27 de março de 2014

Kim Jong-un, um ditador sem limites




Parece que na Coreia do Norte todos os homens vão ser obrigados a cortar o cabelo como o Kim Jong-un. Não estou a gozar... podem ler aqui a notícia. Parece que só havia 28 penteados permitidos na Coreia do Norte, 18 para mulher e 10 para homem, mas agora os homens só vão poder utilizar este penteado cheio de estilo. 


Uma coisa é mandar fuzilar a ex-namorada ou sentenciar o tio à morte só porque sim e fazê-lo ser comido vivo por cães raivosos e esfomeados, como aconteceu recentemente. Mas outra é obrigar os homens a ter o seu corte de cabelo. Tem que haver limites para a tirania deste homem! Uma coisa é levar balázios no lombo, outra é ter que se olhar ao espelho e ver uma fusão de Paulo Bento, Miley Cyrus e uma alpaca. Desconheço o que acontece se alguém desobedecer, mas com o bom senso deste ditador fofinho calculo que seja a morte ou uma tortura bem gostosa. Sugiro que se coloque o  cidadão desobediente numa cadeira de barbeiro e se obrigue um idoso com Parkinson a fazer-lhe a barba. Inevitavelmente a carótida ou a jugular serão atingidas pela tremedeira e o insurgente esvair-se-á em sangue para aprender a seguir as linhas orientadoras de moda do seu mais que tudo.

Pergunto-me se esta lei também se aplica às pilosidades púbicas. No caso do Kim Jong-un imagino que tenha o matagal recortado em forma de quadradinho hitlariano para quando tem uma erecção parecer que o pénis está a fazer uma saudação Nazi. Isto se ele conseguir levantá-lo, porque claramente um homem que faz o que ele faz tem disfunção eréctil e/ou uma pilinha de uma criança de 5 anos que sofre de raquitismo.

Este gajo é completamente passado dos cornos, se é que é ele que manda alguma coisa ou tem outros a mexer os cordelinhos da marioneta por trás. A nossa sorte é ser um país relativamente pequeno, porque se tivessem a dimensão da China estávamos todos bem fodidos, mais cedo ou mais tarde andávamos todos com este penteado de ovelha punk. Se calhar estou a prever o futuro, não sei, vamos ver. Não sou muito a favor que outros países vão meter o bedelho no que não são chamados, quando digo outros países refiro-me aos Estados Unidos. Mas neste caso não me opunha a que mandassem uma tropa especial matar este gajo só com um corta unhas para ele sofrer o que merece. Se depois sucedia outro igual azar, fazia-se o mesmo até as coisas endireitarem. A violência não resolve nada mas às vezes ajuda.

Quem diz que teve azar de nascer em Portugal que repense essa posição. Se calhar ainda assim vivemos melhor que 90% do resto do mundo. Temos austeridade sim, temos muito desemprego, mais miséria do que há uns anos atrás, menos poder de compra e todas essas coisas más. Mas ao menos podemos utilizar o corte de cabelo que nos apetecer, e isso faz-me gostar mais de Portugal.





Gostaste? Odiaste? Deixa o teu comentário: