30 de junho de 2015

Sexo submisso, fetiche com o chefe e banco de suplentes



Vamos a mais uma rubrica: "Doutor G explica como se faz". Talvez seja de ter começado o Verão, esta semana houve uma enchente de emails com dúvidas, pelo que não irei responder a todas. Fiz por ordem de chegada, por isso, as que não figuram aqui, serão respondidas para a semana. Tenho que contratar uma assistente...



Oi Doc, tenho apenas uma pergunta simples, ou não... Namorei com um rapaz durante cerca de 3 anos, até que não deu mais acabou tudo... Mas bem, durante esses 3 anos, a nossa vida sexual era bastante ativa, com muitas loucuras, e maluqueiras das boas!!! Ele era consideravelmente bem dotado e funcionava muito bem com os dedos, o melhor dele eram mesmo os dedos, porque tinha alturas em que o bichinho dele me magoava bastante. Mas, por muitos orgasmos que ele me desse, eu nunca consegui dar um orgasmo ao gajo. Simplesmente quando estava quase lá, entrava em pânico ou algo assim e parava por completo. Ele nunca reclamou, até porque eu arranjava sempre umas maneiras giras de o compensar... A minha pergunta é, será que me consegues explicar porque isto acontecia???
Rafa Lima, 22, Lisboa

Doutor G: Cara Rafa, não consegui perceber se eras tu que entravas em pânico, ou ele. Pela frase parece-me que era ele, o que é ainda mais estranho. Nunca conheci um caso de um homem que entrasse em pânico imediatamente antes do orgasmo. Conheço alguns casos em que entravam em pânico depois, quando passava a bebedeira e olhavam para a cara da rapariga. Não percebo também quais eram essas maneiras giras de o compensares, já que um homem quando não se vem, mais vale não ter feito sexo. Aliás, quanto melhor é o sexo, mais frustrante é, quando não se atinge o orgasmo, pelo menos para os homens. Era não largares o bicho e dares uma de piston humano até ele se vir e perder as finezas. Podias fazer também, como se faz aos putos, para comerem a sopa toda: "Aposto contigo que faltam 1000 bombadas". Ele, imaturo, como todos os homens são, vai querer ter razão e dizer "Não faltam nada, aposto contigo que são só 56.". Depois é ver quem tem razão. Caso eu tenha percebido mal e fosses tu quem entrava em pânico, o que acontecia é que és uma egoísta. É isso.


Bom dia ilustríssimo Doutor G! Conheço uma rapariga que estaria a mentir se dissesse que me deixa indiferente quando nos cruzamos na rua, claro que não abona ao facto ela ser gira, ser interessante, possuirmos alguns gostos em comum e a minha vontade de a possuir (no sentido greco-romano sob os lençóis e tal como viemos ao mundo claro está) ser obviamente de somenos importância. No que às conversas diz respeito, fluíam aprazivelmente até que, numa dessas conversas no facebook, eu a convidei para um café, desde esse momento ela começou a responder com mais demora e eventualmente quem entabulava conversa era exclusivamente eu. Para complicar a questão, parece que por desígnio universal nos cruzamos em momentos chave (mas isso não irei desenvolver agora...). Bem sei que vai dizer que o melhor é seguir em frente... Deixe-me dizer-lhe antes de mais que estou inteiramente de acordo consigo e é precisamente esse o meu objectivo e a razão do meu apelo ao seu vasto conhecimento e sabedoria. No mero reino conjectural eu e um amigo meu, que é homossexual, ambos solteiros há mais tempo do que gostaríamos, falámos da possibilidade de sairmos os dois à noite, irmos a um estabelecimento de divertimento nocturno, vulgo bar, denominado como friendly e em equipa tentarmos a nossa sorte, obviamente eu com as amigas e ele com os amigos (e obviamente, cada par seguiria depois o seu caminho: "amigos, amigos... negócios à parte"). Parece-lhe um plano de todo exequível? Se sim, alguma dica para iniciar conversa? 
Anónimo, 29, Guimarães

Doutor G: Caro Anónimo, essa rapariga com quem falavas, das duas uma: ou só queria ver se estavas interessado, não tendo intenção de levar as coisas para a frente e, mal percebeu o teu interesse, desligou; ou apareceu outro macho a fazer-lhe a corte que ela preferiu. É assim a vida, acontece aos melhores. Como tal, é, e como tu bem dizes, seguir em frente. Relativamente à segunda parte da questão, acho que sim, que deves ir a esse arraial de morcela. Eu já entrei uma vez num bar desses, fui atendido que foi um instante e ainda me pediram desculpa e abriram espaço para eu passar, sempre com um sorriso na cara. Para não falar de que há sempre perfume no ar, que os gays não saem de casa sem estarem nos trinques. As formas de abordar mulheres nesses espaços são sempre complicadas, já que, para estarem ali, ou apreciam carpete, ou não estão para aturar gajos na noite a fazer-lhes a corte, caso contrário iriam para uma discoteca normal. No entanto, pode ser a altura perfeita por isso mesmo, porque têm a guarda em baixo. Sugiro uma abordagem eloquente: "Aposto que sou o único gajo aqui que não tem um interesse em comum contigo". Ela perguntará "O quê?" e tu, todo airoso, respondes: "Pila. Só gosto da minha.".


Prezado Dr, G, vamos ao que interessa: o meu prazer em ser submissa! Adoro submeter-me aos homens com quem estou. Agora, estou  com um fixo há cerca de ano e meio. Gosto de ser o objeto do seu prazer mais animalesco e da sua fúria mais desumana. Gosto. Palavra de que gosto! É AGORA: E  gosto – ahh como gosto ![espasmo] que o meu namorado me dê o beijo negro! Dr. G. é o melhor do mundo!!! Negro, húmido, gelatinoso, suave e forte ao mesmo tempo e tão profundamente profundo – permita-me o pleonasmo. Venho-me em três tempos. Mas tenho um problema. É que, como boa submissa que sou, gostava de poder retribuir o beijo negro ao meu namorado e (ainda) não consigo. Não consigo porque o gajo tem muitos pêlos no cú e por vezes aquilo está tudo encaracolado e cheio de bolinhas de bosta seca agarrada. Mete-me nojo. Já lhe pedi para depilar o ânus. Ia ajudar a resolver o meu problema, não acha? Até já lhe disse que o que dói é só a primeira vez, que as depiladoras são simpáticas e bem-parecidas. Mas não… recusa-se. O que fazer??? Como convencer um homem a depilar o ânus? Como contornar a questão? E veja que isto será para proveito do próprio!! Eu quero proporcionar-lhe o Beijo Negro, mas preciso de condições… Obrigada, Dr. G .por toda a eventual ajuda que me possa prestar. Afinal, também é homem e terá a sua perspetiva - masculina - sobre este assunto. 
Ana Maria Ramos , 31, Leça da Palmeira

Doutor G: Cara Ana, começo por te felicitar por, mesmo dando o teu nome completo, seres desprovida de preconceitos e falares abertamente de chavascal. Um reparo, no entanto, utiliza antes a expressão "botão de rosa" ao invés de "beijo negro". Beijo negro, pressupõe sujidade, enquanto que o botão de rosa é cheiroso e mais clarinho, como mandam as leis. Se o teu namorado quer que lhe afagues o ânus com a língua, terá que ser com as tuas regras. Ou ele se depila, ou não há nada para ninguém, já que acredito que lamber os sininhos de cocó que ficam por lá pendurados, quais lontrinhas bebés tarzans, presas nas lianas, seja de tirar a vontade a qualquer pessoa. Sugestões:

  1. Se ele não quer ir à depiladora, que faça a depilação em casa, com uma gillette, máquina de barbear ou mesmo com cera.
  2. Colocas um papel de celofane a tapar a sanita, metes na parte de cima Super Cola 3 e quando ele se for lá sentar, fica com tudo agarrado. Sim, é possível que descame o trombinhas mas, à partida, a questão dos pelos fica resolvida.
  3. Deixas tu crescer os pelos nessa zona e quando ele for, novamente, com a boca ao teu túnel de chocolate, incauto, tu dizes-lhe "Vá, lambe o meu rabo de esquilo agora, a ver se gostas". Pode ser que ele perceba que assim é nojento.

Caro Doutor G, há um certo rapaz que me desperta o interesse, e dava-me a entender que era mútuo, e como tal resolvi falar com ele. Acontece que falámos uma única vez e ele nunca mais me disse nada e eu entendi que ele não está para aí virado e pronto tudo bem. No entanto, cada vez que me vê fica com aquele olhar de cachorrinho abandonado, não sei se sabe bem do que falo. Agora a questão, ele está à espera que eu faça o trabalho todo ou só gosta de me "ter na mão"?

Anónima, 21, Lisboa

Doutor G: Cara Anónima, só há uma forma de saber. Os homens, por norma, não se fazem de difíceis, mas há alguns casos em que gostam de fazer esses jogos a ver do que é que a outra pessoa é capaz. Ele pode ter namorada, por exemplo, ou pode ser um xoninhas que não tem coragem para falar contigo. Convida-o para um café, depois de jantar, que é para ele perceber que vai haver funaná pelado e logo vês o que ele diz. Se ele disser que não vai dar, seja qual for a razão, é porque não está interessado. Podes sempre enviar fotos dos seios depois disso, a ver se o convences, mas já sabes, não mostres a cara.


Caro e excelentíssimo Dr.G, é o seguinte: Estou confuso, há uma rapariga que conheci que é uma deusa grega que provocou um sentimento por mim tal como Adamastor e Tetis (se bem que eu sou um Adamastor bem mais pequeno e belo). Conhecemos-nos num grupo de amigos e fui ganhando interesse por ela nas nossas saídas de grupo. Cheguei a falar com ela por facebook (e eu sou um tímido do caralho, mas já fui bem pior) mas as conversas eram sempre sobre trabalho, tentava ser engraçado mas ela sempre respondia com educação com "desculpa", "se faz favor" e "obrigada" e o assunto acabava por morrer logo. O meu sentido aranha dizia-me que ela não tinha nenhum interesse por mim. Na ultima vez que tive com ela, ela pareceu-me muito desastrada a minha abeira. Ria-se por tudo e por nada (se eu dissesse "parede" ela era capaz de se rir), imitava os meus gestos e posso dizer que tive um momento bem agradável. O meu sentido aranha começou a apontar para o interessada. Poucos dias depois, falei com ela por sms, tentei ser engraçadinho como costume e o que me pareceu ser uma conversa agradável acabou por morrer logo depois devido as respostas vagas dela. O meu sentido aranha acabou por desnortear completamente. Isto não significa que vou desistir já, até porque ela brilha demasiado. Mas Dr. G, o que você acha? Ela está a fazer-se de difícil ou algo do género ou eu é que sou um calhau do cabo das tormentas? Só não queria que aparecesse um Vasquinho da Gama e me fodesse.  
Anónimo, 23, Lisboa

Doutor G: Caro anónimo, as mulheres são peritas em enviar sinais errados, por isso, não precisas de te autoflagelar muito por não perceberes o que se está a passar. O que aconteceu foi o seguinte: ela primeiro tinha alguém em vista e por isso não te deu muita trela; depois deixou de ter alguém em vista e deu-te trela; depois passou a ter outra vez alguém e voltou ao mesmo. Isso, ou ela nunca teve interesse, e da vez que dizes que ela se ria de tudo o que dizias, estava drogada. Às vezes também acontece. Pode ter-se dado o caso de tu te teres afastado e ela ao ver-te quis outra vez que voltasses a aquecer o banco. Quando o fizeste, ela mandou-te para as reservas novamente. Há também a remota hipótese de ela ser tímida e estar tão apaixonada por ti que nem sabe o que dizer e prefere não se aproximar, para não se magoar. Como sempre, é convidá-la para sair e ver o que ela diz. Se der uma desculpa, seja ela qual for, é porque não quer dançar a morna com os corpos quentinhos.


Bom dia Dr. como tem passado? Sou casada e estou num novo emprego há coisa de 5 meses e aconteceu-me o cliché mais parvo e básico de todos os tempos: apaixonei-me pelo meu chefe directo... Não sei nem quando nem porquê, mas aconteceu! E tem sido complicado lidar com isto tanto a nível profissional como a nível familiar... Já tentei saber se haveria disponibilidade para mudar de departamento (talvez a distância ajudasse) mas a resposta foi negativa. Isto afecta o meu trabalho, como é óbvio, pois torna-se complicado fazê-lo sentindo-me ao mesmo tempo uma menina parvinha ao lado dele (tenho 31 anos, ele 46)...Tento ser o mais profissional possível mas acho que já se começa a notar...Em casa as coisas não andam melhores... Gosto do meu marido, no entanto ando sempre distraída (a pensar no outro) e ele mesmo diz que eu ando distante... Não quero magoar ninguém nem sair magoada disto, mas não sei como ou o que fazer para parar de pensar em quem não devo e concentrar-me apenas no meu trabalho. Pode-me ajudar Dr.?
Uma fã, 31, Lisboa

Doutor G: Cara fã, realmente é um cliché bastante ultrapassado. Só falta dizeres-me que és a secretária dele. Peço perdão, a técnica administrativa. Muitas mulheres tendem a sentir uma atracção por homens no poder, suspeito que sejas como a primeira leitora, que gosta de ser submissa na cama. Tenho várias soluções para o teu problema:

  1. Ficares quieta, porque provavelmente isso é passageiro e a tua relação vale mais. Para não falar da relação de trabalho, que poderia ficar prejudicada e, nos dias de hoje, mais vale não arriscar;
  2. Acabares a tua relação e mandares-te para cima do teu chefe e dizeres-lhe que lhe queres fazer uma retenção na fonte;
  3. Pedires para o teu chefe te pagar por sexo, já que, sendo efectuado no local de trabalho e a troco de dinheiro, acaba por não ser traição e ser apenas um acumular de funções;
  4. Fazeres sempre um trabalho exemplar, sem erros nem falhas, para que ele nunca te repreenda e ateie o teu fogo de ser ralhada e de levar uns tau taus dele. Esta opção, tem a vantagem de que, fazendo um bom trabalho, podes subir mais rápido e sentares-te na cadeira dele (sem ele lá sentado).

Dr. Eu e o meu namorado costumávamos a ter sexo do bom, e ultimamente a coisa ta fraca. Ele fala muito e só diz coisas de puto que ta a fuder a primeira vez, e isso torna-se desagradável, como por exemplo: "anda aqui para ao pé de mim fazermos umas coisas" ou "ai és tão boa que assim fica difícil" ... Não é nada o meu género, então acabo por evitar fazer seja o que for com ele. Tenho um rapaz que quer rebolar comigo á quase 2 anos e nunca tive nada com ele, mas já se começa a sentir vontadinha. Eu amo o meu namorado mas assim fica complicado.

Anónima, 23, Tondela

Doutor G: Cara Anónima, não percebo o que tem de mal essas coisas que ele diz. Já lhe disseste que não gostas? O primeiro passo é a comunicação, depois, sim, uma chapada. Quando ele começar com essas coisas, já que não gostas, senta-te na cara dele, para lhe abafar a voz. Simples. Agora não me digas que andas com vontade, quando o teu namorado, pelos vistos, faz questão de dizer que te deseja e que, por isso, já te estás a sentir tentada a fazer rugby nua com o outro. Tu queres é esfregar-te no outro e estás a arranjar desculpas, confessa lá.


Caríssimo Doutor G, depois de alguns treinos à experiência consegui entrar num plantel. Tenho saído do banco, pois o titular já tem alguns anos de casa.
No entanto, o titular está com problemas na renovação de contrato e já se fala de um corte total nas negociações. Como tal, aproveitei a oportunidade e tive aquele efeito Mantorras - entra, faz o gol e leva tudo à loucura. Felizmente para mim estou afastado de lesões o que me torna ainda mais valioso. E ao contrário do ex-número 9 do SL Benfica ainda não desenvolvi nenhum amor eterno pelo clube. Há, de facto, um carinho algo especial, mas nada do outro mundo. Como o meu contrato também não é garantido, de vez em quando vou treinar à experiência a outros sítios, porque nos devemos sempre lembrar que há várias possibilidades de escolha neste mundo. Visto que estou a começar a ganhar o meu lugar e a assumir um lugar de relevo onde estou, há que relembrar que estou a lutar por isso contra um jogador da casa, que pode ou não estar de saída. E a minha questão é, devo continuar a lutar pela titularidade onde estou ou procurar ganhar o meu espaço noutro local? 
A, 22, Coimbra

Doutor G: Caro A, tudo depende da liga onde joga esse clube. Se me disseres que joga na distrital, então talvez seja melhor continuar com os treinos de captação noutro local. Se me disseres que joga na Liga dos Campeões, então talvez seja de investir. Relembro apenas que, um clube que anda a sondar o mercado às escondidas, poderá ser um clube com pouca ética para se progredir na carreira. Salvo raras excepções, será sempre um clube trampolim para voos mais altos e nunca um clube pelo qual se deva enamorar, sob pena de nos sentarem no lugar do outro pobre coitado. Começou o Verão, a época de transferências vai abrir e, como sempre, estará ao rubro. Para já, não assinaria qualquer tipo de contrato, muito menos com cláusula de rescisão avultada. É continuar a treinar onde houver campo, neste caso pelado e não relvado. Mete os olheiros a trabalhar, que há sempre boas contratações a custo zero neste defeso.


Caro Dr. G, conheci um rapaz à cerca de 4/5 anos, através do Facebook, não temos nada em comum mas sinto que gosto demasiado dele (afinal um puzzle não se constrói com peças iguais), e como deve estar a imaginar já nos envolvemos sexualmente, mais propriamente, sempre que estamos juntos temos relações. Durante este tempo, tanto ele como eu, já tivemos (pelo menos) uma relação séria com outra pessoa, mas quando tudo acabou voltamos a falar. Chateamo-nos com regularidade e sempre que estamos demasiado tempo sem falar sentimos saudades um do outro. Mas nunca fui tomar um café com ele, nunca fomos jantar juntos, nunca fizemos nada juntos (a não ser aquilo que já referi a cima). Nunca estivemos juntos fora de casa. Conheço o grupo de amigos dele mas porque a cidade é pequena e andámos na mesma escola. Sempre que falo em termos algo mais sério ele diz que não se sente bem em relações mais sérias, ou o simples facto de irmos tomar café ele diz que isso nunca vai acontecer. O que eu concluo disto é que ele só me quer para levar para a cama, mas a questão é, Será que se fosse só para isso, ao fim deste tempo todo, ele já não me teria mandado para outro lado? Tento deixar de lhe falar mas não consigo, tento conhecer pessoas novas e entregar-me a novas relações mas não consigo, só penso nele apesar de não ser a relação dos meus sonhos. Será que sou eu que sou uma fraca ou ele é o maior cabrão de todos os tempos?
Anónima, 20, Aveiro

Doutor G: Cara Anónima, tudo depende do quão boa és na cama. Um homem não manda embora um bom partido sexual, passe o tempo que passar, só porque sim. Nunca sabemos quando aparece outro. Agora, permite-me que te dê na cabeça. Se ele diz que não quer uma relação séria, nem sequer quer tomar um café contigo, se ele tem essa honestidade e to diz na cara, como é que ele pode ser um cabrão? Ele colocou as cartas todas na mesa, tu é que estás à espera, iludida, que ele tenha um às de trunfo na manga, quando não tem. Ele não quer nada mais sério contigo, seja porque não quer prender-se, não gosta de ti o suficiente ou porque tem namorada. Sim, isso explicaria a impossibilidade de ir tomar um café contigo. Seja qual for a razão, se ele não quer, só tens que lhe agradecer a frontalidade e decidir: partes para outro, ou continuas a entregar-lhe o teu tesouro, sabendo que nunca vais ter o coração dele. Por tesouro, entenda-se pipi. Só para que não restem dúvidas.


Dr. G. Ando com um dilema em relação a uma miuda, conhecemo-nos a uns bons meses e sempre tivemos química, rolaram uns beijos na altura que nos conhece-mos mas nada de mais, ela tem problemas com a ex "basicamente nao a esquece e anda a chorar feita maria madalena pela miuda que já passou a outra a algum tempo" , tenho feito de tudo para mostrar que gosto dela, sempre fui direta com ela, mesmo quando lhe quero saltar a espinha, mas nota se que ela não tem interesse. O que faço? Amarro-a a uma cama ou deixo em paz?
ICP, 19, Porto

Doutor G: Cara ICP, finalmente uma dúvida de alguém que gosta de pessoas do mesmo sexo! Logo agora que toda a gente tem fotografias com arco-íris e essas mariquices! Parabéns a ti, já podes casar nos Estados Unidos! Em Portugal já podes há 5 anos, atenção, não te estou a mandar embora, feito Passos Coelho. Bem, confesso que estou em terrenos que não conheço bem, todo o meu conhecimento de relações lésbicas provêm de filmes marotos e nunca abordam a parte das ex-namoradas, só quando elas aparecem de repente no quarto e se juntam à festa. Nem se lavam nem nada, já estavam preparadas e tudo. Um mimo. Eu não sei quais são as regras da etiqueta nas relações lésbicas, pelo que me é complicado sugerir a melhor opção. Se fosses homem, dir-te-ia para não a amarrares à força numa cama. Como és mulher, até és capaz de te safar com isso, caso ela te acuse de violação. Os polícias vão certamente gostar dos detalhes para preencherem a queixa. 



Aproveito para dizer que, embora haja muitas dúvidas que têm introduções giras, especialmente as que dizem que eu sou espectacular, às vezes tenho que as encurtar e retirar essa parte, mas um muito obrigado! Apesar de haver dúvidas em lista de espera, não deixem enviar as vossas para porfalarnoutracoisa@gmail.com. 


Partilhem e façam muito amor à bruta, que de guerras o mundo já está cheio.






Gostaste? Odiaste? Deixa o teu comentário: