cabeça do pimpolho, pensares na Manuela Ferreira Leite. Também funciona com a Merkl, mas pode causar danos irreversíveis. Uma vez vi uma entrevista de um actor pornográfico que dizia que pensava na mãe para aguentar mais tempo, mas isso é só doente, no entanto se quiseres experimentar, é pela tua conta e risco. "Come a sopa toda" ganha toda uma nova magia. Existem outras técnicas comprovadas e mais sérias mas com menos graça e como te queixaste que eu estava a ficar pouco javardo não as vou revelar, só porque sou um traquinas. Fica apenas um conselho, se tu ficas KO rápido pede a desforra e continua o combate de seguida. E outro e outro. Mete gelo e bebe um redbull se for caso disso.


Boas Doutor G, sempre quis falar disto consigo, por isso cá vai! A minha vida amorosa baseia-se sempre ou em gado ou xoninhas. Passo a esclarecer: ou conheço gajos que comem tudo o que se mexe; ou conheço gajos que são autênticos paus mandados, pães sem sal, sem qualquer tipo de conteúdo, enfim. Muito sinceramente, nunca conheci um gajo decente, um tipo interessante, com boa  treta, culto, com um óptimo humor e, acima de tudo, FIEL! Doutor, a questão pertinente aqui é: serei eu que só atraio gado em manada e paspalhos desinteressantes? Porquê que SÓ esses tipos vêm ter comigo? Terei de mudar algo em mim (?) Cumprimentos 
Anónima, 23, Lisboa

Doutor G: Cara Anónima, não te conheço por isso não posso responder. Há no entanto um certo tipo de pessoas que parece que têm escrito na cara que gostam de gajos cabrões. Já aqui falei na semana passada sobre o círculo vicioso Xoninhas-Badboy, que calculo que seja aquele onde estás metida. Quando dizes que só esse tipo de rapazes é que se vai meter contigo é que estranho, já que um xoninhas não se mete com ninguém. Talvez esteja na altura de começares tu a tomar a iniciativa e em vez de esperares que sejam eles a meterem-se contigo, pega as rédeas e escolhe um espécime que te pareça melhor.


Caro Dr G, gostava de saber quanto tempo em media devo esperar antes de praticar o coito com um gajo com quem ainda não estou numa relação. Não quero parecer oferecida e quero uma relação séria com ele mas não sei se ele quer.  
Inês, 23, Coimbra

Doutor G: Cara Inês, essa pergunta é parva. É das maiores palermices achar que há um tempo certo que se deve esperar, seja para ligar a alguém ou para fazer sexo. Querem fazer sexo? Estão com vontade? Conheceram-se há 10 minutos? Que se foda(m)! Comam-se todos para aí e lambuzem-se sem dó nem piedade caraças. "Ai, não posso fazer já que é para ele não pensar que eu sou uma porca e eu quero algo sério com ele!". Quer dizer, se fosse um gajo sem interesse era dar tudo na primeira noite, com sobremesa e tudo, como é um gajo como deve ser com quem se quer ter algo mais, vai-se obrigar o desgraçado a esperar quando ele é que devia ser recompensado por ser um gajo que epá sim senhor? Isso é começar uma relação baseada na mentira. Na mentira que "Eu não sou nenhuma porca" quando no fundo afinal é e não há mal nenhum nisso. Tu bem o disseste "Praticar o coito", ora se é praticar é para fazer o mais cedo possível para se ganhar experiência.



Está feito. Relembro que estou em Londres em trabalho e ainda assim não vos falhei. O mínimo que podem fazer é partilhar isto e referenciar o Doutor G junto dos vossos amigos que aparentem ter vidas sexuais pouco satisfatórias. Por falta de tempo ficaram algumas dúvidas de fora que saem na próxima edição. Enviem também as vossas para porfalarnoutracoisa@gmail.com.


Até lá, façam muito amor à bruta, que de guerras o mundo já está cheio.






Gostaste? Odiaste? Deixa o teu comentário: