29 de abril de 2014

#SOMOSTODOSMACACOS, uns mais que outros



Olá bom dia. Anda um cheirinho a racismo no ar. Mas no tempo do Ku Klux Klan era mais agradável porque normalmente era cheiro a churrasco. Foi aquele vídeo do jogador do Barcelona Dani Alves, em que lhe atiraram uma banana e ele respondeu apanhando-a do relvado e comendo-a. Uma resposta genial ao atrasado mental que o tratou como um macaco no Zoo. Ou será que não foi antes um adepto mal compreendido e que só quis ajudar, sabendo que a banana é rica em potássio e que portanto ajuda a evitar cãibras? E terá o Daniel Alves comido para passar por cima desse insulto ou nem o percebeu e comeu a banana porque percebe de nutrição desportiva e/ou estava com larica? São questões que nunca serão esclarecidas. Mas apontemos para o facto de ter sido um insulto racista, que é a mais provável e também o que me dá mais jeito. Agora anda uma onda de solidariedade chamada #somostodosmacacos, em que caras conhecidas ou não, publicam fotos com bananas na mão. Como podem ver até o nosso presidente aderiu ao movimento. Não me surpreende, já que macacadas é com ele. Eu acho que o pessoal que não acredita na teoria da evolução de Darwin é o que vai ficar mais ofendido. Por acaso o termo correcto seria #somostodoschimpanzes, os macacos são de um ramo evolucional diferente, mas pronto isto sou eu a ser piquinhas. Eu só pergunto se em vez de um insulto racista tivesse sido um insulto homofóbio e em vez de uma banana lhe tivessem atirado um dildo grandão, como é que ele se tinha safado dessa. Tinha mais opções é certo.

É também notícia que o Nelson Évora foi barrado na discoteca Urban Beach, em Lisboa, com um grupo de amigos, na sua maioria desportistas que representam as cores de Portugal, como o Obikwelu, Naide Gomes, etc. O segurança terá dito "Demasiados pretos no grupo!". Os porteiros de discotecas não são conhecidos pela inteligência nem subtileza no trato e este só veio provar que o Gervásio lhe ganha aos pontos num teste de QI. Mas se calhar, mais uma vez, houve uma falha de comunicação e pode ter sido apenas uma questão de estética, visto o preto destoar com os tons creme com que o Urban Beach está decorado e já se sabe que os epilépticos não se dão bem com contrastes fortes. O segurança estava apenas a zelar pela integridade física dos clientes. As únicas pessoas que têm o direito de proferir um comentário do género "uí, tanto pretos no grupo" são aquelas actrizes de cinema alternativo que têm que servir de boneca de trapos para um grupo de jovens africanos. Até fica bem no guião.

Tinha acontecido uma do género há uns anos com o antigo jogador do Benfica Miguel. Foi barrado numa discoteca da margem sul com um grupo de amigos, alegadamente também por motivos raciais. O Miguel para mostrar que o porteiro não tinha razão foi buscar uns amigos ao bairro e dispararam 2 ou 3 tiros à porta. Nesse caso parece-me que não foi a cor da pele a razão mas sim o comportamento Neanderthal-ó-Arruaceiro, característica de muitos pretos, brancos, ou qualquer outro tom de pele. Uns evoluíram mas muitos não. A prova está na Assembleia da República. Piada fácil mas ainda assim muito bem metida.

Eu até acho piada a muito humor racial. Dave Chappelle é um génio da comédia, embora se fosse branco, seria certamente crucificado com 90% das piadas que faz. Mas agora trazer o racismo para a vida real, em pleno século XXI, num país que até é bastante liberal com essas coisas é só estúpido. É coisa que se espera de um militante do PNR, porque desses já ninguém espera coisas boas. Eu que vivo na Buraca, que sofri racismo por ser branco na escola, que fui assaltado inúmeras vezes quando era puto, tenho a inteligência suficiente para ver que o problema é social e económico e não de decoração de exteriores. Aliás a maior piada disto tudo é que esse comportamento discriminatório é típico de algumas raças de macacos, portanto, ao chamar símio a outra pessoa só por causa da cor da pele revela-se o verdadeiro saguim, que para quem não sabe é um primata pequeno, com ar ridículo e cobardolas. E cheira a cocó.





Gostaste? Odiaste? Deixa o teu comentário: