21 de janeiro de 2014

O dia em que me cruzei com o Carlos Cruz



Isto passou-se por volta de 2001 ou 2002, portante pouco antes do escândalo da Casa Pia. Tinha eu os meus 18 anos, e estava à porta da casa de banho do Coliseu de Lisboa à espera de um amigo. Nisto, quem sai do WC é o Sr. Carlos Cruz. Eu olhei para ele naturalmente, e ele olha-me de alto a baixo com um ar de desprezo e sobranceria. Eu fiquei a sensação que seria ele a pensar "Deixam entrar qualquer tipo de pessoas nesta gala dos Globos de Ouro". Sim eu estava nos Globos de Ouro, não por ser conhecido, nem conhecer ninguém conhecido, nem ser rico, mas porque o meu pai a troco de umas paletes de leite e sumos tinha em troca uns bilhetes para vários concertos do Coliseu, entre eles esta gala. Eu tenho os contactos que realmente interessam! E eu como bom português, se é à borla vou. Fui uma vez, nunca mais lá voltei. Bem, voltando ao Carlos Cruz. Aquele ar dele tirou-me toda a simpatia que eu até nutria por ele, enquanto apresentador e figura pública. Nisto o meu amigo sai da casa de banho e diz-me "O Carlos Cruz não lavou as mãos depois de mijar". E pronto foi isto. Quando rebentou o caso percebi que não era um ar de desprezo, mas sim um ar de "Se fosses 1, 2, 3... 10 anos mais novo papava-te todo". Felizmente não me cumprimentou com aquelas mãos que não lavou que tinham acabado de estar em contacto com a pila com que andava a foder criancinhas.

"Ai mas ele pode ter sido tramado", dizem alguns em relação ao Carlos Cruz, só porque o acham mais fofinho que os outros. Pode? Poder pode, mas isso qualquer pessoa que esteja presa, que não tenha sido apanhada em flagrante. Se vamos a pensar assim estamos mal. O que é certo é que foi condenado e para todos os efeitos é um filho da puta inclassificável. Pior que os outros todos ainda. Porquê? Porque era o mais respeitado e foi o que andou a chorar mais em todos os canais de TV. Eu acho que um gajo com o dinheiro, poder e reconhecimento que ele tinha, só seria condenado com provas muito, muito fortes. Por isso vamos lá deixar a conversa do que se calhar ele é inocente, porque 99,9% de certeza que não é.

Só passou a ser mais aceitável fazer humor ou falar de pedofilia abertamente depois do Caso Casa Pia. Para além dessa importância, este caso mostrou que existem pedófilos em todos os estratos sociais, de todas as educações e orientações sexuais. Que é um problema que atravessa tudo e que deve ser levado mais a sério. Que violar uma criança, ou bebé, deve ser punido com mais do que 2 ou 3 anos de prisão, ou mesmo 6 ou 7 como o pessoal da Casa Pia apanhou. Que os poucos 25 anos, de pena máxima que temos direito a reclamar, são para casos como este. Ainda por cima prisões onde não os põe a tomar banho com o resto da malta, só para o convívio. Consta que até têm algumas regalias, como juntarem-nos todos 1 vez por semana numa almoçarada para relembrar os velhos tempos. Consta que a ementa é uma bela pratada de jaquinzinhos com salada de tomate cherry. Acho que deviam ser tratados de pior forma. Não podemos esquecer o impacto impacto profundo na nossa sociedade que este caso teve. Até ditados populares centenários sofreram alterações, por exemplo agora diz-se a propósito do médico Ferreira Diniz: Em casa do Ferreira espetam-me o pau.

Viram a volta que eu dei só para espetar duas piadas sobre pedofilia neste texto? Se não estavam à espera é porque é a primeira vez que cá vêm.

Para mim ser pedófilo é conseguir ser o mais baixo que o ser humano pode chegar. É conseguir meter nojo até ao triplo homicida que matou uma família inteira por 100€. E esses gajos não se impressionam facilmente. São gajos que já viram de tudo. Mas até esses se repulsam por um gajo gostar de meter a pilinha em criança alheia. Eu acho que os pedófilos têm todos a pila pequena. E viram-se para as criancinhas porque parecendo que não uma mão de criança numa pila pequena dá logo outra escala.

Os padres são os cinturões negros dos pedófilos. Conseguem tornar a pedofilia ainda mais nojenta. Reprimiram a sua sexualidade e expressam-na em crianças do coro que já não lhes bastava estar ali a cantar músicas do senhor ainda têm que levar com a batuta do maestro no rego das nalgas. Quando Jesus disse "deixai vir a mim as criancinhas" não era essa merda que ele queria dizer! Sempre se violou crianças e sempre se há-de fazer. Mas hoje em dia vem-se com a conversa do "é uma doença", "ele não consegue controlar os impulsos". Olha que filha da putice hein! Os animais quando estão doentes são abatidos não são? Desejo-lhes sinceramente uma morte lenta e dolorosa e sempre com comichão naquele sítio das costas que não se consegue coçar. "Ah foi abusado quando era criança". Ai foi? Então metam-no a ele e ao gajo que o abusou em criança numa arena e deixem-nos lutar até à morte! No fim, o que sobreviver é-lhe colocada uma granada no esfíncter e enche-se-lhe o bucho de purpurinas e confetis para o gajo se finar em grande estilo.

Era assim que eu lidaria com a pedofilia. E não estou a hiperbolizar! Tudo transmitido na TV com patrocínios e apostas e o dinheiro revertia a favor de instituições (sem serem da Igreja) que acolhem crianças abusadas. Olho por olho (ou ânus por ânus neste caso) e o mundo seria um local menos mau. Fica o sugestão a quem faz as leis e trata dessas coisas.





Gostaste? Odiaste? Deixa o teu comentário: