28 de março de 2017

Engolir, cuspir ou gargarejar?



Terem clicado para ler este texto já diz bastante de vocês enquanto pessoas. Nojentos. Enfim, vamos a mais uma consulta "Doutor G explica como se faz". 


Olá Dr. G, tenho aqui um dilema, mas não me apetece gastar 0,70€ +IVA para ligar à Maria Helena, até porque o Sr. Dr. o tem mais credibilidade. Tenho partilhado o meu tempo há cerca de meio ano com um rapaz mas nunca houve nada para além de uns amassos. Bom, quer dizer, haver houve, uma mini sessão de degustação láctea. Digo mini, porque foi mini em todos os sentidos. O rapaz tem um grande complexo com o tamanho e desempenho do instrumento, tanto que ultimamente me parece que evita marcar saídas comigo. Já lhe disse que relaxe que não vejo nenhum problema no tamanho, nem no tempo, gosto dele da mesma maneira, mas o rapaz está em guerra com ele próprio. Doutor, que lhe dizem as suas "cartas" que devo fazer para o por mais à vontade, e para ele perceber que gosto dele da mesma maneira, independentemente de ele ter uma gaita de beiços ou um trombone, demorar 5 minutos ou 1 hora?     
Joana, 33, Guimarães

Doutor G: Cara Joana, primeiro, tens de lhe dizer que não vale a pena chorar sobre o leite derramado, literalmente. Ele tem de perceber que a enguia trapalhona já não vai crescer mais e que lamentar-se sobre isso não dá centímetros. No entanto, pode trabalhar na questão da performance e já não se perde tudo. A primeira coisa que tens de fazer para o motivar é não dizer as seguintes frases, por muito honestas que sejam:

  • «Não me importo que o teu pénis seja muito pequenino.»
  • «Olha, é a primeira vez que consigo meter um todo na boca.»
  • «Bem, contigo acho que anal vai ser na boa.»
  • «Já me masturbei só com o dedo mindinho do pé e foi na boa.»
  • «Esta tua ejaculação precoce faz-me pensar se abrir um motel que aluga os quartos só durante dois minutos não será um bom modelo de negócio.»
  • «Já está?»
Esta última, seja a referires-te ao facto de ele já te ter ou não penetrado ou ao facto de ele já ter atingido o clímax. De resto, tens de lhe mostrar que ele te excita e que é melhor ele aproveitar o facto de tu gostares dele mesmo com esses problemas, até porque dificilmente irá aparecer outra tão pouco exigente.


Caro Doutor G, tenho quase 25 anos e sou virgem. Durante a minha vida toda, só cheguei até ao oral com uma ex-namorada, mas nunca chegamos a fazer o roça-roça pelados. Depois com a chegada da vida adulta e outras responsabilidades, nunca mais tive tempo para conhecer ninguém. Tenho muitas amigas, mas acho que nenhuma está interessada. O que fazer para quebrar o enguiço e chegar à terra prometida? 
D., 24, Porto

Doutor G: Caro D., essa do não ter tempo para conhecer ninguém é treta. Pelos vistos tens tempo para ler o consultório do Doutor G e para enviar a tua dúvida. Esse tempo podia ter sido investido na prospecção de mercado. Ser virgem aos 24 não é assim tão grave quanto isso. Aconselho-te a perder a virgindade com alguém com quem não queiras ter uma relação séria. Porquê? Porque não vais ter jeito nenhum para a coisa e se ela já for experiente pode perder o interesse. No entanto, não é por acaso que a maioria dos trabalhadores do ensino são mulheres: elas gostam de ensinar e ver o aluno a crescer, salvo seja. Não aconselho a recorreres a trabalhadoras sexuais a não ser se estiveres a chegar aos trinta e ainda estiveres na mesma situação e precisares de alguém para te tirar aquele plástico que vem no ecrã dos telemóveis. Por isso, relaxa e faz por conhecer pessoas novas. Arranja hobbies, sai à noite com as amigas e elas que levem outras já que não se querem sacrificar por um amigo. Usa aplicações online e lembra-te que todas as situações são boas para encontrar uma parceira, até mesmo os funerais, onde deixo algumas sugestões para iniciar a corte:
  • «Tenho algo em comum com o morto. Ambos temos partes do corpo com sintomas de rigor mortis.»
  • «Costumas vir aqui muitas vezes?»
  • «Bem, lá vai ele ser enterrado sete palmos abaixo de terra. Se quiseres também ser enterrada um palmo, diz-me.»
  • «Na altura em que houver silêncio, gritam: mexeu-se! Está a acordar! Depois viram-se para a rapariga e dizem-lhe ao ouvido "Estava a falar do meu pênis. Obrigado."»
Para mais dicas ilustradas em vários locais e situações situações aconselho a compra do meu livro - à venda em qualquer FNAC e neste link.


Olá Dr. G. Obrigada pela maneira como pões o pessoal a falar de sexualidade, grande trabalho que prestas a esta sociedade! O meu namorado é um querido e eu gosto muito dele, damo-nos muito bem mas o gajo só me beija quando quer sexo. Isto é normal?! Apesar de também não ser de afetos em público, às vezes tomo a iniciativa e ele não retribui. Mesmo no recato do lar, a mesma coisa!
Anónima, 23, Moscavide

Doutor G: Cara Anónima, acho que deves encarar como um elogio. Os teus beijos são tão bons que só quando é para avançar é que ele os quer, caso contrário levanta-se-lhe a alavanca de Arquimedes e ele não pode dizer eureka. Pensa nos teus beijos como Viagra: ninguém toma Viagra sem ser para fazer sexo ou para ter onde pendurar o casaco. Isso ou cheiras mal da boca.


Bom dia, reparei que todas as semanas há pessoas a dizer que não sabem onde encontrar o amor. Às vezes numa mesma semana até pessoas dos 2 sexos com idade próxima e do mesmo local. Que tal criares um consultório para desenconar esses coninhas todos que vagueiam pelo teu consultório?  
Anónimo, 24, Lisboa

Doutor G: Caro Anónimo, era isso mesmo. A seguir começava a fazer consultas ao domicílio. Tudo de borla, claro. Já bastam as várias dúvidas que me enviam por email a dizer «Agradecia que não publicasses e apenas respondesses por email» como se eu não tivesse mais nada que fazer na vida. Usem a zona dos comentários para isso se quiserem que eu não vou estar a meter pessoas em contacto para depois uma acabar cortada aos pedaços numa valeta e vir a PJ dizer que eu tenho culpas no cartório. Para esse efeito, o Doutor G idealizou e geriu durante muito tempo a aplicação Fuck Marry Kill que é uma alternativa ao Tinder. Neste momento, o Doutor G mantém-se como advisor e vai às reuniões mandar bitaites à bruta, já que agora não tenho problemas que sejam difíceis de implementar porque sei que já não serei eu a ter esse trabalho. Por isso, penso já estar a fazer o suficiente pelo desenconanço de Portugal. Para fazer mais vão ter de me pagar.


Caro Doutor G, ando a ajudar a minha amiga para ver se ela come alguém, mas ela rejeita sempre o que se arranja. Pois bem, acontece que anda atrás dela um gajo de quem ela se mostra interessada. Ando com um pé atrás com ele, sei-lhe bem o histórico. É licenciado em pôr as hastes nas damas. Agora não sei se a jogo no poço e meto-a numa relação com o moço ou se jogo a merda toda no ventilador e passamos a outro. 
Anónima, 22, Porto 

Doutor G: Cara Anónima, por vezes, um fluxograma vale mais do que mil palavras.

Caro Dr. G. Estou numa relação, o sexo é fantástico, cada vez melhora mais. Recentemente ele começou a explorar a rua das traseiras e adorei. Temo-lo feito frequentemente e deixa-me tão molhada que me venho em pouco tempo. Mas adiante: gosto bastante de abocanhar o salpicão, com direito a sugadelas nos ovos e tudo a que vocês gajos gostam. Mas, o meu companheiro já há algum tempo me pede que engula a ambrosia que brota do seu ceptro. A questão é que já o deixei explodir na minha boca algumas vezes e provei e lambidelas o seu néctar divinal, mas o sabor não é propriamente o mais agradável do mundo. O que faço? Engulo ou cuspo? É verdade que há alimentos que melhoram o sabor? Certamente muitas gajas como eu gostariam de ver esclarecida esta grande questão.
Joana F., 34, Pombal

Doutor G: Cara Joana, parabéns pela tua eloquência javarda. Relativamente à tua dúvida, vamos por partes. Cospes ou engoles? Mas eu sou a tua avó e estou a dar-te colheradas de sopa? Se queres engolir, força, se não gostas, cospe. A questão do sabor parece-me irrelevante já que numa prova de vinhos também não se engole e não é por aí que as nossas papilas gustativas não são inundadas por notas florais. Por isso, se o tens na boca, engolir não deve piorar o sabor embora vá, provavelmente, parecer que tossiste expectoração e voltaste a engolir. Acontece a todos. Por norma, os homens querem é fazer sujeira. Engolir ou não, o que interessa é haver javardeira e não mostrares que tens nojo que ele se venha na tua boca. Se não gostas mesmo de engolir, gargareja e baba-te sem querer. Relativamente aos alimentos que melhoram o sabor do sémen, é verdade, tal como existem alimentos que pioram. Para um melhor tempero da sacola dos girinos é evitar alho, cebola, espargos, brócolos, e adicionar canela, cerejas, ananás e chá verde, entre outros. Outra hipótese é juntares estes ingredientes todos, os bons e os maus, e fazeres um sumo detox para beber antes. Vais ver que, depois, o sémen te sabe a pato. Uma pequena nota para a criançada que está a ler isto: sexo oral desprotegido também passa doenças. Tenham juízo e se cheirar a bolor não metam na boca.


Sou só eu ou está consulta está muito boa? Agora façam como de costume e leiam às escondidas e não partilhem. Depois venham chorar que o Doutor G vai de férias dois anos para o Tibete. 


Façam amor à bruta porque de guerras o mundo já está cheio.






Gostaste? Odiaste? Deixa o teu comentário: