1 de abril de 2014

Festival da Eurovisão é um circo de aberrações



Bem, já cheguei tarde para falar disto, mas mais vale tarde do que nunca. Anda tudo chocado por a Áustria ter seleccionado uma mulher barbuda para os representar no festival da Eurovisão. Primeiro ponto: quem é que ainda liga ao festival da Eurovisão?

Segundo ponto, a Conchita não é uma mulher de barba, é um homem vestido de gaja, e o seu nome verdadeiro é Tom Neuwirth. Antes de ser cantor traveca era decorador de montras de loja, coisa que já dava indicações de ter um piquinho a azedo. Como sabem, pelo que escrevi aqui e aqui, não sou homofóbico e até sou bastante crítico com quem o é. Mas este tipo de bichice é cómica. E não tem a ver com ser preconceituoso, tem a ver com achar coisas engraçadas, e um gajo vestido de mulher e com barba é giro. Mas por mim tudo bem, os artistas na sua maioria são avariados do sistema, e antes vestir-se de gaja do que andar a comer putos. Também o Ney Matogrosso utiliza indumentárias duvidosas e no entanto é um grande artista. 

Não ouvi esta "senhora" a cantar por isso sobre os seus dotes vocais não me posso pronunciar, mas calculo que para concorrer na Eurovisão a coisa não seja boa. Será pior que a nossa representante Suzy? Duvido. Embora cante em português e o júri não perceba a letra, dá perfeitamente para deduzir que é uma azeitice de marca branca. Já para não falar daquele timbre de voz tipicamente pimba, com vibratos estridentes que rivalizam com a matança de um cabrito à paulada.

Voltando à Conchita, o gajo parece a vocalista das Pussycat Dolls. Não sei quem sai mais ofendido desta comparação. Ao menos com barba ninguém pode usar a desculpa do "Epá não percebi que era um homem, só quando lhe pus as mãos nas cuecas é que reparei. E aí sabes como é que é, um gajo está bêbedo e cu não tem sexo." Este senhor ao menos tem a cortesia de avisar que possui genitália masculina e assim não atrair homens incautos. Uma verdadeira gentleman.

Não percebo acima de tudo que isto seja motivo de conversa em Portugal, porque caso não estejam lembrados nós já enviámos uma mulher de barba para nos representar no festival. Era o Rui Bandeira. Fica aqui a foto para quem não está associar o nome à cara.

A Conchita teve a coragem de utilizar a fatiota completa. Não se ficou pelo cabelo comprido, tratadinho, com nuances e madeixas. Só lhe faltava ensaiar dentro do armário da irmã enquanto experimentava encharpes.

Vá adeus e até logo que tenho que ir esticar o cabelo e fazer umas madeixas californianas nos pêlos do rabo.





Gostaste? Odiaste? Deixa o teu comentário: