13 de março de 2014

D. José Policarpo foi ter com o criador



Hoje é com muita dificuldade que aqui vos escrevo. Tenho os olhos ainda húmidos... de uma crise hemorroidal. Pensavam que era pela morte do D. José Policarpo? Tenham juízo.

Não tenho muito a dizer sobre isto, principalmente porque o corpo ainda não arrefeceu e eu não sou um insensível. Não simpatizava com ele, como acontece com quase todos os membros da Igreja, mas até gosto do novo Papa, só para verem que não sou assim tão faccioso. Mas este não me inspira confiança, tem um ar de velho rezingão que vinha mandar bitaites sobre o que não lhe diz respeito. 90% das vezes que abria a boca saia merda. Merda benta sim, mas não deixa de ser merda. Enumero aqui algumas:

"Cautela com os amores. Pensem duas vezes antes de casar com um muçulmano. Pensem muito seriamente. É meter-se num monte de sarilhos que nem Alá sabe onde é que acabam" - Esta frase peca por se focar apenas na religião Muçulmana. Acho que as pessoas devem pensar duas vezes antes de se casarem, seja com quem for. Acho que também há católicos devotos que chegam a casa e dão uma saraivada de cachaporras no totiço da mulher. Mas pronto, o Deus Católico tem a pila maior que o Alá Muçulmano, e há que reiterar isso sempre que há oportunidade.

Considerou o casamento gay e a legalização do aborto como o "mais chocante" exemplo da recente evolução cultural em Portugal. "Estabelece-se a igualdade de género, sendo a opção homossexual tão verdadeira como a heterossexual, permite-se o casamento entre pessoas do mesmo sexo e está-se à beira de permitir adoção de crianças por esses pares de pessoas do mesmo sexo"Que não queira que se casem na Igreja é lá com ele, agora andar a meter-se no que não lhe diz respeito mete nojo. Que eu saiba separou-se a Igreja do Estado já há uns aninhos, pelo menos no papel, portanto ele que guardasse os comentários homofóbicos para as tertúlias papais. Em relação ao aborto a mesma coisa. Sorte a dele que o aborto não é legal há mais tempo. A Igreja preocupa-se mais com fetos do que com crianças a morrer em África.

Era também contra o uso do preservativo, ou tentava desacreditar a sua fiabilidade, como se não usar nada fosse melhor. Só não é preciso utilizar quando se pratica o coito com meninas pré-adolescentes ou rapazinhos do coro. Nesse caso realmente não há necessidade, é até um desperdício de latex, que sabemos bem que não é biodegradável.

Vinha de papo cheio falar de abdicar dos vícios e viver uma vida regrada, e pelo que sei fumava 3 maços por dia. Pode ser mentira, mas gosto de pensar que era verdade, para reafirmar a minha posição de que 90% do pessoal da Igreja são uns hipócritas de merda, da pior escumalha que há ao cimo da terra. Desculpem, enervei-me. Não tenho nada contra a fé das pessoas, adorava ter, acho que é ridículo mas não tenho nada contra, agora contra os líderes de uma organização milionária, de ostentação e manipulação, que protege pedófilos, e que faz muito mais mal ao mundo do que bem, sinceramente podiam falecer todos. Até porque iriam para o céu, e como eu vou para o inferno nunca mais tinha que os ouvir.

Bem, posto isto tudo, quero prestar as minhas condolências a todos os seus familiares que não têm culpa nenhuma no assunto. Teve uma boa vida, com poucos impostos, e não rezem por ele, porque se ele para ir par ao céu precisa que se reze, então nós estamos todos fodidos. Rezem antes pelas crianças que morreram de SIDA durante o tempo que estiveram a ler isto, porque disseram aos pais que se usassem preservativo iam parar ao inferno.

P.S. - Não tenho realmente hemorróidas.





Gostaste? Odiaste? Deixa o teu comentário: