3 de janeiro de 2016

Prémios PFNC: E os vencedores são...



Para começar o ano em grande, vamos dar início à soberba cerimónia de entrega dos prémios Por Falar Noutra Coisa 2015. Com quase seis mil (!!!) pessoas a votar, talvez seja o evento mais importante do ano, este que elege os grandes, ou piores, destaques do ano transacto. Vamos lá então ver quem foram os grandes vencedores.

E o vencedor para a categoria «Moda parva do ano» é...

A viralidade dos filtros na foto de perfil leva o galardão de moda parva do ano! A solidariedade das redes sociais até pode não ser uma coisa má, mas ninguém aguenta com arco-íris, bandeiras de França, do Líbano e da Junta de Freguesia da Buraca a popular os murais do Facebook. Fiz um texto sobre isso que podem recordar aqui. Podem conferir os resultados e ver que foi uma vitória expressiva, embora os selfie sticks tenham ameaçado a liderança.



E o vencedor para a categoria «Tragédia do ano» é...

A vitória mais expressiva dos PFNC Awards foi a desta categoria. Um fenómeno que não sendo novo, veio cimentar-se e mostrar que as televisões portuguesas não têm grandes problemas em viciar idosos a gastar a reforma toda, tudo isto a troco de fantásticos prémios... em cartão. Já aqui escrevi sobre estes programas de Domingo à tarde. Podem conferir os resultados e verificar que nem o Carlos Costa vestido de princesa Diana, nem a Kizomba, nem a Ana Malhoa conseguiram roubar o protagonismo a esta tragédia do ano.



E o vencedor para a categoria «Indignação do ano» é...

Mais uma categoria com um vencedor, a meu ver, justo. A onda de indignação anti-refugiados que, ironicamente, foi antecedida pela indignação do bebé morto na praia, foi algo que me deixou com menos esperança no nosso país. Um povo de emigrantes e de conquistadores, não deveria ter tanta gente xenófoba, burra e desinformada. Escrevi sobre isso aqui e foi o texto mais lido de sempre nesta casa e, arrisco dizer, o texto mais lido em Portugal, em 2015. Podem conferir os resultados.



E o vencedor para a categoria «Traidor do ano» é...

Uma vitória não muito folgada que acusa mais de 50% de eleitores como sendo os traidores do ano. Alguns dirão que quem vota nos mesmos não se pode queixar, outros que os restantes partidos mais pequenos nunca teriam capacidade de governar o país. Mais uma moedinha (que sai do nosso bolso), mais uma voltinha neste carrossel que anda à roda há mais de 40 anos sem nunca sair do mesmo sítio. Podem rever alguns textos sobre esta matéria aqui e aqui, e conferir os resultados em baixo.



E o vencedor para a categoria «Performance do ano» é...

Pedro Arroja a roubar o galardão de perfomance do ano a José Sócrates, mesmo depois da sua entrevista de vitimização à TVI. Esta categoria tinha rasteira porque parece-me que o Pedro Arroja não está a mentir... infelizmente ele deve ser mesmo assim. Podem conferir os resultados e ler o que já escrevi sobre o Pedro Arroja.



E o vencedor para a categoria «Palermice do ano» é...

Uma surpresa nesta categoria! Obrigado por tomarem as minhas dores e considerarem esta situação como a palermice do ano. Espero que tenham votado por acharem que o palerma seja o Charlie que me ameaçou e não eu. De qualquer forma, interpreto este resultado como uma lufada de ar fresco que contrasta com o facto de 2015 ter sido um ano profícuo em pessoas que se ofendem por tudo e por nada e que decidem usar a sua liberdade de expressão para dizer que o humor deve ser limitado segundo os gostos pessoais de cada um. Felizmente, Salazar está na cova e este blogue e muitos outros, continuarão a ser livres do lápis azul. Podem conferir os resultados.



E o vencedor para a categoria «Atraso mental do ano» é...

E Pedro Arroja leva o segundo galardão para casa! Protagonista do grande atraso mental do ano, é, a meu ver, um justo vencedor. Foi uma das categorias mais renhidas, o que só mostra que Portugal tem muito potencial no tocante à atrasadice mental. Não estava à espera que o jornalismo de retrete da CMTV conseguisse roubar o segundo lugar ao Gustavo Santos, mas fico contente com a sanidade dos portugueses.



E o vencedor para a categoria «Coninhas do ano» é...

Surpreendidos? É verdade, vocês decidiram escolher o piloto da Germanwings como vencedor da categoria mais cobiçada destes prémios: o coninhas do ano! Alguém que decidiu suicidar-se à cobardolas, levando mais de uma centena de pessoas com ele e deixando muitas mais a sofrer, é de facto um grande coninhas! É por estas e por outras que eu me acagaço todo quando ando de avião, como já escrevi aqui. Confesso que estava à espera da vitória de Passos Coelho e estava a contar que os fãs de Star Wars fossem os menos votados. Vocês são como 2015: cheios de surpresas. 


E assim termina a primeira edição dos prémios «Por Falar Noutra Coisa». Não sei quantas pessoas votam nos Globos de Ouro, mas tendo em conta que eu apenas sorteei um livro e não um carro, quase que fico emocionado com tanta gente a votar. Obrigado a todos os que votaram e fiquem atentos aos vossos emails porque até ao final do dia de amanhã devo enviar mensagem a avisar se ganharam o livro ou se afinal vão ter de o ir comprar à loja. Beijinhos e abraços e um excelente novo ano para todos.





Gostaste? Odiaste? Deixa o teu comentário: